História Não identificado - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags A Mina Que Ele Zuava, Love Warning, Third Kamikaze
Visualizações 29
Palavras 1.770
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá pessoas~

Voltei cedo né? Ou não? kkk
Mas tá aí mais um cap pra vcs.
Nos falamos nas notas finais.
Leia as Notas Finais! Por Favor!

boa leitura!

Capítulo 3 - Um Sonho Lindo


Fanfic / Fanfiction Não identificado - Capítulo 3 - Um Sonho Lindo


Eu fico me perguntando... como as pessoas conseguem ser tão trouxas (principalmente eu) ao ponto de acreditarem em alguém que sempre te tratou mal? 

Minha mãe me fala que eu sou uma pessoa muito boa e as vezes até esqueço de mim mesma por causa de outros. Será que esse é meu maior defeito? Ser boa demais? Pra mim está parecendo isso. Eu pensei que ele, pudesse, sei lá, ter realmente se arrependido e que suas desculpas fossem sinceras. Mas eu fui enganada. Ou, melhor dizendo, fui trouxa. Nisso vamos concordar certo?

Seria melhor eu esquecer isso e não acreditar mais nesse babaca certo? Seria melhor eu fazer isso. Mas...isso me magoou tanto. Na verdade, isso sempre me magoa, mas agora doeu mais, foi como se alguém tivesse acertado em cheio uma flecha em mim. Eu acho que realmente tive esperanças que ele estivesse arrependido, não, eu acreditei que ele estivesse arrependido. Isso me magoou.

Só não entendo. Não entendo esse sentimento dentro de mim. O que significa isso? Eu só queria esquecer esse babaca e fingir que ele nunca existiu. Mas... porque é tão difícil?

Suspiro pesadamente e acabo saindo dos meus profundos pensamentos quando sinto alguém colocando o pé na minha frente e eu acabo tropeçando e quase caio, mas acaba sendo segurada por dois braços fortes segurando minha cintura e me impedindo de cair. Me sinto aliviada por não ter caído, mas quando vejo quem está me segurando, preferia ter caído.

E mais uma vez, lá estava eu encarando aqueles olhos castanhos lindos, e com os mesmos me olhando de volta. Pareciam surpresos de inicio, mas logo foram tomados por outro olhar. E eu não tinha certeza que olhar era aquele, mas pareciam uma mistura tristeza e desejo? Eu não sabia. Mas acabamos que ficamos alguns segundos assim, até eu perceber a situação que eu estava e onde estava. Rapidamente me soltei dos braços dele e passei direto por ele, não dando margem para ele me segurar ou qualquer outra coisa que ele tentasse.

Corri direto para o portão de saída. E só parei quando estava fora da escola, numa esquina ali próxima. Coloco as mãos nos joelhos me apoiando, já que fiquei cansada por causa da pequena corrida. Eu era realmente sedentária.

Rapidamente coloco as mãos nas minhas bochechas e sinto uma queimação sobre elas. Uma queimação muito estranha. Será que essa pequena corrida me tinha deixado assim? Ou talvez... tivesse sido ele? Mas por que ele?

O que é isso? EU COREI POR CAUSA DO THIRD?!

 

[...]

 

 Um garoto estava sentado na cama, perto da janela, parecia pensativo. Third encarava suas mãos. Suas mãos másculas e com grandes dedos. Ele abria e as fechava. Parecia que ele estava as analisando detalhadamente. Suas mãos tinha a segurado naquele instante, quando ela quase caiu. O rapaz não tinha percebido que era ela, depois quando ela levantou sua cabeça para encarar seu suposto salvador que ele tinha percebido que era ela.

Seus olhos se encontraram novamente, mais dessa vez, ele pôde aproveitar melhor para encarar não só seus olhos, mas o rosto junto. Ele pôde analisar cada detalhe daquele rosto, as bochechas gordinhas que a garota tinha e a deixavam super fofa. Os olhos eram tão lindos vendo daquela distância tão pequena que os óculos ali nem o atrapalhavam. E o que mais lhe chamou atenção no  momento, os lábios da garota.

Ah... aqueles lábios rosados eram o que mais tinham lhe chamado atenção. Pareciam tão perto de si e estavam. Para ele aqueles lábios estavam lhe chamando. Não tinha outra coisa que o garoto quisesse fazer naquele momento que não fosse tomar aqueles lindos e aperitivos lábios para si.  Mas é claro que ele não iria fazer isso.

No momento ele também se lembrou do que tinha feito mais cedo com a garota, e o arrependimento lhe desceu novamente, lhe dizendo que ele não poderia fazer aquilo, ele não tinha o direito de fazer aquilo. Ele entendeu logo. Mas o seu desejo não tinha passado, só tinha ficado maior. Queria tanto aquilo, mesmo entendo que não poderia de hipótese alguma fazer aquilo. A vontade não tinha desaparecido nem um pouco.

Logo em seguida, a garota se solta agressivamente dele e passa correndo por ele. Nem teve tempo de impedir de fazer aquilo pois ela foi muito rápida. E a única coisa que ele  pôde fazer foi ficar ali parado olhando na direção que a garota tinha ido por alguns segundos, até que é acordado pelo seu grupinho.

Ele tinha esquecido até que os garotos estavam ali o tempo todo. Eles viram tudo o  que aconteceu naquele tempo. Tanto que os garotos os encaravam confusos. Michael e Tomás lhe enchiam de perguntas, como: se estava bem, e ela tinha o batido ou até mesmo se ele tinha ficado com medo da garota por ser tão feia. Quase que ele dá um soco em Michael por ter falado isso. Mas ele soube se controlar, afinal não poderia dar motivos para que eles insinuassem alguma coisa. Mas ele tinha se dado conta daquilo tarde demais. Bobby não dizia nada. Apenas o encarava intrigado. Ele estava suspeitando de alguma coisa e Third percebeu isso, afinal, ele conhecia bem o Bobby e sabia que entre os três ali, ele era o que sempre entendia as coisas de imediato. Bastava apenas uma única pista, e o garoto já desconfiava.

O garoto suspira pesadamente. Sua cabeça estava latejando naquele momento. Tantas coisas os estressavam naquela situação. Aquele dia inteiro o tinha deixado estressado. Ele não sabia mais o que fazer agora. Tantas coisas confusas passavam na sua cabeça nesse momento que ele simplesmente decidiu dormir. Quem sabe um descansando para sua mente não o faria pensar melhor?

Ele apaga as luzes e se joga na cama novamente abraçando o travesseiro. Aquele descanso o faria bem. Bem até demais.

 

 

****

 

 

Third acorda assustado. Não sabia onde estava e que lugar era aquele e nem o que estava acontecendo. O garoto tinha acabado de acordar em cima da grama de algum parque. O que era isso?

O garoto se levanta e olha ao redor. Tudo que ele via era um lindo gramado, que ficou mais lindo ainda com o pôr do sol refletindo na grama. De longe, ele viu uma silhueta, uma garota via andando em sua direção.

Ela estava vindo em sua direção. Os cabelos ondulados estavam soltos e voando contra o vento, e ainda estava sem os óculos, deixando seu rosto mais a vista. E ainda estava com um lindo vestido branco redado, que voava contra o vento pelo pano leve. Ela estava linda. Muito linda. Third estava quase babando vendo a garota tão linda na sua frente.

A garota para a sua frente, bem próximo dele. A garota simplesmente coloca seus braços em volta do pescoço do garoto, o aproximando mais de si. Third fica surpreso de ínicio, mas logo ele coloca os braços na cintura da garota, colando ainda mais os dois. Os dois ficam poucos centímetros longe. Faltava pouco e o garoto conseguiria aqueles doces lábios para si. Só mais um pouco e ele conseguiria.

****

 

Third se levanta bruscamente. Estava meio suado um pouco. Ele olha em volta e ver que ainda está na sua cama e em nenhum gramado. O garoto parecia perdido. Então tudo aquilo que sentiu ali, foi apenas um sonho?

Ele se iludiu por meio de um sonho?!

O garoto se joga na cama novamente. A raiva tomava conta de si. Ele sentia aquilo a tanto tempo, mas nunca conseguiu admitir aquilo para ele mesmo, e isso só fazia aumentar ainda mais o desejo de tér – lá perto de si. Isso o estava deixando maluco. Como queria se livrar daquele sentimento idiota, só que ele não conseguia. Ele já estava muito apaixonado.

O único problema era que ele não conseguia admitir aquilo. Como? Por que ele gosta tanto assim dela? Se ele não conseguia admitir aquilo nem para ele mesmo, imagine para os amigos?! Aí mesmo que ele não conseguiria. Ele queria admitir. Mas não conseguiria tão rápido.

O que ele faria? Não sabia mais o que fazer. Só queria que tivesse algum jeito fácil de resolver isso tudo e poder ficar junto dela. Por que tudo era tão difícil?

- O que eu faço? – se pergunta o garoto passando a mão no rosto.

De repente uma ideia lhe surge. O garoto sorrir.

- Vai ser isso mesmo.

 

[...]

 

Sinceramente, eu não estou com um mínimo de animo para ter vindo para escola. Eu preferia ter ficado em casa, mas não posso faltar. Minha mãe me mataria se fizesse. A única coisa boa naquele dia, foi que não vi Third em lugar algum. Estava muito feliz por isso.

Não queria ver aquele garoto por dois motivos e o segundo é completamente estranho. Primeiro: ódio do que ele fez comigo ontem. Sim, eu ainda estou com raiva e chateada com ele, demais. Segundo: Vergonha. Sim, isso aí mesmo que você leu. Eu estou vergonha de ver ele novamente e ficar vermelha de novo. Eu realmente não sabia por que, mas ontem eu fiquei com vergonha dele quando a gente se trombou. E eu não queria que ele soubesse disso para poder tirar sarro de mim.

Isso tudo estava ficando tão confuso. Muito confuso. Só queria entender isso que eu estou sentindo. É  tão estranho e eu ainda não sei o que é. AIIIIIISSSSHHHH! Por que eu não consigo?

Agora eu só queria ir embora.  Ficaria tão fácil se a Ângela estivesse aqui. Que saudades dela. Minha raiva volta novamente. Toda vez que me lembrava de Ângela sentia ainda mais ódio de Third. Aquele idiota! Como posso ficar com vergonha de um idiota como aquele?

Ahg! Que raiva!

Do nada, eu paro. Uma bicicleta tinha parado na minha frente. Eu ia gritar com a pessoa, mais eu percebo que aquela era minha bicicleta.  ÂNGELA! VOCÊ VOLTOU!

- Ângela! Eu não acredito! Você voltou! – grito de felicidade. Não acredito que ela estava inteira novamente.

A pessoa que fez isso merece um prêmio. Na moral, como vou agradecer por ter trago de volta minha Ângela?! Não tinha como. Estava tão feliz!

Decido descobrir quem era meu grande salvador que não tinha se pronunciado até agora. Quando levanto a cabeça e o encaro quase caio para trás.

- Third?! – grito surpresa. Ele de novo?

- Gostou da surpresa?

 

“ ... Sinto surgir a paixão sempre que trombo contigo

Uma noite deprimido, tive um sonho lindo

Nesse sonho cê tão bela vinha se encontrar comigo

Foi quando eu acordei e assim pude perceber

Que já sonhava acordado quando trombava com você. “


Notas Finais


E aí gostaram? Não gostaram? O que estão achando? Me falem nos cometários.

Pois bem, estamos chegando no arco final da fic, Sim, Não Identificado já está no arco final. Eu disse antes lembra? Teria poucos caps. Possivelmente terá mais uns 3 ou 4 caps mais a frente, por aí. Pois esse é o aviso.

Bom, pessoas que acompanham minha outra fic, fiquem ligados que sairá o próximo cap dela.
Obrigado pelos 16 favoritos. Muito Obrigado!


Bjs pessoas e até o próximo cap. Byeeeeeeeeeeee~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...