História Não irei lhe perder - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Aomine Daiki, Kagami Taiga, Personagens Originais
Tags Aokaga, Aomine Daiki, Kagami Taiga, Yaoi
Visualizações 41
Palavras 1.483
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi povo, quase que eu não posto o spirit bugou geral, mas enfim é isso,tá ai até que enfim né?

Capítulo 5 - Verdade ou desafio?


Fanfic / Fanfiction Não irei lhe perder - Capítulo 5 - Verdade ou desafio?

{ Kagami Taiga }

( sexta - feira - MAS QUE POHA EU TÔ FAZENDO )

Ai vai dar merda! Vai dar merda!!! Sempre da merda!!! Mas que poha porque eu tô aqui mesmo?! E o Aomine me arrastando pra isso, mas tu vai ver Aomine vou te matar filho da puta!!! E a vadia da Shiro não faz nada, essa rapariga!! Ah mas vocês vão me pagar, ghrrr!!!!

- Verdade ou desafio, Kagami? - é impressão minha ou eu vi a sombra de um sorriso sarcástico no rosto dela? Não com certeza não é impressão!! Ela sabe que eu vou escolher desafio, porque eu não quero verdades da minha vida rondando pela faculdade!!! Pau no meu cu!! Tô fudido! Mas não tem outro jeito algumas coisas tem de ficar em silêncio.

- Desafio - meio hesitante mas respondi, só espero que eu não me foda tanto.

- Te desafio a dar um beijo no Aomine, um beijo de verdade! - maldita! Ah e eu pensando que não podia piorar!

- Pera?! Mas o que? Ai tô fudido! Filha da puta!

- Vai dizer que vai amarelar?Nossa Kagami esperava mais de você! - e o sorriso de canto apareceu em seu rosto. Maldita sabe que eu não recuso um desafio!

E o Aomine não diz nada, na verdade ele só está me olhando como se pedisse permissão.

- Vai Kagami é só um beijo! - a albina resolveu falar de novo.

Isso é só um beijo nada demais! Por isso eles não tão preocupados, não significa nada, eu que tô exagerando!

Engoli em seco e apenas balancei a cabeça em afirmação, e logo senti os longos dedos do moreno no meu queixo. Eu simplesmente travei, e logo a outra mão foi em minha nuca e mim puxou em seu encontro, e então aconteceu.

Nossas bocas se encostaram e sua língua pediu permissão e com relutância cedi, o toque das línguas uma com a outra, o gosto do moreno em minha boca, e por poucos segundos uma leve carícia em meu pescoço.

E poha o Aomine beijava bem pra caralho, o bastardo não podia beijar mal não? É pedir muito? E o trouxa tava gostando, aí vocês se perguntam quem é o trouxa? E eu lhes respondo... SOU EU ESSE FILHO DA PUTA! POR QUE O MORENO TINHA QUE FICAR ME OLHANDO COM ESSE OLHOS AZUIS LINDOS E FICAR ME ACARICIANDO DESSE JEITO?!! E POR QUE EU TÔ CHAMANDO ELE DE LINDO?!! VAI PRA POHA TAMBÉM!! Se acalma Kagami, é a bebida, se acalma que cê tá bêbado! E VOCÊS REBANHO DE FILHO DA PUTA PARA DE ASSUVIAR AÍ QUE PALHAÇADA!!

Depois de o que parecia anos, o moreno me soltou e nossa bocas se separaram. Sem ar apenas abaixei a cabeça tentando esconder o rubor no meu rosto. Por algums segundos olhei para o moreno, e o familiar sorriso de canto estava lá, e seus olhos se voltaram pra mim, aqueles olhos azuis que olhavam mais do deviam, e parecia vasculhar toda minha alma.

( Segunda - feira - 11:49 )

- Já te contei que tua cara tá um cu? - a albina sem escrúpulos comia seu almoço nada saudável e comia demais pra alguém de 1,55 m.

- Já, é a quarta vez que me diz isso, não pode parar não? - ótimo já não dormira de noite e ainda tinha de aguentar alguém pior que o Aomine. E de novo seus pesamentos se voltaram para o moreno, não podia ter um pouco de paz?! Sempre era o moreno e seu sorriso de canto, e agora tinha o beijo pra piorar tudo, por que aceitara aquele beijo? E pra piorar ainda sentia o gosto do moreno na sua boca. Já não bastava dormir a trinta centímetros do cara, literalmente?!

- Você ta pensando nele de novo. - seus pensamentos fora interrompidos bruscamente, quê que foi agora ela deu pra virar vidente?

- Pera como que cê sabe? Olha para com essa poha dessa macumba que cê tá fazendo que eu não gosto dessas coisas.

- Que macumba o quê! Você é fácil de ler Kagami, ainda mais se eu sei o problema e você só pensa no Aomine agora!

- Não penso não! Além disso você causou esse problema! - ótimo seu humor caíra drasticamente.

- Oh estou honrada! E para de drama, você não pode evitar ele pra sempre, até por que vocês moram juntos, dá pra parar de agir como criança? - a maturidade da albina ainda o surpreendia.

- Olha não tá fácil pra mim e você sabe! Eu sou paranóico, e durmo a trinta centímetros dele, tipo é quase nada! Eu não quero evitar ele, mas eu tô evitando, eu tô confuso, eu olho pra ele e penso em falar alguma coisa, mas ai eu lembro do beijo e travo. Além disso parece que os olhos dele tão lavando minha alma, nunca odiei tanto azul! - tá vendo desabafar com ela é fácil, quero ver fazer na hora de fazer alguma coisa se vai ser fácil assim.

- Tá vendo, você tá sendo infantil. Odiar a cor dos olhos dele não vai adiantar nada, você tá fazendo tempestade no copo d'água, já pensou em se deixar levar? Até parece que foi seu primeiro beijo! - silêncio, e só isso não conseguia falar nada.

- Kagami, não me diga que...

- Não - interrompi a albina antes que desse merda - é só que eu tô cansado de agir por impulso, eu não posso me deixar levar, sempre dá merda.

- Kagami, a hora certa pro impulso, nem todo mundo é tão racional, nem mesmo eu! Se você achar que um ideal se aplica a qualquer situação, você vai tar se prejudicando. - e é dessa maturidade que estamos falando.

- Vamos logo, tô sem fome e sem paciência pra discutir qualquer coisa.

- Era de se esperar seu mal humor, mas você sem fome, até eu me surpreendo! - um leve sorriso surgiu em seus lábios. Ela era uma boa amiga, embora as provocações ainda enchessem o juízo.

( Dormitórios -15:56 )

Nem uma unha sobrara em seus dedos, resolvera conversar com o moreno, parar com essa palhaçada se desculpar, mas não dava, não quando lembrava do beijo. Nem esperara o moreno na universidade, apenas rumou aos dormitórios e agora sabia que o moreno estava na sala, assim como sabia que ele esperava que desse o sinal verde pra voltarem a ser amigos de novo e esquecer o que ocorreu, pelo menos era o que esperava.

 Vamos Kagami, respira e se deixe levar, lembre do que a Shiro disse, pare de paranóia.

Se direcionou a sala e andou até a cozinha tomar um copo de água, como começaria a conversa, desculpe Aomine tava muito oculpado pensando em como aquele beijo foi bom, mas foi uma merda pro meu psicológico e como eu não quero foder com uma amizade que mal comecei, mas é uma das únicas que ainda tenho? Ok, não tava tão ruim!

- Quando você vai parar de paranóia baka? Acho que dei tempo o bastante pra você pensar, mas não pra você parar de me evitar e fuder a própria cabeça. -  quando se virou o moreno já estava sentado no balcão, lhe olhando com seus olhos azuis que pareciam mudar o tom toda vez que os via e com seu familiar sorriso de canto, Aomine Daiki não seria Aomine Daiki sem aquilo.

- Aho! - abrir um sorriso foi inevitável, o moreno sempre conseguia fazer aquilo, mesmo não sorrindo a muito tempo, era inevitável - foi mal, mas você bugou minha cabeça geral, então considere isso culpa sua!

- Não é culpa minha que você seja paranóico, mas sim é minha culpa que você não resista a minha beleza, infelizmente não posso fazer nada, eu nasci com esse infortúnio, se contenha em se apaixonar e admirar minha beleza, por que é isso que vocês meros mortais fazem de melhor. - ambos caimos nas gargalhadas, ele realmente conseguia destruir o clima tenso de tudo.

- Eu pensei que teríamos uma conversa séria de adultos, mas infelizmente seu narcisismo e sua infantilidade acabaram com todas as chances. - respondi em tom teatral e novamente os risos encheram o cômodo.

- Você me chamando de infantil, o cara que agi por impulso e fica irritado com o ar?! - e o tom sarcástico se fazia presente.

- E você achando que eu me apaixonaria pela sua idiotice, eu nunca me apaixonaria por alguém tão metido, sinto muito aho, mas recuso sua oferta. - e o tom teatral? A é ele tá aqui.

- Cuidado Kagami, eu posso cobrar essa promessa. - ele desceu do balcão e se aproximou, até que estivéssemos tão próximos que eu tivesse que olhar um pouco pra cima, o que ocasionou em um calafrio que desceu por minha coluna, ainda me pergunto como ele consegue fazer isso.

- Acho pouco provável, mas vamos ver.

E o sorriso de canto apareceu, mas era impressão minha ou ele tinha outro significado?

E o sorriso de canto apareceu, mas era impressão minha ou ele tinha outro significado?


Notas Finais


Então eu deixei algumas coisas soltas no ar que podem ter relação ou são consequências do passado do taiga, proponha um desafio quem será que vai achar as pontas soltas? Bjs😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...