1. Spirit Fanfics >
  2. Não julgue o livro pela capa! >
  3. Desafio.

História Não julgue o livro pela capa! - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Estou de volta com mais um capítulo desse clichê não tão clichê assim❤
B
O
A

L
E
I
T
U
R
A
❤❤

Capítulo 5 - Desafio.


Fanfic / Fanfiction Não julgue o livro pela capa! - Capítulo 5 - Desafio.

Logo após a “ajuda” do meu querido Hope eu tive o desprazer de enfrentar meu irmão, ele tentou se desculpar várias vezes comigo, mas o problema é que ele não me diz o motivo de ter voltado a beber e isso está me deixando louca, pensei que contávamos tudo um para o outro, pelo visto estava enganada. Estou agora no meu quarto, Evie não virá ficar comigo hoje, pois Jay a proibiu de vir aqui em casa por uma semana por conta de me esconder em sua casa e não avisa-lo então Carlos virá aqui em casa para ficar comigo. Desço correndo assim que ouço a campanha tocar, abro a porta contente esperando que fosse o Carlos, mas o que encontro é um garoto alto, de cabelos castanhos claros e olhos verdes com um sorriso de canto provocador.

— O que está fazendo na minha casa Hope? E a propósito como sabe onde eu moro? — Cruzo meus braços e paro no meio da porta o impedindo de entrar.

— Muitas perguntas para uma garotinha tão pequena. — Ergo uma de minhas sombracelhas, um claro sinal de que estou irritada e curiosa. Sinto uma presença atrás de mim que julgo ser o Jay.

— Olá Benjamin, o que deseja em nossa casa? Desculpe a falta de educação da minha irmã. — Ele me empurra de leve com o braço, e oferece um sorriso ao Hope.

— Eu não me desculpo, ele não é bem-vindo aqui. Não pense que só porque eu não devido na escola será diferente aqui em minha casa. — Ele me olha espantado, me viro para Jay. — Vou para meu quarto me chame assim que Carlos chegar.

Quando estou prestes a sair ouço uma tosse forçada, me viro e vejo Carlos atrás do Hope, empurro o mesmo para o lado e abraço Carlos, ele retribui me dando um sorriso. Entro com ele e o levo direto ao meu quarto, vejo ele com os olhos arregalados e a boca um pouco entreaberta.

— O que foi Carlos? Nunca entrou em um quarto feminino antes? — Ele fica vermelho, oh! Julgo que ele está acostumado com meu jeito mais calmo da escola.

— Não é isso… É que você tem uma casa enorme, seu quarto é consideravelmente maior que o meu. — Olho para ele tentando analisar se está falando sério então percebo que ele está envergonhado e realmente impressionado.

— Ah sim! Um dia quero ver o seu então. — Agora eu estou envergonhada.

— Não é uma boa ideia. — Ele coça a cabeça com uma das mãos enquanto está com um sorriso pequeno no rosto. Cruzo meus braços e lhe encaro, ele desvia o olhar e eu fico confusa.

— Por que Carlos Cameron Boyce? — Pergunto levemente irritada.

— Minha família é problemática, digamos que eu não sou o filho preferido. — Ele de repente fica com uma expressão triste, me aproximo dele e lhe dou um abraço enquanto faço um cafuné leve em seus cabelos.

— Mal sabem eles o que estão perdendo. — Sussurro em seu ouvido, ele me abraça de volta. Nos separamos e ficamos lendo livros um ao lado do outro, um silêncio confortável ate ouvir um barulho alto, olho ao redor e vejo Carlos com o rosto todo vermelho.

— Fome? — Pergunto risonha.

— Um pouco.

— Vamos lá em baixo comer algo. — Pego em sua camisa puxando o mesmo para decermos rápido. Entramos na cozinha e encontro Hope junto ao Jay em meio a risadas, passo por eles fingindo que não estão ali. — Quer comer o que Carlos?

— O que tem de bom aí? — Diz se aproximando de mim para ver o que tem dentro da geladeira, de tímido a folgado.

— Muita coisa. — Respondo rindo ao ver a cara dele.

— Que tal uma competição de sanduíches? Você contra mim, eu te desafio! — Fala apontando o dedo para mim em uma postura estranha, deixo escapar uma gargalhada e concordo com a cabeça.

— Prepare-se para perder. — Falo já arrumando tudo o que tem na geladeira em cima da mesa. Percebo Jay me olhando.

— Vão continuar fingindo que não estamos aqui? Não foi essa a educação que eu te dei Maria. — Só levanto uma de minhas sobrancelhas e lhe dou um sorriso irônico e desafiador.

— Pode usar tudo que quiser, pedirei para a minha cozinheira julgar o melhor, se perder terá que fazer tudo o que eu mandar. — Carlos sorri já observando o que poderá utilizar em seu sanduíche.

— Chega Maria Luiza, converse com o Benjamin também. — Que patético.

— Por que eu deveria? A única coisa que esse “ser” faz é me perturbar e cometer bullying comigo sempre que me encontra. Se quer que alguém converse com ele, fale você se não vê estou com alguém que nunca me fez mal. — Vejo Jay olhar com raiva para Benjamin e o sorrisinho do mesmo desmanchar, o clima ficou tão pesado entre nós três que só para de encara-los quando sinto Carlos pegar em uma de minhas mãos e beija-la, com sua outra mão limpa algumas lágrimas que caíram sem permissão, então ele olha em meus olhos.

— Não deixe isso atrapalhar nossa tarde pequena, estou aqui para te proteger agora. — Lhe dou um sorriso sincero e um pouco emocionada com seu carinho lhe dou um abraço rápido, Jay pediu para que Benjamin fosse lá para fora junto a ele, ouvimos a voz elevada do Jay, mas resolvemos ignorar e focamos em nosso desafio, nossos sanduíches ficaram enormes o meu continha frango frito, hambúrguer, batata palha, queijo, pepperoni e para equilibrar uma folhinha de alface. O do Carlos possuía frango frito, salame, queijo, requeijão, bife, três ovos e uma saladinha, chamei minha cozinheira a mesma olhou assustada quando pedimos para ela experimentar, porém, fez assim mesmo ela quase vomitou depois, o vencedor segundo ela foi Carlos, quase bati nele por conta de ficar rindo de mim, muito injusto isso, ele roubou tenho certeza. Comemos os sanduíches inteiros para não desperdiçar e a consequência desse ato veio imediatamente, passamos 20 minutos vomitando sem parar, logo depois que acabamos,tomamos um remédio e Eliza nos obrigou a comer algo leve.

— Nunca mais aceito um desafio seu! — Falo enquanto lhe dou um tapa de leve na cabeça.

— Fala isso por que perdeu para mim. — Garoto abusado.

— Falo isso por que quase vomitamos nossos órgãos hoje. — Ele ri e eu o acompanho, Jay entra em casa novamente e Benjamin logo atrás, quando ia subir para meu quarto com Carlos novamente Jay me chama, iria ignorar, porém seu tom de voz sério me assustou me obrigando a ficar.



Notas Finais


Até o próximo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...