História Não julgue um livro pela capa! - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Amo Esses Lindos, Escorpião, Touro, Zuação
Visualizações 28
Palavras 1.524
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


A internet não está colaborando hoje... Será que o tio Hermes está de mau-humor?
Bem, bem, bem, vamos ao que interessa.

AO Capítulo!


Boa leitura :D

Capítulo 10 - Capítulo X


VIRGEM

Só fazem dois dias que ele voltou. Dois dias, e nesses dois dias ele está diferente.

Mal passamos algum tempo juntos, vez ou outra eu vejo ele conversar com o Gêmeos ou o Aquário, mas quando nos encontramos, ele não me abraça ou me beija. O que é que está acontecendo com ele?! Esse não é o Sagitário que eu conheço.

Quando perguntei a ele, o mesmo fugiu da conversa, indo conversar com o Escorpião, COM O ESCORPIÃO! Eu não sei aonde ele quer chegar, mas minha paciência já não é grande e chegou a hora de tirar isso a limpo.

- Você está com uma cara assustadora, de quem vai matar alguém. –É o comentário que o Gêmeos fez assim que passou por mim na sua volta da cozinha.

- Talvez eu mate.

- Nossa, sabe o que é isso? –o olho de canto, percebendo a pose e o sorriso sarcástico em seus lábios. Céus, quem ele puxou? Deve ter sido o papai, só pode- Isso é tensão sexual acumulada, achei que o Sagitário fosse dar conta de te aguentar, isso só quer dizer que nem ele te aguenta.

- Vaza daqui!! –chutei ele para fora e fiquei encarando a máscara africana que ele trouxe de lembrança em uma das suas viagens.

Será que ele realmente se cansou de mim?

Eu não o culpo, sempre o tratei mal desde o início (mesmo se foram justificadas minhas atitudes) e ele sempre foi atencioso ao modo dele, mesmo não tendo bom gosto para lembrancinhas.

- Ora, ora, o que o meu fiel servo tem? Essa sua cara de enterro acaba com toda a sua beleza, não que seja maior que a minha. –Leão veio aos saltos e mexendo seu cabelo, como se estivesse em uma propaganda de beleza.

- Nada. Já terminou sua tarefa? –ele parou na mesma hora e desviou o olhar.

- S-sabe como é, um R-rei não deveria...

- Oh, você não fez. –peguei a vassoura- Bem, como seu leal servo, me deixe te mostrar o que acontece quando não faz seus deveres.

- E-espere, Virgem!!! –ele saiu correndo.

- Volte aqui! Seus pés estão imundos, andou pisando nas minhas flores de novo?

Corro atrás dele e jogo a vassoura em sua direção, como sempre a minha mira é perfeita, tão perfeita que acabo acertando o Sagitário também.

- Céus, você tinha que entrar bem na frente? –brigo com ele- cuidando de seu ferimento na cabeça.

- Não é como se eu soubesse que tinha uma vassoura míssil vindo naquela direção, sabe... –ele desviou o olhar.

- ... Sagitário, olha pra mim. –segurei o rosto dele com as minhas duas mãos e o ficar olhar para mim. Ele fechou os olhos- Abra eles.

- E-eu tenho que ir, fiquei de ir como Peixes... –ele tentou soltar minhas mãos, mas apertei seu rosto com mais força- Ai, ai, ai, ai.

- Chega de brincadeira. –solto seu rosto, ele levanta e vai até a porta, abrindo ela. A chuto, fechando-a novamente, e o prendo entre eu e a porta- Como eu disse, chega de brincadeira. Você não vai sair daqui até me contar o que está acontecendo e o porquê de você estar agindo assim.

Ele ficou visivelmente nervoso, olhava para vários cantos e coçava a nuca, mas nunca me olhava. Até que então, ele abaixa a cabeça e se acalma, coloca a mão no bolso da sua bermuda e pega algo, estendo para mim sua mão fechada em punho. Estendo minha mão, com ele colocando o pequeno objeto sobre ela.

Uma aliança.

- Isso...

- Eu queria te dar isso antes da viagem. –ele disse baixo- Só que eu acabei escutando você dizer que estava muito cedo e que nossa relação ainda não... era algo decidido. Isso me quebrou. –arregalei os olhos e senti um aperto no meu peito- Eu percebi que estava me forçando muito sobre você, afinal eu nunca nem consegui te fazer sorrir. –ele virou de costas e bateu de leve a testa na porta, cobrindo o rosto com as mãos- Então eu decidi viajar de novo e pedi para o Touro vir junto, ele sempre me escuta e me dá bons conselhos. Acabou acontecendo aquilo tudo e acabei não chegando a lugar nenhum.

Não conseguia dizer nada, ficava olhando suas costas enquanto apertava a aliança em minha mão.

- Quando eu voltei, eu fiquei tão feliz em te ver, mas percebi que já havia perdido espaço. Você e o Leão estavam mais próximos, eu não conseguia me aproximar de você sem sentir receio, eu sentia como se tivesse algo me bloqueando de ir até você e isso apenas me fazia perceber o quão próximo você é dos demais, enquanto eu não sei nada sobre você. –ele se virou para mim, com um sorriso triste e lágrimas banhando seu rosto- Eu não faço qualquer diferença, então apenas sei que você estaria melhor sem mim.

Eu não tinha palavras.

Todo esse tempo ele carrega isso consigo e eu nunca nem imaginei, afinal é o Sagitário, ele é basicamente a alegria da casa. Só que eu deveria ter notado.

- Céus. –respiro fundo e retiro meu pé da porta, ele segurou na maçaneta e iria sair, mas o puxei e na cama.

-Ai! – ele me olhou perdido.

- Não me olhe assim. –tranquei a porta e joguei a chave em cima da cômoda do quarto- Agora é minha vez de falar.

- Falar...?

- Isso, -abri minha mão e encarei a aliança, então voltei a observa-lo- eu nunca fui bom com sentimentos. Não conseguia entender o que havia de bom neles, sempre acabam ferindo alguém, sabe? Então eu decidi não dar muita importância, foquei nas coisas que importavam e acabei desse jeito.

Esfreguei meus dedos nas alianças.

- Não tem nada entre eu e aquele idiota, okay? E eu admito que antes não estava levando tudo a sério e nem mesmo percebi que estava te machucando, me desculpe Sagi. –o olhei e ele virou o rosto para o outro lado- Eu estava certo quanto ao fato de alguém sempre se machucar nesse tipo de relação, não só nesse tipo, só que sempre achei que iriam me machucar, só que eu mesmo me machuquei ao perceber que estava te ferindo.

Me levanto e vou até ao lado dele na cama e me sento de frente a ele, levo minha mão até a sua e a seguro, o surpreendendo.

- Eu te amo, Sagi. Não estou brincando e nem mesmo enganado, não irei fugir desse sentimento, peço desculpas antecipadas pois eu não posso mudar quem eu sou, nem sei se você ainda vai querer algo comigo. –levo minha outra mão até seu rosto e seco suas lágrimas- Continuarei sendo o mesmo Virgem de sempre, mas também, serei o seu Virgem. – Solto sua mão, deixando a aliança nela.

- ... Você, me ama? –ele me olhou surpreso, deixei um fino sorriso surgir nos meus lábios e concordei- Um sorriso. –algo que fez um sorriso enorme surgir nele.

- Eu posso não sorri muito na sua frente ou na dos outros, mas sempre que leio os seus cartões, isso me deixa contente. Este não é o primeiro sorriso que você faz surgir em meus lábios.

O vi ficar visivelmente corado, levando a não até seus cabelos e mexendo ali, enquanto desviava o olhar corado.

- Venha falar comigo quando se sentir assim, eu não sou bom como o Touro em ver através das pessoas, nem sou um bom ouvindo ou um bom conselheiro, mas vou estar aqui para você. –ele começou a chorar e concordou- E se possível, vou aceitar essa aliança, então a dê para mim.

- M-mesmo?

- Sim, mesmo. –retiro a correntinha que estava no meu pescoço- A coloque aqui, corro menos risco de a perder desse jeito.

Entreguei a corrente a ele e fiquei o olhando a colocar ali e depois, devolver a corrente ao meu pescoço, com o anel nela.

- Se isso for um sonho eu não quero acordar. –Ele me abraçou, suspirei já um pouco mais tranquilo, sentindo um peso a menos em minhas costas.

- Certo, mas agora é a hora da sua punição. –o soltei de mim e me levantei, indo até o guarda-roupa.

- P-punição? –ele arregalou os olhos e me olhou assustado.

- Sim, sabe o quão preocupado eu fiquei nessas semanas? E o quão frustrado eu estava nesses dois dias? –peguei uma das cintas e me virei de frete para ele, batendo o couro na palma da minha mão- Chegou a hora de você aprender a não me deixar mais assim, cavalinho.

Pode-se dizer que, por mais que a casa toda tenha, muito provavelmente, ouvido os gemidos e os gritos dele, por mais que alguns (vocês sabem quem) viram a vir fazer gracinhas amanhã que me deixaram irritado e por mais que o Gêmeos tivesse razão, as várias vezes que o ouvi dizer que me amava me fizeram esquecer de toda a dor de cabeça que teria depois e caso eu precise de algo para me distrair, eu vou ter ele ali para mim.

E pensar que tudo isso começou com um jogo.


Notas Finais


Sagi gosta de cavalgar >:3

Bem, o próximo capítulo será do Câncer, mas não sei quando vai sair, ultimamente eu mal tenho tido forças para nada ;-;
Só que farei de tudo para postar o quanto antes. :3

Gostaram do capítulo? Não?
Saibam que amo todos vocês e aguardo aqui seus comentários (se tiver algum.......)

Beijocas e até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...