História Não me abandone jamais - Capítulo 2


Escrita por: e By_EllyRocha

Postado
Categorias Justin Bieber, Lily Collins
Personagens Anne Hathaway, Justin Bieber, Lily Collins, Personagens Originais
Tags Amor, Briga, Cantor, Drogas, Fama, Famoso, inocente, Justin Bieber, Lily Collins, Obcecado, Possessivo
Visualizações 504
Palavras 1.732
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi!😊
Ignorem os erros e boa leitura!😘

Capítulo 2 - Die in your arms


Fanfic / Fanfiction Não me abandone jamais - Capítulo 2 - Die in your arms

                               Los Angeles - Califória.
                                               21 de Abril de 2014.

                  Brianna's P.O.V

- Já escovou os dentes?

- Sim, Lotte! - Não sei pq ela sempre me perguntava isso, eu quase nunca esqueço. Só as vezes! - Posso assistir televisão agora?

- Pode! - desci da bancada correndo e Lotte me repreendeu com o olhar. - Sabe que não pode correr, não é?

- Desculpe! - sussurrei e caminhei em passos lentos até o sofá.

         Nada de correr!

Me sentei bem confortável e peguei o controle, logo lingando a TV.

               Charlotte's P.O.V

Ouvi a campainha tocar e corri até a porta, devia ser a Ella.

- Bom dia!! - como eu havia pensado, era sim a Ella.

- Entre e fale baixo.

- Por que? A Bri ainda está dormindo? - perguntou confusa.

- Não, só não sou obrigada a ficar ouvindo os seus gritos logo cedo.

- Iiiiii, cê ta chata hoje hein. - deixou sua bolsa na mesa da cozinha e me encarou. - Que foi?

- Só estou nervosa por conta da entrevista de emprego, desculpa! - soltei um longo suspiro.

- Vai dar tudo certo.- veio até mim e me abraçou. - E se não for dessa vez sabe que pode contar comigo, não tenho muito mas posso ajudar.

- Não quero que se preocupe com isso, as coisas vão se ajeitar. - tentei soar confiante, mas a quem eu queria enganar?

- Mas e se não, Lotte? - Ella era minha melhor e única amiga, sabia que podia contar com ela pro que for e a hora que for mas não queria abusar. - Se não quer minha ajuda porque então não fala com seus avós?

- Sabe que eles também não estão nas melhores condições, esse foi um dos principais motivos de eu ter saído de lá. - sentei em uma cadeira e Ella fez o mesmo, ficando à minha frente.

Brianna é portadora de deficiência intelectual e cuidar dela requer muita disposição e paciência. Morávamos no Texas com nossos avós, mas as coisas lá ja não eram como antes. Eu sei que a intenção deles era a melhor, e eu agradeço por eles terem cuidado de nós duas até aqui, mas agora eles já estavam velhos, eu via o cansaço em seus olhares e queria que pelo menos nos seus últimos anos de vida tivessem um pouco de paz.

- Então pq não aceita minha ajuda até... - não esperei que ela terminasse e a interrompi. Isso está fora de cogitação!

- Ella, você recebe dinheiro dos seus pais pra pagar a SUA faculdade e as SUAS despesas, não pra ficar me dando. - passei as mãos pelo cabelo e respirei fundo.

- Eu posso arrumar um emprego e...

- Não. O dinheiro que eles te mandam da pra você viver bem e não ter que trabalhar, então não vai ficar se matando por aí por minha causa.

- Mas...

- "Mas" nada, e além do mais você já me ajuda muito cuidando da Brinna enquanto estou fora. - Ella fazia faculdade à noite e durante o dia cuidava da Bri enquanto eu saía pra procurar emprego.

- Eu só quero ajudar vocês.

- Você ja ajuda muito cuidando dela pra mim. - desviei o olhar pro relógio e vi que ja estava na minha hora. - Eu realmente agradeço mas não precisa, Ella. Eu vou dar um jeito!

- Tudo bem. - soltou um suspiro não muito contente e eu sorri.

- Tenho que ir. - dei a volta no balcão e a abracei. - Me deseje sorte. - disse indo até minha bolsa e vendo se não esquecia nada.

- Vai dar tudo certo. - andei até a porta. - Tchau!

- Tchau. TCHAU, BRIANNA!

- TCHAU, LOTTE! - gritou de volta e eu sorri.

- Qualquer coisa me liga.

- Pode deixar, amiga, vai com Deus!

                 Brianna's P.O.V

Mmm, hmm
Uh, huh
Yeah, yeah
Alright

Say you love me
As much as I love you, yeah
Would you hurt me, baby?
Could you do that to me, yeah?
Would you lie to me, baby?
Because the truth hurts so much more
Would you do the things that drive me crazy?
Leave my heart still at the door?

Oh, I can't help it, I'm just selfish
There's no way that I could share you
That would break my heart to pieces
Honestly, the truth is
...
If I could just die in your arms
I wouldn't mind
'Cause everytime you touch me
I just die in your arms
Ooh, it feels so right
So baby, baby, please, don't stop, girl...

Olhava super concentrada pra TV enquanto via aquele garoto cantar. Ele tinha uma voz tão bonita, e aquela música era tão...

- O que está vendo? - Ella perguntou enquanto entrava na sala.

- Quem é ele, Ella? - apontei pra tela e quando ela encarou a imagem fez uma careta.

- Justin Bieber!

- Juxtin Biber?

- Justin Bieber.

- Juxtin Biber.

- Tanto faz! - se jogou ao meu lado e eu dei de ombros, encarando novamente a TV. - Por que está vendo isso?

- Só estava procurando algum desenho e achei isso. - olhei pra ela quando a música acabou. - Gosto dessa música e da voz dele.

- É só isso e a aparência que salvam mesmo. - novamente fez uma careta.

- Por que diz isso? - perguntei confusa. Ela não gostava dele?

- Esquece! - se levantou animada e me encarou sorrindo. - Que tal irmos ao shopping?

- O mesmo daquele dia? - franzi a testa.

- Sim!

- Por que vamos lá se nunca compramos nada?

- Porque lá as coisas são caras e só podemos olhar.

- Mas se não podemos comprar por que vamos?

- Depois eu te explico, vamos!

- Ta bom! - dei de ombros e desliguei a televisão, logo pegando em sua mão pra sairmos de casa.

                            ***

- Ella, me empresta seu celular? - minhas pernas já estavam doendo de tanto andar por aquele lugar.

Por que a Ella ficava vindo aqui se nunca comprava nada?

- Pra que?

- Queria ouvir música. - sorri animada pra ela e a mesma concordou.

- Tudo bem, mas tome cuidado! Você ja quebrou dois celulares meus e três da sua irmã.

- Mas foi sem querer. - encolhi os ombros.

- Sei que foi! - me entregou o celular e os fones e pegou na minha mão livre.

- Tem àquela música aqui, Ella?

- Qual música?

- Aquela do Juxtin Biber.

- Não ouço as músicas daquele idiota.

- Então não quero ouvir nada, toma. - lhe entreguei o celular e fiz bico.

    Eu gostei tanto daquela música.

- Olha que vestido lindo! - Ella me puxou até a frente de uma loja enorme e ficou olhando um vestido que nem era tão bonito assim. - Vou entrar pra experimentar.

- Mas não temos dinheiro pra...

- Xiiii! - me calei rapidamente. - Ninguém precisa saber, vem.

- Vou ficar aqui.

- Sabe que não posso te deixar sozinha.

- Prometo que não saio daqui. - me olhou desconfiada. - Juro!

- Se você...

- Eu não vou, só não demore.

- Ok, eu vou ser rápida. - disse e correu pra dentro da loja.

                              10 minutos depois...

Minha pernas estão doendo e a Ella ainda não voltou. Por que ela está demorando tanto? Eu quero sentar. Ela não vai ligar se eu sair pra procurar um lugar pra descansar, né?!

             Claro que não!

Olhei pra dentro da loja e ela ainda não vinha, então dei de ombros e saí dali pra procurar um lugar pra sentar.

Andei um pouco e ainda não achei nenhum lugar. Será que aqui não tem cadeira? Esse povo deve ser doido e gostar de ficar em pé. Estava distraída, tentando ler o nome de algumas lojas, e quando olhei pra frente fiquei paralisada.

Era aquele garoto da música que eu gosto, o Juxtin!

Andei um pouco rápido até ele mas um homem grande, e que parecia o Brutos do desenho do Marinheiro Popeye, segurou o meu braço e não me deixou passar.

- Me solta! - balancei meu braço e ele me olhou feio.

- Fica longe. - me sacudiu forte e senti vontade de chorar.

Eu quero a Lotte, esse homem é mal.

- E-eu só quero...

- Sei o que você quer mas ele não quer ser incomodado.

- Ta machucando! - senti meu rosto molhado e meu braço doer cada vez mais.

- Some daqui. - me empurrou com força e eu caí no chão chorando alto. Eu quero a Lotte!

- Ei, cara, que isso? - senti uma mão em mim e gritei.

- ME SOLTA! SOCORRO, LOTTE!!

- Ei calma, eu não vou te machucar! - neguei com a cabeça e chorei mais. - Eu só quero te ajudar. - então olhei pra cima e vi que era o homem que estava com o Juxtin. - Vem! - peguei em sua mão e assim que levantei, o abracei.

- Ele me machucou!

- Wow! É... - me afastou e olhou nos meus olhos. - Desculpe por isso, mas é o trabalho deles proteger o Justin.

- Machucando as pessoas?

- Não, isso foi realmente um pouco demais.

- Eu quero a Lotte, pode me levar até ela? - perguntei e ele me olhou estranho.

- Quem é Lotte?

- Minh- Juxtin! - olhei pra ele atrás do homem que falava comigo.

- Oi! - ele sorriu. - Você tá bem? - neguei.

- Ele me machucou! - limpei meu rosto e fiz bico.

- Onde? Quer ir ao médico? Machucou muito? - ele estava falando muito rápido.

- Eu só quero a Lotte!

- Quem é Lotte?

- Minha irmã, ela sempre cuida de mim.

- E onde ela está? - o homem perguntou.

- Ela saiu e eu vim pra cá com a Ella.

- E cadê essa Ella?

- Por aí! - dei de ombros. - Qual seu nome? - perguntei pro homem que me ajudou.

- Khalil.

- Ah! Oi, Khalil! - sorri pra ele e beijei seu rosto.

- Você é estranha! - ele disse sorrindo.

- Você é minha fã? - Juxtin perguntou.

- Não.

- Não? - parecia que ele tinha tomado um susto.

- Não, mas gosto de uma música sua.

- Só uma?

- Tem mais? - perguntei confusa.

- É... Você é mesmo estranha. - ele disse.

- Então, Juxtin...

- É Justin!

- Juxtin.

- Justin.

- Juxtin.

- Deixa pra lá! - ele riu e eu não entendi o porque. - Você está...

- Você é mais bonito do que estava parecendo na TV. - disse olhando seu rosto atentamente.

- Obrigada! - Por que ele ria de tudo?

- Justin! - o homem que me machucou chegou perto e eu agarrei o braço do Khalil.

- Agora não, Mikel. (n/a: Inventei esse nome agora) - Juxtin disse se virando pra ele. - Está demitido.

- Mas...

- Está demitido.


Notas Finais


👀


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...