História Não me deixe cair! - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Karin, Kizashi Haruno, Kushina Uzumaki, Mebuki Haruno, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Shion
Tags Drama, Hentai, Narusaku, Naruto, Romance, Suícidio, Tragedia, Traição
Visualizações 144
Palavras 559
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Pequeno e decisivo
PUTA QUE ME PARIU ONTEM FOI UM DIA DE MERDA kkkkkk por isso n postei antes

Capítulo 9 - Parar


Fanfic / Fanfiction Não me deixe cair! - Capítulo 9 - Parar

Você bateu tão forte em mim com o seu amor, perdi a luta contra você, perdi sem ao menos tentar lutar. Nós planejamos o casamento mesmo sem ter a aliança ainda, a Karin nos ajudou a pagar quase tudo e de algum jeito nós damos um jeito de apressar tudo antes que eu completasse três meses de gestação.

Estava escolhendo um vestido com sua irmã, não vou o descrever, um dia você ainda pode ver ele, mas o achei perfeito no momento em que bati os olhos nele.

O nosso casamento seria em três semanas, é em três semanas.

Eu estava ansiosa com a ideia de me casar no altar e ser mãe, cuidar do nosso filho com você e reclamar da vida enquanto trabalhamos, para no final do dia perceber o quanto nos amamos, e que isso é o suficiente.

Voltei para o apartamento quase chorando com o preço das coisas, mas eu estava com vontade de comer sorvete, então foi isso que fiz enquanto te esperava voltar do trabalho.

—Como foi seu dia? —Perguntei ao ouvir o barulho da porta abrindo.

—Foi igual a todos e... —Você parou de falar quando me viu e fez uma cara confusa, seguida de assustada. —Por que você está sangrando?

—Sangrando? —Arregalei os olhos e olhei para as minhas pernas, cobertas do líquido escarlate, você não queria acreditar, mas, naquela hora eu soube que perdi o nosso filho. —Por quê...? —Me perguntei segundos antes de desmaiar e cair no chão.

Você me levou para o hospital no carro que era de seus pais, pelo menos é o que eu acho, acordei na maca com a luz torturando meus olhos, daqui a pouco vamos falar no presente, pois isso foi a uma semana atrás.

Comecei a olhar em volta confusa, eu não estava entendendo porra nenhuma, por que eu estava ali? Lembrei aos poucos dos acontecimentos e levantei tão rápido que meu corpo todo doeu, seus olhos encontraram os meus, você parecia não ter dormido nada.

—O que aconteceu? —Perguntei prestes a chorar.

—Você conseguiu o que queria, um aborto. —Você disse de maneira rude e me olhou com raiva.

Foi naquele momento que comecei a te odiar, como poderia insinuar algo assim? Eu estava tão triste quanto você! Como não enxergava a minha dor? Como poderia a ignorar quando nós deveríamos estar fazendo curativos um no outro?

—Seu idiota! Acha mesmo que eu ainda queria isso?! —Gritei brava e arranquei a agulha do soro de mim, fazendo meu braço sangrar.

—Acho sim! E tem mais, você deve ter provocado isso a si mesma! —Gritou de volta colocando as mãos na poltrona, pronto para levantar.

Aquela foi a gota d’água, eu dei um tapa em seu rosto que o virou para o lado e deixou cinco dedos estampados na sua bochecha. O medidor de batimentos cardíacos começou a apitar cada vez mais rápido e meu peito apertou.

—Nunca mais fale uma coisa assim para mim, seu escroto! —Arranquei o negócio que me ligava a máquina, irritada, você estava me olhando surpreso e triste, mas eu estava cega pela dor. —Some da minha frente! Some da minha vida!

Foi a última coisa que te falei antes de ter um ataque cardíaco e ser socorrida pela equipe médica, que te tirou do quarto a força quando tudo que era minha força estava em você.


Notas Finais


whatever
i don't care pra mais nada kkk
sqn
Beijos ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...