História Não me deixe pensar duas vezes... A Dramione Story - Capítulo 73


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Barão Sangrento, Blásio Zabini, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Pansy Parkinson, Personagens Originais, Ronald Weasley, Scorpius Malfoy, Theodore Nott, Viktor Krum
Tags Blásio Zabini, Crossover, Draco Malfoy, Dramione, Harry Potter, Hermione Granger, Hogwarts, Minerva Macgonagall, Pansy Parkinson, Romance, Theodore Nott, Tortura Psicológica
Visualizações 254
Palavras 1.769
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishoujo, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, LGBT, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, meus sapinhos de chocolate.

Eu sei que faz MUITO TEMPO...E por isso eu peço desculpas, por inúmeros motivos pessoais e profissionais que nem cabem comentar eu me ausentei por tantos meses, espero que me perdoem.

Esse capítulo vai ser menorzinho sim, mas espero que vocês se divirtam que eu voltarei a postar com a frequência anterior.


AMO VOCÊS e gratidão imensa por todos que continuaram apoiando e me mandando tantas mensagens de carinho <3

Capítulo 73 - Despedidas...


POV Hermione

 

Quando acordei no dia seguinte, uma famosa sensação confortavelmente dolorosa estava instalada entre minhas pernas, meus músculos estavam exaustos afinal Dray havia destruído minha sanidade em todas as posições imagináveis naquele quarto, mesmo quando ouvimos Theo retornar, não pudemos evitar a sede, a fome, a necessidade um pelo outro. Acariciei meus lábios lembrando do frescor de sua saliva, deslizei os dedos até meu seio direito onde jaziam marcas em torno da auréola, logo percorrendo um caminho entre a barriga, até alcançar meu sexo tão maravilhosamente dolorido, o leve inchaço era prova de que nos deliciamos incansavelmente, sorri. Draco não estava mais na cama e por mais desagradável que fosse, talvez esta fosse a atitude mais sensata já que não tínhamos certeza de quando meus pais voltariam. Logo me espreguicei na cama e levantei completamente desperta para fazer minha higiene matinal.

[...]

-Você tem certeza que ficará bem com essas malucas? –Draco sussurrou com os lábios presos aos meus, Luna, Pansy, Narcissa, Gina e minha mãe riam maliciosas encarando o platinado a minha frente ser praticamente arrastado porta afora por Blás, Harry, Theo e George e Ronald que parecia tão animado quanto os outros. –Eu posso azarar todos e ficarmos assistindo filmes a tarde inteira... –Sorri ladina enquanto empurrava-o em direção aos rapazes.

-Ficarei bem, meu amor. Mas se fizer qualquer coisa que eu desaprove, eu mato todos vocês! – Apontei para os homens presentes que riram em resposta e ergueram suas mãos em sinal de rendição. –Por favor, não corrompam meu pai!

-Eu não pretendo ser corrompido por moleques. –Papai sorria, parecia menos apreensivo quanto a Draco e concordou prontamente em ir para a despedida de meu noivo alegando “Proteger a moral de sua filha, caso o genro ultrapassasse os limites”.

-Claro papai...

-Claro Andrew...

Assumimos juntamente eu e minha mãe, enquanto os meninos enfim se despediam, lancei um último beijo ao ar que Draco prontamente “agarrou” levando em direção ao peito. Quando a porta se fechou, Ginevra saltitou, ignorando a enorme barriga e com um passe de mágica e acenos de suas varinhas, as donzelas presentes transformaram a casa com uma decoração ridiculamente extravagante rodeada de desenhos fálicos que eu preferia ignorar por hora.

-PREPARE-SE MIONE! –Suas palavras foram risonhas e logo Fleur, Angelina, Molly e até Lilá apareceram pela lareira comemorando meu “ritual de passagem”.

Bebíamos coisas variadas entre grávidas, solteiras e casadas. A situação era cômica sempre que dividíamos histórias inusitadas, um rapaz exageradamente musculoso havia dançado para mim em uma coreografia que mais parecia de uma lombriga eufórica e logo dispensamos o homem por falta de interesse geral, foi o momento de começarem seus jogos comigo e eu desisti de resistir aos impulsos pornográficos presentes nestes mesmos jogos. Ginny fazia perguntas invasivas e eu corava violentamente com as minhas próprias respostas sempre que Cissa e minha mãe gargalhavam com os relatos.

-Então ele te chupou algumas vezes antes de transarem de fato!? –Pansy já gargalhava parcialmente alcoolizada.

-Sim... –Assumi envergonhada encolhendo as pernas e me servindo de outro cubinho de queijo parmesão.

-Como ele é na cama, Mione!? –Luna questionou sem nenhum pudor e Narcissa franziu o cenho parecendo incomodada, mas logo relaxando sua expressão com um certo orgulho no sorriso.

-Ele é...

-Ele é...!? –Fleur pressionou...

-Ele é fantástico... Quero dizer... Eu tenho orgasmos muito intensos... –Enrolei uma mecha de cabelo em meus dedos mordiscando o lábio inferior ao lembrar da noite passada.

-Mas você não tem referência de nada melhor! Ele foi seu primeiro! Você ao menos se masturbava antes disso!? –Angelina arregalou os olhos curiosa.

-Não... Draco me ensinou tudo... Ele me mostrou como eu gosto de sentir prazer. Mas eu garanto, Angelina... É impossível alguém fazer melhor que ele. –Assumi tentando dissolver minha vergonha.

-Meu marido faz... –Fleur, Gina e Molly declararam ao mesmo tempo e todas gargalhamos.

-Sabe, Lucius podia ser tudo de negativo, mas na cama o homem me fazia alcançar as estrelas... Literalmente... Já fizemos amor na vassoura antes de Draco nascer. –Todas arregalamos os olhos diante de tal confissão e eu mordisquei o lábio inferior criando ideias para tentar com meu noivo, logo esposo.

-Já pegou o Draco se masturbando, Cissa? –Ginevra perguntou e eu a repreendi em um tapa fraco em sua perna.

-Ginevra! –murmurei.

-O que foi!? É uma curiosidade...

-Já, pobre garoto, evitou falar com a própria mãe por meses... –Cissa assumiu.

-Com quantos anos, Narcissa!? –Molly questionou parecendo se divertir com a história.

-14! Ele estava no jardim próximo a nossa piscina.

-Oh Merlin, peguei George e Fred no quarto com 9 anos... –Molly riu baixo e todas nos espantamos. –Não, eles não estavam no mesmo quarto, mas peguei os dois no ato NO MESMO DIA. Foi quase traumático.

-Acho que agora é hora de adivinhar a remetente de seus presentes, Mione! –Gina sorriu apontando para a pilha de sacolas e caixas ao meu lado e quando fiz menção a abrir os presentes Ginevra me repreendeu acenando para que eu me levantasse. Logo que fiz, me arrependi. Gina apontou sua varinha em minha direção e minhas roupas antes tão confortáveis se transformaram em um conjunto delicado de renda branca com alguns laços verde oliva detalhando. Tentei me cobrir com uma almofada, mas Pansy logo segurou minhas mãos sorridente. –Vamos, quem te deu essa!?

-Oh meu Deus, sério!? Eu vou ter que ficar seminua!? –Gritei com as bochechas fervendo.

-Vai! Para de se fingir de Santa, eu lembro quando chegou com a calça rasgada, Granger! –Ginny me lançou um olhar sarcástico e eu bufei insatisfeita.

-Sei lá! Luna!? –Murmurei observando as peças de roupa pelo reflexo da cristaleira. –Por acaso, valorizou muito meu bumbum... -Dei uma leve inclinada e empinei o quadril recebendo assobios de aprovação.

-PAAAAAAAAM, errado! Essa é da Fleur! –Pansy gritou. –Vai ter que pagar prenda!

-Prenda!? Como assim prenda!? –Me defendi ruborizada.

-É isso aí, e como foi a primeira remetente, Fleur vai escolher seu mico! –Luna assumiu prontamente.

-Ligue parra Drraco agorra e prrrovoque-o! –Todas riram e eu não vi a menor graça, mas não pude evitar, logo Gina discava para o celular de Harry, entre alguns gritos com o marido, ela me entregou o celular para falar e eu tapei o rosto quando escutei a voz de Draco.

 

 ---

 

POV Draco

 

-Puta que pariu! Que espécie de lugar é esse!? –Gritei apontando para a placa luminosa que indicada “Apple’s Night Club

-Eu já vim a esse lugar... –Andrew praticamente sussurrou e todos gargalharam de meu sogro, revirei os olhos, não queria nem saber em que situação o homem se enfiou naquele antro.

-Vamos logo, Draquinho! Vamos beber pra caralho!!! –Blás gargalhou.

Logo que passamos pelo segurança brutamontes meus amigos acharam engraçado me colocar uma tiara com um véu branco na cabeça, eu estava simplesmente ridículo e até Andrew fazia graça, mas em toda e qualquer tentativa que eu tive de tirar o adereço, fui fisicamente repreendido, simplesmente desistindo na quarta vez. O local era grande, escuro, cheirava a álcool e não era pra menos, ao menos 20 mulheres dançavam nuas ou seminuas em cima de plataformas redondas com mastros prateados, algumas simplesmente desumanas de tão desproporcionais que eram, outras até agradáveis para os padrões normais da sociedade. Quando nos sentamos no centro do salão, meus companheiros fizeram questão de anunciar para todo o local que eu estaria amarrado em três dias e merecia atenção especial, não deu outra, várias dessas mulheres passaram a dançar especialmente para mim, e eu evitava a todo custo que encostassem em meu corpo. Shot atrás de Shot por influência não exclusiva de Theodore, já que o santo Potter e até meu sogro praticamente me obrigavam a “curtir” o momento.

É claro que após muitas doses eu já praticamente não conseguia falar sem rir desconexo, meu sogro se mostrou uma companhia até muito agradável quando estava embriagado e na milésima tentativa de uma Stripper sentar em meu colo eu simplesmente deixei de afastá-la. Reparei em Harry gritando algo em seu telefone, mas preferi ignorar, estava concentrado em não derrubar meu copo de tequila quando o objeto eletrônico foi paralisado em meu rosto e Potter me indicou para atendê-lo. Franzi o cenho para aquilo achando simplesmente impossível segurar o telefone firmemente com a mão direita enquanto a garota rebola incessantemente.

-Alô?? –Gritei.

-Dra...co? –A voz de Hermione estava baixa e eu não conseguia escutar direito.

-HERMIONE? –Gritei mais alto associando que isso a faria responder igualmente.

-Pare de gritar, seu trasgo! –Repreendeu.

-Desculpa, amor! É que tá... muito barulhento! Aqui! O que houve!? –Questionei meio embolado.

-Onde estão...!? –Uma gritaria se instalou no telefone e eu não entendi absolutamente nada antes de virar a dose de tequila de uma só vez, derrubando parcialmente o conteúdo em minha camisa no processo. –Esquece! Ér... Eu queria...

-Fala mais alto! –Gritei novamente tentando fazer a garota com seios desproporcionais sair de cima de mim, falhei miseravelmente.

-EU QUERIA CHUPAR SEU PAU! –Ela gritou e eu retesei no mesmo momento... “O QUE!?

-COMO É!? Hermione!? Como assim!? –Praticamente murmurei desconcentrado.

-Dray... Eu quero te chupar como naquela noite do baile... Quero sentir você gozar pra mim como fizemos ontem... –Sua voz arrastada ativou meus instintos primitivos, imediatamente a ereção se fez presente e naquele exato instante a loira exagerada quicou em meu colo roçando sua bunda em meu membro. Gemi involuntariamente.

-Puta que pa... HERMIONE... –Fechei meus olhos empurrando a garota para longe e logo todos os homens que me acompanhavam olharam para a região, passando a gritar que finalmente eu estava duro para as strippers. Bufei.

-Strippers!? Vocês estão em um Strip Club!? –Sua voz afinou e eu ouvi gargalhadas na ligação. –Malfoy, você está duro pra quem!? –Ela gritou.

-Não amor! Pera, é que essas retardadas ficam tentando dançar no meu colo e eu não deixo, aí você falou essas coisas e eu fiquei duro enquanto uma delas tentava! –Risadas ao fundo foram quase infinitas em minha mente e eu acariciei a ereção afim de acalmá-la. Andrew não parecia perceber já que estava imerso em seu próprio universo observando uma morena alta rebolar na altura de seu rosto.

-Oh meu Merlin, okay. Depois nos falamos! –Ela declarou.

-Não, calma aí! Você me liga e me deixa duro pra depois me largar na mão!? –Bufei exasperado.

-Três dias, dragãozinho! Vai se acalmando com uma stripper ai.. –Ela riu sarcástica.

-Hermione, eu vou sair dessa espelunca agora e aparato aí pra te foder até você perder os sentidos! –Nesse momento Andrew arregalou os olhos em minha direção com uma expressão raivosa. –Fudeu!

-VOCÊ VAI FODER QUEM, SEU MOLEQUE!?

-Puts! Mãaaaae! –Hermione gritou ao telefone.

 


Notas Finais


E é isso, meus amores. Uma introdução a essa noite que ainda NÃO ACABOU <3 Digam o que acharam, me digam se vocês sentiram falta do nosso casal ternura.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...