1. Spirit Fanfics >
  2. Não pode ser >
  3. Manhã seguinte

História Não pode ser - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Manhã seguinte


Fanfic / Fanfiction Não pode ser - Capítulo 2 - Manhã seguinte

Itachi


Não sei o que foi tudo isso que aconteceu, mas quando a vi eu há desejei. Me senti surpreso quando ela disse ter 16 anos, mas meu desejo por ela foi maior. Quando descobri que ela era virgem meu desejo aumentou mil vezes mais que tudo e tê-la me deixou extasiado. 

A deixei na banheira e saí pra trocar a roupa de cama, que estava com cheiro de sexo e com seu sangue. Fui até a lavanderia e coloquei os lençóis na máquina. 

Voltei pro quarto e bati na porta do banheiro e logo após entrei. Ela estava sentada na beirada da banheira olhando pro nada. 

Itachi: Quer uma camiseta pra dormir? - Ela levantou e fez que sim com a cabeça. 

Sai do banheiro e ela também, fui até o closet e peguei uma camiseta azul escura com o símbolo Uchiha. Ela estava nua com a toalha nos pés. 

Izumi: Eu sujei sua toalha. - Ela estava corada e olhando pro chão. Me aproximei e passei a camiseta pela cabeça dela depois seus braços. Juntei a toalha e a levei pra máquina a ligando.

Servi um pouco de chá de camomila, já que é um hábito da maioria de nós aqui de Konoha. Levei pra Izumi na cama e a vi encolhida na cama coberta pelo edredom azul marinho. 

Izumi: Obrigada. - Pegou o chá e tomou um gole. Ela é linda. Bocejei e deitei ao seu lado a puxando pro meu peito. 

Itachi: Tá com dor? 

Izumi: Não. - Ela me abraçou. 

Itachi: Foi bom pra você? 

Izumi: Perfeito, pra uma primeira vez. 

Itachi: Que bom. - Beijei sua testa. 

Izumi: Que sono. - Ela passou a mão pelos meus cabelos e eu achei estranho, já que tudo o que eu mais odeio é que encostem nos meus cabelos. Ela estava enrolando uma mecha no dedo indicador. - É tão macio. - Ela olhou pra mim e meu coração se agitou um pouco. - Eu posso? 

Itachi: O que? 

Izumi: Um beijo de boa noite? - Ela corou e eu passei a mão no seu rosto a puxando pra mim. Não teve língua no beijo, apenas nossos lábios se grudavam um nos outros. 

Itachi: Boa noite. 

Izumi: Boa noite. - Ela se acomodou no meu peito e eu há cobri até a orelha a abraçando mais forte. Acabei adormecendo sentindo o cheiro do meu sabonete misturado com o cheiro floral da sua pele. 


Passei na farmácia pra comprar uma pílula do dia seguinte e aproveitei pra passar na padaria, o que eu compro? Eu nem sei do que ela gosta e se ela tiver ido embora? Comprei uma fatia de bolo de chocolate com morango, pães e salada de frutas. 

Quando cheguei em casa ela ainda estava dormindo, como eu a deixei. Me aproximei e passei a mão nos seus cabelos, ela se mexeu e abriu os olhos. 

Izumi: Bom dia. - Deu um meio sorriso e coçou os olhos. 

Itachi: Bom dia. - Dei um selinho nela enquanto ela coçava os olhos. 

Izumi: Que horas já são? 

Itachi: 08:37. - Ela sentou na cama e pulou em cima de mim me fazendo ter que me apoiar com um braço no colchão e com o outro segurar sua cintura. Nossos lábios se encontraram e ela abraçou meu pescoço. Deitei na cama a fazendo ficar em cima de mim. Estávamos nos beijando intensamente até eu escutar meu celular e logo depois o celular dela. Quando fui atender a chamada foi encerrada. Ela saiu dos meus braços e atendeu o celular. 

Izumi: Oi mãe... Não, não tô na casa da Rin... Eu tô em outro lugar... To bem mãe... Já tô indo pra casa... Mãe pelo amor de Deus! Eu tenho 16 anos... E daí? Idade não significa nada... Mãe eu já vou pra casa, tá bom?... Te amo beijos. - Ela revirou os olhos ao desligar o celular. 

Itachi: Uau você tem 16 anos! - Falei irônico o que fez ela mostrar a língua pra mim e sair atrás das roupas dela. 

Ela entrou no banheiro com elas e saiu alguns minutos depois. Ela esta usando um vestido extremamente colado no seu corpo, ele é ombro a ombro com o decote de coração e tem uma fenda no meio da perna, o vestido vai a dois palmos acima do joelho e é preto. 

Izumi: Ei qual seu endereço? Eu preciso chamar um táxi. - Levantei da cama e fui até ela a puxando pra mim. 

Itachi: Você precisa ir agora? - Beijei seu pescoço. 

Izumi: Não. - Ela largou os sapatos que estavam na sua mão no chão e passou a mão pelo meu rosto. 

Itachi: Ótimo, vamos tomar café. - Segurei sua mão e a guiei até o balcão da cozinha. - Aqui. - Alcancei pra ela a pílula e um copo d'água. 

Izumi: Ah, obrigada você é muito gentil. - Ela tomou a pílula e eu respirei aliviado, pelo menos não vou ter um filho agora. 

Itachi: Do que você gosta? - Coloquei as coisas no balcão. - Posso fazer panquecas se você quiser. 

Izumi: Porque tanta coisa? Eu nem tomo café da manhã. 

Itachi: É mas hoje você vai. 

Izumi: Credo que autoritário. - Ela pegou a fatia de bolo e começou a comer. - Quer? - Me aproximei e ela me deu uma colherada na boca. Ficamos parados e ela ficou alternando entre uma colherada pra mim e uma pra ela. Quando acabou ela me olhou e deu um meio sorriso. - Pega água pra mim, por favor? - Peguei uma garrafa de água na geladeira e alcancei pra ela que bebeu metade. 

Itachi: O bolo estava ruim? 

Izumi: Não. Eu só tenho hábito de comer doce e tomar água. - Eu ri. 

Itachi: Quer salada de fruta? 

Izumi: Não obrigada. - Ela levantou e caminhou até mim. - Na verdade eu quero você. - Meu corpo se arrepiou e eu grudei nossos lábios. 

Eu não sei como mas nós estávamos no sofá nos pegando intensamente, minha mão já estava afastando a calcinha da izumi e a mão dela me masturbando. Não tirei seu vestido nem, minha bermuda, nós estávamos afobados e desejando demais um ao outro pra isso. A penetrei e senti seu interior quente, macio e apertado. É perfeito, me movimentei lentamente pra experimentar mais dessa sensação e torturar ela um pouquinho. Suas mãos estavam nas minhas costas acariciando. Me aproximei e beijei sua boca aumentando o ritmo dos movimentos, ela gemeu mais alto e afastou nossas bocas mordendo meu ombro. Eu vi que ela estava entregue e quase lá então permaneci com o mesmo ritmo e voltei a beija-lá. Depois de alguns minutos ela suspirou e relaxou. Eu já estava quase lá também e antes que eu pudesse gozar sai de dentro dela e masturbei meu membro gozando na mão. Fui até o lavabo e lavei as mãos e meu membro. Foda-se na vou tomar banho agora. 

Sai do banheiro e ela estava sentada no sofá totalmente recomposta. Ela levantou quando me viu e corou. 

Izumi: Eu tenho que ir. 

Itachi: Eu levo você. 

Izumi: Melhor não. 

Itachi: Porque? 

Izumi: Não sei. 

Itachi: Sua mãe vai brigar com você? 

Izumi: Não. - Ela riu.

Itachi: Seria falta de educação minha não te deixar em casa e em segurança.

Izumi: Mas... - Me aproximei segurando sua mão e a levei em direção a porta. Quando estávamos no elevador eu a abracei encaixando a cabeça no seu ombro. Ela me abraçou de volta com força. 

Itachi: Me da seu número? 

Izumi: Então você pretende me ver novamente? - Me afastei e passei a mão no seu rosto. 

Itachi: Claro que sim. Você não? 

Izumi: Acho que não. - Ela deu de ombros e fingiu indiferença. 

Itachi: Malvada. - Beijei sua bochecha. 

Izumi: Tenho uma semana até começarem as aulas. 

Itachi: Então nós vamos sair a semana inteira. 

Izumi: Mesmo? - Ela abraçou meu pescoço e deu um sorriso enorme. 

Itachi: Sim. - Saímos do elevador em direção ao estacionamento. 


Estamos parados na frente da casa dela nos beijando tem uns dez minutos. 

Itachi: Vai fazer o que hoje a noite? 

Izumi: Ver você. - Me beijou novamente e eu sorri. 

Itachi: Passo aqui as 20:00. 

Izumi: Tá bom. - Ela arrumou o cabelo e colocou a mão na maçaneta. Mas eu a puxei pra outro beijo. 

Itachi: Você não me deu seu número. - Tirei o celular do bolso, desbloqueei e entreguei pra ela. 

Izumi: Pronto. 

Ela havia aberto meu aplicativo de mensagens e mandado uma pra ela mesma. Ela me deu um selinho demorado e saiu do carro. Fiquei parado esperando ela entrar em casa. Ela se virou e acenou antes de entrar em casa. Liguei o carro e decidi passar na casa dos meus pais, nada pra fazer mesmo, só me torturar esperando ser 20:00 da noite. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...