História Não posso te amar! - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Malhação
Tags Bruno Gadiol, Daphne Bozaski, Gune, Malhação
Visualizações 451
Palavras 1.181
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 12 - Vem cachorrinho


- EU VOU TE MATAR, BRUNO.- Gritou Daphne enfurecida.- EU TE AVISEI QUE ERA PRA VIRAR A DIREITA.- Depois de saírem do parque, Rodrigo e Amanda foram pro motel, e depois iriam pra casa deles, só saíram de lá, quando Daphne e Bruno chegarem em casa, já que os mesmos não lembram o endereço. Daphne e Bruno acabaram se perdendo. Estavam caminhando a mais de uma hora pelo mato. Uma hora depois conseguiram achar uma estrada.

- AGORA A CULPA DA GENTE ESTÁ PERDIDO É MINHA?

- LÓGICO. VOCÊ ME TROUXE PRA ESSE PARQUE MACABRO, FEZ A GENTE SE PERDER, PORQUE É TEIMOSO, E SÃO JÁ QUASE MEIA NOITE, BRUNO. A CULPA É SUA SIM, SEU IDIOTA.

- ERRAR É HUMANO.

- MAS, PERSISTIR NO ERRO É BURRICE, VOCÊ JÁ FEZ ISSO NO ACAMPAMENTO DA OITAVA SÉRIE. Fala sério, se tem duas direções, uma com estrada e umas casas e a outra cheia de mato. Não é óbvio qual você tem que seguir?

- Verdade, né?!- Concordou pensativo.- A da mata, claro. Aventura é sempre a resposta.

- Se a gente morrer, eu te ressuscito e te mato. Está entendendo?- Falou se rendendo por fim.

- Claro.- Ironizou.

- Agora vamos pra direita.- Disse decidida.

- Claro que não. Vamos voltar.

- Então. Se a gente veio da esquerda agora a gente volta a direita, anta.-  Falou óbvia. Bruno revirou os olhos concordando.- A bateria do meu celular já acabou.- A lanterna de seu celular que iluminava o caminho.

- E eu não trouxe o meu.

- Pensa pelo lado bom. Não está chovendo.- Falou dando um sorriso de lado.

- Cala tua boca, desgraça.- Praguejou ao ela acabar de falar e começar a chover- Olha o lado bom..- Imitou a voz dela.- Pelo menos agora você se limpa.- Zombou e ela deu um tapa forte na cabeça dele.- A culpa é sua.- Falou ao ver a chuva aumentar, e muito.

- Quem colocou a gente num parque, em que eu quase fui morta?

- Isso eu tenho orgulho de falar que fui eu. É uma grande pena não ter acontecido o melhor da noite.

- Idiota.- Murmurou.

- Idiota é você que tem medo de palhaço.

- Tenho mesmo, meu medo virou trauma. Eu quase fui morta por um.

- Olha o lado bom.- Imitou novamente sua voz.- Você é tão chata, que como ele mesmo disse, que te matar seria um favor. Aí pah, você tá viva.- Riu fazendo uns gestos com as mãos.

- Vai se....- Antes de completar, tropeçou nos seus saltos enormes e caiu de cara no asfalto. Bruno ria feito um psicopata. Estendeu a mão para ela, ainda rindo, que o puxou para o asfalto. Agora foi a vez da morena rir, o moreno fechou a cara. Os dois sentaram no chão, Daphne havia parado de rir.

Daphne, se levantou e estendeu a mão para Bruno. Que aceitou e a puxou para o chão. Mas, a morena acabou caindo no colo dele.

- Sai de cima...- Parou de falar, ao encarar aquelas íris castanhas.-..de mim...- Bruno por alguma razão que ele não conhecia, e talvez nem quisesse, estava com vontade de beijá-la. Queria transar com ela ali mesmo.

Daphne, pensava a mesma coisa. Ela podia só estar ficando louca. Era o que a garota pensava, e ao mesmo tempo que aquilo seria muito errado.

Pouco se importou, colou seus lábios em um ato ágil. A morena se arrumou no colo do moreno, com as mãos em sua nuca. O beijo era intenso, quente. Bruno, desceu a mão para a bunda da morena, a apertando. Daphne tirou a camisa do moreno, dando a visão para seu tanquinho super definido, arranhou o mesmo. Bruno fez a mesma coisa com a blusa dela. Parou de beijá-la e atacou seu pescoço, Daphne arfou. Aquilo com certeza deixaria uma marca bem vermelha. A morena rebolava em seu colo, deixando o membro dele com um certo volume.

°•°•°

Amanda e Rodrigo, que estavam no motel, sabiam que eles haviam se perdido, conhecendo muito os dois. Saíram para procurar eles. Depois de uma hora e meia, os acharam.

- Devíamos ter esperado um pouco mais..- Falou Amanda, depois que encontraram os dois quase transando no meio da estrada. Desceram do carro.

- Um pouco diferente o lugar que escolheram para fazerem sexo, não?!- Falou Rodrigo rindo, os fazendo se assustarem e se afastaram rapidamente, colocando suas roupas novamente.

- Deixa eles, Rodrigo.- Falou Amanda.- Entrem logo no carro.

- Pra onde fica a casa?- Perguntou Rodrigo, ligando o carro.

- Direita

 Esquerda.- Falaram os dois ao mesmo tempo.

Rodrigo e Amanda suspiraram, não seria fácil.

°•°•°

- BRUNO EU É QUE IA TOMAR BANHO PRIMEIRO SAI DAÍ, DEMÔNIO.- Gritou batendo na porta do banheiro. Os quatro haviam conseguido voltar para a casa. Daphne, havia acertado. Deviam ter virado à direita. E agora os dois estavam brigando sobre quem tomaria banho primeiro.

- FALOU CERTO, IA. EU CHEGUEI PRIMEIRO.

- SÓ PORQUE VOCÊ ME EMPURROU DA ESCADA.- Por sorte, ela não havia se machucado.

- FRESCURA.

- A ÚNICA PESSOA FRESCURENTA AQUI É VOCÊ - Gritou Daphne antes do moreno abrir a porta fazendo com que a mesma caísse no chão de quatro .

- Vem cachorrinho. - Disse Bruno rindo da posição da morena, e ao mesmo tempo, não deixando de pensar outras coisas.

- Cachorrinho é você, lindo. - Falou irônica Daphne se levantando e batendo na cabeça do Bruno.

- Tá bom, tá bom eu sei que sou lindo.- Falou convencido, jogando seus cabelos curtos pro lado.

- Calado! Agora sai do banheiro para eu tomar banho - Disse a morena apontando para a porta.

- Ata! Até parece que eu vou sair. - Respondeu o moreno tirando sua camisa.

A boca de Daphne se abriu formando um "O" com a visão. "Se ele quer brincar.." Pensou com um sorriso malicioso. Tirou sua blusa, Bruno que abriu a boca agora.

- Se é assim..- Fechou a porta, a puxando pra dentro do banheiro. Tirou sua calça, ficando só com sua cueca preta, dava perfeitamente para Daphne ver a ereção sobre ela. Daphne, tirou seu shorts, usava uma calcinha preta também, fio dental.

Bruno, estava louco. Necessitava dela ali e agora. Era uma tentação o corpo de Daphne para ele. De certa forma, para ele, ela tinha algo que todas as garotas que ele pegou, não tinham. Tirou a última peça que restava, ela se livrou de suas duas também e ele

caminhou até ela. Que se afastou.

- Não vale tocar, docinho..- Falou sexy, em seu ouvido o arrepiando.

- Mas..

- Shhh.- O interrompeu botando seu dedo na boca dele.

- Pouco me importa, se vale ou não tocar.- Disse e a agarrou. Daphne sorriu irônica, pegou seu roupão que estava do lado.

- Pode tomar banho primeiro.- Saiu com as roupas na mão, mas voltou e pôs a cabeça na porta.- Aliás, ninguém ganha de mim no jogo da Sedução. Muito menos, você. Passar bem.- Sorriu e saiu dali. Deixando Bruno, um tanto irritado e sem acreditar.

__


Notas Finais


Olá, tudo bem? Parece que não foi hoje que rolou😂🌚, e talvez não demore muito, talvez sim...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...