História Não posso te amar! - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Malhação
Tags Bruno Gadiol, Daphne Bozaski, Gune, Malhação
Visualizações 457
Palavras 954
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá ♥ Espero que gostem,to boazinha até postando mais um ep

Capítulo 2 - Essa..Essa coisa na minha frente.




Estavam saindo da sala, quando a diretora disse:

- ESPEREM!- Gritou a diretora, quando estavam saindo da sala. Eles voltaram e a encararam- Na hora da saída, será seus pais que virão buscá-los. A detenção começa amanhã.- Falou e eles assentiram.

°

- Isso tudo é culpa sua!- Exclamou a morena, claramente irritada.

- Minha não! Sua! Eu tava de boa no meu lugar e você veio me atormentar!- Retrucou Bruno

- Mas quem que puxou o cabelo de quem primeiro?!- Falou Daphne, parando em frente a enfermagem.
Antes de começar uma nova discussão, as enfermeiras que viam os dois frequentemente por ali, falaram para se sentarem e ficarem quietos.

Saíram de lá e voltaram de volta a sala, iria começar a terceira aula.
Pediram "Licença" ao professor de matemática, Renato. Recebendo o olhar da classe neles. Já era de costume. E sentaram em seus lugares, resmungando!

A aula passou rápido e havia chegado a hora do intervalo. Cada um havia sentado com seus respectivos grupos. O refeitório era divido entre Os populares, os nerds, os rockeiros, as patricinhas, as putas da escola, os bad boys e aqueles que simplesmente não tinham grupo.

Daphne e Bruno , no dos populares. Obviamente, em mesas diferentes.

No grupo das meninas, elas falavam sobre moda, o corpo dos garotos, etc.

Os meninos, que não estavam muito longe da mesa delas, reviraram os olhos.

Não demorou muito e o sinal bateu. Foram para a sala, a próxima aula seria de ciências.

A mente da morena estava longe. Pensando no que faria para se vingar do moreno. O mesmo sabia que ela não iria deixar barato. Afinal, se tratava de Daphne Bozaski.

O sinal tocou. As restantes aulas se passaram até que rápidas.

- Vai para minha casa, com as meninas, Daph? -Perguntou Gabi, enquanto as duas guardavam seu material. A morena suspirou e disse:

- Infelizmente não, Gabi. Meu pai vai vir me buscar hoje. Não me pergunte, sei tanto quanto você. - Falou prevendo o que a morena, iria perguntar.

- Se for rápido, aparece lá.

- Tem dúvidas?!- Falou e as duas riram saindo da sala.- Tchau. Olha meu pai ali.-Disse se despedindo da amiga e apontando para o pai ao lado de fora.- Junto com o pai do Gadiol?! O que?!

Saiu de perto da morena e caminhou até o pai.

- Oi pai, oi tio Paulo.- Falou cumprimemtando-os

- Oi, Daphne.- Responderam

- Onde está Bruno?- Perguntou Paulo

- Pegando alguma puta por aí.- Falou a morena, revendo um olhar desaprovador de seu pai.

- Estou bem aqui, morena falsificada.- Falou Bruno, aparecendo ao lado da ruiva.

- Ótimo! Então vamos. Estamos atrasados.

- Pra que, Pai?

- Já verá,Bruno.- Respondeu Paulo e caminharam até o carro. Encontrando Ivete e Elizabeth, mãe dos mesmos, conversando animadamente sobre algo.

- O carro do Paulo está no concerto. Então vamos no nosso carro.Daphne.- Que até agora não estava prestando atenção olhou a seu pai, que continuou.- Você vai no colo do Bruno.

- O QUE???- Gritaram os dois ao mesmo tempo.

- Eu não vou nem no mesmo carro que ele, imagina no colo dele então. Mas, nunca.

- Pai, ela pesa uma tonelada!- Exclamou o moreno. E recebeu um tapa na cabeça da morena. "Sabemos que isso, não é verdade. Ela é muito gostosa!" Falou seu subconsciente. Que ele logo tratou de tirar de mente.

Paulo empurrou seu filho pro carro, em seguida fez Daphne obrigatoriamente se sentar em Bruno. Ambos bufaram.

Seus pais falando sobre a empresa, trabalhos. E suas mães sobre as passarelas, entre outras coisas.

Não estava nem um pouco confortável para Daphne. Para Bruno, então. O carro passou por um buraco, o que fez Daphne pular. Bruno, por impulso segurou a cintura da morena, não estava mais aguentando isso. O moreno suava frio.
Aquilo tava tirando Bruno do sério. A morena ficava se mexendo em seu colo, o que não ajudava em nada. Bruno, era homem. Isso era uma tentação a qualquer um. Ainda mais sendo Daphne Bozaski. Ele tinha que admitir. Ela era encantadora, mas a palavra" gostosa" veio na mente do rapaz.

Daphne, sabia bem o efeito que estava fazendo nele. Fazia questão de se mexer, bem devagarinho. Embora esteja odiando tudo isso, não perderia essa chance. Que estava funcionando. Sentiu o volume subir, cada vez mais e mais, até chegar no máximo.
Fez questão de provocar:

- Nossa! Acho que sentei em algo. Está duro.- Falou baixo, em seu ouvido, para seus pais não escutarem.

- Vai se ferrar, Daphne! Pqp!- Exclamou, claramente irritado. Sua situação já não estava muito boa, agora então.

Daphne por outro lado, estava amando fazer isso. E odiando onde estava. Mas sua vingança estava meio completa
O carro parou em frente à um restaurante, fazendo os dois suspirarem em alívio.

- Chegamos. Para o azar de seu amiguinho aí embaixo.- Falou rindo, no ouvido do garoto, que mandou gentilmente, ela ir para aquele lugar.
Que retribuiu com o dedo do meio.

- Por que estamos aqui? E com... Com... É... Esse ser aqui?- Perguntou Daphne entediada, apontando para Bruno na sua frente. Após terem pedido seus pratos, que haviam acabado de chegar.

- Bom..- Começou Richard, que foi interrompido por Paulo.

- Vocês irão se casar!- A morena que havia começado a comer, engasgou.

- O QUE?- Falou Bruno, atraindo olhares, mas não deram importância.- MAS, NUNCA QUE ME CASO COM A MORENA FALSIFICADA!- Completou irritado, um tanto surpreso

- JAMAIS! NÃO PODE ME OBRIGAR A CASAR COM...É... ESSA...ESSA COISA NA MINHA FRENTE!- Gritou Daphne enfurecida, depois que parou de engasgar. Seus pais suspiraram, sabiam que não seria nada fácil..!

- Não vou me casar com ele/a- Falaram os dois ao mesmo tempo.

 


Notas Finais


Comentem o que acharam ♥ Até o proximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...