História Não se apaixone - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Doyoung, Jungwoo, Lucas, Personagens Originais
Tags Luwoo
Visualizações 200
Palavras 931
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - IX. . .


Fanfic / Fanfiction Não se apaixone - Capítulo 9 - IX. . .

Jungwoo não havia sido visto no colégio tantas vezes naquela semana.

Falou com o pai sobre o ocorrido, este que ficou com raiva da situação. Quem seria capaz de fazer algo assim para seu filho?

A estreita relação que Jungwoo mantia com seu padrasto o fez considerá-lo quase seu melhor amigo. Ele era definitivamente o pai que precisava por tanto tempo.

- Eu irei falar com os diretores, não pode ser que esse tipo de coisa esteja acontecendo e eles fiquem de braços cruzados sem fazer ou dizer nada. - O frustrado homem andava de um lado para o outro pensando em algo para fazer.

Jungwoo parou ele tocando em seu braço.

- Não pai, não diga nada, vai passar. - suspirou. -Em poucas semanas ninguém vai se lembrar disso, é sério.

Lee Taeyong encarou seu filho.

- Mas... - Jungwoo o enterrompeu novamente.

- Eu vou ficar bem, é sério. Não se preocupe. - tentou tranquiliza-lo.

Taeyong estufou as bochechas com ar e suspirou. Ele havia prometido fazer o que pudesse para defender seus garotos, tanto Jisung quanto Jungwoo, que, embora não fossem seus filhos de sangue, os tratava como tal.

A mãe de Jungwoo repentinamente entrou na cozinha onde estavam conversando.

- Querido - ambos prestaram atenção na chamada. Ela costuma chama-los assim - Quero dizer você, Tae. - Sua voz soava exigente.

Jungwoo saiu lentamente de sua cadeira, e seu padrasto o olhou parecendo implorar para que não saísse dali, sabia que sua esposa iria repreendê-lo.

- O que eu te disse sobre esconder as meias debaixo da cama?

- Oh meu amor, e-eu...eu posso explicar isso.

Seus olhou se direcionaram par jungwoo que rapidamente saiu quase correndo do lugar. As vezes seu pai costumava ser muito bagunceiro com as próprias roupas e isso deixava sua mãe brava.

Ele subiu para o quarto e viu seu irmão mais novo em cima de sua cama.

- O que faz aqui?

E com o seu "O que faz aqui?" se referia a "saía do meu quarto agora"

Jisung deu de ombros.

- Eu estava falando por mensagem com o nosso vizinho, Yukhei.- Jungwoo notou que a criança tinha seu celular nas mãos.

- Me dá isso. - tentou tirar dele.

Jisung se esquivou e continuou escrevendo entre risadinhas.

- Calma eu não fiz nada de mais, só pedi a ele para vir aqui.

Jisung jogou o aparelho em cima da cama fazendo com que o mais velho arregalasse seus olhos.

- Qual é o seu problema para ficar tocando nas minhas coisas Jisung-ah? Saia do meu quarto e... - respirou fundo parando para pensar sobre o que o garoto acabara de falar. - Por que pediu para ele vir aqui?

- Ele é muito fofo, só queria ve-lo hyung. - o garoto fez beicinho.

Jungwoo franziu a testa. Se sentiu estranho de repente.

- Pelo amor de deus Jisung. O que aconteceu com o seu namorado?

- Ah me estressei.- ele olhou para as unhas e verificou-as tentando remover a sujeira que estava sob estas. - Yukhei é mais bonito.

Jungwoo não se importava, definitivamente não se importava. Ele faz o que quer, Jisung podia vê-lo, claro que ele podia, estava em seu total direito.

- Ah - deu de ombros e sentou-se na cadeira de sua escrivaninha . - Yukhei é muito infantil, com certeza você não vai gostar.

Jisung pensou sobre isso.

- Pessoas assim são interessantes, gosto de pessoas divertidas.

Ele pegou um livro da prateleira onde o mais velho tinha cada um deles ordenados por cores.

- Pff, ele não é engraçado. - Jungwoo o olhou - é bobo e sarcástico a maior parte do tempo.

- Para mim é divertido e ... fofo, lindo, simpático. Eu gosto. - o mais novo continuou a listar virtudes de Wong Yukhei.

- Yukhei não é lindo - falou antes de ver o recém nomeado entrar pela janela, seu cabelo castanho tinha algumas folhas grudadas.

- Sim, eu sou - o mais novo acabou se sentando no chão no quarto de seu hyung. - ouvir você falar isso doeu - tocou seu coração e fingiu estar ofendido. 

Jisung apenas olhou para ele com um sorriso bobo no rosto, já Jungwoo revirou os olhos.

- Jisung sua mãe pediu para você ajudar ela com o jantar. - Taeyong entrou no quarto interrompendo a conversa.

- Ah mas...

- Não tem "mas" mocinho, você sabe como sua mãe é.

- Aff

O garoto saiu do quarto com um olhar que não expressava nada além de raiva.

- Por que me chamou? - Yukhei estava de repente no topo da cama de Jungwoo com o mesmo livro que Jisung estava nas mãos a segundos atrás.

- Eu não chamei, foi meu irmão. - sentou- se ao seu lado - Ele que queria te ver.

Yukhei fez uma carinha triste.

- E você não? - Jungwoo bateu levemente na bochecha alheia e sorriu - Agora vai botar a culpa no seu irmãos porque não quer admitir que você não consegue viver sem mim?

- Só se for nos seus sonhos.

- Pode ser. - chegou perto de seu rosto. - Mas eu ia vir de qualquer maneira, estava entediado em casa.

Ele voltou para a posição de antes e pegou o controle remoto jogado sobre a cama do mais velho.

Jungwoo sabia, estava ciente de que as "aulas de beijo" com Yukhei tinha terminado, mas ainda sentia suas bochechas queimarem tendo o rosto do amigo tão perto da sua. Seus lábios se tornaram secos por um momento e necessitou umedecê-los.

De repente, o quarto se tornou quente.

Jungwoo se acomodou em sua cama, observando enquanto o garoto trocava os canais de sua TV procurando algo para ver. Se sentia insatisfeito.

Algo dentro de si esperava algo mais, mas o que?

Não era como se de repente, por nenhuma razão, ele quisesse beijar Yukhei, claro que não.

Ou.. talvez sim?....



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...