História Não se apaixone por Jeon JungKook - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~BaekChan2

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jinmin, Taekook, Vkook, Yoonmin, Yoonseok
Visualizações 66
Palavras 1.382
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Katiau

Capítulo 5 - Capítulo 5


(I Think I'm love again - Kat Dahlia) 

Fiquei com aquilo que JungKook disse na cabeça quase que o dia todinho, e não consegui entender. Que desafio é esse?

Vou parar de pensar naquele garoto, ele esta me deixando louco.

Nesse momento segurava sua camisa, tinha seu cheiro, um cheiro bom e também cheirava a nossa noite juntos.

Que sentimento é esse que estou sentindo? É quente e bom. Faz meu coração palpitar apenas em sentir seu cheiro. Ou lembrar de seus olhos.

Preciso falar com Jimin. Mandei uma mensagem para ele no Whatsapp.

Eu: Jimin, me ajuda!!

Minnie: O que foi?

Eu: Tem algo errado comigo. Eu não paro de pensar no JungKook!

Minnie: Não tem nada errado com você! Aceite que você está apaixonado por ele.

Eu: Não!! Nunca me apaixonaria por aquele... é

Minnie: Aquele garoto lindo, que é apaixonado por você desde...Sempre?

Eu: Jimin, essa conversa não me está sendo util. Tchau!

Meu Deus! Não aguento mais esse sentimento, quero me livrar dele. Mas ele parece tão bom.

Precisava sair para pensar, espairecer. Vesti uma roupa qualquer, e peguei meus oculos escuros. Iria a praia.

Talvez fosse apenas do que eu precisava, um pouco de sol. Decidi ir andando, era bem perto, eu estava quase lá todas os finais de semana, sentindo o sol em minha pele dourada, o vento bagunçar meus cabelos.

Em menos de trinta minutos estava na praia, estava quase vazia, claro era um dia da semana. Abri uma toalha e a coloquei sob a areia, sentei na mesma e apoiei minhas mãos atrás.

Coloquei meus fones e uma música da Lana Del Rey, Video Games.

Me perdi nas música e só senti quando uma bola bateu na minha barriga, arfei com o impacto e levantei com a mão na mesma, olhei ao redor.

Droga, era uma bola muito pesada.

— Me desculpe! — Um garoto alto, de cabelos pretos estava parado a minha frente segurando a bola. — Não vi você. Estava distraído.

— Deveria comprar óculos, seu cego! Você quase me mata. — Gritei impaciente. Conhecia aquela técnica, jogar a bola apenas para chegar na pessoa. Idiota.

— Calma boneca. Já me desculpei.

— Ótimo agora vaza. — Voltei a deitar e fechei meus olhos, mas ainda sentia sua presença sobre mim. — Vai ficar tapando meu sol seu tapado? Ou vai sair daí?

— Calma aí boneca. — Bufei e levantei pegando minha toalha — Ei boneca. Onde você vai? — Ele não fez isso. Quem ele pensa que é para me segurar?

— Me Solte. Ou vou acertar um soco nesse seu nariz impinado.

— Genioso. Gostei. — Disse com um sorriso de lado. O que eu fiz para merecer isso? Sinceramente não tenho paciência.

— Última vez. Solte meu braço.

— Ou o q...— Não esperei ele terminar, acertei um soco de baixo para cima em seu nariz e sua cabeça foi para trás e voltou. De seu nariz escorria sangue. Maravilha. Meu melhor soco.

— Eu avisei. Não sou homem para seu bico. — Virei para ir embora, mas o filho da mãe me puxou dessa vez pela cintura. Esperniei em seus braços e ele tapou minha boca com a mão.

Ele me jogou na areia atrás das rochas e começou a tirar seu calção. Tentei levantar mas ele me jogou novamente contra o chão, acabei acertando meu cotovelo muito forte contra uma rocha, uma dor intensa se espalhou por meu braço.

Quando vi seu membro já estava para fora de seu calção e ele caminhava em minha direção.

— Socorro! Não faz isso por favor.

— Você não me deixou te comer por bem, então vou te comer por mau. — Ele começou a se masturbar ali na minha frente. Se ajoelhou ainda continuando os movimento. Andei para trás até ir de encontro a uma rocha grande. Ele me puxou pelo pé e cai sentado bem na frente dele. Ele abriu minhas pernas e se masturbava mais rápido.

Sua mão segurou meu pescoço, me enforcando, ele continuava os movimentos em seu membro, eu queria gritar.

Fechei os olhos e esperei o pior, eu seria estrupado em uma praia, em uma maldita praia.

O aperto de sua mão sumiu, abri os olhos e um garoto estava sobre o cara que queria abusar de mim. Deferindo vários socos no rosto dele. O cara desmaiou e o garoto ficou de pé e virou para mim, era JungKook.

O cara ainda gemeu mais uma vez antes de JungKook pisar em seu membro e o deixar em uma posição estranha.

Acho que quebrou.

Quando percebi o que teria acontecido comigo se ele não tivesse aparecido, lágrimas começam a escorrer por meus olhos.

— Calma, ferrugem. Estou aqui. — Ele me abraçou me ajudando a levantar. — Vamos para casa.

Ele limpou minhas lágrimas e me levou para fora da praia, ele estava de carro.

A caminho da minha casa eu observava seu rosto em quanto ele dirigia concentrado, ele me salvou e me sentia tão grata por isso.

Ele tinha um vinco em sua testa, provavelmente devido ao acontecimento anterior. Não era para menos, eu quase ia sendo estuprado. Chegamos em minha casa, ele abriu a porta do carro para eu sair. E colocou seu braço sobre meu ombro me abraçando.

— Estou bem JungKook. Juro. Não aconteceu nada, graças a você. — Sorri e ele também. Aquele sorriso me aqueceu, e senti uma coisa no pé da barriga, como se meus órgãos estivessem dançando dentro de mim, mas não era uma sensação ruim, era boa. E essa sensação foi causada por aquele lindo sorriso.

Diria que o mais lindo que já vi em toda minha vida. Estaria eu apaixonado por Jeon JungKook?

— Mas quero ter certeza que você vai ficar bem.

— Por que você está fazendo tudo isso, por mim? — Ele se afastou de mim, ficando na distância de um braço. Poderia o tocar se quisesse mas ele tinha que me dizer por que.

— Agora que tenho certeza que você está bem. Eu vou embora. — Ele virou, voltou para seu carro e foi embora simples assim. Nenhuma resposta. Quer saber? Não precisava dele! Voltaria a ser o Taehyung de sempre.

POV JUNGKOOK

Ele fez aquela pergunta que tanto me assombrava, nem eu sabia por que estava fazendo aquilo. Sim um dia eu fui apaixonado por ele, mas não mais, certo? Claro, não sou mais apaixonado por ele.

Droga que confusão.

Preciso falar com o Namjoon. Peguei meu celular e liguei para ele.

Alô?

— Preciso falar com você.

Fala aí cara! Tá me deixando curioso com esse suspense. — Suspirei, teria que perguntar a ele que me conhecia melhor do que eu mesmo.

— Acho que estou apaixonado novamente pelo Taehyung. — Ele começou a rir do outro lado da linha e não entendi o motivo da graça. — Por acaso contei uma piada?

Desculpa cara. É que você na verdade nunca deixou de ser apaixonado por ele. Eu via o jeito que você olhava para ele, mesmo quando estavam brigando. Que era sempre.

— Não. Eu...eu sou apaixonado por aquele maluco. O que faço? — Ele ficou alguns segundos calado, sem dizer nenhuma palavra.

Diga a ele a história diga a Taehyung a verdade. Trate-o melhor. Não seja tudo o que ele quer, seja tudo o que ele precisa. Dê-lhe uma razão, um motivo para amar tudo que você faz. — Tudo que ele dizia fazia sentido. — Taehyung vai te contar seus segredos e você vai contar seus segredos também. Ele vai te contar todas as suas esperanças e sonhos e você vai contar também. Fale o que seu coração quer. Diga que ele é lindo. Diga sempre a verdade. Diga que o ama.

Suspirei, ele estava certo e era isso que eu iria fazer, me declarar para ele. Diria tudo que sentia.

— Isso é uma música, não é?

Sim cara. ㅡ Ele riu e eu também .

ㅡ Preciso de sua ajuda com algo.

Arquitetei com a ajuda de Namjoon um plano, ele disse que chamaria Jimin para ajudar, quem melhor que o melhor amigo do garoto que amo para me ajudar?

♡♢♡♢♡

"Acho que o cupido está tramando algo

Você me perguntou como eu me sinto, eu não disse nada

Mas ultimamente a cor parece tão brilhante

E as estrelas iluminam a noite

Meus pés se sentem tão leve

Eu estou ignorando todos os sinais" - I Think Im Love Again - Kat Dahlia


Notas Finais


KABUM

Dêem uma olhada na minha fic linda Yoonmin, que tem que alcançar 50 favs até dezembro :')

Link: https://spiritfanfics.com/historia/schizophrenie-10873680


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...