1. Spirit Fanfics >
  2. Não se aproxime >
  3. 26

História Não se aproxime - Capítulo 27


Escrita por: NariKimB

Notas do Autor


Ooooie, tudo bem com vocês?
BOA LEITURA! ;)

Capítulo 27 - 26


S/N ON

Eu não queria voltar para minha casa e Jimin não queria que eu voltasse, ambos estávamos com medo de que aqueles sequestradores estivem lá, então fui para a casa dele. Seus pais não estavam em casa quando chegamos e ainda não tínhamos uma desculpa em mente para dar a eles. Jimin me mostrou um quarto vago que havia na casa, onde eu poderia ficar até o próximo dia, pra ele meu irmão voltaria entre hoje e amanhã, mas eu já não sei mais minha mente está um caos. Meu mais novo namorado não é um bom cozinheiro, mas por sorte eu sou, por isso não morremos de fome ao esperar seus pais chegarem.

Park volta para a cozinha pra pegar água, digo para o mesmo não demorar, pois não tenho a intensão de pausar o filme quando terminar a abertura então ele corre eu acho graça de sua atitude. Nesse intervalo de tempo recebo uma ligação de Taehyung . Atendo.

_Oi, aconteceu alguma coisa?

Sua respiração está pesada como se ele tivesse corrido uma maratona.

_Se você não vier aqui seu irmão vai morrer. – eu poderia xingá-lo por tal brincadeira, mas seu tom de voz soa ameaçador e eu me levanto no mesmo instante.

_O que está acontecendo Taehyung?

_Não há tempo para explicações s/n. Se você não vier ele morre. – Ele desliga.

Começo a tremer com a possibilidade. Meu celular apita notificando a chegada de uma nova mensagem. É de Taehyung, é o endereço. Através do GPS descubro que é onde ficava um antigo armazém de bombas. Sem pensar duas vezes corro para fora da casa de Jimin e vou até meu irmão.

O caminho parece longo de mais, como se nunca chegasse. O ônibus faz sua ultima parada antes de retornar para os bairros anteriores, eu desço e corro durante todo o caminho até o armazém.  As portas estão fechadas e não há nenhum veículo por perto, me aproximo mais para tentar abrir a porta mais ela parece trancada e nesse momento sinto alguém colocar um pano sobre a minha boca. Me debato até cair na escuridão.

JIMIN ON

Quando voltei a sala S/n já não estava mais lá, começo a gritar por ela pela casa, mas não há respostas. Desesperado saio de casa correndo com o pensamento de ela ter voltado para a casa dela e do irmão. Encontro a porta da casa de s/n aberta e corro para dentro, procuro em todos os cômodos, mas ela não está em nenhum lugar. Saio da casa e ligo para Hoseok e lhe digo que s/n sumiu, o mesmo pede para que eu conte tudo e é o que faço ocultando a parte sobre o seu irmão. Ando de um lado para o outro pensando em possíveis lugares que ela possa ter ido e me lembro de tê-la ouvido atender o telefone e me lembro de ser Taehyung. No momento havia ficado com ciúmes, mas resolvi ignorar por causa de s/n.

Ligo para Hoseok outra vez e pergunto se ele tem o número de Taehyung, mas ele não tem.

_Droga!

E como se uma luz brilhasse em minha cabeça a ideia de rastrear o celular dela me vêm a mente. Volto para minha casa e no meio do caminho encontro Taehyung e antes que ele me comprimente o seguro pela camisa o encostando na parede.

_O que você disse para ela?

_Jimin. – ele tenta falar, mas meu punho está em sua garganta. O solto. Ele massageia a garganta – Do que você está falando?

_Não seja sínico. Ela desapareceu depois do seu telefonema.

_Eu não sei do que você está falando. – ele diz, mas seu olhar parece perdido como se não estivesse lembrando de algo.

Lhe dou um soco no rosto.

_Seu idiota, a s/n corre perigo e agora você está fingindo que não sabe de nada. – lhe dou outro soco – Dês do momento que você apareceu soube que não prestava.

Lhe dou vários socos e ele não revida. Para quando vejo que ele está chorando.

_Me desculpa, eu não queria. – ele diz e se encolhe no chão.

_O que você fez?

_Meu irmão prometeu deixar minha mãe em paz se eu mudasse de escola e me tornasse amigo de s/n. Ele queria ferir Jungkook e sua irmã é seu calcanhar de Aquiles. Se ferir ela, fere ele.

_Você atraiu s/n pra morte? – pergunto indignado – Você vai me levar até ela agora.

Ele me empurra.

_Eu não posso.

_Você vai deixar uma pessoa morrer? – grito.

_Ele não vai mata-la.

_Como você tem garantia disso? Como você tem certeza de que ele não vai mata-la para se vingar?

Ele parece recobrar a consciência. 


Notas Finais


Até qualquer dia!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...