História Não se guarde da chuva


Escrita por:


Sinopse:
O universo é muito maior do que o seu mundinho, e no meu você é muito mais incrível do que pensa.

[jangbong]
Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Visualizações 143
Favoritos 47
Comentários 2
Listas de Leitura 15
Palavras 2.263
Terminada Sim
Categorias Golden Child
Personagens Jaehyun, Jangjun
Tags Jaehyun, Jangbong, Jangjun

Fanfic / Fanfiction Não se guarde da chuva
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fluffy, LGBT, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1.
Único
2
143
2.263

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por beom
Capítulo 1 - Único
Usuário: beom
Usuário
Já deve estar meio tarde pra eu comentar, visto que eu li essa história assim que acordei, mas hoje o dia foi bem corrido e... é, só consegui sentar agora. Mas eu fiquei divagando com essa história o dia todo, não só pensando em quais palavras eu selecionaria para um comentário - até porque eu gostaria de aprofundar muitos temas dessa obra - mas eu pensava, principalmente, em TODA a história em si, e todas as mensagens que ela trouxe consigo.
Posso dizer que, como o cenário de hoje era bem semelhante com o dessa obra, eu me permiti pegar uma garoa na volta pra casa. Eu deixava as, quase inexistentes, gotas caírem sem me preocupar muito com a minha saúde, que anda mais frágil do que eu gostaria, e foi bom. Acho que valeria a pena se a consequência de deixar-nos ter a percepção de que estamos vivos fosse um resfriado, afinal o resfriado só nos indica que estamos vivos, também. E é engraçado como a gente para pra perceber coisas como o fato da chuva fazer parte de um ciclo que nos ajuda a permanecermos vivos, e apenas vivos conseguem participar de um ciclo, seja ele qual for. É uma bosta porque nos faz querer agradecer, mas às vezes viver é uma bosta, vamos concordar.
Esse seu texto fez-me sentir especial, independente disso, no sentido mais puro da palavra. O planeta todo tem bilhões de pessoas, e, sei lá, como alguém como nós poderíamos ser especiais? Somos só mais um. E sempre vai ser assim, não importa o que digam. Mas a gente sempre é especial pra alguém, como talvez Jangjun comece a ser para Jaehyun a partir dessa nova concepção do garoto. Você dedicou algo tão lindo à mim, como eu não me sentiria especial?! Devo confessar que não me sinto digna de palavras tão carregadas de seus pensamentos e sentimentos, a gente tá tão acostumado na rotina que esquecemos o quanto somos para alguém, o quanto uma mensagem pode melhorar um dia, talvez uma vida. A gente esquece que somos seres, e vivos. E o quanto nosso simples respirar importa pra algumas pessoas.

Essa última frase, esse ''deixar'' da história, me lembra uma frase que diz. ''Os astros são sempre menores vistos a olho nú.'', porque estamos tão preocupados em ver tudo ao nosso redor apenas do nosso ponto de vista egoísta, que passamos a nos acostumar em pensar que aquilo é realmente daquele jeito. Sério, que idiotice. Me lembra do babaca que chamou a Lua de ''Lua cheia'' só porque, para ele, a Lua era vista cheia no céu, mas na verdade ela sempre tá metade escura, mas a gente simplesmente ignora esse fato. A gente tá preso sempre no nosso próprio mundinho e no nosso próprio jeito de interpretar as coisas. É difícil retirar alguns dogmas das nossas vidas, mas muitas são necessárias. Fico feliz que Jangjun tenha permitido-se mostrar o lado escuro de sua Lua para Jaehyun. Só a gente conhece nossas próprias cores, tons e nuances, mas às vezes somos contraditórios em nossa própria personalidade, e fica difícil convencer as pessoas ao redor que podemos ser tanto tons escuros quanto claros ao mesmo tempo. Mas, enfim, já tá no ser humano querer categorizar as coisas e as separar em caixas rotuladas. Ou somos assim, ou somos daquele jeito. Por que não podemos ser simplesmente humanos? Deveríamos lavar nossa alma com os pingos de chuvas mais vezes. Nos reconstruirmos mais vezes. Viver mais vezes.
Eu com certeza me senti viva lendo sua história. E bater meu guarda chuva na calçada hoje me fez sentir tão viva quanto. Obrigada, azulzinha <3 e perdão, eu não sei se você tá em boas condições pra ler um livro desses essa hora da noite, mas eu pensei em muita coisa hoje graças a você, e me parecia injusto não contar à causadora do caos o que ocorreu por aqui.

(JANGBONG NAMORADINHOS DA NAÇÃO!!!!!!!!!)