História Não Só Amor e Flores (Furry) - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Colegial, Drama, Faculdade, Furry, Hentai, Híbrido, Lince, Raposa, Romance, Yaoi
Visualizações 51
Palavras 1.720
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sci-Fi, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hey galera, olha aqui aqui mais uma vez
Boa leitura!

Capítulo 10 - Uma noite diferente


Fanfic / Fanfiction Não Só Amor e Flores (Furry) - Capítulo 10 - Uma noite diferente

  Após algumas horas de muita paciência e cuidado, Frank conseguiu fazer Leroy finalmente cair no sono, a experiência que havia ocorrido destruíu seu coraçãozinho, o menor conseguiu dormir depois de tanto tremer, estava agarrado ao seu parceiro com toda sua força, qualquer movimento ao sair da cama o despertaria então o outro apenas se mantinha imóvel olhando o teto. O quarto estava completamente apagado e a única luz existente ali eram de suas almas e de uma abertura nas cortinas da janela.
Neste momento delicado Frank teria que tentar se manter o mais perto possível e sustentando sua força para dois. Pela manhã, o maior iria ir prestar queixa em alguma das delegacias da região para que piores eventualidades não viesse a exister e que também o caso não se passasse em branco.

~ Horas Antes ~
~ Pov's Lili ~

Eu acabava de sair do ônibus e não avistava ninguém da minha família por aqui, mas onde meus pais poderiam ter se metido? Eles claramente sabiam o horário que eu chegaria de viagem mas não havia ninguém, talvez poderiam ter esquecido ou possa ter vindo a acontecer alguma coisa, talvez só se atrasaram mesmo eu esteja sendo impaciente. Me dispus a esperar, por sorte um amigo ainda se mantinha ali comigo já que esperava um motorista que demorava a chegar também, muito provável que esteja um trânsito insuportável, mas por quê em um domingo? Minutos depois chega o motorista, foi a mim oferecida uma carona já que Claus iria por metade do caminho que eu percorria até em casa, porém recusei e disse que não havia problema se em todas as finalidades eu tivesse quer ir embora andando, talvez eu tinha que ter aceitado já que ninguém apareceu, comecei a andar, com pouca bagagem o caminho não foi cansativo mesmo sendo uma caminhada de quase meia hora. Subindo as escadas e brinco a porta também não havia ninguém, nada de sinal de vida, nada nos quartos e nem no banheiro, na cozinha havia um bilhete preso à geladeira, " fomos ao jogo de seu irmão, se seu time vir a vencer poderemos chegar um pouco tarde e esse pode ser o motivo de não podermos buscá-la, mas de toda forma tem uma surpresinha pra você na gaveta de sua cômoda. Com amor... mamãe. Ps: Não se preocupe, não invadi seu espaço pessoal :p ".
Tá aí o grande motivo, como eu pude esquecer da final do futebol de Lincon, não posso considerar egoísmo da minha parte ter esquecido, eu estava ocupada e minha mente bem longe, bom, hora de ver o que é essa tal surpresa, espero que minha mãe não tenha bagunçado as minhas coisas ao preparar seja lá o que for essa tal surpresa. Me direcionei e quarto e ao abrir a porta já tenho uma surpresa diferente, o quarto estava completamente arrumado, não tinha nada no chão a não se o tapete e claramente os móveis, na pequena lixeira também não tinha nada, nem as roupas que ficavam no canto existiam mais. Apressada abri a gaveta e lá estava, uma caixa embalada em papel de presente com um laço, já suspeitava o que era então sem o menor cuidado e muito curiosa fui rasgando a embalagem sem dó e lá estava, um celular de fora que eu estava de olho a umas semanas(não venham com pensamentos sobre xiaomi sksk), eu estava exausta demais para usá-lo agora então só coloquei meu chip e fiz a inicialização padrão, mandei mensagem para minha mãe agradecendo a ela e meu pai e que provavelmente estaria dormindo quando chegassem, e outra mensagem pra Adam, contando a notícia e que eu havia chegado bem e estava no aguardo dele amanhã.

~ Horas depois ~
~ Pov's, Narração ~

Adam se preparava pra ter uma ótima boa noite de sono, estava sem a mínima preocupação, mais cedo visitou seu irmão no hospital e um pouco antes recebeu uma mensagem de seu amor, que depois durou um bom tempo e uma ótima conversa. O mesmo não estava triste por seu fim de semana ter acabado, curtiu grande parte do tempo na casa de seus pais e em sua cidade natal, já estava preparado pra sobreviver até a mais estressante das semanas após os três dias. O teto lhe encarava e o fazia pensar quando poderia ter a oportunidade de voltar para casa dos pais, o plano era poder ficar até mais de uma semana, a ideia foi deles então não havia o menor problema, na próxima vez que estivesse por aqui ele gostaria de visitar alguns amigos de infância e ensino médio que ainda ficaram na cidade, o mesmo não teve tempo pra isso desta vez devido ao casamento e imfelizmente devido ao acidente, mas mada de entristecer, até porquê, toda oportunidade é uma oportunidade, nadar e dar saltos no lago parecia uma ótima idéia. E com os pensamentos em mente logo adormeceu.
Pela manhã foi acordado pelos pais, eles estavam saindo para trabalhar e deixaram o café pronto pra quando ele finalmente decidice sair da cama e iniciar o dia, a mordomia que estava tendo o fazia se sentir um rei, nada de trabalho com uma dose de estresse pela manhã, um café diferenciado do da rotina e uma tarde livre de qualquer problema, apenas passaria no trabalho de ambos e depois no hospital anunciando sua partida. Para o almoço, a mesma coisa, não precisou fazer nada, já havia algo especial preparado pra ele, seus pais não são perfeitos mas aos olhos de Adam eles são simplesmente incríveis. Mais a tarde saiu de casa com suas coisas, apenas uma mochila com algumas roupas suas, foi no trabalho de sua mãe e no de seu pai, em seguida para o hospital e depois deu um toque para seu irmão mais velho, chegando na rodoviária mandou mensagens pra Lili, avisando que logo estaria em casa, e se ela também não estava afim de ir fazer algo, mas foi retrucado com o convite de ir pra casa dela e passar a noite lá, as vezes que ambos dormiram juntos foi pouca, mas em todas as vezes eles adoravam devido suas conversas restritas e carinhos. Adam tinha algumas roupas limpas de dormir na mochila o que era incrivelmente conveniente e então acabou por decidir que iria ao seu encontro em sua residência, Lili adorou e disse que poderia buscá-lo com o carro dos pais sem problema algum, assim estava combinada a noite de ambos.

~ Quebra de Tempo ~

Ao chegar depois de três horas, Lili já estava em seu aguardo do outro lado da rua dentro do veículo, ele abriu a porta e mal a dizer "oi" já recebeu um forte e apaixonado beijo, a conversa foi fluindo até em casa, os pais de Lili já estavam a par da situação, mas seu pai, ainda com pé atrás preferiu que ambos dormicem na sala e não no quarto de sua filha, Adam queria mostrar que era confiável mas não sabia como já que, para Humberto, Lili sempre seria sua garotinha.
~ Adam- Vamos logo passar no mercado, daqui a pouco todos estarão fechados.
~ Lili- Não precisa, minha mãe comprou tudo pra gente, ela que deu a ideia de te chamar pra dormir lá.
~ Adam- Vamos parar pra comer alguma coisa, não quero parecer um morto de fome na frente de seus pais, a viagem me deixou faminto.
~ Lili- Então vamos lá.
Após comerem em um trailer de lanches na esquina, partiram pra casa. Já quase oito da noite entraram no apartamento, não tinha ninguém, Adam se sentou em um dos sofás e colocou sua mochila em um canto, Lili foi para a cozinha e por algum motivo seus pais estavam lá e provavelmente Lincon estaria no quarto jogando.
~ Lili- O que estão fazendo aqui?
~ Humberto- Oi anjo, já em casa?
~ Cynthia- Estamos apenas conversando, seu pai vai te deixar no trabalho porque terá que ir cedo para o trabalho, então vocês dois precisarão acordar cedo. Logo dormir cedo.
~ Lili- Não estão fazendo isso só por quê Adam vai dormir aqui hoje né? Nós já dormimos juntos alguma vezes então não entendo a paranóia.
~ Humberto- Mas... não é paranoia alguma filha, não queremos que pense assim.
~ Cynthia- Sim, seu pai está certo, mas quantas vezes vocês já dormiram juntos ? E como foi ?
~ Lili- Mãe!
Lili ficou corada devido aos pensamentos que poderiam existir na mente de sua mãe, seus pais saíram da cozinha e foram até a sala comprimentar Adam, estavam com sorrisos estampados no rosto e diziam que era pra se sentir a vontade. Todos ficaram na sala vendo um pouco de tv, comeram e as onze cada um foi para seu quarto, exceto Adam e Lili que finalmente poderiam ficar em paz. Assistiam à televisão baixinho para que não acordasse, estavam conversando baixo também sobre coisas mais pessoais, mas não exagerando pois Lili sabia que seu irmão costumava dormir bem tarde devido os jogos, então ambos foram até o quarto do menor de fininho e lá estava ele jogando, eles viam por uma brecha na porta que estava meio encostada.
~ Lili- Tá fazendo nenhuma besteira aí não né?
Lincon se assustou pois sua irmã tinha o assustado, ele estava concentrado em uma partida.
~ Lincon- Cara! Vai acordar nossos pais!
~ Lili- Vai dormir cara, tá tarde.
~ Lincon- Tarde né, aham sei.
Ambos voltaram pra sala e continuaram a assistir tv. Meia hora se passou.
~ Lili- Tá com sono?
~ Adam- Não e você?
~ Lili- Ótimo! Vem.
Lili guiou Adam até seu quarto o segurado pela braço, fechou a porta e ambos sentaram na cama.
~ Lili- Olha, aquela é a primeira foto nossa. O tempo foi legal com a gente.
~ Adam- Nem fala, ganhamos o maior bônus.
~ Lili- Sim, mas essa é a primeira surpresa, a segunda é essa.

Lili começou a tirar sua blusa mostrando apenas seus seios cobertos por um sutiã de renda, ela ainda cobria com um dos braços, estava corada devido a vergonha, mas ela mal sabia que aquela era umas melhores coisas que Adam já havia visto, ele se levantou, baixou os braços de Lili e a segurou pela cintura dando um caloroso beijo que foi correspondido no mesmo momento.

Continua...
 


Notas Finais


Não ficou tão grande ou muito bem desenvolvido mas tô postando pra voltar aos trilhos.
Espero que tenham gostado :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...