História Não tive culpa, simplesmente aconteceu! - Capítulo 18


Escrita por:


Capítulo 18 - "E os meus sentimentos?"


[Dia 4.966]

E lá se encontrava eu, com grande plenitude caminhando com passos prolongados até o altar. As notas da marcha nupcial que soavam nos instrumentos, retratavam um verdadeiro sentimento da redundante alegria que eu sentia ao vivenciar aquele instante tão esperado pela vida de muitas pessoas. No altar, situava-se Scarlett Johnson. A mulher mais bela e deslumbrante do local, com seu vestido de noiva rendado que emitia um brilho faiscante, rodado e costas em V. Sua beleza chegava a superar a formosura de todos os convidados, seus olhos brilhavam como cristal e faziam-me querer efetuar uma total loucura de amor, pela extrema felicidade que eu sentia por estar tendo a honra de presenciar determinado momento.

Ao finalmente, apresentar-me perante ela e segurar suas mãos para começarmos a cerimônia, olhei em seus cristalinos olhos e seu sorriso tímido de canto, os quais me fizeram apaixonar-me mais ainda, pois tive certeza que tinha encontrado toda riqueza do mundo em um só olhar.

Entretanto, inesperadamente um som esquisito e completamente incomodativo, semelhante a uma sirene começou a estrugir no lugar. Todos os convidados assustados com o impensado acontecimento tapavam os ouvidos tentando abafar aquele barulho azucrinante.

Então foi ai, que abri os olhos. Era meu despertador que estava tocando.

- POR QUÊ? - Lamúriei após acordar e me dar conta que era apenas um sonho.

Acho que não é suficiente Scarlett Johnson estar em meus pensamentos durante literalmente o dia todo, (sem contar que já é o terceiro dia consecutivo que isso acontece), e agora ela ainda inconformada quer ocupar lugar também em meus sonhos. Mas, já é fato e não tem como negar. Eu realmente estou apaixonada por ela. Só que até agora para mim não caiu a ficha que isso realmente aconteceu.

Pode até ser que ela seja linda... Não só linda como maravilhosa, tudo bem, talvez a menina mais linda do mundo. Entretanto, não foi apenas por sua beleza que me apaixonei. Scarlett tem algo mais profundo que isso. Algo que me conquistou de uma forma inexplicavelmente louca.

Ainda bastante sonolenta, fui me informar para saber que horas já marcavam no relógio, por isso passava a mão por baixo do travesseiro procurando meu celular. O qual vibrava constantemente insinuando a chegada de mensagens, as quais eu presumia serem de Tyler.

A partir do momento que coloquei a senha para desbloquear, supostas mensagens que eu imaginava ser de Tyler eram na verdade de um email desconhecido. O que despertou em mim uma certa curiosidade.

PARA : [email protected]

DE : [email protected]

ASSUNTO : E de repente, Grace Miller se apaixona por Scarlett Johnson.

Um bom dia, Grace Miller! (ou não)

Bem, hoje é um lindo dia, não acha? E você, como se sente estando apaixonada por alguém, sabendo que ela nunca retribuirá seus sentimentos à mesma altura?

Calma, não se assuste perante a essa mensagem logo pela manhã, mas convenhamos que eu não disse nenhuma mentira.

Com amor, anônimo.

            <ENVIADO 8 SET 05:27> 

- Mas, o que, raios, acabou, de, acontecer, aqui? - Perguntei pausadamente a mim mesma levantando da cama de modo automático.

Fiquei totalmente perplexa com os olhos fixados naqueles emails por longos segundos. Perguntando-me "como assim?" várias e várias vezes. Logo, recordei-me que só havia contado para Bella e Dammy, o que me fez ficar ainda mais curiosa.

Minha hipótese é que eles com certeza estavam fazendo alguma brincadeira comigo. Então, decidi entrar na diversão e responder no mesmo tom.

PARA : [email protected]

DE : [email protected]

ASSUNTO : Hahaha, muito engraçado.

Bom dia, sr(a) anônimo! É realmente um lindo dia.

Sobre me assustar perante a sua mensagem? Longe disso! Isso é alguma plagiação daquela série lá... Gossip Girl, o nome né?

Além do mais, o mais hilário é um email anônimo supondo isso pelas cinco da manhã.

Beijinhos, Miler 

                                 <ENVIADO 8 SET 05:32>

Touché. Isso é só para eles terem o gostinho de que estão ganhando, mas logo verão que não são pários para mim. Continuo me questionando do porque eles fariam isso, se é que fariam.

Permanecia olhando para a tela do celular, esperando a resposta. Alguns milésimos passaram e como sou impaciente pensei em desligar o celular, mas antes de fazer tal ato...

PARA : [email protected]

DE : [email protected]

ASSUNTO : Sem assunto.

Tá achando que isso é uma brincadeira? Está muito enganada!

Acha mesmo que ninguém iria perceber seus olhares em Scarlett? Grace, eu não imaginava que você fosse tão lerda!

Com amor, anônimo.

                                 <ENVIADO 8 SET 05:34>

Tudo bem que seja uma verdade, porém isso é um assunto inteiramente meu. Então, decidi não dar tanta importância para esses emails e deixar o celular de lado. Até porque na maioria das vezes, pessoas que ameaçam através desses métodos nunca possuem coragem o suficiente para falar frente a frente com a vítima.

Me apressei mais rápido que a velocidade da luz para fazer tudo que preciso e não se atrasar pra aula. Afinal, eu só tinha 26 minutos restantes.

...

Passava pelo assoalho do corredor espionando dentro dos quartos para verificar se ainda haviam pessoas em casa, ou se um apocalipse zumbi havia iniciado. Até o momento, nem um sinal. Entretanto, inspirava-se na cozinha um forte aroma de café. Ou seja, sim, ainda existem pessoas no mundo.

- Uau! Que cara de morta, Grace! - Disse Natalie, quando eu já me encontrava no seu mesmo ambiente.

- Pois é, eu tentei fazer uma maquiagem que nem a da sua cara hoje. - Retruquei, me sentando ao balcão e sentindo minha mãe dar um riso leve.

E os emails continuavam vindo. Meu celular vibrava frequentemente, com emails do tipo "vamos lá, Grace! Responda!", "você gosta dela, eu sei disso." "vai mesmo se arriscar por um amor que nunca será correspondido?" As quais eu só via pela barra de notificações.

Já irritada com as mensagens, acabei tendo que responder mesmo.

PARA : [email protected]

DE : [email protected]

ASSUNTO : Sem assunto.

Qual é o seu problema? Por que eu estaria tendo sentimentos por Scarlett? Eu não faço idéia do que você tá falando. O que raios você acha que vai conseguir com isso?

                                 <ENVIADO 8 SET 06:03>

- Opa, surtei! - Falei num tom baixo. O qual ninguém a minha volta ouviu.

Após ter mandado, suspirei durante um tempo longo sentindo ter descontado pelo menos 2% da minha raiva. Por uns segundos, consegui me concentrar somente em não me atrasar e tomar meu café da manhã. Mas, quando estava prestes a colocar uma colher de cereal na boca outro email chegou. Respirei fundo e liguei o celular.

PARA : [email protected]

DE : [email protected]

ASSUNTO : Agora você está falando a minha língua!

Finalmente chegamos ao ponto.

Bom, eu quero algo simples. Apenas afaste-se de Scarlett. Isso faria um bem enorme, não só pra você, como pra ela também. Vocês já se odiaram antes, faça ela te odiar novamente. E, que tal começar hoje?

Vamos lá, Grace, sabe bem que seus sentimentos por ela nunca seriam recíprocos.

Com amor, anônimo.

                                <ENVIADO 8 SET 06:07>

Fervi de ódio tendo a péssima oportunidade de ler aquilo pelas seis da matina deixando sem resposta. Isso é algum tipo de disputa entre Scarlett ou o que? E mesmo que eu quisesse afastar-me dela seria impossível, pois ela se tornará minha meia irmã.

...

No campus do colégio sentada a um banco de madeira próximo ao estacionamento, observava atentamente cada pessoa ao meu redor, procurando pelo rosto de Dammy e Bella. Totalmente sobrecarregada de questionamentos e raiva, por conta de tudo que ocorreu pela manhã. Perguntas do tipo, "será que é Dammy que está fazendo isso tudo?" "E se ele tiver me enganado esse tempo todo dizendo ser gay, e no final de tudo isso ele também estar tendo sentimentos por Scarlett iguais aos meus?" "Por que ele mentiria para mim?"

Eu só suspeitava de Dammy, mais ninguém. Até porque Bella nem de longe faria isso, e teoricamente eu presumia tudo isso pela fato de só ter contado apenas a eles sobre esse assunto.

- Oi, Gracezinha! - Alguém tocou em meu ombro por trás chamando-me. O que me fez por impulsividade agarrar a mão da pessoa trazendo quase para o chão.

- NOSSA! O QUE FOI ISSO? - Era Dammy. Disse ele totalmente assustado.

- Como assim "o que foi isso?" - Falei num tom completamente irônico.

- Grace, você está bem? - Perguntou preocupado. Ele nunca tinha me visto assim antes.

- EU ESTOU ÓTIMA! - Gritei irritada com sarcasmo. - Agora você que tem que me dizer. Por que você está fazendo isso, Dammy Coffelker? - Perguntei pausadamente.

- Isso o que? Que bicho te mordeu, hein? - Questionou ainda incrédulo. Me dei conta do que havia feito e voltei ao meu estado normal. Soltei seu braço e respirei fundo.

- Desculpa, agi por impulsividade. - Falei num tom de arrependimento.

- Ah, cê jura? - Disse ele jocosamente sentando-se ao meu lado. - Mas, o que houve?

- Sério que não é você? - Perguntei ainda com incertezas.

- Não sou eu o que, Grace? - Perguntou Dammy já impaciente.

- Desde o momento em que acordei, venho recebendo e-mails anônimos em relação aos meus sentimentos por Scarlett. - Falei num tom baixo mas, em bom som.

- O que?! - Disse ele pegando o celular de minhas mãos.

- É, cara! Dá pra acreditar? - Esperei alguns minutos até Dammy ler tudo e me olhar descrente com o que leu.

- Quem essa pessoa pensa que é para estar fazendo isso? - Disse Dammy me entregando o celular de modo involuntário.

- "Essa pessoa?" Tem alguma idéia de quem seja? - Indaguei. Ele olhou pra cima pensativo.

- Na verdade não, mas podemos descobrir.

- Olha, melhor eu deixar Scarlett pra lá mesmo. Além do mais, isso nunca daria certo! - Disse eu.

- Grace? Tá tudo bem, meu anjo? Cadê aquela menina insistente que eu conheço?! - Falou Dammy indgnado com meu comentário fútil.

- Nem é questão de insistência, eu só...

- Você tá com medo? - Ele perguntou.

- Sei lá, talvez sim ou não. Mas, é melhor deixar pra lá. Tudo indica que nunca daria certo e sério, eu supero! - Falei de cabeça baixa.

- Mas, Grace...

- Sem mas, Dammy. - O interrompi. - Melhor deixar as coisas como estão. - Ele me olhou incrédulo, mas no fundo sabia que eu tinha razão.

...

Estávamos no pátio da escola esperando dar o sinal para irmos para aula. Eu planejava seguir com minha rotina normal, fingindo que nada tivesse acontecido e ignorando por dentro tudo relacionado a amor que sentia dentro de mim por certa pessoa. Comecei aos poucos cultivar o ódio novamente seguindo os conselhos da "pessoa anônima".

O Alarme soou e nos encaminhamos para nossa sala. Como de costume, nada de novo. E espero que isso não mude.

Aula de ciências agora. Recebemos a notícia que Srta. McGonnery teve que viajar para Los Angeles, pois um parente seu havia falecido. A coordenação da escola então, sugeriu que todos os alunos presentes na sala se dirigissem para a sala ao lado, ou ficassem no pátio esperando dar o sinal para a próxima aula. Todos então, saíram. E, obviamente não foram para a sala do lado. Decidi então ir ao banheiro pra passar água no rosto, olhar no espelho e pensar o que raios eu tava fazendo da minha vida.

Ao abrir a torneira, deixando a água um pouco fria escorrendo pelas minhas mãos e abaixar a cabeça para molhar minha pele, passo suavemente as mãos molhadas pelo meu rosto com um movimento de ir e vir. Até que ouço um barulho de descarga vindo da cabine 5, então resolvo olhar de relance pelo espelho para ver quem sairia de lá. Para minha surpresa era Brenda DiLaurentis. Ela usava um moletom com a temática da série "Riverdale", e uma calça jeans clara. Se aproximou da torneira para lavar as mãos e tirou o óculos para lavar o rosto também.

- Deve estar refletindo o que raios está fazendo da vida, como eu. - Pensei comigo, enquanto secava o rosto.

Ela rapidamente saiu do banheiro, sem olhar pra trás. Quando terminei de secar as mãos e o rosto, percebi que Brenda havia deixado seu óculos em cima da pia, talvez ela tenha esquecido. De modo involuntário, peguei o óculos e sai do banheiro a procura dela para devolver seu pertence.

Dei de cara com o corredor vazio olhei para a esquerda... Nada. Para direita, vi ela ainda andando normalmente pelo corredor a procura de sua sala. Corri ao seu encontro, clamando em bom som por ''Ei, Riverdale!". Eu sabia seu nome, mas quis chamar sua atenção desse modo. Automaticamente após ouvir ela olhou para trás. Quando finalmente me aproximei, estiquei a mão para entregar-lhe, o óculos esquecido que já estava a mostra antes de eu entregar.

- Acho que isso é seu. - Disse eu de modo casual, entregando o óculos.

- Ah, é sim! Obrigada! - Disse ela em um tom sereno e calmo. Foi a primeira vez que ouvi sua voz. Era um pouco grave, mas era linda.

- Disponha! - e dei um sorriso de canto, o qual ela retribuiu. - Brenda, né?

- Exato. Grace? - Perguntou ela. Como ela sabia meu nome?

- Sim, sim. - Afirmei.

- Já ouvi falar bastante de você. - Falou ela. Gelei.

- Wow! Eram coisas boas? - Indaguei totalmente curiosa.

- Sim, claro, com certeza! - Disse assentindo com a cabeça várias vezes. E rindo amigavelmente. Retribuo.

- Também já ouvi falar bastante de você. - Comentei.

- Meu Deus, e eram coisas boas? - Perguntou.

- Relaxa, eram sim! - Ri.

- Ah tá, que bom! - Disse ela aliviada. - Eu tenho que ir pra aula...

- Ah sim, ok. Então, nos vemos por ai?

- Claro, até mais! - Disse ela já seguindo seu caminho. - Ah, e obrigada! - Disse acenando.

- Que isso, por nada! - Falei.

...

No intervalo, já junto aos meus amigos, decido agir normalmente, sem me esconder ou algo do tipo, pois pensando melhor, o(a) anônimo está certo. Scarlett e eu nunca daríamos certo com um romance. É muita concorrência.

- Viu ela hoje? - Perguntou Dammy para mim, colocando uma batata frita na boca

- Não, eu não vi. - Falei suspirando meio triste. - Olha, Dammy! Vamos encerrar esse assunto, quero esquecer disso o quanto antes.

- Ah... Tudo bem. - Disse ele em concordância.

Foi ai que depois de falar isso, a avistei entrando no refeitório. Ela caminhava vagarosamente, roubando a cena por completo, seus cabelos balançavam como se ela estivesse estrelando num filme. Ela me viu, e acenou amigavelmente. Eu retribui com um sorriso.

Não dá pra cancelar esse sentimento de uma hora para outra. Realmente tem algo que nela que me atrai tão facilmente... Eu não posso desistir assim!

- É Grace, é o amor. - Bella comentou.

- O que? Como? - Perguntei desapercebida.

- Você tava babando por ela. - Dammy sussurou no meu ouvido.

- Ah, droga! - Bati levemente na mesa. Com os outros nos olhando confusos sem entender absolutamente nada.

Ainda a observando, vi ela sentando com suas amigas, líderes de torcida. Dando risada, com aquele seu sorriso maravilhoso, arrumando mechas de seu cabelo quando ele caia em seu rosto... Ela é perfeita, em todos os aspectos, ou é eu que estou extremamente apaixonada.

Não consegui comer, a observei o meu tempo todo, pois não conseguia tirar os olhos daquela divindade. Quando senti uma vibração do meu celular:

PARA : [email protected]

DE : [email protected]

ASSUNTO : Ah, Grace

Tá olhando muito pra ela, não acha? Você deveria mudar de colégio, ou até de cidade isso sim. Vamos, Grace! Anula esse sentimento por Scarlett, ele nunca será correspondido e você sabe bem disso.

É apenas um conselho, só estou te privando de se machucar.

Beijinhos, anônimo.

                                 <ENVIADO 8 SET 10:38>

Logo me irritei, mas não pensei em responder. Sai do refeitório sem dar explicações e já me encaminhei para a sala onde seria minha próxima aula. Ou melhor, laboratório de ciências.

Sentei-me em uma das cadeiras encostada na parede bufando de raiva e falando sozinha.

- Droga! - Cruzei os braços indignada.

- Por que tá com tanta raiva? - Observei alguém entrando na sala.

- Ahh, oi Brenda! - Rapidamente mudei minha feição. - Nem liga, não é nada.

- Certeza? Não quer conversar? - Ela disse, sentando-se ao meu lado.

- Não, tudo bem. Como me achou aqui?

- Só tava passando pelo corredor e te vi aqui. Achei estranho uma menina tão linda sozinha e brava num laboratório. Isso despertou minha curiosidade. - Disse ela.

(Meu Deus, isso foi um flerte?)

- Ah... hahaha. - Ri, meio sem graça. - Entendi!

- Bom, eu tenho que ir. Logo o sinal toca. - Ela se pôs de pé.

- Aliás, me passa seu número? - A pedi.

- Claro! - Falou. Eu entreguei meu celular em suas mãos para anotá-lo. - Prontinho.

- Certo, depois te mando mensagem.

- Tudo bem... Até mais!

- Até! - Me despedi.

Antes que você pense outra coisa... Não, eu só pedi o número dela para formarmos uma amizade, eu não sinto nada por ela há muito tempo.

...

Depois de todas as aulas, fui rápido para casa pois não iria aguentar ter mais emoções em apenas um dia.

Foi um dia cansativo e estressante. Mas, que bom que passou.

Já a noite por volta de umas 18:00h, decidi ligar para Dammy, ficamos conversando por cerca de uma hora, sobre assuntos aleatórios e coisas que passamos hoje, faz tempo que não faziamos isso, talvez porque raramente temos crédito para ligar um para o outro.

- Por que se apaixonar é tão difícil? Talvez, não se apaixonar em si, mas dependendo da pessoa. Por que com Scarlett é assim? Mesmo que eu não tenha tido culpa disso, porém era pra ser mais fácil. Poxa, eu sempre disfarcei bem meus sentimentos, e agora surge do nada, alguma pessoa anônima que diz saber de todos eles e me vigia toda hora. Que saco! - Disse eu deitada na cama olhando para cima com o telefone na orelha.

- Calma, Grace! Você ainda vai conseguir ter Scarlett. - Falou Dammy do outro lado da linha me encorajando.

- Será?

- Claro que vai. Teve mais alguma coisa de inusitado hoje na escola? - Ele perguntou

- Aaah, sim teve! - Me lembrei do que havia acontecido. - Eu falei com Brenda Dilaurentis e consegui seu número.

- Que massa! Ouvi rumores por ai que ela também curte meninas.

- Caramba, sério? Sabe, na quarta série eu era apaixonada por ela.

- Como assim? Por que nunca me contou?

- Você sabe, provavelmente por vergonha.

- Mas, por que pediu o número dela? Achei que seu foco agora fosse Scarlett. - Falou em com irônico.

- E é Scarlett, só quero uma amiga nova, af. - Expirei.

- Tá bom, tá bom! Relaxa!

- GRACE, VEM JANTAR! SE NÃO EU VOU COMER TUDO! - Gritou Natalie da cozinha.

- EU TÔ INDO! - Gritei de volta.

- É a sua irmã? - Perguntou Dammy.

- Pois é. - Suspirei.

- Saudades dela, diga que eu mandei um beijo.

- VEM LOGO, GRACE! OU VOCÊ VAI JANTAR MIOJO! - Natalie gritou novamente.

- Tchau, Dammy. Depois a gente conversa! - Me despedi.

- Tchauzinho, até mais! - Dammy desligou a chamada.

Levantei da cama, apaguei a luz e desci para a cozinha. Minha mãe e Natalie já estavam na mesa, apenas me esperando, então sentei numa cadeira bem longe de Nath, para não me contaminar.

- Por que tão longe? - Perguntou Nath.

- Cadelas mordem. - Respondi. Minha mãe nem ligou, já está acostumada com nossas brigas diárias. - Mas, então Nath, o que fez hoje?

- Shopping, cabeleireiro, manicure... Essas coisas.

- Quer dizer que foi tosada hoje? - Perguntei e ri.

- Aliás, comprei um presente pra você hoje. É uma pena que me odeie. - Ela disse.

- Tá vendo, Grace? Por que trata sua irmã assim? Não deveria. - Nossa mãe nos interrompeu me dando sermão.

- Desculpa Nath. O que comprou pra mim?

- Seu milho. Tá bem ali na fruteira. - Ela disse, dando altas gargalhadas.

- Tá vendo, mãe? Isso responde sua pergunta?

- Comam caladas! - Disse ela. Nath estava rindo tanto que isso me contagiou e eu comecei a rir também. - Eu acho que me deram os bebês errados na maternidade. - Falou minha mãe que logo começou a rir também.

...

Após o jantar, peguei meu celular para mandar um "oi" para Brenda, eu tinha me esquecido de fazer isso o dia todo e só me lembrei agora. Salvei seu nome como "Brendinha ❤️". Não é costume meu salvar pessoas com contatos carinhosos, mas não vejo problema em salvá-la assim.

- Oii! - Falei tentando não soar como "oi, quero ser sua amiga! Vira minha amiga por favor!"

- Oii! - Ela respondeu no mesmo tom.

- Tudo bem? - Perguntei formalmente.

- Tô bem e você? - Ela respondeu educamente.

- Siim, e com você? Não pera. - Perguntei de novo tentando parecer engraçada e falhando completamente.

- Kkkkkkkkkkkkkk - Ela riu, mas acho que por educação. - O que faz de bom?

- Tava lendo, e você?

- Nada demais kkkkk

- Você é totalmente eu na vida, menina. Mas me diz, você gosta de bolo? - Eu e minhas manias de ter assuntos ruins.

- Mais é claro kkkk

- Desculpa, é que eu sou ótima em puxar assunto.

- Tudo bem, também não sou tão boa nisso.

Ela me entende, Brenda é gente como a gente. Conversamos sobre muitas coisas, parece que já somos amigas há longa data, não parece que "conheci" ela há horas atrás. Creio que Brenda e eu vamos nos dar muito bem.

Antes de dormir, após deitar na cama e desligar a luz, senti uma vibração do meu celular então decidi pegá-lo para ver o que era.

PARA : [email protected]

DE : [email protected]

ASSUNTO : Boa garota!

Muito bem, Grace Miller! Está indo no caminho certo, continue assim!

Quanto mais você se afastar, mais é melhor pra você!

                                 <ENVIADO 8 SET 23:42>

PARA : [email protected]

DE : [email protected]

ASSUNTO : ESCUTA AQUI

OLHA, POR QUE VOCÊ NÃO VAI TOMAR BEM NO MEIO DO SEU...

(mensagem descartada)

Pensei em escrever isso, mas achei que não valeria a pena e decidi deixar novamente no vácuo. Afinal de contas, se é pra lutar por alguém, vou fazer isso direito. E não é descendo a níveis baixos que se vence. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...