História Não vou desistir - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Glória Pires, O Outro Lado do Paraíso, Thiago Fragoso
Personagens Adriana Mello de Monserrat, Clara Tavares, Elizabeth Mello de Monserrat, Glória Pires, Personagens Originais, Thiago Fragoso
Tags Alejandro Claveaux, Beth/duda, Dunic/benic, Gloria Pires, Nicolau, O Outro Lado Do Paraíso, Sexo
Visualizações 30
Palavras 765
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E quando você sorri
O mundo inteiro para e fica olhando por um momento

Capítulo 2 - Eu posso comprar!


Fanfic / Fanfiction Não vou desistir - Capítulo 2 - Eu posso comprar!

Como de prometido ela reza pra que ele não esteja com raiva dela, reza pra que ele e quem possa ir pegá-la ,mas... Parece quem nem os santos ouvem suas preses, um policial substituto a chama...

- A detenta sem nome - ela se emburrece, levanta coloca as mãos  a frente pra que ele possa seguir o protocolo algema-la 

- É Duda tá? - ela responde seco

-Desculpa mas Duda é apelido, aqui trabalhamos com nome, aliás nao sei qual problema de vocês com os próprios nomes...

- Entendir - ela diz irônica - cadê Nicolau?

-Nicolau ainda não chegou - ele fala olhando no relógio - Olha que já e tarde espero que ele não  se complique com Vinicius, vamos? - antes que possam chegar a sala de investigação ela o chama

-Você... Você pode me fazer um favor?

-Acho que sim

-Pode pedir pra ele falar comigo?

-Sim, mas e só com ele?

- É...

Ele a deixa na sala de investigação, depois de minutos, ela sai com o mesmo pensamento uma perda de tempo... Ela reforça seu pedido ao polícial substituto.

Seus ouvidos estão atentos ,até que ela ouve o barulho da porta enferrujada abrindo. Ele a encara de braços cruzados

-Soube que você que falar comigo...

-Sim, queria te pedir um favor... Posso?

- Se for pra pedir aquela sua bebida... Esquecer ja tou dando meia volta

-Não!... Eu queria te pedir... Um... Um... Cobertor ,fala com a clara

-Você passou frio?

-Sim, e muito!

-Tabom eu trago um pra Você

-Fala com a clara tá?

-Não ,eu vou comprar um pra você tá?

-Não precisa, eu prefiro que você fale com a clara

- Eu posso comprar!

-Mas eu não quero que você gaste dinheiro comigo, ja basta ter comprado comida, não precisa tudo isso, e também sobre ontem...

-Ontem?...

-Desculpa tá?

-Não tem problema, ja tou acustumado! - ele rir

- mas eu não sou tão ignorante ao ponto de ser mal educada eu fui muito grossa me desculpa eu realmente não podia ter te tratado daquele jeito...

-Tabom eu to normal, não se preocue somente isso?

-Uma Gin - tônica?

- A não, não mesmo

-Por que você não pode? Hein só queria saber o do porque?

-Vem cá ,você sabe que eu posso comprar né? Por isso você insiste... Alias não posso te trazer nada, Mas eu não quero que você beba, não aqui, e nem nunca mais - ela respira fundo, e apenas o observa quem ele pensa que é pra dizer o que beber ou não? Se deve ou não?

-Ah Nicolau! - ela solta com um ar de suspiro e se vira

-Fica bem tá?

-Eu ficaria se tivesse uma Gin - tônica

Umas das detentas rir e diz "aqui não entra bebida não neném " e elas riem novamente

-Ouviu que ela disse? Bebida aqui não entra

Ela o olhou e se virar ,ele fecha a porta mais uma vez ela brigou com ele sem mesmo te querido. Sente que ela tem que muda esse comportamento ,ela não pode deixar que essa obsessão por essa bebida só lhe afasta de quem tá ajudando lá dentro.

As ideias falhas mais uma vez ela tem a certeza que ele não traga nada a ela...

-Aqui ! - a porta abre e ele ta com um cobertor na embalagem, e uma quentinha nas mãos - Como você pediu princesa...- ela rir

-Pensei que não vinha - ela olha sem graça - Por que você me chama de princesa? -ela pergunta quando ele entrega o que ela pediu

-Você prefere que eu lhe chame de Rainha? - aquele humor a deixava constrangida

-HAHAHA Mas porque? Porque me chama assim?

- Eu não sei... Apenas chamo

-Hum... Não precisa tá?

- Se você se incomoda tudo bem... - ele rir .

- Não ,não incomoda, só não tou acostumada - ela rir e da tchau a ele - ah Obrigada! - o sorisso dela e todo dele. Sente que um obrigado fez muito bem ao invés de um Ridículo e bem melhor...

Daqui a dois dias e seu julgamento, e parece que ela quer mesmo ser condenada a prisão pois não ajudou nada em sua defesa. O turno dele acaba e volta pra casa, ela por fim conseguiu dormir bem, bom ao menos ela tentou dormir bem!

As horas e os dias parecem vim mais rápido, ela sentia falta do sol, mas ela tava ainda mais preocupada com seu julgamento o que será dela? Como será que ela iria se comporta, ela deixou seus pensamentos de lado e deixa o dia chegar pra viver essa adrenalina 


Notas Finais


Vamos pular a parte triste do julgamento tá 😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...