História Não vou desistir - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Glória Pires, O Outro Lado do Paraíso, Thiago Fragoso
Personagens Adriana Mello de Monserrat, Clara Tavares, Elizabeth Mello de Monserrat, Glória Pires, Personagens Originais, Thiago Fragoso
Tags Alejandro Claveaux, Beth/duda, Dunic/benic, Gloria Pires, Nicolau, O Outro Lado Do Paraíso, Sexo
Visualizações 29
Palavras 841
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Meu coração implora que eu ganhe coragem para parar de mentir falando que só quero sua amizade!

Capítulo 3 - Beth e bem melhor tá?


Fanfic / Fanfiction Não vou desistir - Capítulo 3 - Beth e bem melhor tá?

Narrando: Nicolau


Foi eu a levá-la na porta da sala do tribunal , tantas revelações foram feita em meados de tempos ,até os dois homens que ela ficou reapareceram sem dó , e o mais chocante foi a revelação da própria filha te reaparecido.

Ela por sí só tava muito sem reação. Ela passou mal sabe eu fiquei chocado mas não tanto quanto ela ficou . A ajudei a levá-la até o hospital onde ela ficou internada por alguns dias e sendo obrigada a volta ao tribunal assim que tiver melhorado. Confesso que eu não queria que ela passa-se por isso ,afinal ninguém,mas ela era diferente eu sentia a sua dor ,seu olhar triste e principalmente o seu vício nessa bebida alcoólica.  Não  era a primeira vez a voltar naquele hospital, um dos meus trabalhos foi te que ficar ao lado dela porque era uma regra a seguir e pior de tudo  e te que algema-la eu tinha que seguir o protocolo mas aquilo tava até  machucando em mim. 

-Acho que se infringir um pouco as regras ninguém  vai notar - Falei levantando o lençol  a altura do calcanhar, onde tirei a algema que pressionava seu calcanhar - né  princesa... - que lerdo eu sou, ela não  ta ouvindo nada ta dormindo, cedada de remédios, não  pode me ouvir .

Sentei-me a uma poltrona do lado da sua cama um pouco longe, fiquei olhando  pro teto, pra parede e confesso que eu passaria anos olhando  seu rosto. Mas que isso Nicolau? Você  não  pode se apaixonar por ela. 

-Ouço ela se mexer na cama - Oi? Você  tá melhor ?- ela acorda um pouco atordoada parecia que não  sabia onde estava, ela se olhou e pegou na minha mão 

- Minha filha? Minha filha Nicolau, eu...eu preciso explicar tudo pra ela! - ela falando tentando se levantar. 

-Não  ,primeiro calma, deixa eu chamar a enfermeira - dou um breve grito da porta a fora pra que a enfeira possa vim - ela acordou e agora? - A moça  falou que ela está  muito alterada  a única  opção  e da cedativo a ela mais uma vez - mas de novo? Ja chega não? 

"-Senhor e a única  opção, ela ta muito alterada e se a pressão  dela subir  fica complicado de voltar ao normal"

Essa era a opção - Mas enfermeira, se eu falar com ela... Pra que ela possa se acalmar... Pode? Pode não  da o cedativo? - ela me olhou em forma de negação - Por favor! - juntei as mãos em forma de apelação

 "Por favor senhor não  demore tanto  ,se acontecer algo o senhor  será  o responsável! "

-Tudo bem... - Voltei a ela que estava aparentemente muito fraca - Princesa...? 

- É Elisabeth... 

- O que? 

-Elisabeth, meu nome é  Elisabeth, mas não  conta a ninguém por favor... 

-Só se me prometer uma coisa?  Pode... Pode ficar tranquila pra que sua pressão  não  subar, Promete? - nos olhamos e ela instintivamente pegou na minha  mão .

-Prometo! - e ela apertou forte. Sorriu pra mim 

-Que ótimo Prin.. Desculpa Elisabeth '- rir e ela também 

-Beth só  Beth seria melhor, ta?   A claea veio aqui? 

-Sim... Mas você  ,você  tava dormindo .


Ela voltou a dormir novamente, não  precisamos da nenhum  tipo de cedativo a ela, depois de horas clara chega com a Adriana, dou rejeitação pra menina não  entrar 

-Psiu você, desculpa mas tenho que impedir sua entrada - clara me olhava confussa e pedia que eu chama-se alguém  superior a mim - Desculpe-me clara Mas se ela ficar aqui a Be...  A senhora pode ter alterações e piora seu estado, espero que compreenda. 

-Tudo bem Nicolau, Adriana por favor, te peço mas... quero que você  fique ai - elas se despediram mesmo com  a moça  de cabelos curtos  ficando com uma certa raiva, ela a aguardou fora. 

-Desculpa clara mas meu protocolo e ficar com vocês, não  posso ir pra fora 

-Nem se eu pedisse? Ou então a Duda? - olhei a Beth, ela balançou  a cabeça  em forma de 'Sim' seu sinal foi o bastante pra mim retirar da sala e aguarda que elas possam terminar sua conversa, Vir que a Adriana a advogada dela estava sentada esperando lá  fora do hospital .

-Ei ?- ela me chamou - você  policial! O que faz aqui  fora? Não  era pra está  lae dentro, não e seu protocolo? - Levei a mão  ao rosto em busca de palavras pra falae a ela 

-Não.. E.. Que eu só... Vim comprar um café - rir sem graça eu gaguejej de nervoso - você  quer um? 

-Não... - ela se virou - é  pra você  está  la dentro seguindo  seu protocolo! 

-A você  acha que eu não sei? Apenas vim comprar um café  ta ? - mostrei p Starbucks a ela - tchau garotinha - mimada, falei em minha mente óbvio  se ela ouvisse com toda certeza ela me processaria ,adentrei no quarto onde elas conversavam, parecia ter uma ótima  conversa, Beth se sentia mais leve e alegre por um momento ela esqueceu tudo que lhe aconteceu. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...