História Narcotic Man - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Rap Monster, Suga
Tags Bangtansonyeondan, Beyondthescenes, Bts, Drugs, Guns, Máfia, Namgi, Namjoon, Rapmon, Suga, Sugamon, Yoongi
Visualizações 128
Palavras 805
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 29 - Warm


Monster agora estava sentado no sofá, olhando uma rede social qualquer no celular enquanto balançava os pés e curtia um rap em volume baixo das caixas de som que ficavam ao lado da TV. Suga ainda estava no quarto, talvez trocando de roupa, porque combinaram de sair naquela noite, nada muito exagerado, só jogar e beber um pouco por aí. Mesmo com uma ‘ameaça’ os rondando, não era um motivo para os dois se contentarem em ficar em casa.

Demorou algum tempinho para que o chefe finalmente aparecesse, com o cheiro do perfume forte invadindo a sala, ele também vinha com o celular na mão, abriu a boca, mas antes de falar qualquer coisa o aparelho tocou indicando uma ligação. Fez um sinal para o dongsaeng esperar e ficar em silêncio antes de atender.

Ver aquele nome ali o fez tremer e hesitar bastante. Fazia um tempo que não recebia ligação ou notícia dele. A sua vida inteira foi assim e esse fato só o fez concluir que alguma coisa séria tinha acontecido para estar recebendo aquela chamada. Mesmo meio travado, ele deslizou o ícone verde e finalmente atendeu.

-Pai...?

Silêncio, o Kim fitou o mais baixo enquanto ele mantinha a mais séria das expressões no rosto, não conseguia ouvir o que o outro estava dizendo, então desligou o som e apenas esperou.

-Entendi, estou indo agora.

Foi só isso, durou pouco tempo, mas o efeito foi chocante. Principalmente quando o traficante viu o chefe ficar com os olhos avermelhados e virar-se para o outro lado. O Min havia ouvido finalmente que precisariam ter ‘aquela conversa’, que era sobre um assunto que o assustava mais do que tudo no mundo, e então estava na hora.

-Hyung?

-Mudança de planos... Tenho que ir á outro lugar hoje.

-Aconteceu alguma coisa?

-Vai acontecer. Preciso ir ao hospital, preciso ver Yoogeum, pelo menos.

-Do que você ‘tá falando? O que tem ele?

-Você vem?

O menor não deu mais detalhes e saiu pela casa procurando a chave do carro, ainda de cabeça baixa. Quando entraram no veículo, o dongsaeng apenas fitou o seu Hyung de modo preocupado, o seu rosto não estava nada bom e parecia que milhões de pensamentos  ruins estavam rondando sua mente, por esse e outros motivos preferiu aguardar em silêncio até chegarem ao hospital. Pode ter demorado um pouco, cerca de uma hora, mas quando eles chegaram o Min nem se deu ao trabalho de passar na recepção e seguiu o seu caminho direto ao elevador, apertando o botão do décimo terceiro andar.

-Suga...

-Não me diz ‘pra relaxar, ‘tá legal? Eu ‘tô entrando em desespero, cara. Sabe o que ele disse ‘pra mim? Aquele velho nunca nem fala comigo e a primeira vez que ele me liga é pra dizer que quer fazer aquilo.

-Fazer o que?

Mesmo um pouco surpreso pelo desabafo do mais velho e por ver o quanto ele realmente estava agitado, o Kim decidiu continuar a conversa para saber o que estava acontecendo. Quem sabe assim ele soubesse pelo menos o que dizer.

-Tenho certeza que ele quer liberar a alta do Yoogeum, esse filho da puta não quer mais gastar com o próprio filho!

-Ele te disse isso por telefone?

-Não, mas eu conheço ele. Eu sei que tipo de pessoa ele é, Monster.

O chefe suspirou pesado, andando de um lado para o outro no pequeno espaço enquanto o elevador subia, estavam do décimo andar, daqui á menos de um minuto estariam lá.

-E o que pretende fazer?

-Um negócio, se ele parar com essa merda eu fico com as despesas, vou proteger o meu Hyung, não importa o que eu tenha que fazer.

As portas se abriram, dando visão há um corredor espaçoso e vazio, a ala VIP nem mesmo parecia que era parte do hospital, de tão diferente do padrão que era.

-Eu ‘tô contigo, Hyung. Mesmo que eu não possa fazer muita coisa, mas conta comigo, ‘tá?

Namjoon foi mais do que sincero e colocou as suas mãos nos ombros do mais velho, já que estava atrás dele, o segurou firme e inclinou o corpo um pouco para frente, assim o encarou, querendo demonstrar que o que disse era verdadeiro.

Yoongi respirou fundo naquele momento, lembrava-se de sempre ter estado sozinho quando vinha ao hospital ver o seu irmão, lembrava que sempre carregou um aperto no peito em silêncio, sem poder dizer ou demonstrar o que sentia. Sempre foi uma sensação muito gélida estar de frente para o quarto, mas agora com o seu dongsaeng bem ali, tudo de repente pareceu ficar um pouquinho melhor.

Sentia que finalmente tinha uma companhia nessas horas e não teria que encarar aquele corredor sozinho, graças ao mais novo, aquilo que costumava a ser muito frio e assustador ficou um pouco mais compreensível, ficou um pouco mais quente.  


Notas Finais


Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...