1. Spirit Fanfics >
  2. Naruhina - Beginnings >
  3. Luxuria e Intensidade

História Naruhina - Beginnings - Capítulo 36


Escrita por:


Capítulo 36 - Luxuria e Intensidade


Estávamos a uma semana sem trabalhar, o Naruto havia saído cedo, e nada dele ainda.

Eu já conseguia andar bem e mal sentia dores, acho que estava cicatrizando.

Eu estava terminando de almoçar quando ele chegou, eufórico. 

-Hina! Faz as malas! - Ele disse, me assustei.

-O que? Porque? -Perguntei me levantando.

-Não da tempo de explicar, é pro trabalho, vaaamos! -Ele disse me apressando, corri para o quarto, joguei três caixas de langerie na bolsa, quem sabe?!

Coloquei um biquíni e coisas basicas pra caso eu precisasse, o vestido de gala rosa que o Naruto me deu e roupas normais e formais.

Logo sai, ele estava com a mala pronta também, ele parecia visivelmente nervoso.

-Não vai avisar sua mãe? -Perguntei, estávamos no taxi nesse momento, a caminho do aeroporto.

-Já avisei. -Ele respondeu simples.

-O que vamos fazer e pra onde vamos? -Tornei a peguntar.

-Vamos pra Paris. -

...

Foram 12 horas de vôo, ele não me disse o que fariamos lá.

Chegamos exaustos, já era noite graças a mudança de horario. 

Ele nos hospedou em um hotel de luxo, e mal prestamos atenção na cidade devido ao cansaço. 

Assim que entramos no quarto, era perfeito!

Duas janelas inteiras de vidro com uma visão mágica da torre Eiffel, uma cama de casal muito espaçosa e confortável, a decoração era em preto e branco. Havia também uma suíte com uma hidromassagem preta, grande o suficiente para umas três pessoas, era perfeito.

-Uaaauuuu!!!! É lindo, Naru! -Eu disse, ele sorriu.

-Sim, é lindo. Mas não mais que você. -Ele disse pegando minhas malas e as colocando no closet.

-Eu te amo. -Eu disse e me aproximei, dando um selinho nele.

-Vamos descansar, princesa. Temos um compromisso amanhã a noite. -Ele disse, suspirei.

-Reunião? -Perguntei desanimada.

-Sim, mas vai ser uma especial, quero te ver impecável. Aqui tem SPA, pode ir a tarde se quiser, os serviços estão inclusos na taxa do hotel. -Ele disse e eu pulei de alegria.

-Vamos dormir logo! Não vejo a hora de acordar. -Eu disse e ele riu.

Nos deitamos juntos e entre carícias, pegamos no sono.

...

Acordei um pouco antes do Naruto, resolvi ir testar a maravilhosa banheira de hidromassagem. 

Me despi e esperei ela esquentar de toalha, quando finalmente esquentou e estava cheia de bolhas eu entrei.

Corei um pouco pela quentura da água, mas eu estava tão relaxada que poderia facilmente dormir.

...

-Bom dia. -Ouvi uma voz famíliar e pulei de susto. 

-Naruto! Eu estou usando! -Eu disse segurando os peitos em baixo da água. 

-Estou vendo. Estou apertado para fazer xixi. -Ele disse e desabotoou as calças, para minha sorte, o mictório era de costas para a banheira, só tive uma visão muito privilegiada da bunda branca e bem torneada que ele possuia.

Fechei meus olhos tentando me concentrar no banho de novo, mas logo abri pois ele estava escovando os dentes e falando comigo.

-Vou ir pra academia, quer ir? -Ele perguntou, neguei com a cabeça. 

-Certo, então logo voltarei e te levarei para almoçar. -Ele disse.

-Ok, Naru. -Eu respondi, ainda segurando meus peitos para baixo da água. 

Assim que ele terminou os dentes, se aproximou da banheira e me deu um beijo na testa.

-Até daqui q pouco, Hina. -Ele disse saindo.

-T-tchau. -Eu respondi, toda essa intimidade nossa estava me deixando mais tímida com ele, e isso era um problema e tanto, tínhamos quer progredir e não regredir.

Eu já estava trocada quando ele voltou, então fomos almoçar ali perto, em um restaurante com nome francês que eu não conseguia decifrar. 

Parecia uma taberna, todo detalhado em madeira com varias janelas vitorianas.

Peguei um boeuf, que tinha fama de ser o melhor prato dali, Naruto me acompanhou.

-Quantas línguas você fala? -Perguntei pro Naruto após ele fazer perfeitamente os pedidos em francês, ele riu.

-Algumas, meu pai achou bom que eu aprendesse. -Ele disse, me surpreendi. 

-Uau! -Respondi. -Então... O que viemos fazer aqui? -Eu perguntei, ele deu um sorriso de lado.

-Hoje a noite você descobrirá. -Ele disse, cruzei os braços. 

-Cada um com seus segredos. -Ele sussurrou para me desemburrar.

-Você é mau. -Retruquei.

Após almoçarmos, fomos andar pela cidade, que era linda por sinal, olhamos ao longe a torre Eiffel. O Naruto era incrível, eu jamais poderia ter uma visão maravilhosa dessa se não fosse por ele.

O abracei firme.

-Obrigada. -Eu disse, ele me olhou confuso. 

-Pelo que? -Perguntou .

-Por me trazer com você. Eu te amo. -Eu disse e o beijei, ali mesmo, em público. 

Ele sorriu pra mim, com aquelas covinhas petfeitas que só ele tinha. 

-Eu também te amo. Te levarei para ver o mundo todo, Hina.. -

...

Voltamos para casa já era tarde, fomos então para o spa, ele na parte de homens e eu de mulheres.

Me deixaram nua e fizeram uma massagem revigorante em mim, hidrataram minha pele, fizeram minhas unhas e me deixaram dormir! Foi simplesmente perfeito.

Sai do SPA e fui diretamente para o quarto me trocar.

Escolhi um vestido colado vinho, ele era decotado e tinha uma gola generosa, ele descia bem colado ao meu corpo, e um pouco acima do meu joelho ele terminava em babados.

Ok, o que eu usaria de langerie? Havia trazido várias. 

As joguei em cima da cama e tranquei a porta do quarto, para não correr o risco que Naruto entrasse.

Por fim acabe escolhendo um vinho, tirei a etiqueta e o experimentei.

O sutiã apenas cobria a parte de baixo dos meus seios, os deixando bem levantados, era tipo um cropped sem alças, bem parecido com um mini espartilho. 

Ele descia com alças ligadas a calcinha, que tinha amarras do lado e finalmente as alças se conectavam com uma meia calça preta super sexy.

Amei, por minutos pensei que hoje seria o dia, eu atacaria aquele homem, sem mais.

Porém quando ele chegou e eu precisei de ajuda para fechar o zíper do vestido, tudo mudou. 

Ele segurou minha cintura bem firme enquanto me pressionava sobre o corpo dele, depositando alguns beijos pelo meu ombro.

Fechei os olhos, e a insegurança voltou. Por sorte pelo vão do vestido não dava pra ver a langerie que eu usava.

-Você está linda. -Ele sussurrou ao meu ouvido e depois distribuiu alguns beijos no meu pescoço, me arrepiei por inteira.

Logo ele se afastou e fechou o zíper. 

-Vou tomar um banho. -Ele disse indo ao banheiro.

-Mas você não estava no SPA? -Perguntei, ele parou e coçou a nuca sem graça, ainda de costas para mim.

-É que preciso tomar um banho frio. Já volto. -Ele disse e se enfiou rápido no banheiro.

Eu estava ansiosa para essa noite, e mais ainda pro fim dela.

Assim que chegamos no restaurante, notei o quão sofisticado ele era.

Era fechado e tinha muitos espelhos, haviam vários casais nas mesas.

Havia um palco também. 

O Naruto deu os nomes nos sentamos quase no meio.

-Aqui é muito bonito. -Comentei. 

-Hai! -Ele respondeu animado.

-Cade os outros? -Perguntei olhando paraa recepção. 

-Hina, menti para você. -Ele disse e eu a olhei assustada.

-Não viemos a trabalho. Viemos tirar férias. -Ele disse, esgasguei com meu vinho..

-Enlouqueceu? Não tinha lugar mais barato para férias? -Perguntei, ele riu.

-Até tinha sim, porém esse foi o único que chegou aos pés do que você merece. -Ele disse, seus olhos brilhavam.

-Você é incrível, Naru. -Eu disse apaixonada.

-Hina... Você.. Bem. -Ele ia disser mas parou para suspirar.

-Vou começar de novo, ok? -Ele perguntou, ri e concordei com a cabeça. 

-Hinata, eu nem ensaiei isso e... Estava sim nos meus planos, m-mas eu ...! Merda!

Hina, eu te amo a tanto tempo e tudo que eu quero é poder te apresentar para o mundo como minha!

E-e te conheço a tantos anos e-e... estou mais que certo que estou fazendo a escolha certa.

Hyuuga Hinata, quer namorar comigo? -Ele discursou, eu paralisei, mal podia acreditar que aquilo estava realmente acontecendo.

-Kami! Sama!!! Sim! -Eu respondi e ele me beijou, respeitando que estávamos num local público. 

Naruto on

Eu ainda estava gelado e suando frio, mesmo depois de já ter feito o pedido, o jantar foi ótimo, teve uns cantores maravilhosos para alegrar nossa noite, toda hora trocávamos beijinhos e coisas assim.

Porém, durante o caminho de volta, vi que a Hinata estava muito tensa, ela tremia.

-Amor, está tudo bem? -Perguntei. 

-H-hai! -Ela respondeu e desviou o olhar. 

...

Chegamos no hotel, assim que abrimos a porta, ela deu um gritinho, estava tudo com pétalas de rosas, a iluminação do quarto estava em vermelho, e havia champagne próximo a cama.

Ela me abraçou e eu a segurei e fechei a porta, comecei um beijo quente e avassalador, chegou um limite que mesmo com o ar ligado, eu estava morrendo de calor.

Mas, o nervosismo dela só se intensificava, a sentei na cama e me sentei ao lado.

-Hina, o que foi? Não precisamos fazer nada do que você não queira. -Afirmei, ela me olhou tímida. 

-Naru, eu tenho alguns traumas devido ao meu ex namorado. -Ela respondeu, me pegando muito de surpresa.

-Ele...? -Perguntei, ela negou.

-Não, mas... Eu tenho medo. -Ela disse e eu a abracei firme.

-Estou aqui com você, nada mais vai te machucar. -Eu disse e desta vez quem começou um beijo foi ela, subiu sorrateiramente no meu colo e começou a desabotoar minha camiseta.

-Ei. Você está confortável com isso? -A interrompi e perguntei.

-Naru, só preciso saber que é bom. Por favor, me faça sua. -Ela disse e eu não perdi mais tempo.

Esses dias haviam sido uma tortura pra mim, eu a desejava intensamente, porém em casa não podia ser, ela merecia mais.

Eu ia tomar a iniciativa, mas ela começou a chupar meu pescoço delicadamente, resolvi deixar ela comandar um pouco.

Ela passou a língua sensualmente por toda extensão do meu pescoço e dos meus ombros, minha camisa já estava completamente desabotoada e ela deslizava a mão sobre minha barriga enquanto passava levemente as unhas.

Ela sabia como me provocar, e como...

Suas pequenas e delicadas mãos desceram pra meu membro, que estava apertado nas calças, arfei um pouco com o toque repentino.

Eu tinha tanto medo de machuca-la, mal me lembrava a última vez que tinha tirado uma virgindade.

Mas mesmo comigo tentando delicadeza, quando tirado do controle, meu lado selvagem dominava. 

A joguei por baixo, ela soltou um gritinho. 

Sem mais delongas, enchi o pescoço dela com chupões e mordidas, ela segurava com força meus braços. 

Voltei a realidade, eu estava literalmente a devorando, iria acabar assustando-a.

Então parei e pedi para ela se sentar de costas para mim, abri delicadamente o zíper do vestido, ela se levantou para se livrar dele e eu joguei minha camisa no chão, volta a olha-lá, ela usava uma langerie impecável, a meia calça, os seios enormes, passei a mão pelo rosto que queimava um pouco.

-Puta que pariu, Hinata. -Eu respondi, ela me olhou assustada, ela não via isso como um elogio.

-Eu estou mesmo tentando me controlar, mas assim fica tão difícil...-Eu disse e me levantei da cama rápido, a agarrei e selei nossos lábios, a joguei na cama e subi por cima, continuei a beijando e agora voltamos de onde haviamos parados, eu simplesmente não conseguia ter o controle, não conseguia ser lento ou romântico, apenas a queria para mim.

-Esse sutiã é lindo, Hina, mas eu esperei tanto para ver debaixo deles... -Eu disse, ela estava corada, eu tirei a peça rapidamente, os seios dela eram enormes, com as aureolas grandes e rosadas, era a mulher mais perfeita que eu já havia visto.

Abocanhei lentamente um, ouvindo um gemido vindo dela, que tampou a boca logo em seguida.

E enquanto eu sugava um e apertava o outro, ela segurava os gemidos, parei o que estava fazendo, e segurei a mão dela.

-Eu quero te ouvir, por favor. -Eu disse e ela concordou tirando a mão da boca, continuei a mosdiscar os seios dela, ela gemia baixo.

Eu estava conseguindo fazer as coisas de vagar e aquilo era um milagre, eu era hiperativo até no sexo, mas ela merecia mais que uma transa, ela merecia ser venerada.

Resolvi tornar inesquecível e aproveitar um pouquinho da inocência dela.

Aquele dia que recebi o correio, acabei "roubando" uma das caixas da encomenda da Hinata, e resolvi usar.

-Hina se sente perto da cabeceira da cama, por favor? Já volto. -Eu disse e fui até minha mala.

-Ok... Onde vai? -Ela perguntou curiosa, mas eu já estava voltando.

-Feche os olhos. -Eu disse e ela obedeceu, coloquei a venda nela.

-O-o que é isso? -Ela perguntou.

-Uma venda, confia em mim? -Perguntei, ela disse que sim. -Então prepare-se. -Eu respondi, peguei as algemas e prendi as maos dela na cabeceira, ela estava sentada.

-N-Naruto! -Ela deu um gritinho.

-Estou aqui. -Eu disse e me aproximei do pescoço dela depositando beijos ali, desci até seus seios onde mais uma vez deixei uns beijinhos, desci com uma trilha molhada da sua barriga até a parte interior das suas virilhas, ela gemeu um pouco nervosa.

Tirei com calma a bela calcinha dela, ela manteve as pernas fechadas.

-Abre, por favor, Hina. -Eu disse e num resmungo contra gosto dela fez, comecei passando meu dedo lentamente, e ela estava tão molhada, ela gemeu com o toque, sai da cama e me ajoelhei no chão, abocanhando com tudo o sexo dela, ela se contorceu um pouco e gemeu alto.

Eu passava a língua por todo perímetro, dando mais atenção ao clitóris, ela parecia desenfreada.

-Naru.. aah... -Ela tentava formar uma frase, mas parecia impossível naquele momento.

Aos poucos fui colocando meus dedos dentro dela, ela reclamou de dor quando coloquei dois, então fiquei ali a acariando e chupando até que ela se sentisse confortável com três. 

O primeiro orgasmo dela não demorou a vir, eu massegeava internamente sua vagina enquanto a enchia de beijos.

Minha pequena Hina gritou meu nome várias vezes, até enfim se derramar de seu doce líquido na minha boca.

Subi para cima de novo, o rosto dela todo estava vermelho, a beijei, fazendo provar do seu próprio gosto.

Tirei as algemas e a venda, não aguentava nais esperar.

-O que achou? -Perguntei quando a olhei nos olhos.

-M-mais. -Ela respondeu ofegante, sorri convencido.

Ela desabotoou minha calça social, tirei meus sapatos e as meias.

Ela, para minha supresa ficou em pé e me beijou, com uma mão ela abaixou minha calça e começou a me acariciar por cima da cueca.

-Hina... -Eu suspirei um pouco.

Quando ela ia se ajoelhar a segurei. 

-Apenas aproveite hoje. -Eu disse e ela concordou. 

A deitei na cama e tirei a última peça que sobrava em meu corpo, ela arregalou os olhos me olhando. 

-Você quer? -Perguntei lhe dando um sorriso sacana.

-M-muito. -Ela respondeu, perdi o resto da sanidade que me faltava.

Me encaixei entre as penas dela.

-Posso? -Perguntei com todo auto controle que me sobrava.

-Hai. -Ela respondeu, então fiz um pouco de pressão na sua entrada, ela fez uma cara de dor.

-Vá de uma vez, por favor. -Ela disse e assim eu o fiz, ela soltou um gemido de dor e notei algumas lágrimas escorrendo dos olhos ela, fou o suficiente para que todo tesão que eu senti se fosse.

-Hina... Não queria te machucar, gomen. -Eu disse acariciando o rosto dela. -Quer parar? -Perguntei e ela fez que não com a cabeça, então continuei dando leves estocadas, ela gemia de dor ainda, estava me agoniando.

-Depois terminamos isso. -Eu ia dizer mas ela me segurou com as pernas.

-Se não fazer, nunca vai parar de doer, Naru. -Ela disse decidida, porém doce. 

-Ok. -Eu disse continuando as estocadas, eu sentia tanto prazer, queria que ela também sentisse.

Soltei um suspiro baixo, com os passar dos minutos com aquela coisa lenta e quase parando, ela se pronunciou. 

-Mais rápido. -Ela exigiu, sorri de canto.

Aumentei as velocidades das estocadas, os gemidos dela aumentaram de tom, e também de finalidade.

Eu segurava o corpo dela firmemente e tentava permanecer racional enquanto ela parecia estar no país das maravilhas.

-Naru, faça como quiser, já não dói tanto. -Ela disse e eu obedeci, aumentei mais ainda as estocadas, eu não estava longe de gozar.

O sexo dela se apertando contra o meu, o modo que ela gemia meu nome e suas pernas entrelaçadas na minha bunda estavam me levando a loucura.

Ela enlaçou seus dedos nos meus, era diferente de qualquer coisa que eu já havia feito porque simplesmente tinha amor.

Estoquei com força até ouvi-lá gemer mais alto, então me derramei por completo dentro dela.

Estávamos muito ofegantes, ela me olhou cansada.

-Foi perfeito, Naruto. Eu te amo. -Ela disse e sorriu, derretendo meu coração, deitei ao lado dela e dei um beijo em sua testa.

-Eu te amo mais, foi a melhor noite da minha vida. -Eu disse e ela sorriu.

Aquela tinha sido a transa mais devagar e mais prazerosa que eu já havia tido na vida.

Dormimos ali mesmo, abraçados, nenhum dos dois teve energia ou pique para se levantar.

...



Notas Finais


Ihaaa, nosso primeiro hentai. E hoje eu vim de verdades, sabem aquilo do "e a dor se transformou prazer"? É pura mentira, não se deixem enganar kkkkkkkk, dói assim mesmo e até pior, aqui trabalhamos com a verdade nua e crua! Kkkkkkk
Espero que vocês gostem, escrevi com todo meu coração.
Bjinhos♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...