História NaruSasu - Yaoi - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~AnnaKitKat

Postado
Categorias Naruto
Personagens Kakashi Hatake, Karin, Kurama (Kyuubi), Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Tsunade Senju
Tags Narusasu, Naruto, Sasunaru
Visualizações 297
Palavras 5.144
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem "-"
-Narrado pelo Naruto.

Capítulo 12 - Na casa do Sasuke


Não consigo acreditar na minha conversa com meu pai. Eu desci as escadas e lá estava ele, como sempre, na cozinha preparando alguma coisa. Ele parou para falar comigo. Ele estava meio calado, até fiquei com medo. Eu perguntei se ele já estava sabendo o que aconteceu comigo e ele disse que sim. Eu expliquei para ele tudo de novo, expliquei também o fato de eu ter mentido para ele naquela vez das marcas de beijos no meu pescoço. Ele me olhou sério e disse que “não esperava isso de mim”. Disse também que “quer ter netos, mas dois homens não reproduzem”. Fiquei muito triste com isso, ele parecia querer me expulsar de casa. No desenrolar da conversa, eu expliquei para ele sobre os meus sentimentos e falei que continuaria sendo seu filho. Depois disso, ele conversou de boa comigo, sem ofensas ou brigas, até perguntou sobre “o meu namoradinho” e eu disse que era o Sasuke e ele estava lá em cima. O Sasuke pareceu meio assustado, com medo, envergonhado ou coisa do tipo. Tentei acalmá-lo, segurei na mão dele, mas meu pai foi muito indelicado e ficou falando umas coisas grosseiras e etc. No final, eu fui na casa dele e até que aquele clima pesado se foi. Hoje à noite teremos uma reunião com a minha família e a do Sasuke.

Eu entrei na casa do Sasuke e não tinha ninguém. Gosto bastante do clã Uchiha, é calmo e silencioso. Nós entramos no quarto e o Sasuke fechou a porta. Lembrei-me do que ele tinha me prometido, mas não pude esquecer de que o meu pai mandou não demorar.

- Eu ainda não me esqueci do que você prometeu. – Eu disse.

Ele se virou para mim, com aquele olhar encantador dos Uchiha, um sorriso malicioso de quem tá com vontade e disse:

- Eu também não.

Eu não pude conter um sorriso. A gente ia fazer na casa do Sasuke. Eu me aproximei dele devagar, que estava perto da porta e fui me aproximando até encurralar ele na parede. Nossos corpos se colaram. Nós somos da mesma altura, apesar de que eu sou fisicamente mais forte do que o Sasuke. Ficamos nos olhando e sentindo a respiração um do outro por algum tempo. Ele estava com a respiração acelerada, deu para perceber. Tão kawaii... Eu tomei uma atitude e sem tirar o contato visual, passei minha mão na coxa do Sasuke que estava vestindo aquela calça colada. Fui subindo bem devagarzinho até chegar na bunda dele. Apertei forte. Ele colocou os braços no meu ombro. Nós ainda mantínhamos um contato visual. Eu encostei nossos lábios. O Sasuke parece que não gostou muito da delicadeza que eu estava o tratando. Ele mordeu minha boca e depois me empurrou com toda a força para frente dele, me fazendo cair na cama. Eu até me assustei com aquela brutalidade.

- Calma meu lindo. – Eu disse sorrindo malicioso. Eu estava com as pernas abertas de frente para ele e com os cotovelos apoiados no colchão.

- Calma uma ova. – Ele abriu a camisa dele com a mesma força que me jogou na cama, nem se preocupou em desabotoar. – Eu vou te fazer de escravo, sabia?

Ele pulou em cima do meu pau com violência e se sentou ali. Doeu.

- Eu que vou te fazer de escravo. – Eu disse. Peguei nos braços dele e empurrei-o ao meu lado, sentei em cima dele trocando nossas posições. – Vou começar a te judiar agora.

Nem dei chance dele falar. Comecei a quicar na pika dele fazendo-o gemer. Quiquei por cima da roupa mesmo, e fiz com bastante força para machucar. Pensei que a cama ia quebrar.

 - Aaa..ai Naa...arutoo

Ele fica reclamando como mulher mesmo, nem parece macho. E depois diz que não quer que pegue ele no colo porque é mulher que se pega no colo. Eu parei de quicar, me aproximei de seu rosto, colando nossos corpos novamente. Comecei a roçar nossos membros com força. Ele agarrou minha bunda, como se quisesse mais rápido e mais forte, ficou me guiando. Eu fiz bem mais rápido e já estava no meu limite de força, além do mais estava pingando de suor. Descolei nossos corpos novamente e tirei minha jaqueta e minha blusa. Voltei na mesma posição de antes e continuei. A cama quase estava quebrando de tanto barulho que fazia com as estocadas que eu dava no Sasuke. Ele ficava gemendo. Eu estava todo suado apoiando os cotovelos no colchão.

- Mais...forte... ahnn... – Disse ele gemendo. – E-eu vou gozaar... ahnn Narutoo.

Eu me despenquei em cima dele, eu também estava para gozar e não queria que isso acontecesse agora. Fiquei muito ofegante, cheguei no meu limite.

- P-porque parou gato?

- E-eu não qu-quero que você g-goze agora. – Eu disse ofegante dando um beijinho no canto de sua boca. – E e-eu tô c-cansado també-em.

- Eu continuo Naruto.

- N-nãoo. Eu q-quero con-ntinuar.

- Você tá muito gostoso assim... Ofegante, suado, em cima de mim... – Disse ele.

- E-eu não tô gostoso. Eu sou gostoso. – Eu ri. Já estava recuperando o fôlego.

- Verdade. – Disse ele rindo junto comigo.

Eu apoiei minha cabeça em seu ombro até me recuperar totalmente. Quando minha temperatura voltou ao normal, eu saí de cima dele e me deitei ao seu lado. Assim que me deitei escutei um estrondo.

A cama havia quebrado.

Parece que só um dos pés da cama estava quebrado. Eu saí correndo para um lado e o Sasuke para o outro. Estava tão bom e a cama tinha quebrado. Coitado do Sasuke, vai se ferrar na hora de explicar isso para os pais dele.

- Meu Rikudou do céu. – Disse ele.

- HAHAHA. – Eu fiquei rindo ao olhar aquela situação.

- Não ri não Naruto, o gordo que quebrou a cama foi você. Agora quero ver esse gordo filho de uma puta resolver minha situação.

- Eu não sou gordo Sasuke. Pelo menos não foi isso o que você disse quando me chamou de gostoso na hora que estávamos se roçando na sua cama, que no caso está quebrada. – Eu disse ignorando o comentário “esse gordo filho de uma puta”, que acabara de xingar minha mãe, claro na brincadeira. Comecei a rir novamente. – Vem aqui que eu te mostro de perto. Pode me tocar Sasuke.

Eu passei a mão no meu abdômen e fui descendo até meu pênis, fiquei massageando-o de uma forma sexy. Ele ficou me olhando por um tempo e depois deu a volta na cama quebrada, vindo na minha direção. Nem disse nada, já começou a me beijar cheio de fogo no rabo passando a mão por cima da minha que estava no meu pênis. Ele veio com tanto fogo que até machucamos os dentes, mas ele nem ligou, continuou me beijando e mordeu minha boca de novo. Ficamos nos beijando até perdermos o ar.

- Naruto, a gente nem tirou a calça, vamos para outro lugar. – Ele disse baixinho enquanto me dava alguns beijos na bochecha. – O quarto do Itachi está vazio.

- Não Sasukeee, e se ele chegar?

- Então vamos para a cozinha. – Ele disse ainda encantado com a minha boca. Parecia que estava em transe.

- Pior ainda.

- Por favor, meu amor. – Ele me beijou. Estava tentando me convencer na base da sedução. – Vamos terminar o que a gente estava fazendo.

- Olha você Sasuke, uma hora dessas não estava querendo transar e agora tá louco para fazer comigo né?

- É que naquela hora nós tínhamos saído do motel. – Disse ele bem perto de mim, quase grudado na minha boca. – E de manhã eu fiquei com medo do seu pai.

- Tá bom então, mas fecha todas as portas.

- Ok. – Disse ele me beijando, quase que me engolindo.

Eu tive que me desgrudar dele, caso contrário ficaríamos ali até amanhã. Ele foi fechar todas as portas e janelas da casa para que ninguém pudesse entrar. Eu queria ter ido para um banheiro, a sala, ou algum lugar normal, mas não sei por que raios o Sasuke queria ir para a cozinha. A cozinha era bem normal, única diferença é que tinha uma mesa bem grande sem nada em cima bem no meio do lugar. Eu até tinha imaginado o porquê dele ter me levado até a cozinha. Ele me pegou pela gola e se sentou na ponta da mesa, fazendo que eu ficasse grudado nele. Eu segurei nos cabelos pretos que ele tem e puxei-o para um beijo. Um beijo calmo dessa vez. Ouvíamos só o barulho dos nossos lábios se beijando. Eu pedi passagem com a língua e ele deu. Eu estava muito excitado, não estava conseguindo segurar meu pênis na minha calça. Enquanto nos beijávamos, eu desabotoei minha calça e só senti a mão do Sasuke passando no meu pau. Ele ficou ali me beijando e me massageando por bastante tempo, até perdermos o ar. Ele se levantou e tirou sua calça juntamente de sua cueca, ficando de costas para mim. Eu abaixei minha cueca e fiz com que ele deitasse em cima da mesa. Me sentei em cima dele e rocei meu pau na sua bunda.

- Vai logo Naruto.

Eu fui com tudo, meti com força mesmo. Não tive tanta dificuldade, pois já tinha arrombado o Sasuke ontem. Deu dó, ele fez cara de dor, mas tenho certeza de que não doeu tanto quanto doeu quando estávamos no motel. Eu me debrucei por cima dele, encostando suas costas em mim. Comecei com uma estocada de leve, sem muita força. Depois fui indo, uma por uma. Quando fui pegando o jeito novamente, comecei a ir rápido e com muita força. Só tinha que ter cuidado para não quebrar a mesa também. Eu estava com meu queixo no ombro dele, ele estava deitado em baixo de mim. Eu passei a mão na barriga dele e peguei no seu pau. Enquanto eu metia fundo naquela maravilha de homem, fui fazendo movimentos de vai e vem bem rápidos e fortes na vara do Sasuke até sentir que ele ia gozar. Eu ainda queria chupá-lo. Mas ele nem ligou que eu parei, já que estávamos chegando ao orgasmo juntos, eu ia gozar dentro dele. Continuei indo bem forte e rápido, já estava no meu limite. Não demorou muito e eu gozei. Dei conta de que estava todo suado de novo e meu quadril estava doendo. Quando o orgasmo acabou, despejei todo o peso do meu corpo em cima do Sasuke. Nem tínhamos acabado e eu já estava cansado.

Eu saí de cima do Sasuke e ele percebeu que eu iria chupar aquele pau gostoso que ele tem. Ele se virou de frente para mim e abriu as pernas. Eu ainda estava muito ofegante.

- Vaiii. – Ele disse segurando no pau dele e se masturbando. Aquelas veias do membro dele ficaram muito aparentes conforme ele foi indo com a mão. – Tô quase gozando.

Eu tirei a mão dele dali e comecei a lamber. Ele colocou a cabeça para trás de prazer.

- Não me mata Naruto... – Disse ele. – Chupa logo de uma vez.

Eu ri. Comecei a chupar a cabecinha. Muito quente. Chupei igual pirulito. Fui indo mais fundo, até que consegui colocar tudo dentro da boca. Usei muita saliva, até demais, o pau do Sasuke ficou muito molhado e escorregadio. Eu fui bem rápido e bem fundo, o pau dele sumia dentro da minha boca e ele com a cabeça para trás de prazer, estava gemendo muito alto. Apertei bastante minha boca em volta daquela vara, até que senti ele gozar. Gozou tudo na minha boca, muito quente a porra dele. Ele parou de gemer e fechou as pernas.

- Gostou? – Eu disse.

Ele fez que sim com a cabeça. Vestimos nossas roupas. O Sasuke abriu todas as portas de novo e fomos para o quarto dele tomar banho. Ele estava com o pau todo babado e eu estava suado. Entramos juntos no chuveiro. Já perdi a conta de quantas vezes já tiramos essas roupas e colocamos de volta.

Eu me aproximei dele por trás. Grudei minha pika na sua bunda e comecei a chupar seu pescoço debaixo do chuveiro.

- Naruto... – Disse ele se virando para mim. – Faz uns dez minutos que você me arrombou. Ontem a gente foi para um motel. Já chega.

Eu nem liguei para o que ele disse, joguei-o contra a parede e coloquei a cabecinha do meu pau na entrada dele, que já foi arrombada.

- Paraa Narutooo. – Disse ele se virando e me dando um tapa. Vários tapas. – Você não tem dó de mim? Eu fui arrombado duas vezes dentro de poucas horas e você ainda quer a terceira? Caramba, seu pênis é grosso Naruto.

- Se controla Sasuke, eu só estava te fazendo carinho. – Eu disse.

- Não sei que carinho é esse. – Disse ele. – Agora já chega, vamos sair desse chuveiro.

Nós saímos do chuveiro e nos trocamos. O Sasuke colocou uma roupa diferente, toda preta. Eu coloquei a mesma coisa de sempre. Nós saímos do banheiro.

- Agora quero saber como você vai resolver o meu problema Naruto. – Disse ele.

- Que problema?

- Não tá vendo? – Ele disse cruzando os braços. – Você quebrou a minha cama.

- Esquece isso Sasuke... Depois você inventa uma desculpa para os seus pais. – Eu disse. – Em falar nisso, não se esquece de perguntar aquilo para eles.

- Tá bom Naruto, depois eu te mando a resposta por pombo correio. – Ele disse saindo do quarto e indo em direção da porta da sala. – Agora vai embora, já não basta você ter quebrado a minha cama.

Ele abriu a porta e me mandou sair.

- Não fica bravo comigo amor. – Eu o puxei para um beijo.

Ficamos nos beijando bem na porta da sala, que dava na rua do clã Uchiha, sorte que não tinha ninguém olhando. O Sasuke passou a mão na minha bunda.

- Estou atrapalhando? – Uma voz disse. Era o Itachi. Surgiu do nada.

O Sasuke me empurrou assustado, me fez bater as costas na parede da porta. Ele ficou olhando para o Itachi sem dizer nada, eu ia sair para deixar os dois conversando, assim como eu conversei com o meu pai.

- Não precisava machucar seu namorado por minha causa Sasuke. – Disse ele cortando o silêncio. – Você tá bem Naruto?

Ele se aproximou de mim e alisou minhas costas.

- Tô sim, obrigado. – Eu disse.

- Você me atrapalhou sim Itachi. – Disse o Sasuke. – Eu estava me despedindo do Naruto porque agora ele vai embora.

- Desculpa então. – Ele sorriu.

- Bom... Eu já estou indo. – Eu sorri meio sem graça. – Tchau Itachi, tchau Sasuke.

- Tchau Naruto. – Disse o Sasuke. Ele segurou meu queixo e deu um beijo na minha bochecha me fazendo ficar vermelho.

Eu fui embora do clã Uchiha. Não imaginei que o Itachi chegaria bem naquela hora, me deixou meio sem graça. Minhas costas estão doendo. Já vou até separar um pouco de dinheiro para comprar uma cama nova para o Sasuke, aquela estava muito velha.

Quando eu estava no caminho de minha casa, tive a péssima sorte de encontrar a Sakura. Ela estava com a Ino, mas assim que me viu, parou no meio do caminho e se despediu dela. Veio correndo na minha direção.

- Oiii amor. – Disse ela se aproximando. Me abraçou e me beijou na frente de todo mundo, igual aqueles cachorros que ficam felizes quando o dono chega em casa.

Sabe quando você vê uma pessoa que não gostaria de ter visto e pensa “lá vem ela”? Pois é.

- Oi Sakura-chan.

Ela teve que ficar na ponta dos pés para nivelar a altura.

- Naruto-kun, eu fiquei morrendo de saudades. – Ela disse enquanto me beijava.

- Eu também... – Eu disse meio forçado.

- Ainnnnw... Você é tão kawaii... – Ela lambeu minha bochecha. Sim, ela lambeu minha bochecha. Fiquei com vontade de passar álcool com desinfetante. – Que fofinho!

Eu dei um sorriso meio sem graça.

- Então Sakura-chan... – Eu disse, mas fui interrompido.

- EU SEI... Você quer muito ficar comigo, mas eu não posso hoje amor. – Ela disse.

- (Graças a Rikudou) Mas... – Fui interrompido de novo.

- NÃO PRECISA. Não precisa se preocupar amor... Eu posso deixar de fazer umas coisinhas para ficar contigo. – Disse ela me fazendo ficar com medo. – Por exemplo, agora eu ia dar uma volta na vila, mas eu quero dar uma volta com você.

- Ah é?

- Sim. – Disse ela. – Já sei!

- Já sabe o que?

- Aonde vamos ir. – Disse ela. – Tem uma árvore que fica no topo de uma montanha, dá visão para toda a vila. É lindo lá, vamos?

- Eu estava indo para casa Sakura-chan.

- Depois você vai. – Ela me pegou pela mão e me levou até lá.

Fizemos um longo caminho e saímos da vila. Subimos uma pequena montanha e lá estava a árvore, a vista era realmente muito bonita. Vou trazer o Sasuke aqui. A árvore tem folhas e galhos grandes, se ficássemos em baixo, não pegaríamos Sol.

A Sakura parece bem satisfeita comigo. Ela nunca mais falou do Sasuke, e hoje em dia, ela está me olhando exatamente como olhava para o Sasuke quando estava apaixonada por ele.

Ela me puxou para debaixo da árvore e ficou encostada no tronco de frente para mim. Eu tampei toda a visão dela. Nós estávamos sentindo a respiração um do outro.

- Gostou daqui amor? – Perguntou ela se aproximando da minha boca.

- Gostei.

Ela me puxou pela gola para um beijo. Ficamos nos beijando por muito tempo, até perdermos o ar. Ela pegou minha mão direita e colocou na sua bunda. Certo momento ela começou a se esfregar em mim, virando de costas. Aquilo não foi nada sexy, talvez se fosse o Sasuke eu já teria gozado, mas mesmo assim meu pau ficou duro porque ela ficou roçando a bunda nele.

Ela se virava toda hora para me beijar. Quando ela percebeu que eu não estava muito excitado, ela partiu para algo mais além. Aquilo que me deixou com medo. Ela abaixou sua saia e sua calcinha e me fez abaixar minha roupa também.

- Sakura, a gente tá sem camisinha. – Eu disse enquanto ela abaixava minha calça e minha cueca.

- Não se preocupa. Depois eu tomo a pílula.

O resto eu nem preciso contar. Nós transamos sem camisinha e dessa vez eu fui fundo nela de verdade. Só não tenho coragem de contar isso para o Sasuke.

O mais vergonhoso foi quando a Sakura me fez carregá-la no colo até sua casa.

- Vem aqui em casa qualquer dia, tá? – Disse ela enquanto abria o portão de casa.

- Ok. Pode deixar. – Tomei alguma atitude e beijei-a. Ela gostou, até enrolou a perna em mim.

Fui para casa finalmente. Ficamos transando por duas horas naquele lugar. Tomara que ninguém tenha visto. Outra coisa foi quando cheguei em casa, meu pai reclamou que eu tinha demorado. Eu disse que estava com o Sasuke todo esse tempo e ele acreditou. Fui para o meu quarto e tomei banho para tirar aquele perfume enjoado da Sakura. Olhei-me no espelho e vi alguns chupões no meu pescoço, não sei se é do Sasuke ou da Sakura. Provavelmente é da Sakura, se fosse do Sasuke, na hora que eu fui transar com ela, ela já teria visto. Esqueci de avisá-la para tomar a pílula, tomara que ela lembre. Fiquei na minha cama, já era de tarde e eu queria a resposta do Sasuke. Não demorou muito e um pombo correio bateu na minha janela. Ele vinha acompanhado de uma carta que dizia assim:

“Oi Naruto, meus pais vão passar aí às oito horas da noite. Se prepara porque o chato do Itachi vai ir também. Às dezoito horas, passa aqui na minha casa e ajuda a me arrumar. Eu tô nervoso para cacete.

                                                                                                                   - Sasuke.”

- Que letra feia da porra, Sasu. – Falei em voz alta. – ÔOO PAI, MÃEE.

Eles vieram correndo, só escutei os saltos da minha mãe e os sapatos do meu pai.

- O que aconteceu filho? – Disse minha mãe abrindo a porta acompanhada do meu pai.

- Só quero avisar que os pais do Sasuke aceitaram o convite para o jantar. – Disse eu com a carta na mão. – Eles virão às oito.

- Ah ok. – Disse minha mãe se virando para ir embora. – Sai do meu caminho Minato.

Ela desceu as escadas e meu pai ficou.

- Não me dá mais esses sustos Naruto. – Disse ele sorrindo. – Quando quiser falar com a gente, desce lá em baixo.

Meu pai principalmente é até mais coruja que a minha mãe.

- Ok pai.

Ele veio na minha direção e me deu um beijo na testa. Saiu do quarto. Eu nem esperei ele descer as escadas e fui me arrumar para ir à casa do Sasuke. Me vesti da melhor forma possível. Coloquei roupas que eu nem costumo usar. Fui até procurar roupas no armário do meu pai, vai que tem alguma coisa legal lá, né? No final, vesti uma camisa azul escuro do meu pai, que tinha o símbolo do clã Uzumaki nos dois braços. Era de manga comprida, até que ficou boa em mim. Ficou um pouco apertada nos ombros, mas de resto tá ótimo. Coloquei também uma calça preta colada, estilo do Sasuke mesmo, era do meu pai. Só que é bem mais formal, tem um zíper e tudo mais. Coloquei tênis preto casual e fui. Parecia uma menininha me arrumando e experimentando roupas do meu pai, a cada roupa que eu vesti, me olhei no espelho igual mulher faz. Será que o Sasuke também fez isso ontem? Falando nele, ele se perfumou. Como eu gosto de perfume feminino, peguei da minha mãe e coloquei quase a metade do frasco. Eu já estava quase desmaiando por causa daquele cheiro. Saí meio que escondido, vai que minha mãe percebe que eu estava colocando as roupas do meu pai e o perfume dela. Passei na rua e todos me olharam. Sempre me olham, mas naquele caso eu acho que fiquei mais bonito, ou senão por causa do cheiro forte de perfume feminino. Até pentear meu cabelo eu penteei. Essa minha vaidade me atrasou um pouco, já eram quase sete horas da noite e eu ainda estava no caminho.

Quando cheguei lá, como sempre, o Itachi me recebeu na porta.

- Boa noite Naruto-kun.

- Olá Itachi-kun, o Sasuke está?

- Tá no quarto pintando as unhas, se maquiando, sabe como é mulher...

- Oi?

Ele riu. Eu me liguei na piadinha. Sou lerdo mesmo.

Eu ia falar para ele, que vou pagar outra cama em compensação daquela que supostamente fui eu que quebrei. Acabei não falando porque talvez o Sasuke estivesse escondendo isso dele.

Entrei na casa e bati na porta do Sasuke.

- SAI FORA ITACHI, EU JÁ DISSE QUE VOU DEMORAR CARALHO. – Disse ele. Eu acho... Desconfio... Tenho a impressão... Tenho o pressentimento... De que ele tá bravo.

- Calma Sasukeee, para que essa agressividade? – Eu disse imitando voz de choro.

- Naruto? – Ele mudou completamente o tom de voz, ficou até kawaii. Mesmo assim eu preferia ele falando grosso igual agora, quando estava irritado. – Naruto espera.

Ele abriu a porta correndo e me abraçou. Eu retribuí o abraço de volta.  Ele entrelaçou nossas mãos e me puxou para dentro do quarto, fechando a porta.

- Saudades Sasu. – Eu puxei-o para um beijo, parece que ele se esquivou um pouco. Mas eu segurei-o com força e praticamente obriguei ele a me obedecer. Senti um gosto de chocolate.

- Você tá lindo gato. – Disse ele sorrindo depois de separar nossos lábios.

- Você também Sasuke.

- Eu nem me troquei ainda. – Ele riu. – Estava te esperando.

- O Itachi me disse que você estava se maquiando, pintando as unhas, fazendo as coisas que toda mulher faz quando se arruma.

- Haha, meu irmão é idiota Naruto, não liga para o que ele diz. – Disse ele. – Ainda mais depois de hoje, quando ele me pegou com você. Agora ele deve estar muito desconfiado que eu seja gay. Desconfiado não... Ele sabe que eu sou gay. Um homem que pega na bunda de outro não pode ser hétero.

- Verdade... Em falar nisso, eu preciso te contar uma coisa.

Ele me encarou sério. Ficamos em silêncio por um tempo.

- Já sei. – Disse ele. – Eu acabei de ver.

- Ver o que? – Eu congelei.

Ele passou a mão no meu pescoço com força, fazendo com que eu sentisse dor, lembrando dos chupões que a Sakura tinha me dado. Me deu dó, ele disse meio triste. Sei que está sendo difícil para ele.

- Pelo menos avisa quando for me trair, tá? – Disse ele triste e cabisbaixo.

- Como te trair amor? – Eu levantei o rosto dele. – Você é o amor da minha vida. A Sakura me pegou de surpresa hoje.

- Esse negócio tá durando muito tempo... Se isso continuar Naruto... – Disse ele pausadamente. – Eu mato ela.

- Calma amor, não tem necessidade. – Eu abracei ele. – Nós vamos humilhar ela, é bem melhor.

Ele não correspondeu ao meu abraço. Me empurrou e se sentou na cama. Ficou em silêncio. Não disse nada.

- Sasuke... Olha para mim.

Eu me sentei ao lado dele.

- O que foi? – Ele disse frio e com voz triste.

- Vem aqui. – Eu puxei ele pelo cabelo para um beijo.

Deitei o Sasuke na cama enquanto nos beijávamos. Ele correspondeu ao meu beijo pelo menos. Passou a mão nas minhas costas por baixo da minha camisa. Eu estava em cima dele.

- Sai de cima de mim Naruto. – Disse ele tentando se desvencilhar.

- Calma Sasu, eu fiquei com saudades de você. – Eu disse e continuei a beijá-lo. Desci minha boca para o seu pescoço e chupei bem forte ali.

Ele se encheu e me empurrou.

- Naruto, eu tenho que me trocar. – Disse ele se levantando da cama.

- Ainda tem muito tempo. – Eu abracei ele por trás, colocando meu queixo no seu ombro. – Aliás, onde estão seus pais?

- Minha mãe foi se arrumar em um salão de beleza e meu pai foi junto, daqui a pouco eles chegam. – Disse ele tentando se desvencilhar de mim novamente. Mas eu segurei-o. – Agora me solta, eu quero escolher uma roupa diferente.

- Eu te ajudo.

- Mas me solta Naruto, eu quero ir até o quarto do Itachi furtar umas roupas dele. – Disse ele e eu soltei-o. – Me espera aqui, vou trazer algumas e você me ajuda a escolher.

- Tá bom... – Eu me sentei na cama. Pelo visto, ela estava concertada. Só agora que eu fui reparar.

Depois de uns minutos, o Sasuke entra no quarto com um monte de coisas nos braços.

- Pronto, me ajuda a escolher agora.

Ele me mostrou umas roupas bem diferentes, nem acreditei que o Itachi usava aquilo. Passamos um tempinho para o Sasuke se decidir qual roupa iria usar. Ele escolheu uma jaqueta preta de gola alta e uma calça preta normal. Os pais dele haviam chegado, mas eu nem cheguei a falar com eles. Nós saímos pela janela. O Sasuke me disse que já havia avisado para a família que iria para a minha casa antes que eles chegassem, então não teve problema.

- Provavelmente meus pais já devem estar me esperando, faltam vinte minutos para o jantar. – Eu disse no caminho de casa.

- Vai até sobrar tempo, sua casa é pertinho da minha, próxima rua e a gente já chega. – Disse ele.

- Sim...

Tenho medo que meus pais me façam pagar mico na frente da família do Sasuke. Espero que isso não aconteça. O que eu não esperava mesmo era encontrar com quem eu encontrei.

- Naruto-kun? – Disse uma voz atrás de nós.

Nós olhamos para trás. Era a Sakura. Sim, era a Sakura. Qualquer momento do mundo para nos encontrarmos e ela me encontra ali na rua, do lado do Sasuke, quando faltam vinte minutos para nosso jantar. Isso sim que eu chamo de má sorte. Nem consigo imaginar o que pode acontecer. Isso não vai dar certo.

- O que você tá fazendo com esse cara Naruto? – Disse ela olhando com desprezo para o Sasuke.

O Sasuke estava muito calado para o meu gosto. Eu fiquei com um pouco de medo.

- Sakura-chan... Eu... – Fui interrompido. A Sakura me puxou pelo braço e me deu um beijo de língua. Ela enrolou seus braços no meu pescoço. Eu estava tentando empurrá-la para trás.

Por mais que eu não pudesse rejeitá-la, pois o plano era totalmente o contrário, eu não queria beijá-la na frente do Sasuke. Eu não quero deixá-lo triste.

Eu empurrei a Sakura e ela se mancou. Olhei para o Sasuke, ele estava com a mesma expressão de quando viu os chupões no meu pescoço. Parecia triste.

- Pode continuar Naruto. – Disse ele triste.

Ele estava se distanciando e continuou caminhando pela rua.

- Sasuke, espera. – Eu fui em direção dele.

- Ei Naruto baka. Eu sou sua namorada, deixa esse aí de lado. Você não tem nada que andar junto com ele. – Disse ela me puxando de novo.

- Sakura, o Sasuke ainda gosta de mim. Eu não quero que você fique me beijando na frente dele. – Eu disse, mas ela não deixou que eu continuasse.

- NÃO QUERO SABER. – Ela gritou na frente de todo mundo.

Eu tinha que fazer alguma coisa.

- ESCUTA CARALHO. – Eu gritei mais alto ainda. Tive que impor um pouco de respeito. Ela se distanciou de mim com medo. – Você fez besteira e agora eu tenho que concertar, apesar de que nós estamos namorando, o Sasuke ainda é meu amigo. Amanhã a gente conversa.

Eu abaixei meu tom de voz e saí correndo do lugar. Subi pelos telhados mesmo. O Sasuke estava dois quarteirões a minha frente, sentado num banco debaixo de uma árvore. Era um parque ali, mas não tinha ninguém. Estava vazio e sem iluminação. Eu cheguei no local e me sentei ao lado dele.

- Sasuke... Não fica triste por causa disso. Você viu como eu empurrei ela, você sabe que isso faz parte e você sabe que eu te amo. – Eu disse.

Ele ficou em silêncio, como sempre costuma estar quando fica triste. Eu não queria brigar com o Sasuke, eu me aproximei dele e segurei em sua mão. Ele olhou para mim, estava com o mangekyou sharingan ativado.

- Promete que vai acabar com isso logo? – Ele disse quase chorando.

- Não chora Sasuke. – Eu segurei seu rosto.

- Promete? – Ele disse já chorando.

- Prometo. – Eu estava quase chorando também.

Limpei as lágrimas dele e nos abraçamos.

- Eu te amo Sasuke.

- Também te amo Naruto. – Ele apoiou sua cabeça no meu ombro.

 Ficamos abraçados por alguns minutos. Eu me lembrei que provavelmente estávamos muito atrasados para o jantar. Pouquinho atrasados? Não. M-U-I-T-O  A-T-R-A-S-A-D-O-S.

 

 

 

 

 


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...