História Naruto-Colegial e paixão - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chouji Akimichi, , Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Han, Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kankuro, Karin, Kiba Inuzuka, Killer Bee, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Personagens Originais, Rock Lee, Roshi, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi, Utakata, Yagura, Yugito Nii
Tags Amor, Hentai, Kawaii, Mistério, Naruhina, Romance, Saino, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 19
Palavras 4.963
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OI pessoainhas! Vim aqui para dizer que realmente estamos na reta final da nossa fic, pelo menos a primeira temporada.
Se quiserem a segunda temporada botem nos comentários:
#Querosegunda
PS; Capítulo meio grandinho

Capítulo 15 - Capitulo quatorze: Força de resgate; casais vão



[Dica leiam o capítulo com a música Cake da Melanie Martinez.]

{Hinata}

Eu acordei em algum lugar, que, em minha mente não podia existir; a última lembrança era...a do Naruto, e outra, do Kabuto me ajudando e depois uma dor imensa no braço e uma dormência. Quando me dei conta era um lugar escuro, com uma miníma luz vindo de uma fresta na parede, fiquei com medo e tentei me levantar, mas, meu corpo ainda estava dormente, como se eu estivesse carregando uma bigorna. Pus-me a tocar no que estava ao redor, quando toquei em algo rigído, logo senti um tecido mais áspero, logo uma parte de plástico e outra parte plástica, porém, mais áspera, quando senti algo com com tampa, quando a girei e senti o cheiro, tinha cheiro de pinheiros e aquele cheiro me sedou e me deixou mais tonta, até que centrei meu olhar no encontro das paredes do teto e a fitei, claro! Uma câmera.

-KABUTO!-gritei em direção à câmera- EU AINDA TE MATO SEU BOSTA, PALMA ÁREA- eu tentei usar o ataque de palma área na câmera, mas nada saiu de minha mão.

Eu sem saber de nada, até mesmo zonza, apenas caí no chão e chorei.

{Naruto}

Assim que cheguei da festa do sobrancelhudo eu apenas que me matar, eu machuquei a Hyuga, agora tudo faz sentido, naquele dia o último do acampamento, ela dizia que queria me contar algo, mas não tinha coragem, o que eu fiz, agora eu sei, ela me ama; e eu a desapontei, como um monstro, mas sabe agora eu estou ligeiramente confuso, será? Apenas me deitei e dormi. 

{Sakura}

Eu cheguei no colégio cedo, quase não tinha ninguém, então resolvi me sentar em uns bancos que tinham na frente do colégio e comecei a ler um livro romântico de um herói ninja e sua amada, lá tinha que ele à negligenciava, porém, a mesma não desistia dele, fiquei fissurada nos excessos de detalhes e na trama que circundavam o livro; o tempo passou e logo senti uma mão tocar meu ombro e uma boca beijar meus fios rosados. Era o Sasuke, grudento como sempre. 

-Sasuke, para as pessoas estão olhando.

-E? Que se danem elas- ele me agarrou e começou a me beijar com vontade- vamos esfregar na cara desses azarados que nós temos amor e eles masturbação.

-Own! Sasuke!- mais uma vez me agarrei em seus braços e começamos à nos beijar, ele ficava massageando minhas pernas enquanto eu amassava seus cabelos. 

Ficamos daquele jeito por um bom tempo, quando eis que ouço uma voz.

-SAKURA!!!!

-I-Ino.

-Sasuke se importa se eu roubar a testa um minuto?

-Tá.

Eu e as meninas ficamos conversando sobre os problemas das meninas, não só a Ino, mas agora Fuu também era uma das vítimas. Passamos muito tempo em pé, apenas esperando pela Hina e ela não chegava, até a irmã dela chegou, e ela nada, fiquei chocada, pois ela nunca havia se atrasado, o Naruto também chegou super preocupado, Tenten cruzou o quarteirão procurando por ela e logo ficamos mais preocupados.

-Eu...Não...a vi...-disse a Pucca ofegante- Oh vespinha, porque você não foi voando procurar ela?

-P-por que eu queria evitar a fadiga!- Quando a inseta disse todas rimos.

-Vaca!-Falou a Pucca.

-Vadia!- Revidou a Fuu. 

-Tá meninas parem até porque todas somos vadias-A Tema e todas rimos mais, até que o Naruto se aprouximou.

-Oi meninas-disse ele- alguma de você viu a Hinatinha?

-Não- todas dissemos ao mesmo tempo.

-Ah!- ele ficou cabisbaixo- qualquer coisa me avisem.

-Ok.  

O Tempo passou, o sinal tocou, pessoas chegaram, já a Hina nada, esperamos muito e ela nem dava nenhum sinal de vida, não atendia o celular, não lia mensagens, nada, depois fomos para a quadra, pois a nossa Diretora tinha um pronunciamento a fazer, ela começou e já anunciou um novo projeto da escola de colocar dormitórios e a escola virar um internato com quartos de até dez pessoas, eu mais que depressa olhei para as meninas, enquanto a Tsunade se gabava, eu estava animada, poderíamos decorar como quiséssemos, poderíamos até ter serviço dependendo das nossas notas, e visitas para casa fins de semana e feriados prolongados, como aqueles que começam sexta e vão até domingo.  

-Por favor se sente- disse a Tsunade para uma aluna.

Quando a Tsunade disse isso um som ensurdecedor, como um berro fino cortou por toda a quadra, eu tentava tampar meus ouvidos e nada acontecia, meus ouvidos doíam, quando eu olhei para trás lá estava a Kin, ela estava com as mãos em formato de um jutsu e eu logo percebi, eu fechei meu e joguei e a cadeira que estávamos todos sentados nela, logo a cadeira fora ricocheteada de volta para mim, porém a Temari me protegeu, a Tayuya havia ricocheteado usando uma melodia que soltava umas ondas sonoras grandes que formavam esferas luminosas; quando olhamos para os professores todos estavam no chão, até a diretora Tsunade, quando um rapaz de cabelos brancas tomou a voz:

-Crianças, crianças não chorem, hora de começar o show.

Ele socou o chão e dele brotaram vários ossos, mas o meu Sasuke pulou e usou seu jutsu bola de fogo e queimou-os todos eu voltei à jogar as cadeiras, mas nenhum acertava ele ficava destruindo-as com ossos afiadíssimos que ficavam saindo de seu pulso, então eu um movimento ligeiro ele socou o rosto do Kimimaro, essa seria minha deixa eu apenas peguei a perna da cadeira, saltei, e destruí a cadeira com impacto na cabeça e na cabeleira branca dele, quando o Kidomaru apareceu e começou a atirar suas facas especiais e logo apareceram Neji e Tenten, ele usou sua palma área, e ela usou suas kunais e shurikens que brotavam em uma explosão de seus pergaminhos, mais uma vez ela usou um de seus pergaminhos e ele em uma clava que a mesma usou para golpear o estômago do ser moreno começou à feri-lo com seu ataque rotação, ou seja, ele começou a girar e ao seu redor apareceu uma aura de chakra, que jogou o homem longe. Quando Jirobo golpeou o chão fazendo todos caírem, Ino pulou da ponta do grande monte de terra, depois mais outro salto, e  acendeu fogo no papel bomba de uma de suas flores e a atirou em Jirobo, que este mesmo, tinha no rosto com uma marca de queimadura na bochecha esquerda,  graças à flor de Ino, e na direita uma marca  garra de uma das criaturas vivas que Sai desenhara.  

-Minha cara!!!!

Quando Jirobo caíu ao chão e Sai, sutilmente, fez um carinho nos fios loiros de Ino. E ela corou. Zaku começou a atirar vento com som para todos os lugares fazendo muitas partes serem destruídas, quando algo tomara posse dele, eram as sombras do Shikamaru, que o deixaram imóvel, enquanto a Temari o deixava cheio de arranhões com sua lâmina de vento, e depois o Shikamaru o estrangulou com uma sombria. Em outro canto estavam os gêmeos Sakon e Ukon devastava a escola quando...

{Fuu}

Eu estava no chão imóvel, pois com aquele som, meu corpo não se mexia, quando alguém caiu por cima de mim, na hora não senti mas no caso, mas quando vi era a Yugito, ela estava com medo, eu cheguei perto dela quando algo a golpeara, era um mão fechada, que, logo saiu correndo; rapidamente senti algo remexer meu estômago, eu o apertei, mas não aliviada, vi algo lá, tinha algo saindo, vi um volume excessivo, depois disso,  meu estômago rasgou e de lá saiu uma mão, com um tom arroxeado, não só um tom, era toda roxa, do mais intenso(não escuro) roxo, comecei a suar frio, aquilo começou a se debater e tudo ao meu redor ficou frio, e enevoado, sombrio quando, do meu peitoril, saiu uma "coisa", que rasgava minha pele, e da fenda eu vi derramar meu sangue, vi isso escorrendo pelo meu cotovela e novamente respingar no meu joelho nu, sujando um pouco a sainha do colégio;  a perna saiu das minhas costas, o outro braço pela minha boca, a outra perna, o tronco, a pelve, quase todo o corpo, e quando saía um explosão de sangue vinha.

Quando no momento mais fúnebre aquilo virou pra mim e sorriu, ele tinha uma longa cabeleira que cobria um olho, o rosto era vermelho, e tinha um olho negro, tão negro quanto o abismo que cobri o inferno, as enormes presas, um chifre também rubro, eu novamente berrei quando, o frio passou e o ser voou como uma boneca, quando um menino segurou meu braço, e me olhou, era o Yagura, lindo como sempre:

-Você tá bem?

-Eu...

-Ora, ora parece que as crianças tem uma resistência.

Yagura pegou seu cajado e dele saiu uma cauda d'água, logo ele o levantou em um movimento rápido e da cauda saiu um grande monte de água em um formato esférico e furioso, que, por si só, foi para um dos gêmeos, entretanto, sem êxito; quando Ukon gritou;

-Sakon AGORA!!!

O outro irmão começou a correr em direção à Ukon quando ele deu um pulo e caiu por cima do outro e ambos rolaram por mais ou menos cinco centímetros no chão, ambos ficaram lá parados quando só um apareceu este mesmo tinha duas cabeças, o outro sumira. Eu e Yagura o olhávamos, enquanto o mesmo estava com um sorriso mal no rosto. Sem nem percebemos ele espontaneamente brotou na nossa frente e nos golpeou diversas vezes nossos rostos e nossas barrigas, quando eu cuspi um pó que fazia o seu olho arder, enquanto o mesmo gritava de dor e seus olhos lacrimejarem, quando percebi, aquele era o momento chave, eu sinalizem para Yagura, que, com seu cajado, deu duros golpes nos rostos dos gêmeos, que, naquele momento, era um só corpo de duas cabeças; o moreno deu um salto e na ponta de sua vara, apareceu uma esfera d'água, que foi de encontro com o tronco do corpo, atirando-o para longe, quando minhas asas de vespa saltaram e esmurrei a cabeça de Sakon, chutei a outra de Ukon, e meus ante-braços ficaram tão rígidos, quanto a carapaça do besouro gigante que reside dentro de mim( Fuu é um jinchuriki), e assim golpeei seu estômago, despejando-o por mais cinco metros no ar, o impacto fora tão forte, que ambos se separam. Eu dei um berro de comemoração quando senti um enorme vento em minha cabeleira, era a Konan.

{Konan}

Eu estava lutando contra o Dosu, ele parecia ser fraco, então comecei a atirar minhas kunais e shurikens de papel, o homem sempre desviava, no entanto, essa era minha estratégia. Rapidamente, uma  trilha de armas de papel estava se formando, cuja formava um formato de um círculo, quando, em um estalar de dedos, as armas saíram do solo e se amontoaram ao redor dele, e explodiram, em um clarão laranja. 

-Konan!-gritou Sakura- Desce nós também terminamos nosso trabalho!

-Meus Deus-disse- que pessoas estranhas.

-Eles são só os esquisitinhos do som, então, por algum motivo, não me surpreende- disse Temari.

-Mas são duros na batalha- disse Tenten.

-E Fuu que rale-enrola era aquele com o Yagura?

Ela corou. E todas rimo, quando um som monstruoso cortou por toda a quadra, era agudo e feria nossos ouvidos como se facas  os golpeassem, ou se cargas elétricas de 2000 volts encontrassem nossos tímpanos...

{Pain/Yahiko}

Quando a Konan finalmente conseguiu deter o Dosu e eu fiquei deslumbrado com o seu poder, e todos finalmente conseguíram respirar aliviadas, o pânico que a escola havia mergulhado, realmente havia parado. Mas, quando a doce ilusão de calma havia chegado, ela fora apagada, como os minúsculo grãos de areia varridos pelo vento delicado, porém, veloz. O Dosu se levantara do monte de cinzas, e jogou um som terrível contra a "resistência", enquanto todos agonizavam com as mãos nos ouvidos, quando a doce Konan me encarou, aqueles olhinhos de cachorro abandonado se encontraram com os meus, eu coração fora apertado, senti o sentimento de desapontamento nas suas pupilas, mas permaneci imóvel; até que a ouvi em minha mente um sussurro: "Por que Yahiko? eu confiava em você" Quando fui possesso por algo maior e peguei um ferro, que saiu de minha mão, e golpeei com tudo a sua cabeça, mais um vez o mesmo movimento, quando em um ato de pura fúria, peguei um dos ferros e ataquei seu peito, a vara cruzou o corpo, que na ponta de cima, estava coberta de sangue, que, este mesmo, sujou as ataduras que cobriam seu rosto frio, que seus olhos caídos e sem vida me encaravam, enquanto, eu, em choque, deixava-me levar pelo momento de fraqueza. 

Eu caí.

Estava desolado pelo sentimento fúnebre da morte, era frio, devastador; quando a gentil azulada me abraçou, enquanto eu me agarrei à ela, em um ato de redenção.

{Ino}

Quando o Dosu caiu gelado no chão todos sentimos algo no coração, aquilo finalmente deixara de ser a normalidade de uma briga de escola, o silêncio voltou, mas não comum, era o silêncio mais barulhento que eu já havia ouvido, quando eu senti um frio na espinha, algo, uma melodia fina cruzou-nos todos, como uma serpente, eu podia ouvir meus batimentos rápido, minhas suadas, aquilo vindo, não pude notar, alguma coisa se aproximava de nós, minha respiração estava rápida, quando senti o chão tremer, as pontas de meus pés se contorciam, até que um montinho de terra apareceu no solo, este mesmo, se mexia, eu me aproximei para ter uma melhor percepção, então um ser humano saltou da terra e eu gritei o mais alto que pude, pois todo o meu medo veio em um só momento; o ser tinha uma máscara de felino branca, do meu outro lado, à minha frente, de trás de mim, por todo lado eles brotavam, todos empoeirados, sem um fôlego de vida, apesar de se mexerem, e a loucura voltou, todos começaram a correr quando, mais uma vez uma melodia fez-se presente, esta mesma, nos fez ficarmos imóveis e fomos controlá-dos, contra nossa vontade, para próximo da fonte da melodia, que era...

-Bom dia à todos, sou Tayuya do som, hoje vim destruir essa porcaria toda, porque estou procurando algo, melhor, alguém, os portadores dos três poderes máximos, no caso já temos um, precisaremos dos outros dois, mas alguns alunos dificultaram nosso trabalho, e, bom, eu adoro lutar, mas esqueceram de mim-ela fingiu que chorou- e eu ODEIO ISSO!

Ela gritou e desse grito, nasceu uma luz cor rubra, e , quando ela cesso; repentinamente, uma harmônia mais uma vez soou com um nevoeiro, e  um riso alto perturbador, acompanhado de fino brado feminino. Ficamos, pois, todos apavorados, tão eventos ocorrendo repentinamente, e quando a nuvem abaixou, haviam três monstros, e um deles tinha uma enorme garra, logo todas choramos, pois,quando olhamos para o chão fez nossos estômagos dobrarem, sangue pingando aos montes, o que tinha naquela garra era...

[Uns dois minutos antes...

{Naruto}

A instituição inteira estava um caos, as pessoas estavam correndo, desesperados, e, eu, correndo contra a maré, as pessoas corriam para um lado e eu acabava me chocando com eles, mas, por quê eu estaria correndo contra a maré? Simplesmente pois eu estava muito preocupado com a Hinata, e eu perseguia a última pessoa que a viu naquela noite, onde...eu...bem, essa pessoa era o Kabuto, as pessoas de expressão sem vida passavam por mim, e no meio daquele "formigueiro humano", eu perdi o Kabuto de vista. Eu fiquei parado, enquanto era puxado pela multidão, os meus olhos pestanejando à cada barroada. Ao horizonte cinza eu pude ver uma cabeleira prata próximo ao corredor principal, eu comecei a correr, cada vez exasperado e sem dó dos outros alunos, de vez em quando eu tinha faíscas e explosões na minha cara, todos lutando e eu correndo a trás do Kabuto, mas, é por uma boa causa. Logo, percebi que ele fitou-me e balbuciou:

"Já foi"

Apesar de ter sido silêncio, aquilo bradou em meus ouvidos com um toque tenebroso e horripilante, e com aquilo eu senti um golpe no estômago, foi tão forte que abriu um abismo lá também; eu me enfureci mais, corri mais rápido, soquei mais os ombros das pessoas e gritei:

-KABUTO! Deixe-me passar - disse enquanto eu era empurrado- Me deixa passar! Agora não Lee! Que se dane Lee! KABUTO! KABUTO!

Eu parei mais uma vez e o vi sair pela porta do prédio, e este mesmo conversava com alguém, não a vi, mas segundo os lábios dele, ele dizia:

-Casa...Fuja!...Se não der certo...Segunda....

Eu apenas abaixei minha cabeça, quando, repentinamente, todos ao mesmo tempo pararam e viram aquilo, era enorme, tinha uma garra imensa, era gigantesco, e na ponta da garra, um corpo, eu não reconheci tão rapidamente, mas quando percebi, eu coração parou, minha mão suava de tamanho nervosismo, ao meu redor vi pessoas gritando e chorando, mais especificamente, a Sakura, a Ino, Tenten e Temari; minha boca estava trêmula, assim como meus dedos, eu podia ouvir meus batimentos, quando ficou bem mais claro era...

A Moegi.

Eu me aproximei para ver com mais clareza e a vi com uma pele pálida e fria, os olhos acesos como se o último fôlego de vida fosse a melhor experiência, um toque peculiar, um sorriso, um sorriso singelo e humilde, enquanto as gotículas de sangue caíam e sujavam o chão cinzento; o ser sem dó, nem piedade, atirou o corpo da ruiva com um buraco imenso no meio do corpo, e outro daqueles gigantes, que portava uma clava igualmente grande, até que ele golpeou o corpo e o atirou para longe, onde o pequeno corpo de Moegi foi jogado na imensidão.

Tayuya no ombro de um dos seus gigantes suspirou, bocejou, e falou:

-Que pena, uma jovem com tanto potencial se foi- ela pôs as mão no rosto- Vou chorar, mentira! Que se dane ela, era um porre mesmo.

-COMO OUSA FALAR ASSIM DA MOEGI?- vociferou a Sakura- Ela era a melhor, bem melhor do que você sua, até porque, ela não era uma vadia!

-Isso aí- disse a Tenten

-Pessoal não deixe que esses monstros intimidem vocês- Disse Sasuke.

-Todos juntos- Gritou o Pain

-Lutar pela liberdade- disse yagura.

-BELA CIAO!-Todos começaram a correr e a atacar todos os zumbis por todos os lados.

Em um piscar de olhos todos já haviam incorporado um coração resistente e as faíscas esvoaçavam, graças ao choque das lâminas, logo, um som da flauta de Tayuya soou, e das espadas dos zumbis começaram a brilhar e eles começaram a girá-las, e da ponta saíram luzes platinadas e iam de encontro com o chão, rapidamente vi a Temari nos braços da Fuu, enquanto as duas voavam indo na direção das luzes; Temari, desvencilhando-se dos braços da outra pegou seu leque e girou, dele um vento violento e enraivecido veio de todos os lados, logo, com Fuu, uma aura rubro-esverdeada rodeou seu corpo, o que fez suas asas baterem muito mais rápido e dela vir um pó dourado, toneladas e mais toneladas desse pó, que, rapidamente, inundaram todo o tornado; as laminas luminosas que voavam incorporaram todo o tornada, enquanto as duas meninas davam sustentação à ventania, logo, Shikamaru e Yagura vendo tudo aquilo, resolveram reagir, Shikamaru chamou suas sombras que perfuraram a pele dos zumbis, como agulhas, que se quebraram como se fossem porcelana, ou cimento, Yagura golpeou o chão com sua vara e dela saíram corais que também atacaram por dentro do corpo dos monstros, e eles viraram resto de algo tão quebradiço e cinzento como o cimento; dentro do tornado as duas bradavam, enquanto um show imenso de luzes douradas as cobriam, logo, Temari não aguentou e soltou o seu leque, e ela caía, rapidamente Fuu foi pegá-la, porém, uma lamina luminosa atacou-as, fazendo-as perder total equilíbrio e soltando as outras para todos os lados.

-NÃO- Bradou Fuu soltando a loira.

Rapidamente as laminas voltaram, o tornado voltou, e lá dentro foi-se visto uma silhueta de uma monstro, não era possível descrever era enorme, tinha um rabo como de uma libélula, então com a luz das laminas, a coloração inflamada do pó, e o vento que bagunçava os cabelos dos outros alunos que apenas contemplavam aquilo, fez uma explosão em formato de círculo, que fora jogada na cara dos gigantes.

Uma enorme nuvem de poeira se juntara em nossa volta, e , logo cessou; quando a nuvem sumiu a menina de cabelos verdes caíu, ela logo acordou, bateu as asas e começou a rir. 

Rapidamente, os zumbis apertaram as adagas e começaram a correr, e foram de encontro com os alunos que começaram a guerra; comecei a correr pensando no que poderia fazer para salvar a Hinata, então duas pessoas vieram à minha mente, Sakura e o Sasuke; corri por entre a multidão, com as faíscas dos choques das armas com as adagas, logo, vi a Konan cortando o vento, então, acenei e ela pegou meu pulso e me segurou até perto deles.

{Sasuke}

Após aquele show de luzes, a Sakura se aproximou da Fuu que estava se acabando de rir enquanto suas asas batiam muito, logo, os zumbis começaram a se aproximar, e todos começaram a lutar; eu soquei o estômago de muitos desses mortos-vivos, chutei seus crânios, e torei vários com meu jutsu bola de fogo, e, todas as vezes que eu me virava para fitar a Sakura, ela estava simplesmente linda, e todas as vezes que golpeava o chão e ele se abria em uma cratera, e era até mesmo sexy. Quando, ela repentinamente socou o solo, e dele, subiu uma rocha, que, protegendo-a, me abaixou para me proteger dos feixes luminosos, cujo derrubavam mais estudantes...

-SASUKE- ele disse enquanto luzes prata explodiam na rocha criando fardos de poeira- se não sairmos disso, saiba que eu sempre vou te amar!

Nos beijamos, um beijo simples e com um espécie de saudade embutida no toque.

-Ei pessoal, EI-era o idiota do Naruto, eu e a minha rosada nos separamos e o fitamos caindo dos braços da Konan e chegando perto do chão, no entando, um disparo luminoso acertou-o por todo o perímetro do seu peitoril; eu vi quando seus olhos estavam prestes a esbugalhar, eu vi quando sua expressão ficou sombria e rígida, como, um cemitério, com túmulos de argila cinzenta.

Ele caiu; 

-Naruto! Naruto! Acorda caralho! Mano!- comecei a gritar.

-Naruto! Uzumaki! Naruto!-Ela começou a falar.

Ela abriu a boca e começou a arfar, enquanto eu e a Saky apertávamos  seu peito, quando cheguei para ouvir seus batimentos, eu não cria no que via, eu apenas me levantei e olhei para a Sakura que estava sem jeito e confusa, eu abaixei mina cabeça e sussurrei:

-N-não ouvi nada.

Ela pôs as mãos na boca e começamos a chorar, um choro de saudade, e, em parte, arrependimento, ela colocou a mão na boca e começou a derramar mais suas lágrimas, era assim, amigos desde sempre, e assim, do nada, um dos nossos vai, do nada, por um disparo. A rosada se levantou e continuou a chorar, porém, comigo a sustentando no ombro, enquanto minhas lágrimas molhavam seus cabelos cor-de-rosa. Quando, em um piscar de olhos um feixe veio nos atacar, mas caiu no chão, criando um buraco, e espalhou poeira e pigmentos por todo lado, quando, na sutileza da poeira, uma adaga dos mortos-zumbis caiu no peitoril do loiro; então, por entre o pó de terra, os pigmentos, o loiro levantou e começou a tossir; ele tossiu, tossiu muito, uma tosse seca, e quente, queimava minha mão, logo, se virou para cuspir algo, quando alguém se aproximou.

-Yo! De nada por ter lhes-salvo. Yo.

-Caraca Bee é sério, valeu!- Era o bom e velho rapper da sala, Killer Bee

-Be- disse o Naruto mais rouco que o normal por entre tosses- Bee, grande companheiro.

-Parça Naruto!-ele fez um high five com o Naruto-Cara eu salvei teu mano e tua mana, mas tem um lance, eu tenho que te contar uma coisa, algo relativamente imenso, e não posso contar para eles nem para ninguém a mais, tá?

-OK!- ele disse confiante-duas coisas: primeiro, vai demorar?

-Talvez, acho que mais ou menos.

-Tá, segunda: Preciso falar com o pessoal, então posso...

-Pode...

-É rápido, serião.

-Tudo bem!

O loiro aproximou-se, e disse:

-Pessoal, chamem a Ino, o Sai, o Neji e a Tenten. Okay?

-Tá, mas por que só ele?

-Porque...são as primeiras que vieram a minha mente.

-Tá, vamos Sasuke- disse a Rosada.

{Naruto}

Nós nos separamos e eu comecei a seguir o Killer Bee, por algum motivo ele estava desesperado, luzes cor cinza pulavam e espirravam na minha cara; até que fomos para um lugar mais seguro, e, lá, ele ficava constante olhando ao redor, estava extremamente temeroso, quando começou a falar:

-Cala a boca, eu preciso falar para ele- ele estava raivoso- vocês são irmãos, não gosta dela, você tem ciúme, tá, tá espera Gyuki!

-Bee- eu o olhei intrigado- Você tem vozes na cabeça?

-O quê? Não! Cara, não totalmente, olha- ele fez uma pausa, pois, o mesmo ofegava muito-eu tenho uma...coisa...dentro de mim...Cara, o Gaara, a Yugito, o Yagura, o Roshi, o Utakata, a Fuu e você, têm essas criaturas.

-Hã?...

-Esses seres são extremamente poderosos, no entanto, o seu é muito, muito mais...

-Você fumou?

-Cara, me escuta, biblioteca, terceira estante, o nome do livro é...AH!

No mesmo instante que ele iria me dizer o nome do livro, uma luz de cor platinada explodiu em suas costas, fazendo-o dar um gemido, e caindo ao chão de uma forma fria; eu comecei a correr dentro daquele corredor, quando outra combustão cor cinzenta entrou em colapso bem perto de mim, me jogando contra uma parede, minha visão estava ruim, mas ainda me lembro, no meio da minha visão oscilante, pude ver, um zumbi chegar, pegar sua adaga, e enfiar contra as costas do Killer Bee, cujo o golpeou mais de vez no peito e no estômago, quando, enfim, retirou sua lâmina, ela estava suja de sangue, ele apenas deu um golpe na parede para limpar e saiu correndo; eu, ainda muito machucado, me levantei e disse-lhe:

-Bee, resiste cara, por favor cara.

Eu estava tentando o levantar, quando alguém chegou e tropeçou na cabeça do Killer Bee, fazendo seus óculos caírem:

-OH! Não olha por onde anda?

-Desculpa...-era uma loira, ela transparecia estar mais desesperada que o Bee, assim que caiu deixou cair uma caderneta e um lápis, ela os pegou e ligeiramente saiu correndo.

-Pode levar o meu amigo o Bee?

-Desculpa, não posso.

-Cacete o que aconteceu aqui?-disse um rapaz moreno.

-Graças à Deus, Utakata leva ele por favor!

-Que...Mano Bee! Relaxa Yugi eu vou levá-lo!

-Valeu!- ela saiu correndo.

Logo Sasuke, Sakura e o restante do pessoal chegaram.

-Eai Naruto qual a grande emergência?-Perguntou o Sai.

-Tem alguma coisa haver com a Hina?!-Neji, Sakura e Ino disseram ao mesmo tempo.

-Pessoal, a gente tem que ir na casa do Kabuto-disse com muita dor, porém, já estava passando, como se um sangramento estivesse coagulando.

-Como assim?-Perguntou Tenten.

-Digamos apenas que eu tenho uma pista.

-Cara tá tudo bem com seu braço?-Perguntou o Sasuke.

-Eu tô bem, é sério relaxa.

-Tá né- disse ele revirando os olhos.

-Então tá pessoal, nós vamos ou não?-perguntou o Neji.

-Mas como se não tem veículos?- perguntou a Sakura.

-Eu acho que posso ajudar- falou o Sai-eu tenho um jutsu que transforma criaturas que eu desenho no meu pergaminho, em criatura gigantes, posso desenhar uns grandes pássaros.

-AHHHH!-berrou a Ino alegre- meu amor é inteligente! ;3

-Então finalmente tão ficando?-perguntou a Tenten em um tom de brincadeira e ambos coraram.

-Okay vamos lá-ele começou a pintar no papel, o pincel  ia para cima e para baixo, e, em dois minutos os pássaros já haviam sido desenhados-Pessoal, subam!

Rapidamente, subimos nos grandes animais, e não demos uma palavra, eu principalmente, apenas soavam na minha mente uma palavra: "Desculpa". Por quê? Por feri-la, vamos te achar, prometo e vou te recompensar por tudo

-Naruto!-berrou a Ino no meu ouvido- Então- um pigarreio- Você sabe se a Hina vai estar...

-Para ser sincero não.

-O QUÊ- todos gritaram desesperados.

Uma lágrima minha caiu.

{Hinata}

Eu estava dormindo um soninho tão bom, quando fui puxada pelos cabelos por alguém de mãos pequenas; seja lá quem fosse, me levou até uma área de areia no chão, rodeada por uma certa de ferro, acho que mais à frente teria um galpão, quando eis  que aparece, alguém, coberto por uma capa rubra, com um capuz e longas mangas, e, na altura do tórax, um pingente em formato de p, aquilo começou a me olhar e uma luz que vinha de dentro do capuz refletiu a luz da lua, eram duas luzes, com um fontes perfeitamente esféricas. Logo, soube; Kabuto.

Ele colou sua mão para cima, sua mão estava levemente pálida, quando uma  chama azul saiu dela, ela virou um feixe, esse feixe virou uma lâmina, que me atacara, gerando um corte na minha perna, ela fez isso de novo, e de novo, e de novo, e, quando me deparei, não mais me perna sangrava, mas ela, meu braço, minha garganta, e minha barriga, quando ele embainhou outro bisturi (era como ele chamava as luzes) este era maior e mais afiado que os demais, quando ele jogou-a para cima de mim, eu já estava cansada de levar cortes por todo o meu corpo, já estava cansada de me maltratar psicologicamente, amando alguém que não sente o mesmo por mim, chega, CHEGA,

-CHEGA!

Assim que gritei senti algo dilatar por entre minhas veias, algo forte, algo quente e poderoso, algo que poderia destruir a cara dele em um golpe, algo que fora para meus olhos, senti o chakra fluir de novo, senti, involuntariamente meus pés se mexerem, minha mão coberta de veias subir, meus olhos dilatando e queimando quando...

#Querosegunda

[Continua...

 


Notas Finais


Pessoal, muito obrigado por lerem, vou ficar com saudade quando a fic terminar, mas se vocês quiserem a segunda temporada fresquinha e bonitinha precisaremos de pelo menos seis ou sete hashitags, já temos dois um dá Thyley e um da Lai_Uchiha. Agradeço a eles por tudo!
Então se quiserem a segunda temporada botem nos comentários: #Querosegunda
FUI


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...