1. Spirit Fanfics >
  2. Naruto: Evolução >
  3. Prólogo

História Naruto: Evolução - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Só pra avisar de antemão que terão três alterações de início nesta fanfic:

-Neji não morreu durante a Guerra. A madeira que iria perfurá-lo acabou atingindo-o em um ponto que não o comprometeu, mas deixou-o fora de combate pelo resto da Batalha Final.
-Sasuke não saiu de Konoha após cumprir seus serviços por seus crimes. Decidiu ficar ajudando Konoha e se redimindo lá ao invés de sair pelo mundo.
-O Time Taka - Karin, Suigetsu e Juugo - decidiram morar em Konoha, mesmo após pagarem por seus crimes enquanto faziam parte da Taka.

A fic se passará no período de The Lástima, digo, de The Last, ou seja: dois anos após o final de Shippuden. Os eventos do filme serão alterados. De resto, espero que aproveitem. É minha primeira fanfic.

Capítulo 1 - Prólogo


   Konohagakure no Sato - Dois meses após o fim da Guerra

 

  Paz e serenidade. Eram as duas palavras que definiam o atual clima de Konoha - e de todas as Nações Elementais. Mesmo tristes pelas inúmeras perdas na Guerra, as pessoas continuavam seguindo com suas vidas de forma feliz, em honra àqueles que se sacrificaram para estabelecer a atual paz dominante no mundo.

 O Grande Hospital de Konoha, que até pouco tempo estava super-lotado pela quantidade exuberante de feridos - e mortos -, agora já estava normalizando seu ritmo e rotina. Somente pacientes com tratamento de longo-prazo estavam indo diariamente ao hospital ainda, e volta e meia algumas pessoas que se machucavam durante a rotina de suas vidas, já que não se tinha missões shinobi perigosas há um bom tempo.

As lojas, restaurantes e bares já estavam abrindo normalmente, e quase toda a vila já havia sido reconstruída após o Ataque de Pain da Akatsuki, pouco antes do início da Guerra. Somente locais menos relevantes e áreas mais secundárias que estavam ainda em processo de reconstrução. Áreas fundamentais da vila, como sedes de Clãs Shinobi, órgãos importantes - como o próprio Grande Hospital - e áreas de comércio e residenciais já estavam totalmente reconstruídas - e se expandindo.

       No lendário e sagrado Monte Hokage - mais especificamente no topo da cabeça do Yondaime Hokage -, estava sentado um jovem de cabelos loiros e espetados, olhos azuis como as profundezas misteriosas do oceano de jaqueta laranja e preta, com seu braço direito enfaixado, observando a vila com um olhar feliz, mas pensativo. Aquele jovem, quem não soubesse quem era, diria que era a maior mentira de todas se qualquer um dissesse que foi ele quem salvou o Mundo Shinobi, que foi ele quem uniu a Aliança Shinobi e os inspirou, que foi ele quem nunca desistiu até alcançar a paz e vencer a guerra, acabando com o Ciclo de Ódio. Como era possível que um gaki de dezessete anos tivesse um peso tão importante para o Mundo Shinobi? Que provavelmente era o Shinobi mais poderoso atualmente? Pois é...pode ser impossível ter todo esse peso sobre si sendo tão novo, mas não para Uzumaki Naruto, Herói do Mundo Ninja, Herói da Guerra e Salvador&Herói de Konoha.

         Naruto observava de forma realizada e feliz o movimento da vila. As pessoas com sorriso estampados no rosto, pais acompanhando seus filhos em diversos lugares de forma divertida, shinobis caminhando tranquilamente pela vila de forma despreocupada, sem ter que se preocupar que seu Mundo poderia simplesmente acabar, como foi o caso de desespero de todos os shinobis há dois meses na Guerra.

    Toda aquela alegria o contagiava, e ele achou aquilo irônico: geralmente era ele quem contagiava as pessoas com sua alegria e seu jeito animado, mas ultimamente têm sido o contrário. Achou engraçado que os papéis haviam se invertido.

Kurama: É até estranho ver que finalmente tudo está em paz. - Disse a Kyuubi no Kitsune de forma divertida.

Naruto: É esquisito mesmo, ‘ttebayo. Desde que eu era um pirralho, tudo sempre estava em tensão, como se a qualquer momento uma guerra surgisse entre as Nações. - Falou o Uzumaki de forma emburrada.

Kurama: Gaki, mas você ainda é um pirralho. - Disse a raposa rindo

Naruto: O QUE VOCÊ DISSE, K.Y.U.U.B.I? - O Uzumaki rebateu de forma provocativa para Kurama.

Kurama: DO QUE VOCÊ ME CHAMOU, GAKI INSOLENTE? - Gritou a raposa rosnando.

Naruto: Ah, nada...hehe! - Disse o Uzumaki com uma enorme gota na cabeça coçando a nuca. Passados alguns minutos em silêncio - que Kurama estranhou muito -, ela decidiu falar.

Kurama: Entendo.

Naruto: Nani? - perguntou o loiro de forma confusa.

Kurama: Não se esqueça de que por conta de você ter rompido o selo, posso ver seus pensamentos de forma clara como água. - declarou a Bijuu de Nove Caudas de forma orgulhosa - E, portanto, vejo que você está preocupado em relação às suas atitudes e maturidade.

Naruto: …

Kurama: Como disse anter-

Naruto: É que…-falou o loiro interrompendo a fala de Kurama - nesses dois meses desde que tudo acabou, eu parei pra pensar, e se eu continuar com minhas atitudes, vou acabar morrendo antes de me tornar Hokage, ‘ttebayo - disse de forma frustrada.

Kurama: Como assim? - Perguntou a raposa, confusa.

Naruto: Se eu continuar a ser esse garoto barulhento e cabeça-oca, não vou a lugar algum. - disse o Uzumaki de forma triste - Eu tenho é muita sorte de ter passado por tudo e continuar ileso. - de repente ele olha pro seu braço enfaixado feito com células de Hashirama e uma enorme gota veio à sua cabeça - Bom...quase ileso, hehe.

Kurama: Em outras palavras, gaki, você apenas quer amadurecer e deixar de ser um retardado idiota que não entendia nem a teoria de Infusão de Chakra nos pés. - disse de forma zombeteira a raposa.

Naruto: OE, QUEM VOCÊ PEN - O Uzumaki parou quando percebeu que as palavras de seu amigo Bijuu não eram nada mais do que verdadeiras - É...você tem razão. - disse num suspiro.

Kurama (rindo): Parece que estes dois meses afastados de todos serviram para alguma coisa, há! - disse a Bijuu - Admitir suas atitudes infantis já é um passo, mas o que você pretende fazer em relação a isso? Ficar a vida inteira isolado de todos apenas pensando não vai adiantar. Você precisa agir. 

       Naruto nada respondeu, e Kurama respeitou a vontade de seu amigo e Jinchuuriki e não falou mais nada, deixando o loiro se afogar em seus pensamentos e reflexões, coisa que ele nunca fez e acabou descobrindo ser algo muito bom. Desde o final da Guerra - para ser mais exato, desde sua batalha final contra Sasuke no Vale do Fim -, Naruto havia se afastado de todos para repensar em suas atitudes e impulsos. Ele não estava arrependido por tudo o que fez - longe disso, ele sentia orgulho de si mesmo. Talvez se as coisas não tivessem tomado o rumo que tomaram, ninguém estaria tão bem como nos dias atuais após tudo ter acontecido; porém, ele não conseguia evitar pensamentos como "E se...?".

    "E se tivesse sido diferente? E se eu tivesse seguido um caminho diferente?" Maior do que todos esses pensamentos, o que maior vinha à sua cabeça era da conversa que ele teve com Jiraiya logo após ter lutado contra Sasuke pela primeira vez no Vale do Fim, há três anos. Naquela época, Jiraiya advertiu Naruto de que a Akatsuki estava crescendo, que Sasuke iria se tornar forte sob a tutela de Orochimaru e que Naruto precisava ficar forte para quando a Akatsuki começasse a agir, já que ele estava em perigo. Jiraiya havia dado a ele a proposta de ter um treinamento realmente pesado e imponente, para enfrentar inimigos de níveis muito superiores da Akatsuki, e que ele precisava esquecer Sasuke, que já havia caído na escuridão e estava preso nas garras do Hebi no Sannin, Orochimaru.

    Naruto, como um belo idiota naquela época que não pensava no que falava, havia dito que então ele seria o maior idiota do mundo, mas que não desistiria de Sasuke e o traria de volta. Ele pensava frequentemente "E se eu tivesse respondido o contrário naquela conversa? E se eu  tivesse aceitado o tal treinamento pesado e além do normal? Eu teria me tornado muito mais forte? Poderia ter desmantelado a Akatsuki e trazido Sasuke de volta para Konoha muito antes de tudo acontecer?".

    Como ele já havia deixado claro: ele não se arrependia das escolhas que fez, mas pensava o quão teria sido diferente se tivesse feito escolhas que teriam evitado diversas tragédias. Talvez poderia ter evitado a própria Quarta Grande Guerra Ninja, se tivesse destruído a Akatsuki antes mesmo de toda a bomba ser jogada por Obito durante a Reunião dos Kages na Cúpula no País do Ferro. Talvez poderia ter salvado Sasuke antes do mesmo matar Itachi e ficar traumatizado por descobrir a verdade por trás do Massacre do Clã Uchiha e querer destruir Konoha, que foi quando ele realmente caiu de vez na escuridão - e quase de forma irreversível. Ele sabia que jamais poderia redimir Obito - ele estava muito além da compreensão em seus objetivos com Madara em prol do Mugen Tsukuyomi (Tsukuyomi Infinito) -, mas e quanto aos outros? Se ele fosse mais forte, maduro e inteligente, poderia ter percebido que havia algo de errado no Massacre dos Uchiha e ter ajudado Itachi? Poderia ter topado com Nagato muito antes do Ataque em Konoha e tê-lo convencido de que o que estava fazendo em sua busca pela paz era errado? Poderia ter impedido a morte de Nagato e tê-lo redimido, tornando-o seu amigo?
 

Poderia?


     Porém, agora ele não pode mais se preocupar com o que poderia ter sido, mas sim com o que pode ser. A Guerra pode ter acabado; a Akatsuki pode ter sido dissolvida; a paz duradoura pode ter sido instaurada; porém, novos inimigos podem surgir - e inimigos bem preocupantes, como os Ōtsutsuki, que mostraram-se ser uma ameaça realmente assustadora, como a própria Kaguya. Quantos mais Ōtsutsukis podem existir, ou, de alguma forma - como Kaguya -, retornarem?

      Por meio destes pensamentos, e por estar visivelmente preocupado com o que poderia vir pela frente com novas ameaças potencialmente - e terrivelmente - grandes, Naruto chegou à conclusão final: ele precisa ficar mais forte. Mas não só em questão de poderes, com jutsus e novas técnicas - até por que, ele provavelmente é o shinobi mais forte vivo atualmente -, mas sim mentalmente também. De nada adianta ter um poder grande se não souber usá-lo de maneira inteligente. Ele sempre ignorava os pedidos e alertas de Jiraiya para fortalecer sua mente, mas como um bom baka que era, nunca dava ouvidos. Agora, depois de tanta reflexão e tempo pensando nisso, ele vê como isso fez falta e que precisava mudar. Amadurecer. Evoluir. 

         E Naruto sentia que ficando em Konoha, não iria conseguir evoluir da forma que queria e precisava. Não que ele não gostasse mais de Konoha. Longe disso; ele apenas sente que irá encontrar as respostas para sua evolução ao ver o mundo e as outras Nações Elementais com outros olhos...como seu sensei adorava fazer. Naruto agradecia eternamente por tudo que Jiraiya tinha lhe ensinado e proporcionado, só lamentava que tivesse percebido algo tão óbvio tão tarde. Ver Sasuke e ele sem seus braços, no final da Batalha Final deles no Vale do Fim, o deu um choque de realidade. Ele viu tudo que Jiraiya e outros - como Kakashi - tentaram o alertar e ele ignorou tanto, só ligando em obter poder para trazer Sasuke de volta, mas sem ligar para como usar este poder da forma mais inteligente e racional possível. Ali, ele viu que precisou que seu amigo e ele perdessem um braço só para as coisas voltarem ao normal, e ele sentia que aquilo poderia ter sido evitado, bem como diversas tragédias que haviam acontecido. Como eu poderei me tornar Hokage se continuar sendo um baka imprudente?

 Por conta de Jiraiya e sua intuição, Naruto sabia que a resposta para suas questões não estavam em Konoha...

Ele teria que viajar pelo mundo e deixar que Kami o guiasse.

                                                                                                Ruas de Konoha

          Pelo movimento animado e constante de aglomerações de pessoas pelas ruas de Konoha, uma curta cabeleira rosada se destacava das demais. Uma jovem de dezessete anos muito bonita e de aspecto sereno e alheio. Haruno Sakura, Chuunin de Konoha e aprendiz da Sannin Lendária, Senju Tsunade, Godaime Hokage. 

       Desde o fim da Guerra, Sakura fora uma das pessoas - e Kunoichis - mais ocupadas entre todas. Por conta das centenas de feridos - e como a Iryō-nin (Ninja Médica) mais promissora de todas -, ela foi uma das principais peças-chaves no Grande Hospital de Konoha para ajudar com os feridos. Se já não bastasse o milagre que ela havia feito quando salvou a vida de Kankuro do veneno de Sasori em Suna, há um ano, quando foram resgatar o Kazekage, Gaara, dessa vez ela surpreendeu no tratamento de Neji.

      Quando ele se atirou no campo de batalha na Batalha Final na Guerra para salvar Hinata e Naruto, a madeira que o atingiria em cheio acabou pegando "de raspão", afetando sua coluna e quase o fazendo ficar paralítico e ter que abandonar a carreira shinobi se não fosse socorrido rapidamente. Graças a muito trabalho duro e suor escorrido - e uma boa dose de Iryō Ninjutsu​ (Ninjutsu Médico) misturado com a inteligência e perspicácia da jovem kunoichi -, ele conseguiu ser salvo por Sakura e sua equipe médica, ficando mais alguns dias em recuperação, mas recebendo alta logo em seguida e ficando bem. 

          Sakura também se provou muito inteligente - novamente - quando ajudou Tsunade a criar duas próteses de braços sintéticos criados a partir das células de Senju Hashirama, Shodaime Hokage. Foi um trabalho que exigiu muita dedicação e tempo, mas acabou mostrando-se um sucesso. Grande parte do trabalho não foi nem para criar e moldar os braços em si, mas para deixar a pigmentação dos mesmos no tom de pele normal, invés de uma cor pálida sem vida, como dos Zetsus. Outro tópico que deu trabalho foram os canalizadores de chakra que teriam que ser implantados na extensão dos braços, para permitir o fluxo de chakra para realizar selos de mão e concentração de chakra. Os braços acabaram ficando iguais aos braços dos Seis Caminhos de Pain, por conta dos canalizadores pretos de chakra; porém, Naruto acabou achando aquilo ridículo e usou o braço enfaixado mesmo, e, para maiores surpresas, Sasuke negou sua prótese, alegando que a perda de seu braço esquerdo era para lembrá-lo de todos os erros que o mesmo cometeu quando caiu na escuridão.

          E falando em Naruto e Sasuke, Sakura estava mais do que feliz por Sasuke finalmente ter voltado e o Time 7 estar reunido novamente. Ela quem fez questão de cuidar de ambos em sua recuperação durante o mês em que passaram no hospital. Nesse período de tempo, ela pôde notar uma mudança repentina - e de certa forma brusca - tanto em Sasuke quanto em Naruto. Sasuke, estranhamente estava se abrindo mais e conversando mais. Antigamente, se Sasuke trocasse mais de cinco palavras na mesma frase, poderia-se considerar uma declaração do mesmo. Além disso, ele se mostrava mais caloroso; muito diferente daquele garoto frio, seco e indiferente de antes. Obviamente ele ainda não se abria tanto quanto uma pessoa normal - considerando por tudo que ele passou, não vai ser da noite pro dia que ele vai simplesmente mudar e ficar mais sociável - ,mas para o padrão Uchiha Sasuke, já estava bem mais gentil e conversadeiro.

       Já Naruto, que era um tagarela escandaloso, ficou mais calado e pensativo, e aquilo realmente preocupou a rosada. Era como se os papéis tivessem sido invertidos. Sasuke, o calado e distante agora estava sociável e gentil; e Naruto, o sociável e gentil, estava calado e distante. Obviamente, ela o abordou diversas vezes para ele falar o que estava acontecendo consigo, e, como em todas as vezes, ele desviava do assunto ou inventava outro, ou simplesmente dizia que estava tudo bem e ela não precisava se preocupar, dando seu típico sorriso. 

        Sakura, mesmo estando muito preocupada com o amigo - que não era abalado por coisas banais e pequenas, sendo a pessoa mais forte que ela conhece -, decidiu depois de um tempo de parar de importuná-lo com tantas perguntas. Ela tinha seu temperamento difiícil; porém, tinha maturidade o suficiente para notar que seu amigo precisava de espaço. O que a estava preocupando era o quê de fato estava causando aquela reação repentina no loiro. Ela não conseguia pensar em nada. Ele havia conseguido salvar Sasuke da escuridão e trazê-lo de volta para Konoha; ele obteve não só o tão sonhado respeito e admiração dos moradores de Konoha, mas do mundo inteiro. Ele não era somente o Herói de Konoha, mas sim do Mundo. Era para ele estar mais feliz do que nunca, mas por que não estava? Era o que a jovem kunoichi se perguntava.

       Naruto só esboçava uma reação mais voltada para o antigo Uzumaki quando ela aparecia com rámen para ele. Aquilo sempre levantava seu astral, mas ela ainda percebeu que não era o mesmo sorriso e reação de antes quando ele visava rámen ou chegava no Ichiraku, pronto para comer doze tigelas extra-grandes de porco. Era só uma reação mais feliz da que ele estava tendo. Esses fatores, combinados aos sentimentos e sensações confusas da rosada, estavam a deixando muito confusa, apesar de feliz por tudo estar bem.

      Sakura estava confusa em relação aos seus sentimentos tanto pelo Uzumaki quanto por Sasuke. Ela percebeu que, agora que já não existia mais o desespero de correr atrás de Sasuke para trazê-lo de volta, ela não estava mais sentindo aquele típico frio na barriga que sentia quando mais nova, sempre que avistava o Uchiha ou sequer pensava no mesmo. Ela estava se sentindo mais segura em sua companhia e não mais nervosa e eufórica como antes. Ela sempre levava uma boa conversa com ele quando ia cuidar do mesmo no hospital, apesar de ainda estar receosa com ele por conta de tudo que ele fez à ela e Naruto, mas parecia mais uma sensação de amizade e carinho entre companheiros do que um sentimento de paixão ou amor. Não que Sakura não amasse mais o Uchiha; mesmo após tudo que ele fez para ela, como quase tê-la matado e a posto naquele genjutsu horrível; porém, ela aprendeu com um certo Uzumaki a perdoar acima de tudo.

         Obviamente ela ainda guardava receio, mágoa e até raiva dele pelo que fez a ela, tanto que, apesar de estar feliz pelo mesmo estar mudando para melhor, ainda assim ficava com certo rancor dele. Porém, o amor que ela estava sentindo pelo Uchiha não era mais o mesmo de antes...era realmente algo entre amigos, pelo menos era o que ela sentia; e o sentimento que ela tinha por ele, estava começando a sentir pelo ninja número um, hiperativo e cabeça-oca: Uzumaki Naruto. 

          Sempre que ela ia cuidar de Naruto, ficava mais alegre e empolgada. Sentia saudades do loiro, em outras palavras, mesmo que ela fizesse e sentisse involuntariamente, mas não admitiria isso nem para si mesma. Sempre chegava animada para conversar com ele de forma gentil e carinhosa, algo que o Uzumaki estranhou muito, visto que ela só se comportava assim com o Uchiha, no passado. Gostava de dar rámen na boca dele, e de vez em quando, sem perceber, ficava fitando o loiro seguidamente, enquanto ele olhava para qualquer canto do quarto com um olhar pensativo; o que estava intrigando e preocupando muito a rosada, visto que ela ficava triste por ele não falar mais tanto como antes, mas, de qualquer jeito, ela estava cada dia mais apegada ao Uzumaki. 

           Na verdade, não era de agora que isso estava acontecendo. Desde que Naruto voltou de seu treinamento com Jiraiya há um ano, Sakura aos poucos estava começando a ver o loiro-baka de outra maneira. Viu o quanto ele tinha ficado forte, o quanto ele tinha amadurecido - mesmo que só um pouquinho -, o quanto ele tinha ficado atraente...

          No início, ela ficou afastando estes pensamentos, achando que fosse pura bobagem e justificando que, na verdade, aquilo era saudade de seu melhor amigo, e saudades de seu amado Sasuke-kun, e nada mais. Nada mais...

         Porém, desde que Naruto começou a desenvolver o Rasenshuriken (Shuriken Espiral), os pensamentos - e sentimentos - começaram a intensificar. Ela começou a admirá-lo ainda mais pela forma como estava se esforçando e treinando intensivamente para criar um novo jutsu. Logo depois, no Ataque de Konoha de Pain, Sakura entrou em desespero quando viu que Naruto estava lutando sozinho contra o Líder da Akatsuki que possuía o lendário Rinnegan. Foi um misto de sentimentos: ela estava feliz por ele ter chegado em tempo para lutar contra Pain, mas ao mesmo tempo, angustiada por ele estar justamente lutando contra ele. Isso explica a reação dela logo que o Uzumaki voltou e ela o abraçou de uma forma que jamais havia abraçado alguém antes. Ela percebeu que não suportaria a dor de perdê-lo, mesmo ela não demonstrando da melhor maneira toda essa consideração que tinha pelo loiro. 

         Ela acabou ficando mais próxima dele. Começou a sentir saudades quando não estavam juntos, e quando ela teve a ideia de se declarar para o mesmo para ele desistir de Sasuke, no País de Ferro, ela, na hora, sabia que aquilo era mentira - era mesmo? A rosada, logo depois ficou refletindo sobre isso. Se tudo aquilo que ela disse para Naruto realmente era mentira ou não. Talvez nem ela conseguisse confirmar isso, já que, na época, haviam coisas maiores a se preocupar, mas agora, ela já podia considerar aquilo como meia-verdade - ou totalmente verdade, sem querer admitir. Aos poucos, conforme ela começava a abrir os olhos e ver como Sasuke estava agindo e no que estava se tornando, viu que Naruto era sempre quem a amparava, quem a motivava, quem a ajudava, quem a alegrava, quem era a ponte dela.

         Por conta destes sentimentos conflitantes dentro de si, ela decidiu ir falar com sua melhor amiga e irmã de consideração, Ino, enquanto o loiro e o moreno estavam ainda no hospital sendo tratados. Ino ficou surpresa quando Sakura revelou tudo aquilo; tudo que estava sentindo, mas, apesar de todas as evidências apontarem que ela estava se apaixonando pelo loiro-baka, sabia que, assim como o próprio Uzumaki, Sakura era extremamente cabeça-dura e teimosa, não admitindo as coisas sem antes irritar todo mundo negando - até para si mesma. 

         Ino, sem perder a chance de fazer suas famosas malícias por conta do que Sakura havia dito em relação ao loiro - e ao Uchiha -, disse para Sakura que ela estava apaixonada pelo Uzumaki, e que ela precisava conversar e se declarar para ele. Sakura, obviamente, ficou em choque com essa conclusão da loira. Ela também admitiu que, sabia que uma hora ou outra, a aprendiz de Tsunade iria admitir seus sentimentos pelo baka. Apesar de sempre dizer que era apaixonada por Sasuke, Ino notava que Sakura também agia de um modo único ao lado do loiro. Outras pessoas diriam que era apenas um comportamento amistoso para com um amigo - socos amistosos ? -; porém, a Yamanaka conhecia muito bem sua amiga desde os seis anos de idade. Sabia como ela se expressava de forma dura e sabia que tinha algo a mais ali, mesmo que ela não admitisse nem para si mesma. 

       Sakura, como uma boa teimosa e cabeça-dura que é, disse que não estava apaixonada pelo baka, que era maluquice de Ino e que Naruto era apenas amigo dela, e que só estava se sentindo estranha em relação a ele e Sasuke apenas. Apenas. Ela tinha certeza de que uma hora isso iria passar e seus sentimentos iriam estar clareados e certos outra vez. Ino adverteu ela que, se não fizesse algo, iria se arrepender, pois tinha muita garota atrás do loiro agora, e ela iria ficar a ver navios se fosse teimosa. Sakura sentiu uma pontada de ciúmes em relação a isso, mas, obviamente, não admitiu, e disse que não se importava. 

        Ela continou a se portar do mesmo modo com o loiro hiperativo - na verdade, intensificando cada vez mais -, sempre mostrando uma animosidade anormal, segundo o Uzumaki, quando ela ia cuidar dele. Ela pensou que, depois de duas semanas cuidando dele, aquele comportamento esquisito do loiro de caladão e vago iria se dispersar e o escandaloso iria voltar, mas não voltou. Na verdade, assim como ela foi intensificando seu comportamento carinhoso para com o Uzumaki, ele foi intensificando também seu comportamento fechado, ficando cada vez mais distante, parecendo que se esforçava muito pensando em algo. 

           Ela então imaginou que fosse o clima deprimente do hospital, e concluiu que, quando ele recebesse alta, estaria com o astral muito melhor e voltaria a ser o animado Naruto - o Naruto dela. Porém, não aconteceu. Diversas vezes, a rosada tentava encontrar ele para conversar ou passar um tempo juntos - ainda não querendo admitir que estava apaixonada por ele -, mas quase nunca o encontrava, e quando encontrava, ele dava uma desculpa para sair de perto dela rapidamente, sem nem dar chances dela responder as desculpas esfarrapadas que ele dava. Avistar sequer o baka estava cada vez mais difícil.

        De início, ela ficou triste e angustiada por esse comportamento do loiro. Será que ele está assim por causa de mim? Querendo se afastar de mim?, era o que pensava a rosada. Cada vez mais, ele parecia uma sombra distante que ela nunca iria alcançar.

         Sakura se apavorou realmente quando foi ao Ichiraku para saber onde estava o loiro; afinal, aquele lugar era basicamente a segunda casa dele. Porém, quando Teuchi lhe disse que ele não foi ao Ichiraku nenhuma vez desde que saiu do hospital, Sakura viu que tinha algo muito, mas muito errado. Ela falou com o grupo de amigos deles sobre o assunto, e todos eles de primeira estranharam muito a ação do loiro. Até Sasuke demonstrou preocupação em relação ao loiro, já que Naruto não tinha conversado direito com ele desde o Vale do Fim. Todos tentaram falar com ele, mas, assim como Sakura: quase nunca o encontravam, e quando encontravam, ele dava desculpas esfarrapadas e saía logo em seguida. Até para Sasuke, que era o melhor amigo dele, o que surpreendeu o grupo.

 Sakura ficou aliviada por saber que ele não estava assim exclusivamente com ela, ou por causa dela, mas, mesmo assim, a preocupação falava mais alto. Eles chegaram a recorrer para Tsunade e Kakashi, que lhes disse para dar um tempo para Naruto. Eles também estranharam as ações do loiro, mas viram que não era nada de tão preocupante. Ele apenas precisava de espaço e ficar sozinho, e eles respeitaram isso, mesmo que de vez em quando, eles o procuravam para saber como ele estava. Todos os Doze de Konoha haviam se tornado mais amigos e nutriam um carinho ainda maior por Naruto depois da Guerra; por tudo o que ele fez por eles durante esses anos, desde quando eram genins com doze anos apenas. Queriam retribuir ao menos um pouco o que ele tinha feito por eles. 

            Mas ainda assim, Sakura precisava falar com ele. Ela queria falar com ele. Sentia saudades dele. De suas trapalhadas, de seus gritos exagerados; até de dar socos nele Sakura sentia falta. Era a forma dela de demonstrar carinho com o Uzumaki. Uma forma única que ela desenvolveu ao longo dos anos com ele.

        Sakura - que estava voltando de um jardim nos arredores de Konoha com ervas medicinais que ela colheu - foi tirada de seus devaneios e pensamentos quando ouviu uma voz chamando por ela. Uma voz que ela conhecia muito bem. A voz de uma loira com um rabo de cavalo com uma franja caindo sob um dos olhos, top e saia roxos e equipamentos ninjas: Ino, sua melhor amiga.

  Ino: SAKURAAAAA - Gritou a loira correndo ao encontro de Sakura.

Sakura: INO! Pra que gritar desse jeito, Porca? - perguntou a Haruno em tom provocativo.

Ino: Ora, parecia que era o único jeito de você me ouvir, já que você estava no mundo da lua...ou melhor: em um mundo de cabelos loiros e olhos azuis, né? - completou Ino de forma zombeteira e maliciosa.

Sakura (gaguejando): O-ora, Ino! N-não dig-ga besteiras. - disse Sakura corada. "Que legal! Era a última coisa que me faltava: ficar parecendo a Hinata falando com o Naruto, gaguejando e corada. Por que diabos eu estou gaguejando por causa do Naruto? Nem com Sasuke-kun eu fazia isso!" - pensou a Haruno. 

Ino (rindo): A vermelhidão na sua cara e testa-de-marquise já entregaram tudo! Além da hinateira, digo, gaguejeira - completou a Yamanaka chorando de rir. 

Sakura: INO-PORCA, PARA! - Disse ainda mais corada, parecendo um pimentão e indignada. 

Ino: Bom...mas, eu já te disse: se você não correr rápido, vai ficar pra trás. Naruto já estava ganhando muitas fãs e admiradoras por conta dele ter salvado Konoha, mas depois que ele simplesmente salvou o Mundo Shinobi, o número quadriplicou. - disse a loira se recuperando do acesso de risos - Vai ficar pra trás, Testa. Já viu quantas garotas por dia ficam falando dele sem nem ele estar por perto? Mas não é pra menos. Admito que ele ficou um gato, e aquele braço enfaixado deu um ar mais charmoso para ele. - completou a Yamanaka de forma sincera, mas querendo provocar cíumes na rosada caminhando ao seu lado pelas ruas de Konoha. 

Sakura: INO! Pare de dizer bobagens! Como se eu ligasse para essas garotas que correm atrás dele, e não sei do que está falando quanto a "Eu correr atrás dele"!. - Disse a Haruno emburrada fazendo bico.

       Sakura sentiu uma pontada de ciúmes com o que sua melhor amiga havia dito, e sobre ela dizer que Naruto estava um gato. Realmente, o Uzumaki tinha adquirido uma legião de fangirls; e com isso, ela descobriu-se uma pessoa muito ciumenta. Mas ela acabou não ficando surpresa, já que, assim como Naruto, ela era uma pessoa intensa, de sentimentos fortes, então era natural que tivesse um ciúmes mais elevado, mas claro, ela não admitiu que aquilo era ciúmes. Para ela, era apenas raiva pelo Uzumaki estar a ignorando. Isso...só raiva, apenas. Nada de ciúmes.

        Sakura se lembrou de uma vez que se mordeu de ciúmes numa das tentativas de encontrar Naruto e acabou-o encontrando. Porém, quando ele estava dando sua desculpa esfarrapada para zarpar dali, mais ou menos um grupo de cinco garotas abordou o loiro com presentes, começando a abraçá-lo - na verdade, sufocá-lo, segundo a opinião da rosada - e dizerem coisas como "Naruto-senpai, você é tão lindo! Naruto-senpai é demais. Naruto-senpai é incrível e forte."

  Nisso, Sakura expulsou as garotas de lá parecendo o próprio Shinigami (Espírito da Morte), enquanto o loiro aproveitava da situação para correr dali, não antes de estranhar muito a reação da flor de cerejeira para com as garotas.

Ino: Sakura, mas falando sério agora - Ino mudou drasticamente seu semblante feliz e risonho para sério, e Sakura viu que ela queria falar realmente a sério -, já disse antes e vou falar novamente: se você continuar com essa sua mania de ser teimosa e orgulhosa, além de cabeça-dura, vai deixar ele escapar, e aí você vai se arrepender amargamente. - Completou a Yamanaka de forma mais séria e em tom de aviso possível.

Sakura (emburrada): E eu já te disse mil vezes que eu não sei do que você está falando! O Naruto é meu amigo. Aliás, meu melhor amigo. A.M.I.G.O. Quer que eu soletre novamente? - Disse de forma debochada a flor de cerejeira. 

Ino: Bom, não venha chorar pelo leite derramado depois, por que vai acontecer; mas, de qualquer forma, acho que nem adiantaria você se declarar para ele agora. Ele realmente precisa de espaço e tempo sozinho. Eu, você, Sai-kun, Kiba, Hinata, Shino, Lee, Neji, Tenten, Shika, Chouji e Sasuke-kun, enfim, todos nós já fizemos todo o possível por ele.

      Dessa vez, quem usou o tom malicioso foi Sakura. 

Sakura: "Sai-kun", é? - Disse estreitando os olhos com um sorriso malicioso nos lábios para a kunoichi loira, na esperança de fazer a Yamanaka parar de falar que Sakura precisava se declarar pro loiro e que estava apaixonada por ele, mas Sakura não deixou de sentir um arrepio quando Ino disse "Bom, não venha chorar pelo leite derramado depois, por que vai acontecer". Aquelas palavras penetraram na jovem kunoichi.

Ino (corada): O que tem? O Sai-kun e eu temos nos aproximado. Ele me ajuda bastante na floricultura, e foi meu maior ombro-amigo depois da morte do otou-san. - Terminou falando de forma triste e cabisbaixa. 

     Sakura se sentiu culpada neste momento. Ela ajudou ao máximo Ino a lidar com a morte de seu otou quando ele morreu na Guerra, junto a Nara Shikaku, pai de Shikamaru. Porém, sentia que poderia ter feito mais, mesmo estando tão ocupada no hospital, com tantos feridos, tratamentos, Naruto e Sasuke, Neji...sentia que poderia ter feito mais por sua amiga.

Sakura (triste): Ino, eu...

Ino: Tá tudo bem, Saky. - interrompeu a loira com um sorriso - Você estava muito ocupada no hospital, e você fez o máximo por mim. Sabe que não guardo mágoas, ainda mais de você. Estava cumprindo seu dever como a talentosa Iryō-nin que você é, salvando vidas.

Sakura (emocionada): Ino...

Ino: A Testa vai chorar de emoção? É isso mesmo? - disse a loira de forma zombeteira. 

Sakura: INO-PORCA! - Esbravejou a rosada.

Ino: Uma vez temperamental, sempre temperamental. - disse Ino rindo - Mas enfim, só estava passando e vim falar com você se está tudo bem. Não se preocupe, o Naruto-baka não vai ficar assim por tanto tempo. Ele deve estar absorvendo sobre tudo que aconteceu nesse último ano pra cá desde que ele voltou. Foi muita coisa. 

       Sakura tinha que admitir. Naruto foi o mais afetado por tudo que aconteceu. Para variar, não é? Ele precisava e tinha o direito de ter esse tempo para ele. Foram muitas coisas fortes seguidas uma da outra que aconteceram. Ascensão da Akatsuki; Sasuke decidindo sair das sombras; morte de Jiraiya; Ataque de Pain á Konoha; Cúpula dos Cinco Kages; Sasuke caindo de vez na escuridão; Quarta Grande Guerra Ninja; Madara; Obito; Kaguya...é realmente muita coisa, e não teve-se espaços entre elas para pensar ou sequer respirar. Ele merecia esse descanso.

Sakura: Tem razão. Por mais que eu esteja com vontade de espancar aquele baka e arrastá-lo para pelo menos conversar comigo, vou respeitar a vontade dele, por enquanto. - Disse a Haruno com um sorriso gentil. 

Ino: Conversar e dar uns amassos, né? - disse de forma maliciosa Ino, causando uma cara corada e emburrada em Sakura - Tudo bem. Eu já vou indo. Preciso abrir a floricultura e cuidar da loja. Ja nee! - Disse a Yamanaka correndo, se afastando da rosada e acenando.

Sakura: Ja nee! - A Haruno acenou de volta para sua melhor amiga.

    Sakura refletiu sobre as palavras de sua irmã de consideração e decidiu dar o tempo que o Uzumaki precisava. Ele realmente merecia isso, mais do que todos. Não que as outras pessoas não tivessem sofrido com tudo que aconteceu, mas Naruto foi até alvo da Akatsuki e um dos motivos para a Quarta Grande Guerra Ninja acontecer. Ele tinha o direito de ficar sozinho. 

    Ainda assim, Sakura estava refletindo sobre o fato que Ino tanto repetia e afirmava com convicção: ela realmente estava apaixonada por Naruto? Ela, orgulhosa como sempre, afastava tal possibilidade, mesmo que fizesse e sentisse de forma involuntária um sentimento de carinho além de amizade pelo loiro. E as palavras que Ino havia dito, estavam ecoando na cabeça da rosada.

            "Bom, não venha chorar pelo leite derramado depois, por que vai acontecer."

      E em meio a estes pensamentos, Sakura foi rumando para sua casa, feliz pela atual situação que Konoha se encontrava, com tanta gente nas ruas andando e conversando de forma animada e alegre, como se não precisassem se preocupar com nada, mesmo que ela estivesse tensa e confusa pelo que estava se passando no seu coração.

                                                                                                 Distrito Uchiha 

        Na única residência ocupada no infame e esquecido Distrito Uchiha, estava sentado na varanda um rapaz de cabelos lisos e arrepiados atrás, olhos ônix negros como a penumbra da noite, com o detalhe destacado de não ter o braço esquerdo. Um rapaz que mergulhou no poço da escuridão quase sem poder voltar, quase sem salvação, se não fosse por um loiro hiperativo que fez de tudo para trazê-lo de volta. Um rapaz que cometeu atos desumanos e matou diversas pessoas sem pudor ou sensibilidade nenhuma, mas que acabou encontrando uma luz no fim do túnel: este era Uchiha Sasuke.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                    Sasuke estava observando o pôr-do-sol daquele fim de tarde fresquinho e calmo - ao mesmo tempo agitado - em Konoha. Já faziam dois meses que tudo havia acabado, mas ele continuava em sua luta constante para sua jornada de redenção. Estava observando os pássaros passando pelo jardim do quintal de sua casa, lembrando de diversas memórias de sua infância: as vezes em que tentou executar o Goukakyuu no Jutsu (Jutsu Bola de Fogo) para receber a tão sonhada e cobiçada aprovação de seu otou-san; as vezes em que chegava da Academia Ninja e comia os lanches deliciosos que sua okaa-san preparava; e, principalmente, as vezes em que passava um tempo com Itachi, seja treinando, conversando, brincando, ou apenas dando uma volta.

         Itachi passou a ser a inspiração de Sasuke quando pequeno, e, depois de toda a verdade sobre o Massacre dos Uchiha ter sido revelada, voltou a ser sua inspiração em maior escala. Ele admirava eternamente seu irmão. O amava incondicionalmente. Se Naruto, por um lado, não sentia arrependimentos por tudo o que fez, Sasuke era o inverso: sentia arrependimento e culpa por tudo o que havia causado. Ele havia prometido que iria mudar - e realmente estava mudando -, mas não conseguia evitar tais pensamentos de culpa e decepção de si mesmo quando se lembrava de tudo o que fez e de como agiu por anos. A indiferença com que tratava todos; como maltratava Sakura; como não dava valor às pessoas que lhe queriam bem; como desconsiderou a todos quando fugiu; como sucumbiu ao fundo mais profundo do ódio quando queria destruir Konoha; a sua fase mais horrível e pútrida, quando parecia mais um animal irracional do que de fato uma pessoa, nem se importando quando quase matou Sakura e Karin...e sem contar no que causou a Naruto. Por Kami, com Naruto era aonde estavam os maiores arrependimentos dele.

              Naruto era o único que o entendia quando ficou sozinho. Era quem sabia a dor da solidão e tristeza, e Sasuke o ignorava, achando que laços o tornavam fraco. Sempre o menosprezou e o diminuiu, quase o matou no Vale do Fim, há três anos. O fez passar por diversas situações para trazê-lo de volta; e, principalmente, teve que perder um braço para fazer Sasuke enxergar o quão Naruto chegou longe por ele, por que o considerava um amigo. Sasuke não se sentia com nenhum pingo de dignidade para merecer uma amizade dessas.

               O Uchiha era orgulhoso, mas, depois da Batalha Final deles, ele decidiu que era hora de mudar de verdade. O tempo no Grande Hospital foi bom para ele. Ainda se sentia receoso depois de tudo o que fez para Sakura e todos, mas estava mudando com ela depois de ter pedido desculpas à mesma. Conversava com ela, mostrava-se mais sociável e mais receptivo ao contato. Ela estava sendo uma amiga e tanto para ele. Na companhia dela, Sasuke pôde ver o quão incrível Sakura era, e que, na verdade, quem era o irritante sempre foi ele, e não ela, como ele a chamava. 

                   Ele estava disposto a ser o amigo que ela merece. E que Naruto merece, principalmente. Queria se redimir e estar presente para os dois para o que precisassem. Esse laço o dava forças, e não o contrário. Ter amigos era muito bom, na opinião do Uchiha. Queria ser o melhor amigo que o Uzumaki sempre mereceu e foi para o moreno, e este último queria retribuir o favor ao máximo para o loiro. 

              Não só com eles, mas Sasuke também queria se redimir com Karin, a quem quase morreu por culpa dele, e ela estava mais próxima dele fisicamente, já que, depois da Guerra, Karin, Juugo e Suigetsu decidiram morar em Konoha, tanto por acabarem gostando do pessoal da Vila quanto por terem que pagar pelos crimes que a Equipe Taka cometeu. Os três iriam ter que prestar serviços comunitários por um ano; já Sasuke teria ido para a Prisão de Sangue por um ano; porém, mais uma vez, a cavalaria chamada Uzumaki Naruto o salvou. Naruto convenceu o Conselho de fazê-lo prestar um ano de serviços comunitários, usando de sua grande reputação recém-adquirida, que, por incrível que pareça, funcionou nas múmias do Conselho.

           Sasuke, mais uma vez, sentia-se em débito com o loiro. Na verdade, ficar apenas um ano preso depois de tudo o que ele cometeu era bom demais para ser verdade. Levando em conta tudo o que ele fez, deveria ter pego uma pena de, no mínimo, vinte anos; porém, por ter salvado o Mundo Shinobi junto a Naruto, selando Kaguya, a pena foi drasticamente reduzida. Ele não reclamou de ficar um ano preso, mas o Uzumaki barulhento não admitia, e conseguiu fazê-lo cumprir apenas serviços prestados à comunidade.

         De primeira vista, após terminar sua pena, Sasuke queria sair de Konoha para ter sua jornada de redenção. Achava que encontraria o caminho do bem lá fora; porém, logo, decidiu que, na Vila era onde ele deveria ficar para ter sua redenção. Precisava do calor das pessoas, do contato com elas, e fazer amigos e se redimir com os que mereciam, e ele não queria se afastar de certas pessoas, como Karin, Suigetsu, Juugo, Sakura, Kakashi, e Naruto. Principalmente Naruto. 

           
Ele estava realmente muito preocupado com Naruto. Desde a luta deles no Vale do Fim, o Uzumaki não trocava mais palavras do que o necessário com qualquer um, incluindo Sasuke. Ele se preocupou bastante quando viu no hospital que até com Sakura ele estava assim. Naruto sempre foi animado e disposto a tudo pela rosada, e vê-lo agindo de forma até indiferente com ela foi esquisito e preocupante

        Sasuke, em seu complexo de culpa por conta de tudo o que causou, acha que ele está assim por conta dele. Na estadia no hospital, tentou diversas vezes conversar com o loiro, mas ele sempre cortava o assunto rapidamente. Parecia até que Sasuke estava diante de um espelho, vendo seu antigo reflexo. E ele tinha medo disso. Não queria que o Uzumaki se tornasse igual a ele. Era puro e bondoso demais para isso.

Tentou falhamente conversar com ele quando sairam do hospital, mas ele evitava a todos. Quando Sakura avisou seu grupo de amigos que ele não foi nem ao Ichiraku, o Uchiha soube que era o apocalipse. Considerou até que não tivessem saído do Mugen Tsukuyomi. Mas, como Kakashi os aconselhou: era para dar um espaço para o loiro. E ele faria isso. Por seu amigo. Seu irmão. Não era de todo errado que ele o considerava seu irmão, já que eles eram tecnicamente irmãos por serem as reencarnações dos filhos de Ōtsutsuki Hagoromo, o Rikudō Sennin (Sábio dos Seis Caminhos), Ōtsutsuki Indra e Ōtsutsuki Ashura.

         De qualquer modo, Sasuke estaria lá por seu amigo. Naruto sempre esteve por ele, e ele precisava retribuir. E não somente com ele. Estaria lá por todos os seus amigos e pessoas próximas. 

            Ele precisava estar lá para seus amigos...fosse o que fosse. 

                 Fosse o que fosse.

                                                                                                  Escritório do Hokage 

              
Saquê e mais saquê. Era só o que Tsunade via pela frente. E era o que sentia descendo por sua garganta. Desde o fim da Guerra, a Senju, por mais que estivesse feliz - e orgulhosa - do trabalho feito pela Aliança Shinobi e pela vitória da paz, estava cansada e esgotada. Sentia que seu tempo como Hokage já havia atingido o prazo-limite. Ela acabou descobrindo que, nestes três anos como Hokage, acabou pegando gosto pelo cargo, mesmo que fosse algo estressante - e até maçante. Sentia pena do que o Uzumaki desejava tanto. Ser Hokage era estresse demais. 

           Apesar de ser Hokage por apenas três anos, a Sannin das Lesmas sentiu que era a hora dela passar o manto e chapéu de Hokage para outro. Tsunade era uma mulher marcada por cicatrizes da vida. A morte de seu irmão, Kawaki; a morte de seu namorado e Ojisan de Shizune, Kato Dan, e a morte do amor de sua vida que ela descobriu ser somente quando o mesmo morreu: Jiraiya. 

          Ah, o que ela não daria para voltar no passado e dar uma chance para o Sannin dos Sapos que sempre a amou e esteve disposto a dar todo o carinho do mundo para ela...e ela, com sua teimosia, sempre o recusava. O quanto ela se arrependia disso...

         E mais recentemente, Tsunade foi marcada pela cicatriz da Quarta Grande Guerra Ninja. Tsunade viu a morte de perto nessa Guerra, como ela jamais havia visto na Segunda Grande Guerra Ninja. Sentiu o medo e o pavor iminentes de seu mundo ser afogado em uma enorme ilusão. Mas tinha que ter um certo loiro, junto à sua aprendiz, um grisalho e um moreno renegado para salvar o mundo. O Time 7.

          Tsunade sentiu um enorme orgulho de sua pupila, que era uma garotinha tão frágil há alguns anos, e, agora, havia ultrapassado até ela no quesito de habilidades, principalmente com o Byakugou no Yin (Selo da Força de Uma Centena). Sakura havia superado todas as suas expectativas. Era uma prodígio.

         E, obviamente, por mais que não fosse seu aluno, Tsunade também sentia grande orgulho de Naruto, por tudo que o viu passar, por sua trajetória, e por ter superado todos os obstáculos e desafios para chegar até onde está. Agora, ele é o shinobi mais poderoso do mundo, com apenas dezessete anos. O gaki fazia verdadeiros milagres, e, para ela, fez quando ela o conheceu. Naruto sempre mudava a vida das pessoas, e com ela não foi diferente. Fez ela superar seu trauma de sangue e seguir em frente, tornando-se Godaime Hokage. 

          Porém, já era demais para ela tudo o que ocorreu. Assim como o loiro, ela precisava de um tempo, e continuando a ser Hokage, não ajudaria em nada. Ela não mostraria eficiência e serviço estando neste estado, então precisava logo providenciar um Rokudaime, e não só ela sabia quem era o mais indicado, mas muitos já sabiam. Afinal, foi ele quem quase se tornou Rokudaime quando ela ficou em coma após o Ataque de Konoha de Pain.

                       Ele. Hatake Kakashi. Filho do Canino Branco de Konoha.

                                                                                       Quebra de Tempo - Quatro Dias                                                                                                                
        Quatro dias depois da decisão de Tsunade, ela já havia conseguido uma reunião com o Daimyō do País do Fogo, juntamente com os conselheiros e líderes dos Clãs e Civis para nomear oficialmente o Rokudaime Hokage. Muitos durante a reunião brincaram com o fato de ser ou não o Hatake quem seria escolhido para o cargo, pois todos ali já estavam cientes de que seria ele. Era a escolha mais óbvia desde que Tsunade quase havia sido comprometida devido ao coma durante a Invasão de Pain. 

          Com a decisão sendo unânime - certamente, se Danzō estivesse vivo, seria o único contra, e tentaria persuadir outros através de sua maior habilidade: a lábia -, Kakashi havia sido escolhido para o cargo. Ele, como sempre, não demonstrava nem felicidade ou empolgação, mas também nem tristeza ou decepção; apenas assentia envergonhado por ser mais uma vez que estava ali, sendo nomeado Rokudaime. 

            Neste meio tempo de quatro dias, Naruto estava aproveitando seus últimos momentos em Konoha, aproveitando ao máximo, sendo até nostálgico algumas vezes. Visitou o Campo de Treinamento 3, relembrando do dia do teste para se tornar genin, junto de Sakura e Sasuke. Riu ao ver os três troncos e lembrar do momento vergonhoso e engraçado quando falhou no teste e fora amarrado no tronco do meio. Lembrou de seu treinamento para criar o Rasenshuriken também. Logo foi no Ichiraku, e, como não ia ali há quase um mês, decidiu recompensar o tempo perdido quando pediu 15 tigelas extra-grandes. Teuchi, como agradecimento pelos feitos de Naruto na Guerra, deixou tudo por conta da casa. Naruto sabia que sentiria saudades do rámen do Ichiraku.

           Visitou também a Floresta da Morte, lembrando do Chunin Shiken (Exame Chunin), e ficando um pouco melancólico ao se lembrar de Orochimaru colocando o Ten no Juin (Selo Amaldiçoado do Céu) em Sasuke, quando o Sannin das Cobras se disfarçou de genin de Kusa durante o exame, somente para morder Sasuke. De certa forma, foi ali que tudo começou. No Chunin Shiken. A morte do Sandaime; o Ataque de Oto e Suna em conjunto contra Konoha; a liberação de Shukaku e quando Naruto conheceu Jiraiya. 

          Ele pensou em reunir todos os seus amigos para passar um tempo com eles antes de partir por tempo indefinido; porém, achou que as despedidas seriam difíceis. Não para eles - até por que ele não falaria sua ideia de sair pelo mundo, sabendo que poderiam impedi-lo -, mas para Naruto em si. Quando ele saiu em viagem com Jiraiya por quase três anos, também não se despediu adequadamente de ninguém. Apenas quem encontrava pelo caminho para fora da vila. Despedidas não eram o forte do Uzumaki. 

         O loiro também tinha assuntos pendentes para com seus amigos, mas achava melhor que os resolvesse quando voltasse - sabe-se lá quando isso seria. Ele não saberia reagir com Hinata depois da declaração dela para ele durante a luta contra Pain. Na época, eles estavam ocupados com a Akatsuki e a Guerra, uma vindo atrás da outra, então ele nem teve tempo de pensar nisso, por conta das mil e uma preocupações que o rondavam. Mas agora, que teve tempo para pensar nisso, ele sabia que não saberia como reagir diante deste assunto com Hinata. Ele nutria um grande carinho e admiração por ela, desde sua época como genin, como no Chunin Shiken, onde ela não desistiu contra Neji por conta do apoio moral que Naruto deu, mas não passava disso. Não era amor ou paixão. Apenas amizade.

           O coração dele pertencia a uma certa rosada enérgica, e ela, por sua vez, amava um certo moreno - pelo menos era o que ele achava. Ele havia prometido que iria se declarar para ela quando trouxesse Sasuke de volta, mas, o fato de que ele não se achava pronto para isso - devido à sua imensa imaturidade com estes assuntos e com a escolha certa de palavras, já que a flor de cerejeira se irritava fácil -, combinado ao fato de que Sasuke estava muito mais sociável e realmente arrependido e mudado de tudo o que cometeu, o fizeram reconsiderar o ato. Talvez fosse melhor deixar as coisas como estavam. Ele não poderia cogitar viver um romance se nem sabia como trocar meia dúzia de palavras com a Haruno sem levar um soco, por ser tão excêntrico. Além disso, ele não sabia mais se queria continuar nisso.

Vendo tudo que Sasuke causou a Sakura, como quase tê-la matado - se não fosse pelo loiro chegando no último momento - e tê-la posto naquele Genjutsu horrível, ferindo-a a chamando de irritante, faziam o Uzumaki ficar perplexo. Talvez ele nunca conseguisse mostrar para Sakura o quanto ele tinha a oferecer e estava disposto por ela - ou talvez ela simplesmente não quisesse enxergar, pensava o loiro. Ele já havia cumprido a promessa para Sakura de trazer o moreno de volta - mesmo que ela já tenha deixado claro pra esquecer essa maldita promessa que só trouxe dor -, então tudo estava resolvido. Ele seguiria em frente, e mesmo que ele ainda quisesse conquistá-la, não teria condições, pois era imaturo e inexperiente demais para isso. Com certeza ficaria nervoso e falaria bobagens.     

             Um dos motivos para sua viagem era justamente para amadurecer mentalmente e evoluir. Não poderia cair de cabeça nisso. Mesmo que fosse impulso, ainda tinha senso de noção. 
                                                                                                                                                                                                                                            Neste momento, o loiro estava em seu apartamento reconstruído após o Ataque de Pain. Eram por volta de 23h da noite. O Uzumaki estava terminando de arrumar sua mochila e pergaminhos, assim como suprimentos, rumo à sua jornada de evolução. Considerou por bastante tempo em levar seu retrato do Time 7, mas tinha receio de perdê-lo ou até mesmo de acabar sentindo tantas saudades de Konoha que voltaria, esquecendo de seu objetivo. Decidiu guardá-lo com carinho em uma das gavetas.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                             Deu uma última olhada no apartamento. Apesar de não ser o mesmo de antes, era praticamente idêntico em tudo. Sabia que partiria cedo - e como não perderia tempo, já queria dar um "adeus" a seu apartamento agora. Não seria tão cedo ao ponto do sol recém nascer, mas nas primeiras horas da manhã. Já rumaria para o País do Vento, já que era a Nação Elemental mais próxima do País do Fogo, e de lá, rumaria para as demais Nações, deixando que Kami o guiasse. 

Kurama: Dando uma última vista antes de partir para a grande aventura de evolução do maior gaki de todos, o Grande Naruto? - Disse Kurama de forma dramática e zombeteira.

 Naruto: Oe, me deixe com meu momento de tristeza! - Disse com lágrimas de anime. - Talvez eu nunca mais veja esse lugar de novo.

Kurama: Ora, que drama. Até parece que você vai morrer ou jamais voltar pra Konoha depois da sua jornada pra deixar de ser pirralho e virar homem. - Disse a Kyuubi se segurando em risos.

Naruto: Não é por que eu vejo o quanto criança ainda sou que você pode sair toda hora falando assim de mim! - Disse o loiro de forma acusatória para a raposa - Mas eu não sei o que me aguarda nessa jornada...então me despeço daqui como se fosse a última vez que vejo este lugar, assim como me despedi de outros lugares de Konoha e meus amigos.

Kurama (sério): Entendo...Mas acho que você está sendo muito melodramático em relação à esta jornada. Pode ser que não seja tão drástica em termos de mudança.

Naruto (sério): Talvez, mas mesmo assim, já deixo tudo preparado. Boa noite, Kurama-san! Amanhã começará um novo momento para nós! - Disse o Uzumaki se deitando em sua cama pela última vez.

Kurama: Boa noite, gaki. Veremos como será isso - Disse Kurama se ajeitando para dormir também.

       O que nem a Bijuu nem o loiro desconfiavam seria o quanto as coisas mudariam nesta viagem. Principalmente com Naruto, trazendo novos ares em todas as extensões possíveis.


       
         Já era por volta de 9h da manhã em Konoha. Naruto foi ao Ichiraku e comeu um último rámen e rumou para o Escritório do Hokage para explicar sobre sua decisão de sair de Konoha. Quando ele entrou pela Escritório, onde estavam Shizune, Tsunade e Kakashi - que estava aproveitando para ver como seria o trabalho de um Hokage, já que seu mandato e cerimônia de nomeação ocorreriam somente daqui a um mês -, Tsunade quis contar a surpresa para Naruto sobre Kakashi ter sido nomeado Rokudaime. Ela sabia que o Uzumaki-baka ficaria extremamente feliz pelo sensei estar sendo nomeado ao cargo.

       Mas o loiro não deu nem tempo da Senju contar a novidade. Disse de forma séria e calma sobre sua jornada pelo mundo por tempo indefinitivo, e que não prometeria mandar correspondências frequentemente por não saber o que viria pela frente. Todos se espantaram pela ação do jovem genin. Tsunade e Kakashi logo viram o por quê do afastamento do loiro de todos ao seu redor e o por quê parecia sempre tão pensativo.                         

   Tsunade viu em Naruto uma versão nova de Jiraiya, principalmente depois que ele contou - obviamente não tão explicitamente os motivos de sua jornada, que era algo muito pessoal - que queria explorar novos horizontes, viajando pelo mundo. Kakashi ficou um pouco triste por isso. Fazia um ano que Naruto havia voltado justamente de sua jornada com Jiraiya, e, logo quando voltou, tudo começou a acontecer, sem tempo para descansos ou descontrações. Queria aproveitar mais tempo com seu aluno e filho de seu sensei, mas respeitava a decisão dele.

Tsunade insistiu que o loiro esperasse ao menos uma hora para partir, pois queria que todos os amigos dele estivessem lá para se despedir. Ele ficou com receio disso, tendo-os evitado justamente por não saber lidar com despedidas, mas a Sannin falou de forma que o Uzumaki não teria escolhas, e só pode suspirar profundamente com isso. 

        Quase uma hora depois, todos os amigos de Naruto já estavam lá, juntamente com Tsunade, Kakashi, Shizune, Yamato e Iruka, que Tsunade sabia que havia sido como um irmão mais velho para Naruto quando o mesmo era mais novo, e Yamato pelo carinho que o mesmo desenvolveu para com o loiro no seu período de treino e como sensei substituto. Obviamente, quando todos foram chamados pela neta do Shodaime Hokage e souberam do motivo, se espantaram igualmente. Até Shikamaru, que estava analisando bastante as ações  e comportamento do loiro nos últimos tempos, ficou chocado pelo motivo de ter sido chamado. Sabiam o quanto Naruto era apegado à Konoha, e que só partiu com Jiraiya há quatro anos por sugestão do mesmo. Naruto ir por vontade própria era bem surpreendente.

Quem mais ficaram surpresos foram os amigos mais íntimos do loiro: Sakura e Sasuke. Sasuke jamais imaginou tal decisão vinda do loiro, justamente pelo fato de ele nutrir um grande carinho por Konoha e por seus amigos. Ele se sentiu em desespero, pois Naruto era seu melhor amigo e irmão. Tinha que recompensá-lo por tudo o que fez o mesmo sofrer. Não queria que ele partisse. De repente, se sentiu na pele de Naruto e Sakura quando ambos souberam que ele havia fugido de Konoha para o encontro de Orochimaru, há quatro anos. Então foi assim que eles se sentiram? Pensou o jovem Uchiha.

Sakura talvez tenha ficado triplamente mais desesperada que o moreno quando soube. Do jeito que os dois estavam se sentindo, parecia que Naruto havia fugido de Konoha e se tornado nukenin, mas a ideia de tê-lo longe era incabível, principalmente para a pupila da Sannin das Lesmas. Naruto vivendo na mesma vila que ela e não conseguindo vê-lo já era ruim, agora, tê-lo bem longe de si, era outra coisa. De repente, lhe caiu a fixa do que Ino disse a ela quatro dias atrás.

 

 "Bom, não venha chorar pelo leite derramado depois, por que vai acontecer."

 

Agora Sakura havia entendido o que aquelas palavras proferidas pela Yamanaka significavam e por que haviam ficado marcadas nela. Ela realmente estava apaixonada pelo Uzumaki. Estava se martelando internamente por ser tão orgulhosa e cabeça-dura a níveis astronômicos. Precisava chegar a níveis como este, com Naruto prestes a deixar Konoha por um período indeterminado, que poderia durar semanas, meses, anos, para ela perceber as coisas e admitir seus sentimentos para si mesma. Idiota, idiota, idiota, idiota!, pensava a Haruno sobre si mesmo.

Naruto estava chegando ao grande portão de Konoha, avistando seus amigos, juntos a seus senseis com Shizune e Tsunade. Ele havia aproveitado essa uma hora que Tsunade deu para todos se reunirem para ele ir visitar os túmulos de seus pais e o Memorial de Pedra, onde o nome de Jiraiya havia sido entalhado. Se despediu de três das pessoas mais importantes de sua vida e rumou para o portão.

Chegando lá, todos o olhavam com visível comoção, mas, apesar disso, estavam felizes, e Naruto também. Vendo todos aqueles rostos sorrindo para ele - e estranhando demais que Sakura estava lacrimejando sem esboçar sorrisos e Sasuke demonstrava certa aflição também -, ele ficou feliz. Sentiria saudades de todos, independente de quanto tempo passasse nesta jornada. Sejam senamas, ou até anos. 

Kiba: Se cuida, perdedor! Não vai morrer no caminho, por que ainda vai perder para mim quando disputarmos o título de Hokage! - Disse o Inuzuka em ar divertido, que fez todos rirem.

Shino: Kiba, o Naruto deixou a gente no chinelo desde o Ataque de Pain da Akatsuki. - Disse Shino de forma séria.

Kiba: Oe, mas ele ainda vai perder para mim no posto de Nanadaime Hokage! - disse Kiba irritado.

Naruto: Hehe, pode deixar, Kiba! Ainda iremos lutar, mas aviso que vou vencer, 'ttebayo! - Disse com o punho levantado.

Kakashi: Se cuide, Naruto. Você é o shinobi mais famoso no mundo agora. O que não faltará são pessoas querendo atacá-lo. Mesmo com tanto poder, se cuide. Jamais subestime o inimigo. Minato-sensei não iria querer você andando descuidado a fora neste mundão - Disse o Tokubetsu Jounin de forma séria.

Shikamaru: Mendokusē, que desastre seria se o Herói do Mundo Ninja acabasse perecendo para bandidos comuns por puro descuido - Disse o Nara de forma provocativa para brincar com o Uzumaki.

Sai: Levando em consideração que Naruto é o desastre em pessoa, não duvido disso - Disse o ex-membro da ANBU NE, sabendo como tocar na ferida do loiro. 

O grupo explodiu em risadas. Mesmo Sasuke e Sakura permitiram-se rir um pouco do comentário do pálido. O que estranharam foi o fato de justamente o loiro-baka estar rindo também.

Naruto (rindo): Hehe, prometo que irei me cuidar, Kakashi-sensei! Não se preocupe, Sai! Eles vão experimentar do meu punho se sequer se atreverem a tentar algo contra mim - Disse com um olhar determinado. 

Lee (com chamas nos olhos): WOOOOOOOOOOOOAH É ISSO AÍ, NARUTO-KUN! MOSTRE A ELES O FOGO DA JUVENTUDE! - Disse Lee, deixando todos com enormes gotas na cabeça.

Tenten: Lee...- Disse suspirando.

Neji: Volte logo, Naruto. Não queremos ficar sem nosso Herói por muito tempo. - Disse o Hyuuga sorrindo de canto.

Iruka: E por favor, coma bastante. Não vá se meter em lugares suspeitos ou com pessoas suspeitas. Também não fique dormindo tarde, e não beba! Isso pode afetar bastante seu organismo e desempenho shinobi. Eu expliquei isso em diversas aulas na Academia Ninja, mas, como de costume, você nunca escutava, então digo novamente agora. Não gaste mais dinheiro do que precisa, e também...

Naruto: Já entendi, já entendi, Iruka-sensei! Irei me cuidar, hehe! - Disse o Uzumaki rindo.

Ele foi surpreendido por um abraço de Iruka. O mais velho podia ser durão e casca grossa; porém, a situação não era lá das mais favoráveis para seu emocional. Seu otouto de consideração estava partindo sozinho pelo mundo, seguindo os passos do sensei Sannin dos Sapos. Naturalmente, ele fica extremamente preocupado, mesmo sabendo que o Uzumaki tem capacidade suficiente para se cuidar. 

Iruka: Boa sorte. - Disse o Umino com uma lágrima discreta escorrendo pela bochecha esquerda.

Naruto: Iruka-sensei, obrigado...por tudo! - Disse o Uzumaki retribuindo o abraço.

Sakura, ao ouvir tais palavras, se lembrou de quando Sasuke fugiu de Konoha e ela era a única que o viu saindo pelo portão na época. Ela havia entrado em desespero, e Sasuke a nocauteou, proferindo as mesmas palavras que Naruto disse para Iruka.

 

"Sakura, obrigado...por tudo."

 

De repente, o estado de desespero da rosada havia voltado, e se lembrou do por que estava tão aflita. Quando vinha para o portão, percebeu que Ino a olhava com uma cara de "Eu avisei.", e ela sabia que havia feito besteira ao negar tanto o que estava óbvio.

Sakura: Naruto...- Proferiu a Haruno se contendo para não desabar em lágrimas, de cabeça baixa e com as mãos juntas ao peito.

Naruto: Hai, Sakura-chan? - Disse o Uzumaki se desfazendo do abraço de Iruka observando a rosada com clara confusão pelo estado dela.

Sakura (chorando): Por favor, não vá - Disse se atirando no Uzumaki para abraçá-lo fortemente e derramando-se em lágrimas e mais lágrimas.

Todos, assim como o Uzumaki, ficaram atônitos pela ação da flor de cerejeira. Estavam tristes e ainda chocados pela vontade do loiro de querer sair de Konoha, mas não sabiam que algum deles chegaria a tal ponto, mesmo Sakura, que era a pessoa mais próxima ao Uzumaki, junto a Sasuke. Apenas Ino e Tsunade estavam certas do que aquilo significava. A Sannin conhecia muito bem sua pupila e já vinha desconfiando pela forma como ela tratava o baka, além de que via em Sakura e Naruto, ela e Jiraiya, e tinha receio da mesma cometer o mesmo erro de perceber seus verdadeiros sentimentos quando fosse tarde demais.

Kakashi desconfiava do comportamento de Sakura, mas não considerou tanto como Tsunade e Ino. Shikamaru também considerou a hipótese, mas por não ter tanta experiência no assunto, mesmo que fosse extremamente inteligente, descartou a teoria.

Naruto: S-Sakura-chan...calma. - Disse o loiro reconfortando a rosada em um abraço.

Sakura (chorando): Por favor, fique aqui! - Disse a Haruno - Você já ficou tempo demais fora com Jiraiya-sama, treinando e treinando...agora que finalmente está tudo bem, você deveria ficar aqui com as pessoas que se preocupam com você e seus amigos. As pessoas precisam de você. Eu preciso de você - Disse a última parte em um sussurro, o que fez somente o Uzumaki ouvir.

Naruto: Sakura-chan, eu...

Sakura: E talvez seu braço possa piorar...- Disse a rosada sem prestar atenção a qualquer coisa que o Uzumaki dissesse.

Naruto: Sakura-chan...- Naruto ainda suplicando para falar a ela.

Sakura:...e também você mal está comendo. O Teuchi-san me disse isso...- Sakura disse ainda avulsa ao que o Uzumaki dizia.

Naruto: Sakura...- Naruto estava começando a se irritar.

Sakura:...deveríamos deixar você em observação, só até termos certeza de que você está be-

Naruto: SAKURA! - Brandou o Uzumaki a afastando do abraço e deixando-a frente-a-frente com ele, pegando-a pelos ombros.

Todos foram pegos de supetão pela reação do loiro. Sakura ficou assustada, pois estava totalmente alheia às coisas ao seu redor, focando-se apenas no que dizia e alertava para o Uzumaki ficar em Konoha. Ele esbravejando seu nome daquele jeito, a afastando de seus braços e a encarando com as mãos em seus ombros a fez lembrar de uma ocasião muito horrível para si: a declaração no País do Ferro.

Na época, Sakura estava confusa com seus sentimentos e estava assustada pelo que seu "amado" Sasuke estava fazendo e se tornando, e a aproximação com o loiro a estava fazendo descobrir novos sentimentos, e, na época, ela só havia feito aquela declaração para fazer Naruto desistir de convencer todos a não matarem Sasuke, mas vendo agora, ela consegue ver que havia verdade naquelas palavras. Se sentia cada vez pior pelas coisas que fazia ao Uzumaki e causava a ele, desde que se conheceram. Parecia que a única coisa que ela conseguia causar a ele era incômodo e dor.

Vendo que pode ter parecido muito duro ou rude, Naruto logo suavizou seu semblante e tom de voz. Naruto também notou e teve uma forte intuição de que Sakura tinha algo para falar - ou revelar - que não seria conivente para ele - talvez fosse Kurama tentando alertá-lo de algo que ele deveria evitar, ou iria se estressar com isso -,  e ele não queria contra-tempos ou dores de cabeça para sua jornada. Queria a mente totalmente limpa para o que iria conhecer.

Naruto: Sakura-chan...fique tranquila. Estarei de volta, mas por ora, não posso ficar aqui. Tenho lugares para visitar e conhecer. Tenho um objetivo a cumprir, e o cumprirei! E enquanto isso, você e todos precisam cuidar da vila que tanto lutamos para proteger. Siga com a Vontade do Fogo. - Disse o Uzumaki determinado com um sorriso tranquilizador que desarmou Sakura, enquanto ele apertava carinhosamente os ombros dela. Todos se surpreenderam com as palavras do aprendiz do Sannin dos Sapos, e ele já demonstrava sinais do início de sua evolução.

Sakura: Mas então deixe eu ir com você! Você pode precisar de ajuda e alguém para te impedir de fazer besteiras, baka! - Disse a rosada impressionando ainda mais os presentes por oferecer-se para ir com o loiro. Ela nem controlava mais o que dizia - apenas dizia o que sentia

Quando ela iria falar mais, o loiro notou e colocou o dedo indicador da mão normal nos lábios dela, o que a fez corar levemente.

Naruto: Shhh...não diga besteiras, Sakura-chan. Você precisa cuidar do hospital. Ninguém ganha de você como Iryō-nin. É a melhor! - Sakura corou mais um pouco pelo elogio repentino do Uzumaki. - Só me prometa uma coisa...fique forte. - Disse o loiro com o semblante sério.

Sakura: Naruto, eu...

Naruto: Prometa, Sakura-chan. Prometa que será forte o bastante para lidar com qualquer coisa! 

Sakura estava triste por não ter a chance de se declarar para o loiro. Realmente, Ino estava certa. Ela iria chorar pelo leite derramado. O loiro estava muito convicto em sua jornada, seja lá o que ele estivesse ambicionando, mas sabia que, se ele coloca algo na cabeça, não volta atrás; afinal, esse é o jeito ninja dele que ela admira tanto.

Se sentindo derrotada por ter chegado tarde demais, Sakura apenas concordou com o loiro. Ela já o tinha perdido há muito tempo, na verdade. Sempre o maltratando. Ah, como ela queria voltar no tempo...Quando pensava que havia amadurecido, descobria que ainda era uma garotinha explosiva e imatura.

Porém, ali, junto à promessa que faria a Naruto, Sakura prometeu para si mesma que jamais faria o Uzumaki sofrer novamente. Ela o recompensaria por tudo que fez ele passar, e o conquistaria. Ela aprendeu com ele a nunca desistir, e mesmo que estivesse triste pela jornada do loiro, estava confiante de que ele ficaria bem. Afinal, era ele.

Sakura: Eu prometo, Naruto! - Disse Sakura de uma forma tão confiante e determinada que impressionou todos ali, inclusive Naruto.

Naruto: Obrigado sempre por ter estado comigo, Sakura-chan. - Disse o Uzumaki com um sorriso lindo, segundo a rosada, enquanto limpava as lágrimas das bochechas dela; e, no ato mais impressionante do dia, a beijou na testa, bem em cima do Selo Byakugou, enquanto segurava o rosto dela. Aquilo fez Sakura e as deviumais garotas corarem, mas Sakura, diferente das demais que estavam coradas levemente, estava vermelha igual um pimentão, e sabia disso, pois estava se sentindo muito quente, como se o rosto estivesse fervendo.

Vendo que Sakura estava atônita e em outro mundo, Sasuke viu a oportunidade para falar com o loiro.

Sasuke: Naruto, eu vou com você! - Disse o Uchiha com determinação estampada na face. A maioria já esperava aquilo vindo dele, visto que ele estava basicamente em débito com o Uzumaki e o considerava um irmão.

Naruto: Não, Sasuke. Você precisa ficar aqui. - Vendo que o moreno não desistiria tão fácil da ideia, voltou a falar antes do outro começar - Você é um dos shinobis mais fortes do mundo atualmente. A vila precisa de você, e, além disso, você precisa ficar aqui também. Você não queria se redimir por tudo o que fez? Aqui é o lugar para isso! Você precisa conviver com as pessoas para clarear seu caminho. Forme laços, assim como nós formamos um.

Mais uma vez, todos se impressionaram pelas palavras do loiro. Estava começando a saber utilizar o cérebro para formular frases ao invés de simplesmente dizer coisas sem nexo. O Uchiha viu verdade naquelas palavras. Era exatamente o que ele havia pensado. Primeiro, queria sair de Konoha para buscar sua redenção, mas, depois de ver que precisava de pessoas ao seu redor e criar laços para se redimir, decidiu ficar em Konoha, e o loiro, agora, estava dizendo exatamente isso. Ele não queria que seu melhor amigo fosse embora; porém, como devia tanto a ele, iria respeitar sua decisão. Faria isso por ele.

Sasuke: Está bem...- Disse o moreno, abrindo um sorriso de canto.

Naruto: Cuide da vila também, Teme. - Disse o loiro de forma zombeteira estendendo o punho.

Sasuke: Deixe comigo, Dobe. - Proferiu o Uchiha batendo punhos com o loiro.

Hinata: N-Naruto-kun...boa sorte! - Disse a Hyuuga de forma determinada, mas tímida, surpreendendo todos e fazendo Neji sorrir com a atitude da azulada.

Naruto ficou um pouco mais tenso com a Hinata, sentindo um nó na garganta, apesar de ficar feliz pelo apoio dela. Ali, perto dela, teve ainda mais certeza de que não saberia como iniciar ou sequer falar sobre aquele assunto com ela. Alguns diriam que é covardia, mas para o Uzumaki, era precaução. Ele não queria magoar Hinata. Precisava ser preciso com as palavras e escolhê-las da melhor forma possível. Sabia que ela era sensível. Ele não têm maturidade para lidar com uma situação dessas. Ainda não, pensava o loiro.

Naruto: Arigatou, Hinata! - Disse sorrindo para ela, recebendo um sorriso gentil dela de volta. Ela andava bem mais confiante, o que era excelente. 

Tsunade: Bom, gaki, sayonara, e volte bem, e inteiro! - Disse a Senju pulando no Uzumaki, se segurando para conter as emoções enquanto o abraçava, algo que surpreendeu os presentes, que só viam a Sannin durona.

Naruto: Hehe, pode deixar Obaa-chan! Prometo que irei me cuidar 'ttebayo! - Disse ele rindo enquanto a abraçava de volta.

Após sair do abraço e rumar para fora do portão, Naruto virou-se para trás para visualizar Konoha. Viu o Monte Hokage. Os rostos de Senju Hashirama, Senju Tobirama, Sarutobi Hiruzen - para Naruto, Hiruzen-jiijii - e seu otou-san, Namikaze Minato, além da Obaa-chan, Tsunade. Iria evoluir e superar os Hokages em nível de inteligência e maturidade - mesmo que fosse um grande desafio ultrapassar a inteligência de Tobirama, que provavelmente era o shinobi mais inteligente que já pisou na terra -, mas ele iria conseguir. Viu seus amigos todos o observando, com Sakura tendo ambas as mãos juntas ao peito e Tsunade e Iruka lacrimejando.

Todos: SAYONARA, NARUTO/NARUTO-KUN! - Disseram em uníssono acenando para o loiro.

Naruto: SAYONARA, MINNA! - Rebateu o Uzumaki acenando de volta.

Nisso, ele virou-se e rumou para seu destino. Sua jornada. Sua Evolução.

Naruto não sabia o que viria pela frente, nem quanto tempo ficaria nisso, e o quanto iria mudar. Pensava se de fato iria mudar, se iria amadurecer e ficar mais forte - tanto mentalmente quanto em poder. Queria fazer a diferença - mais do que já havia feito. Queria ser forte. Inteligente. Maduro. Volátil. Um gênio.

Ele sabia que iria enfrentar muitos desafios, mas tinha Kurama ao seu lado - ou dentro de si -, e sabia que poderia contar com seu amigo Bijuu, além dos outros oito Bijuus, que deram parte de seu chakra para o Uzumaki e poderia conversar com eles também. Não estaria sozinho nesta jornada, mas ele precisava evoluir singularmente. Só dependia dele.

Porém, o que nem ele, nem Kurama, ou nem mesmo as outras Bijuus imaginavam ou sequer cogitavam era o que essa jornada cheia de surpresas os aguardava. Eles não tinham nem ideia de quantas coisas iriam acontecer, e de quanto o Uzumaki evoluiria e se tornaria o mais forte de todos. Do que o aguardava, o que ele aprenderia, o quanto treinaria, o quanto mudaria, o quanto descobriria e quem ele conheceria.

 

Eles não tinham nem ideia.                            


Notas Finais


Espero que tenham gostado. É apenas o primeiro capítulo e prólogo de minha primeira fanfic. Comentem o que acharem melhor. Críticas construtivas sempre bem-vindas.

P.S: Me desculpem se o desenvolvimento dos sentimentos de Sakura pareceram muito repentinos e forçados, mas é que eu já queria iniciar a fanfic com essa questão já sendo resolvida, e a fase principal da fanfic será no período de The Last, com eles tendo seus dezenove anos, e queria iniciar a fase principal com os sentimentos de Sakura em relação a Naruto já tendo sido abordados.

Também peço desculpas pela carência de diálogos do capítulo, mas é que este capítulo era mais para resolver e estabelecer bases para a fase principal da fanfic dois anos depois, e não queria começar a fanfic já no período de The Last; por isto fiz o prólogo para direcionar e encaminhar alguns pontos já resolvidos para a fase principal, explorando pensamentos e pontos de vista dos personagens.

Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...