História Nascida a meia noite - Camren - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Ariana Grande, Fifth Harmony
Personagens Ariana Grande, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Visualizações 58
Palavras 984
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aí gente voltei.. queridos/das leitores/as me desculpem por esse meu atraso kk eu estava doentinha ( ainda estou ) mas quem não fica com esse frio que só por Deus né? Kkk esse foi o motivo da minha demora, não estava conseguindo nem raciocinar direito kk mas voltei.. E logo volto de novo.. espero que aproveitem o cap.. E uma boa leitura a todos
Ps: deixem seus comentários sobre essa história 🌚 kk

Capítulo 11 - Capítulo 11


Podiam ser estranhos, mas pelo menos tinham vindo no mesmo ônibus e ele parecia tão perdido quanto ela.

Ele se inclinou para camila:

- Você não trouxe drogas, trouxe ?

Camila ficou de queixo caído, chocada e mortificada, atirem em mim. Acabem comigo de uma vez. Por causa de seu pequeno deslize no refeitório agora todo mundo a considerava drogada.

Holiday, cabelos ruivos cascateando pelas costas, os levou para uma pequena cabine, logo atrás do refeitório. Do portal de madeira, pendia uma placa com os dizeres ESCRITÓRIO DO ACAMPAMENTO. Camila e os outros quatro a seguiram até um recinto nos fundos que mais parecia uma sala de aula.

- sentem - se, garotos -e holiday se debruçou sobre a mesa da frente, aguardando que todos se acomodassem.

A mulher não tirava os olhos dela um instante, como se camila estivesse pensando em fugir. E, para crédito de holiday, essa idéia realmente havia lhe ocorrido mais de uma vez. Por isso mesmo tinha se sentado na cadeira mais próxima da porta.

Alguma coisa, porém, a impedia de dar o fora, além do fato de nunca ter sido muito boa em corridas. Sem falar no medo de ser apanhada tentando fugir.

Curiosidade.

Por motivos que desconhecia, camila pressentia que holiday sem dúvida iria explicar o que estava acontecendo. E camila precisava desesperadamente de uma explicação.

- muito bem - começou holiday, oferecendo a todos um sorriso que pretendia ser tranquilizador. Mas só um sorriso não tranquilizaria camila.

- o que vou dizer será um alívio para muitos de vocês, pois lá no fundo, já sabem que tem algo... diferente. Alguns souberam disso a vida toda e outros só encontraram seu destino há pouco tempo; mas, seja como for, o que vou dizer talvez pareça chocante - os olhos de holiday se desviaram para camila - Vocês, meninos e meninas, estão aqui porque são especiais. Talentosos.

Holiday fez uma pausa e camila esperou que alguém arriscasse a pergunta. Como ninguém disse nada, ela própria areiscou:

- defina " especial ".

- todos já lemos sobre criaturas sobrenaturais, lendárias, e desde a infância nos dizem que eles não existem. Mas, na verdade, existem, sim. Neste mundo, nem todos são iguais. Alguns são muito diferentes dos outros. Alguns nasceram assim, outros foram transformados. Mas, não importa o que aconteceu a vocês, se estão aqui é porque este é o destino. Um destino escolhido por vocês mesmos.

- espere um pouco - disse camila sem poder se conter - Está querendo dizer que... que coisas como... Como. ...

- os vampiros existem ? - perguntou o carinha dos piercings - aí, que merda! Eu sabia que não era maluco. Por isso fiquei doente.

Camila se esforçou para não rir. Ela tinha a intenção de falar em anjos ou coisas assim, mas aquilo. .. Era pura bobagem. O garoto sem dúvida tinha se entupido de drogas. Ninguém ignorava que... vampiros e besteiras do gênero não existiam.

Aguardou que holiday corrigisse o sujeito. Mas esperava algo mais.

Durante essa segunda pausa, camila lembrou - se de como era frio o toque da garota do ônibus. Lembrou - se da loira mudando o tempo todo a cor dos olhos. Lembrou - se do sapo de dinah que desapareceu. Não, não comece com isso...

- Você está certo, jonathon - assegurou holiday - os vampiros existem. E, sim, você se transformou num deles na semana passada.

- Eu sabia que não eram apenas sonhos - disse a outra garota - o lobo com que sonhei... parecia tão real.

- não - Camila levantou a mão e sacudiu a cabeça com tanta força que seus cabelos lhe golpearam o rosto dos dois lados - não posso acreditar nisso.

Holiday fitou - a.

- não estou surpresa, camila, com sua incredulidade.

- o que eu sou ? - interrompeu outra gaita de cabelos amarelos.

O que eu sou ? A pergunta intrigou camila. Não que ela própria tivesse a menor idéia de fazê - la. Não acreditava naquelas bobagens. Eu não acredito.

Holiday lançou um sorriso amistoso para a garota.

- sua mãe biológica foi uma fada. Você tem o dom da cura. E acho que já sabia disso.

Os olhos da garota se arregalaram com o que parecia uma sensação de alívio.

-sim, curei minha irmãzinha, não foi ? Meus pais pensaram que eu estava louca - disse ela - mas eu sei que fiz aquilo. Eu soube no momento em que aconteceu.

Holiday a olhou, compreensiva.

- essa é, muitas vezes, a pois parte. Saber o que sabemos sem poder compartilhar com ninguém. Infelizmente, poucas criaturas humanas comuns nos aceitam como somos. É também por isso que você está aqui: para aprender a usar seus dons e viver num mundo normal.

A cabeça de camila dava voltas. Lembrou - se das coisas estranhas que vinham acontecendo - o reaparecimento dos terrores noturnos e... O soldado Dude, o cara que só ela conseguia ver. O pânico começou a confundir sua lógica. Fechou os olhos e tentou desesperadamente acordar. Aquilo só podia ser um sonho

- Camila? - a voz de holiday a fez abrir os olhos. - sei que, para você, isso é difícil de aceitar.

- mais que difícil, impossível. Não acredito....

- mas tem medo de perguntar, não é? Medo de perguntar por que está aqui, pois, lá no fundo, sabe que pertence a este lugar.

O que sei é que meu pai e minha mãe não me querem. Por isso estou aqui.

- Eu não deveria ter vindo - disparou camila - nunca sonhei com lobos. O que tenho são terrores noturnos. Mal consigo me lembrar do que sonho. Não fui mordida por um morcego e não curei ninguém.

       - vampiros e lobisomens não são as únicas criaturas sobrenaturais que existem - holiday fez uma pausa e pressionou as mãos contra o peito - o que você que, camila ? Provas ?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...