1. Spirit Fanfics >
  2. Nasty Gal >
  3. Único.

História Nasty Gal - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Eu estava tentando escrever algo que se encaixasse no conto da pequena sereia, mas depois de um bom tempo eu fiquei estressada demais para trabalhar naquilo e decidi escrever algo mais leve e sem pensar muito.

Editar pelo celular é muito ruim então qualquer erro de ortografia, coesão e coerência será corrigido depois.

Bem, espero que tenham uma boa leitura.

Capítulo 1 - Único.


Harry Potter se sentia exausto, e ele queria muito que fosse de uma forma física, pelo menos seria mais fácil de resolver.

Ele era da polícia, como seu pai um dia já foi, e amava seu trabalho mesmo com todos os problemas e riscos. Tinha uma esposa, Ginny, e seus filhos, porém, seu casamento estava por um fio.

Harry e Gina brigavam praticamente todos os dias, por qualquer motivo por mais mínimo que seja. Qualquer sombra de amor que já existiu foi desgastado com o tempo e não existia mais nenhum rastro dele.

Mas ele era covarde demais para pedir o divórcio, como as crianças ficariam? Não queria separar seus filhos da mãe, nem separar os irmãos. Por isso, ele continuava arrastando esse casamento sem sentido.

E, por parecer estar sempre estressado e irritadiço seu novo parceiro, Draco Malfoy, o arrastou para uma boate após o turno. Eram duas da manhã e Harry já tinha tomado alguns drinks, sem nem querer saber onde o Malfoy estava, presumindo que ele já deveria ter achado uma companhia a essa altura.

Harry pensou em ir embora, porém, foi anunciada uma espécie de performance, o que provavelmente era o motivo da boate estar tão cheia numa terça-feira.

No palco, em meio a luzes coloridas estava um cantor, a atração principal da noite.

E ele era estupidamente bonito.

A calça preta marcava muito bem as pernas e o peitoral definido que parecia brilhar de suor e glitter dourado não tinha nada para cobrí-lo além de uma jaquela sukajan*.

I ain't nothin' but a nasty gal now hey hey

I said you said I was a bitch now

Didn't ya didn't ya

A voz soava em meio a todo o barulho, pessoas cantavam junto e dançavam. Harry se sentia um pouco deslocado ali, mas o homem sobre o palco prendeu sua atenção.

I ain't nothin' but a hey hey

Nothin' but a hey hey

I said you said I was an evil wench, oh

Didn't ya didn't ya

Os fios castanhos grudavam em sua face enquanto ele pulava e andava pelo palco, cantando com todo o seu coração e sem errar uma mínima nota.

Seus olhos se cruzaram por um momento, o azul ultramarino se chocando com o verde esmeralda. E Harry jurou que o viu piscar e sorrir em sua direção.

Porra.

Em um momento ele desceu do palco, andando em sua direção.

I ain't nothin but a nasty gal now

A hey a hey a hey

I said you said I turned you on, I turned you inside out

I even turned your head around now

E Harry sentiu como se estivesse sendo tentado pelo próprio diabo a medida que ele se aproximava, sem cortar o contato visual por nem um milésimo de segundo e o Potter estava hipnotizado demais para parar de olhar.

Até o momento em que ele finalmente parou a sua frente, ele era mais alto por alguns centímetros e não teve dificuldades em passar o braço ao redor do seu pescoço.

Mesmo na iluminação parcial, Harry poderia ver claramente o rosto bonito e os olhos azuis vibrantes que contavam com glitter dourado abaixo dos mesmos, dando um destaque maior as íris hipnotizantes.

Ele nem sequer se deu conta quando colocou as mãos na cintura fina, sentindo a pele quente sob sua palma contrastar com o frio da aliança em seu dedo.

A hey, hey, ain't nothin' but, a nothin' but, a nothin' but a

A hey, hey, a no good dirty nasty gal now

A música terminou, e ele abaixou o microfone, os rostos tão próximos que apenas um breve impulso bastaria para juntar os lábios. E foi isso que Harry fez ao som dos aplausos e gritos.

--

Antes que Harry se desse conta, ele já estava empurrando Tom (que ele descobriu o nome poucos segundos atrás) sobre a cama daquele motel barato, bastante satisfeito em poder vê-lo sob a luz.

Se ele já o achava bonito antes, agora que podia o ver claramente era como se estivesse vendo um filho de afrodite por tamanha beleza.

A pele clara era coberta por uma fina camada de glitter em algumas regiões, deixando-o estranhamente mais atraente aos olhos. O rosto aristocrático e belo, maçãs do rosto afiadas e hipnotizantes olhos azuis ultramarino.

- "Gosta do que vê, Harry?" - Seu nome saiu de uma forma fodidamente atraente da boca de Tom, cada letra sendo arrastada pela voz suave.

Ele não fez questão de responder, se apressando para se livrar das roupas incômodas logo.

--

Harry observava Tom fumar, a luz dos primeiros raios de Sol do dia vindos da janela o iluminava parcialmente, a tatuagem de uma cobra saindo de um crânio em seu antebraço direito destacando-se na pele pálida.

O Potter brincava com a aliança em seu dedo, soltando um suspiro longo. Ele nunca pensou que seria capaz de algo tão baixo como traição, mas também não se sentia arrependido.

Rony já havia deixado escapar "acidentalmente" que Ginny estava muito próxima de um dos colegas de trabalho, e Harry sabia muito bem o que "próximos" significava nessa questão.

Bem, é como dizem, chifre trocado não dói.

- "Eu vou embora primeiro. Você ainda tem que se arrumar e voltar para a sua esposa e filhos, não é? Se eu fosse você, me apressaria um pouco." - Harry quis perguntar como Tom sabia isso. Quer dizer, a aliança em seu dedo era um pouco óbvia, mas ele não havia falado sobre sua vida particular. - "Vi a foto na sua carteira."

Tom deu de ombros após a explicação, apagando o cigarro, começando a vestir sua calça e pegar sua jaqueta jogada em algum canto do quarto.

- "Você não se sente mal por saber que eu sou casado?" - Harry perguntou antes de Tom sair, ele apenas o olhou e deu uma risada.

- "Porque eu deveria? Eu não sou nada além de uma nasty gal." - Ele sorriu uma última vez e foi embora, deixando o Potter sozinho para lidar com seus próprios pensamentos.

Ele se perguntava se algum dia o veria de novo.


Notas Finais


Sem smut pq eu não sei escrever isso sem querer enterrar minha cabeça na terra de vergonha. E eu já tive uma experiência desagradável o suficiente escrevendo smut com we are art então se quiser ler uma putaria de escrita duvidosa tá aqui o link: https://www.spiritfanfiction.com/historia/we-are-art-19325390

*para quem quiser visualizar melhor, essa é a jaqueta que foi mencionada. Ela tem diversos designs diferentes (eu, inclusive, tenho uma. Além de bonitas são bastante confortáveis e eu uso em literalmente qualquer oportunidade), mas é essa que eu imagino o Tom usando: https://pin.it/2BzhLhA

A música que deu origem a essa fanfic, para quem quiser ouvir, é essa: https://youtu.be/Vf5NUBIcEyU

Eu prometo que escrevo melhor que isso, então se quiser ler outras tomarry minhas tem essa lista de leitura aqui: https://www.spiritfanfiction.com/listas/tomarry-5868872

Fiquem em casa e seguros,
Cya!~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...