História Natiese: - Te Amo Marretinha (3 Temporada) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello
Personagens Personagens Originais
Tags Amadn, Lgbt, Natiese, Romance
Visualizações 204
Palavras 1.133
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - O Arthur Sumiu


Priscilla: - Ele quem Ju? – Começa a fazer sentindo minha irmã. – O meu pior pesadelo, o rosto que me assombra desde que tinha 16 anos. Cris: - Amor você está falando de desgraçado que... Ela não termina por ver a filha ao seu lado. Diogo olha para a porta e corre na direção do homem, que foge antes que ele o alcance: - Mana tem certeza que era ele? – Claro que tenho nunca me esqueci do rosto do infeliz, ela diz derramando uma lagrima. Mel: - Mãe do que a sra está falando? – Outra hora eu explico meu amor. – Agora aproveita a sua festa, está bem a beijando na testa. Cris: - Você está bem mesmo morena? – Ah princesa estou me sentindo igual naquela época, sozinha e assustada.

Rodrigo: - Ei lesba pode parando você não está sozinha tem a sua mulher, suas filhas, seus pais, irmãos e amigos e nós nunca a deixaremos sozinha amiga. Marcelo: - E dessa vez o estupido do seu pai estará ao seu lado. Julia: - Papa o abraçando. – Oi meu amor depois da festa conversaremos melhor sobre isso, mais se acalma que tudo ficará bem.  Arthur: - Vovó pulando no colo do homem. – Oi garotão está lindo. Veronica: - Ei Thur só o Marcelo ganha abraça. – Nunquinha Vero a abraçando. Rodrigo: - Por que chamou a sua avô de Vero?

Veronica: - Meu querido enquanto o meu bumbumzinho continuar durinho, e em pé ninguém me chama de vovô. Julia: - Eu amo muito a mama rindo e abraçando a dona Vero. Natalie: - Posso saber o que se passa pela cabecinha da minha esposa. Priscilla: - Primeiro o Thamás reaparece, agora esse cara eu estou com medo por todas nós mais principalmente por nosso filho, pouco me importa o que façam comigo mais se encostarem um dedo no Arthur, sou capaz de matar um. – Marrenta vai ficar tudo bem com todos ok, agora vamos nos divertir com aniversário da nossa sobrinha. Mel: - Abuela porque a minha mãe passou mal? – A Ju já passou por coisas ruins nessa vida, me cariño mais coisas que só ela pode lhe contar.

 Hellen: - Amor ficou quietinho. – Pensando será que ele voltou para tentar alguma coisa com a minha irmã, porque se ele encostar um dedo nela eu juro que.. ele não termina pois é impedido por um beijo da mulher. – Amor a Ju não é mais aquela adolescente desprotegida, ela tem muito apoio e não vamos deixar ninguém a machucar. - Momy e mama e quelo algodão doce. Natalie: - Chega mocinho já comeu doce demais por hoje. – Mais momy. Priscilla: - Nem adianta ficar fazendo beicinho filho a sua momy está, certa chega de doces por hoje. – DOGA. – Como disse Arthur Smith Pugliese? – Nadinha mama vou, vê minhas pimas. Natalie: - Hum continua assim e lavamos a sua boca com sabão. – Dindo defende. Rodrigo: - Nem me olha assim danadinho sabe que não gosto, quando fala coisas feias. – Todos contla o Arthur ele diz cruzando os braços, a frente do peito e fazendo um bico enorme.

Priscilla: - Se despede das suas tias e já vamos. – Mais já? – Sim meu amor amanhã o sr. tem aula. – Mais que do... Natalie o encara seriamente e ele faz um gesto de silencio. – Melhor assim. – Xau tia Cris, e dinda tá bem? – Estou bem sim amor. – Se comporta e nada de fazer birra já disse, que isso é feio. – Tá bom. – Palabéns Mel. – Obrigada Thur ela dá um beijo na bochecha do primo que se despedi, dos avós e sai com as mães em seguida. Mel: - Mães me ajudem a desembrulhar os presentes? – Sim meu amor. Cindy: - Momy to com soninho coçando os olhos. Cris a carrega: - Morena vai com Mel que eu vou colocar, a Cindy na cama vamos pequena.

Julia: - Vamos começar por qual presente lindona? – Dinda. – Aqui está. – Ual um estejo completo de maquiagem a dinda lacrou. Julia a encara: - Está andando demais com o seu tio Rod. – Posso usar sombra vermelha? – Nem pensar você só tem 10 anos vamos por uma clarinha. – Esse é do tio Rod. Julia: - Tenho até medo. – Lubrificante não entende. Julia arregala os olhos. – Ele escreveu um bilhete: - Melzinha sei que não vai entender o que isso e nem para que serve, por tanto peça para a mama explicar beijo. Julia: - Te mato Tardelli. – Filha quando tiver com 30 eu explico tomando o lubrificante de suas mãos.

Mel: - Mama não entendi nada mais tudo bem. – Agora me diz o porquê passou mal na festa? – Filha ela coloca uma mecha do seu cabelo, para trás da orelha. – A mama passou por um momento bem difícil quando ela tinha 16 anos. Mel: - O que foi? – Um homem muito ruim fez algo horrível comigo. Mel enxugando uma lagrima da mãe: - Ele te machucou? – Sim e muito e hoje eu o vi fiquei com medo dele me machucar novamente. Mel: - Isso não vai acontecer mama, não irei permitir que ninguém te machuque prometo. Cris que estava vendo tudo da porta do quarto entra: - Nós prometemos.

No dia seguinte. Natalie: - Anda Arthur vai chegar atrasado. – Tó indo momy. – Xau mama pulando no colo de Priscilla: - Xau meu amor dando um beijo em sua bochecha. Natalie: - Ei mama a momy não merece beijinho não? Fazendo bico Priscilla sorriu e dá um beijo carinhoso na esposa com selinhos, no final. – Volta logo pra mama aqui tá. – Com certeza eu volto. – Momy posso cantar? – Sim meu amor. – A música do cùùelinho? – NÃO. – Tá vou cantar uma que a tia Hellen me ensinou. Natalie: - Aí Deus canta filho. – Jingle bell, jingle bell acabou o papel. – Não faz mal, não faz mal, limpa com jornal. – O papel tá caro, caro pra xuxu o que é eu faço pra limpar o meu.. – PARAAA. – Escuta bem a parti de hoje só canta o que eu e sua, mama ensinarmos certo? – Sim momy.

Thamás: - Então é aqui que ele estuda vou só esperar o intervalo. Natalie deixou o filho na escola e voltou para casa. Horas depois. – Ei Arthur? – Te conheço. – Sim rapaz eu sou amigo das sua mães. – A dinda disse para não falar contigo. – Cara eu sou legal gosta de sorvete? – Sim vem comigo. Aproveitando a distração da professora ele sai com o loiro.

Priscilla: - Que fogo é esse pequena? – Não tenho culpa se minha mulher é muito gostosa a beijando no pescoço. – Pequena o celular está tocando. Natalie: - Deixa tocar meu amor a puxando pela cintura. – Por Deus Nat é da escola do Thur calma. – Alô. – sra. – Pugliese? – Smith Pugliese. – Temos que avisar o Arthur sumiu. – Na mesma hora Priscilla largou o aparelho. Natalie: - Marrenta o que foi? – O Arthur sumiu.  

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...