História Nation at War - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Charlie Hunnam, Margot Robbie
Personagens Personagens Originais
Tags Charlie Hunnam, Guerra, Margot Robbie, Romance, Tragedia
Visualizações 6
Palavras 1.230
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá para quem estiver lendo, resolvi escrever mais uma Fic, pois estou com bastante tempo ultimamente. Enfim, boa leitura 💞

Capítulo 1 - Beginning of the End


Fanfic / Fanfiction Nation at War - Capítulo 1 - Beginning of the End

Londres, 25 de novembro de 2018.

Narrador 

Elise havia terminado o plantão minutos atrás, sentada ela  encarava a xicara a sua frente. Sentiu -se angustiada e triste ao longo do dia. Passou a mão no rosto tentando espantar aquela indisposição.

- Ainda está aqui? – Tayler, o novo residente disse entrando no pequeno vestiário.

Ela apenas assentiu, levando a xicara até os lábios e bebericando um pouco daquele café amargo. Olhou para o relógio que estava em seu pulso, e então decidiu que era hora de partir. Se pôs de pé e alongou bem os braços, um bocejo saiu de sua boca, e soltou um breve suspiro em seguida. 

- Acho que deu minha hora. – Elise colocou a jaqueta preta de coro e pegou o capacete de sua moto.

Ela tocou o ombro de Tyler se despedindo, ele  apenas acenou com a cabeça enquanto a mesma saia, os corredores frios do hospital fez com que um arrepio subisse pela sua coluna, apenas o barulho de seus passos ecoavam pelo longo corredor. 

Subiu dois lances de escadas, elevador nunca foi algo que ela gostasse, anos atrás teve uma péssima experiência com o mesmo, então decidiu que usaria apenas escadas daqui pra frente. Se aproximou de algumas enfermeiras e entregou uma pasta para uma delas, trocou brevemente algumas palavras e se despediu. 

- Dra. Elise? – Um senhor em torno dos cinquenta ou sessenta anos chamou sua atenção antes que ela saísse.

- Sim, no que posso ajudá-lo? – Se virou arrumando a mochila nas costas.

- Sou Finn, Finn Jones! – Ele esticou a mão a cumprimentado.

- Oh, claro. Marido da senhora Jess, certo? – Ela apertou a mão do senhor a sua frente e sorriu.

A senhora Jones já estava a muito tempo internada, seu estado já era avançado, mas a família fazia questão de tentar todos tratamentos que haviam disponíveis. Elise sabia que não havia chances, porém compreendia o lado da família. Diferente da esposa, o senhor Jones exbanjava saúde e pré disposição.

- Jess conseguiu caminhar um pouco essa manhã! – Os olho daquele senhor brilhou como se um fio de esperança nascesse novamente.

- A fisioterapia está ajudando muito ela ao longo desses meses. – Elise soltou um sorriso de satisfação, nada era mais prazeroso do que a melhora de um paciente, mesmo que fosse mínima. Trocaram algumas palavras por mais alguns minutos, então se despediram.

- Hei! - Lizza, uma de suas amigas tocou seu ombro. - Estava querendo mesmo falar com você.

- Pois então diga! - Elise deu-lhe um abraço apertado. Continuaram em direção à saída, pararam perto de um dos bancos que ficavam no hall de entrada.

- Sábado, as quatro e quinze da tarde serei uma mulher casada! - Lizza esticou a mão esquerda em direção de Elise e lhe mostrou seu anel de noivado, um joia muito delicada. 

- É lindo! Amanhã é sua despedida... eu quase me esqueci. - Lizza faz uma cara indignação e em seguida riu da amiga. - Não me olha assim, sério. Esses dias foram complicados, sabe?

- Eu sei, por isso mesmo é melhor você ir. - Lizza olhou em direção ao céu - A chuva daqui a pouco irá engrossar. 

Elise então se despidiu e seguiu até onde sua moto estava estacionada, cumprimentou alguns colegas que estavam chegando para mais um plantão. Colocou o capacete e subiu em sua moto. Inclinou a cabeça em direção ao céu, sem que tivesse tempo de notar uma enorme bola de fogo se aproximar, o hospital foi atingido em cheio, fazendo com o que estivesse do seu ao redor voasse. Seu corpo foi arremessado até o outro lado da calçada, soltou um grunido quando sentiu as costas colidirem como muro do prédio que ficava em frente ao hospital. Fez um pouco de esforço e apoio às mãos no chão, tentando se colocar de pé novamente, mas estava debilitada demais no momento. Esperou por mais alguns segundos, sua segunda tentativa agora havia dado certo. Se apoio no muro e caminhou em passos desordenados. Retirou o capacete e respirou fundo, fechou os olhos e tentou assimilar tudo que havia acontecido. 

O grande prédio a sua frente se tornou uma enorme pilha de entulhos, o fogo consumia todos os lados, não havia nenhum resquício de que aquele lugar havia sido um hospital um dia. Um nó se formou em sua garganta, seus olhos se encheram d’água ao se dar conta que muitos colegas, amigos e pacientes não havia tido a mesma sorte de não estar lá dentro no momento da explosão. Seus joelhos se dobraram no chão, as lágrimas então foram caindo e se misturou a chuva que havia se engrossado. 

Ergueu-se novamente, precisava checar se havia sobreviventes. Caminhou em direção da rua, alguns corpos estavam carbonizados e outros com queimaduras graves.

- Por favor, alguém ajuda! - Ouviu um grito desesperado em meio aos escombros.

- Não se mova! - Elise disse ao se aproximar. - Uma mulher de longos cabelos alaranjados e olhos esverdeados, estava prensada entre o muro e um carro. 

- Moça eu estou grávida. - A mulher disse com voz embargada. 

- Ok, meu nome é Elise e sou médica, vai ficar tudo bem. Você precisa ficar calma, eu vou fazer o que eu puder! - Aperto o firme a mão da mulher para que ela não se desesperasse.

- Qual seu nome? - Elise perguntou enquanto apalpava a barriga da ruiva.

- Katherine - Disse após um gemido de dor.

Elise checou se havia sangramento entre a pernas de khaterine, mas parecia estar tudo bem. Levantou-se e moveu aos poucos as partes da lataria do carro que estavam prensando a gravida.

- Onde está a merda do resgate! - Elise resmungou passando as costas da mão sobre a testa. Acho que estamos em guerra. 

Mais uma explosão atingiu um dos prédios próximo a elas, Elise enrolou o braço da mulher em volta de seu pescoço e saiu as pressas de onde estavam.

- Merda, Merda! - Gritou alto, enquanto tentava disfarçar a dor que estava sentindo.

Um avião então atravessou o céu, mais duas bombas atingiram o solo. Elise acelerou os passos, mas suas pernas não se alguentava mais em pé, tendo em vista que também carregava a mulher praticamente em seu colo. Mordeu com força o lábio, sentindo o gosto do sangue e gruniu mais uma vez. 

- Vamos pra lá! - A ruiva apontou em direção de alguns carros. 

Elise colocou Katherine encostada em um deles e foi checando se havia algum que ela pudesse dirigir. Após algumas tentativas em quebrar o retrovisor, um deu certo. Deu um leve sorriso de leve e voltou pra da buscar a gravida.

- Está sentindo contrações ou cólica? - Katherine negou com a cabeça, Elise ajeitou sua cabeça no banco do carro. - Ótimo.

Elise procurou a fiação do carro e tentou fazer contado, aprendeu isso em um manual de sobrevivência que um de seus amigos havia lhe ensinado, após algumas tentativas, acabou dando certo. 

- Isso caralho! - Deu um soco de leve no volante e sorriu aliviada. - No momento estamos seguras, espero. - Disse voltando o olhar para a ruiva ao seu lado, ela parecia ter adormecido, verificou a pulsação e a temperatura de seu corpo, tudo sobre controle, parecia não haver alterações em seu estado.

Deu partida no carro e seguiu em direção do lado norte da cidade.

 


Notas Finais


Se chegou até aqui espero que tenha gostado. Deixe críticas e elogios, serão todos bem aceitos 🤗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...