1. Spirit Fanfics >
  2. Natsu DxD: - O Demônio Ferreiro Mais Forte do Submundo - >
  3. Aqueles que se reúnem

História Natsu DxD: - O Demônio Ferreiro Mais Forte do Submundo - - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Aviso!!!

Espero que leiam... Pra mim é importante que leiam, mas se não lerem tranquilo, kkkkkk.

Tá aqui mais um capítulo desta fanfic, espero que gostem. Acho que sai fora da proposta que eu queria, mas é isso, fazer oq né? Quando se é iniciante em algo, acontece isso, kkkkkkk. É, eu sei que demorei, para postar, porém, eu não achei que este capítulo me agradou o bastante para postar ele, mas mesmo não estando do meu agrado, irei postar mesmo assim, quem sabe com estes erros eu aprenda como melhorar. É como dizem né? É com os erros que aprendemos, kkkkk. Tbm, sou um grande fã da série de; Magi The Labyrinth of Magic. Bom, vcs iram entender no decorrer do capítulo, bom, pelo menos aqueles que conhecem Magi. Pode ter ficado um tanto confuso o capítulo, mas é como eu disse, sou iniciante, então pra mim é um tanto difícil dar continuidade, talvez alguns entendam como é difícil, kkkkk.


Chega de enrolação... Bora ler, kkkkk.

Capítulo 2 - Aqueles que se reúnem


Fanfic / Fanfiction Natsu DxD: - O Demônio Ferreiro Mais Forte do Submundo - - Capítulo 2 - Aqueles que se reúnem


             - Capítulo anterior -

"I-i-m-mpossivel.... S-s-se v-v-ocê está aqui quer dizer qu---" Kokabiel foi interrompido por Natsu que falou.

                     _ Agora _

"I-i-m-mpossivel.... S-s-se v-v-ocê está aqui quer dizer qu---" Kokabiel foi interrompido por Natsu que falou.

"Sim, eu encontrei um jeito de sair do tártaro. Logo após sair, escutei os boatos do roubo dos fragmentos da Excalibur e, por isso vim aqui ver se era realmente verdade. E, pelos insetos que o seguem, matarem os humanos sem necessidade, mas também para testar minha nova criação." Natsu disse enquanto sacava sua espada e saia alguns raios de luz de cor vermelha enquanto ele desembainhava a espada.

"Natsu-sama, acho melhor se apressar antes que ele fuja, e também temos coisas mais importantes a fazer, do que lidar com um inseto como esse." Irene falou com um sorriso malicioso no rosto, enquanto caminhava até parar ao lado de Natsu.

"Você tem razão, preciso descansar e também faz muito tempo que não temos um tempo, somente para nós dois, sem ninguém interromper." Natsu devolveu o olhar malicioso para Irene, que ficou levemente corada.

"Rias-Buchou, você os conhece?" Akeno perguntou enquanto ela e Issei se aproximavam da ruiva.

"Sim. Mas vi ele apenas uma vez, após isso ele desapareceu. Quanto a mulher ao seu lado, depois eu explico. Quanto a ele, quando a Grande Guerra, entre as três facções acabou, a facção dos descendentes dos Maous originais, resolveram começar outro guerra no submundo, contra a facção Anti-Satanás, para continuarem assim, a guerra contra Anjos e Anjos Caídos." Rias falou sentindo o poder que emanava da espada e, via Irene se aproximar dela.

"Enquanto a guerra rolava, os descendentes dos Maous originais, lançaram um ataque nas casas dos líderes da facção Anti-Satanás, minha casa foi uma delas e quem atacou minha casa, foi Riz---" Rias foi interrompida por Irene que havia chegado perto deles.

"Rias-chan, oque acha de deixar para contar isso outra hora? E esse é um assunto delicado." Irene falou enquanto tinha um sorriso questionador no rosto.

"Vamos apenas assistir, do que a nova espada de Natsu-sama é capaz." Irene disse enquanto eles se viravam para a luta que ia começar.

         - Com Natsu e Kokabiel -

"Sabe Kokabiel, eu esperava que você e os insetos que o seguem, fossem tentar fazer algo idiota, como por exemplo uma nova guerra, eu não poderia me importar menos com essa guerra, mas... A partir do momento em que você, e esses insetos, ousaram roubar os fragmentos da minha criação, vocês cometeram um grave erro."

"Ainda mais por terem roubado os fragmentos, de uma das minhas melhores criações." Natsu falou se aproximando de Kokabiel, enquanto uma aura vermelha cobria ele e a espada.

Enquanto Natsu se aproximava, Kokabiel ia dando passos para trás involuntariamente, sentido o poder sombrio que emanava da espada.

Kokabiel não vendo outra escolha, a não ser lutar, resolveu pegar a Excalibur, criada a partir dos fragmentos da Excalibur Original.

"Então, irei lhe matar, usando sua própria criação." Kokabiel falou enquanto tentava parecer confiante, mas oque era invão, já que a espada nas mãos de Natsu, passava uma terrível sensação de perigo extremo.

"Kuku... Kuhahaha." Natsu começou a rir loucamente enquanto colocava a mão no rosto. Mas parou de rir logo em seguida.

Quando Natsu parou de rir, em um rápido movimento, ele deu um soco no rosto de Kokabiel que vôo longe, enquanto batia em algumas árvores no processo, até parar grudado em um edifício do colégio.

Kokabiel após se recuperar do soco e do impacto na parede, voltou rapidamente para a frente de Natsu.

"Do que está rindo!!?" Kokabiel perguntou/gritou, olhando para Natsu com uma grande raiva estampada em seu rosto.

"Acha mesmo, que uma mera replica de algo que eu criei, chega aos pés do poder que a verdadeira Excalibur, era capaz de mostrar? E ainda acha que... Essa coisa, pode me matar?"

"Isso é uma grande piada de mal gosto." Natsu falou enquanto soltava sua pressão mágica, com uma cara seria, que daria medo até mesmo nos mais corajosos.

Apesar de estar intimidado e com dificuldade de se mexer, frente a pressão mágica exercida por Natsu, Kokabiel tentou se manter firme.

"Eu irei matar você!! Seu demônio imundo!! Assim eu mostrarei a todos os seres sobrenaturais, como nós, os Anjos Caídos, somos os seres supremos desse mundo!!" Kokabiel gritou com uma grande fúria contida em sua face.

Assim, Kokabiel partiu para cima de Natsu tentando um corte diagonal, que Natsu defendeu com o dedo sem dificuldade alguma.

"Olha, eu nem precisaria usar esta espada, mas como vim testar ela... Vamos ver do que essa belezinha aqui, é capaz."

Após falar isso, Natsu tentou um corte na altura do peito de Kokabiel, que foi rápido e conseguiu defender mais foi jogado a alguns metros de distância.

Ao conseguir pousar no chão, Kokabiel se recompôs e deu uma leve olhada na espada em sua mão, a mesma estava sendo corroída, por uma estranha névoa preta. Ao ver que a névoa era perigosa, pela mesma estar corroendo uma espada sagrada, ele resolveu jogar a mesma longe.

Quando a espada tocou uma árvore qualquer, a mesma se desintegrou por completa, parecendo que havia sido queimada. A névoa só sumiu quando a espada foi corroída por completa, para o espanto completo dos presentes no local.

"Vejo que fez uma escolha sábia." Natsu falou enquanto olhava para Kokabiel e apoiava a espada no ombro.

"Q-q-que tipo de maldição é essa?" Kokabiel falou tentando recuperar a compostura.

"Hoho, vejo que percebeu que era uma maldição. Mas estou intrigado, como você tem conhecimento sobre as maldições?" Natsu falou enquanto seus cabelos cobriam seus olhos.

"Esta é a maldição de um deus bem antigo. Seu nome era... Ankhseram. Em certo momento do passado, eu travei uma feroz batalha com o mesmo, antes de morrer, ele acabou por me amaldiçoar, e em um descuido meu ele conseguiu me aprisionar no tártaro. Assim que me liberei da maldição, eu a transferi para está espada. Mas parece que a maldição está mais fraca, do que quando estava em meu corpo." Natsu falou olhando diretamente para Kokabiel.

“Agora. Eu deixarei vocês lutarem com meu bichinho de estimação, que eu trouxe diretamente do inferno”

Kokabiel não vendo outra escolha, estalou seus dedos. Então das profundezas da escuridão surgiu um som de um grande estrondo. Aquela coisa era algo em torno de Oito... Não, provavelmente tinha dez metros de altura. Um corpo largo. Com quatro pernas, e cada uma eram grossas. As garras que surgiram de cada uma das pernas pareceram tão afiadas que davam calafrios. Os olhos que estavam brilhando na escuridão eram vermelhos. Na sua boca, havia coisas que pareciam presas. As presas estavam uma perto da outra, e pelo espaço entre elas saía um hálito branco. O animal que mais se aproximava disso era um... Cachorro. Mas cachorros não chegam a esse tamanho! Isso porque cachorros não possuem três cabeças.

ROOOOOAR!!

Seu uivo foi tão alto que estremeceu o chão, Enquanto as três cabeças uivavam ao mesmo tempo.

“...Cerberus.” Rias falou seriamente.

“Cerberus?” Issei perguntou.

“Sim. Uma criatura famosa, que possuí o apelido de, Guardião dos Portões do Inferno.” Respondeu Irene.

“Guardião do inferno...?! Então esse cachorro é um monstro tão terrível assim?!” Issei perguntou enquanto olhava o cachorro de três cabeças, soltar fogo por uma boca, enquanto a outra soltava raios e por fim, a última cabeça, que derramava estranhos fluidos de cor preta da boca, que ao entrar em contato com o chão, corroía o mesmo.

“Ele vive nos portões do inferno, não no submundo. Mas para trazer isso para o mundo dos humanos...!” Rias falou seriamente, enquanto olhava para o cachorro.

“Isso é ruim?” Perguntou Issei.

Apesar de Issei ser um demônio reencarnado, o mesmo não conhecia muito dos terríveis seres, que existiam por trás das inúmeras histórias que ouvirá.

“Nós temos que fazer isso! Nós vamos explodi-lo, Issei!” Rias falou se preparando para enfrentar o monstruoso cachorro de três cabeças.

“Se acalme Rias, apenas assista.”

Irene falou olhando seriamente para Rias, que não questionou sua ordem, oque os membros de sua nobreza estranharam, já que o território era dela, e ver ela seguir a ordem de uma estranha, sem questionar era estranho, ao ver deles.

Após está estranha ordem de Irene, todos retornaram sua atenção para a luta que ainda ia começar.

“Hoho, Cerberus. O cão que guarda o portão do inferno.” Natsu falou com um simples sorriso no rosto.

"Mas este... É apenas uma imitação do Cerberus verdadeiro, você não cansa de ficar tentando reproduzir os seres das mitologias não... Kokabiel?" Natsu perguntou enquanto olhava para o enorme cachorro a sua frente.

“Mas, já que está réplica está aqui, vamos testar a habilidade desta espada?” 

Após falar isso, Natsu ergueu a espada para cima, o céu que estava cinza/avermelhado, ficou preto, e trovões pretos e vermelhos começaram a cair por todo o pátio da academia.

“Que tipo de magia é essa? Ela parece muito mais forte, do que a da Akeno-san.” Tanto Issei, quanto Asia, estavam estarrecidos, os mesmo já tinham presenciado os fortes raios de Akeno, mas eles nem se comparavam com a força daqueles raios, que a espada de Natsu produzia.

“Eles não apenas parecem mais fortes, como são inúmeras vezes mais fortes do que os meus.” Akeno falou para o espanto de Issei e Asia, enquanto olhava com certa admiração aqueles raios.

“Vocês não fazem ideia, da força daquela magia.” Irene falou enquanto mantinha um sorriso no rosto.

Yami Raitoningu!!- Natsu disse abaixando sua espada.

Quando Natsu abaixou sua espada por completo, ela disparou um enorme relâmpago extremamente poderoso de cor negra/avermelhada, através da lâmina de sua espada, atingindo Cerberus com um poderoso ataque.

Após a explosão criada pelo ataque, uma grande cortina de fumaça foi criada no local. Após alguns minutos a poeira baixou. E foi possível ver uma grande cratera aonde o raio caiu e nem sinais de Cerberus havia no local.

“E-e-mm em um ataque?” Issei e Asia pensaram horrorizados.

“Como esperado dessa habilidade, que é tão forte quanto os trovões de Thor, o deus dos trovões, da mitologia nórdica” Irene falou com um sorriso no rosto enquanto Rias e seu grupo olhavam espantados para Natsu.

Eles já tinham ouvido muitas histórias sobre Thor. O famoso Deus dos trovões da mitologia nórdica. A história que eles mais conheciam, era de sua luta no Ragnarok, contra a terrível Jormungand, uma horrível e terrível serpente gigante. A qual era filha de Loki, o deus da mentira e da meio gigante, Angrborda. Na luta contra a terrível serpente, Thor matou a besta, esmagando sua cabeça com seu martelo, porém... Thor sucumbiu a morte com o terrível veneno de Jormungand.

“Vamos. Agora, é sua vez Kokabiel, já que você se diz ser, o ser sobrenatural mais fortes desse mundo, veremos se consegue suporta oque está por vir.” Natsu falou ganhando uma aura azul ao redor de seu corpo.

“Natsu-sama...”

Irene vendo isso, já se adiantou criando uma barreira, muito mais forte do que o grupo de Sona. E outra barreira ao redor de Rias e sua nobreza e também de Sona e seu grupo. Está barreira possuía uma cor meio avermelhada.

                - De volta a Luta -

Ao redor de Natsu, havia se criado uma esfera de escuridão, que engoliu o mesmo. Assim que a esfera de escuridão sumiu, apareceu um estranho círculo mágico de cor roxa. Dando uma visão dos olhos de Natsu que tinha um brilho dourado.

“Oque é essa forma?” Issei e Asia falaram sentindo calafrios com aquela forma de Natsu.

A mesma exalava uma grande imponência. Ninguém respondeu nada apenas ficaram observando a luta que iria começar.

        - Em algum lugar distante -

-Dentro da sala, de um enorme castelo - 

Ao redor de uma grande mesa, esta feita de mármore. Haviam quatro cadeiras, semelhantes a tronos, no entanto, apenas três delas, estavam ocupadas. Cada assento possuía uma cor, um era amarelo-esverdeado, com alguns detalhes dourados. Este era o trono que estava vazio.

O outro era vermelho, com detalhes brancos, este era ocupado por um homem, ele deveria ter entorno de uns 25 a 30 anos, o mesmo vestia um sobretudo vermelho, ele também usava um grande chapéu, também vermelho.(Igual as roupas do Alucard, de Helsing). Ele estava com os braços cruzados, enquanto olhava fixamente para o trono amarelo-esverdeado. Ao lado de seu trono havia uma grande espada vermelha recostada.

Ao seu lado, havia um trono branco, com detalhes azuis, nele estava um homem com aproximadamente 50, ou, 60 anos de idade. Ele vestia um terno completamente branco, tambem luvas brancas. O mesmo estava de olhos fechados enquanto mantinha suas mãos sobre a mesa. Ao lado de seu trono havia um arco branco.

E por fim, um trono totalmente negro com detalhes dourados, sobre este trono havia um macabro espectro com uma vestimenta toda negra, dos pés a cabeça. Ao seu lado estava um grande foice.

Naquela sala residia um silêncio assustador. Uma atmosfera completamente macabra.

Foi então, que o homem de terno branco quebrou o silêncio, chamando para si, a atenção dos outros dois.

Homem de branco: Parece que a morte de Anksharan, foi em vão... O selo sobre aquele que pode destruir tudo, foi quebrado em menos de alguns séculos.

Homem de vermelho: Humph!! Eu avisei. E Peste, você sabe que Anksharan, foi o nome dado a "Morte", pelos mortais. Mas ele foi tolo o suficiente, para achar que daria conta daquele mostro sozinho. Nós mesmo presenciamos, quando ele matou um dos 18 deuses de batalha de Yakuma, com apenas um golpe.-

Espectro de preto: Guerra tem razão, Peste.- falou enquanto olhava para o homem de braco.- Nós sabemos o quão forte aquele mostro pode ser... Morte foi muito tolo de querer, enfrenta-lo sozinho.-

Peste: E então? O que faremos?-

Guerra: Eu irei tentar falar com os dragões malignos e, alguns deuses que querem o fim de, E.N.D. E vocês, oque irá fazer Fome?- perguntou olhando para o Espectro negro.

Fome: Irei ver se entro em contato com a cria de lúcifer, ele tem uma história interessante com E.N.D. E você Peste, oque irá fazer?- perguntou olhando para o homem de meia idade.

Peste: Tentarei encontrar algo que possa o selar, ou, o ferir gravemente.- respondeu se levantando da cadeira.

Guerra: Muito bem, vamos partir.-

     - Grécia, Santuário de Athena -

Após as doze casas do zodíaco, guardadas pelos doze cavaleiros de ouro, que protegem a deusa Athena, logo após o templo do grande mestre. Está localizado o templo da Deusa da sabedoria e da guerra.

Deitada em uma grande cama, com cortinas em volta, estava a Deusa Athena, que descansava tranquilamente, a mesma não dormia assim a muito tempo.

Fazia só alguns meses que a guerra santa contra Hades, O Imperador do mundo dos mortos, e as 108 estrelas malignas. Conhecidas como; os 108 espectros, havia terminado. Vários de seus fiéis cavaleiros, haviam caído em batalha, na verdade, todos haviam perecido, tudo para proteger o amor, e a paz na terra.

A mesma dormia calmamente. Foi quando ele sentiu uma enorme energia, que a muito tempo não sentia.

Athena(Sasha): Então você está de volta.- falou com um pequeno sorriso voltando a dormir.

              - De volta a Kuoh –

“E-e-essa f-forma, não me diga qu---”

"Parece que você tem ciência dessa minha forma." Natsu falou enquanto revelava sua forma, conhecida também como; Djinn Equip.

Djinn Equip, se apresenta como, a aparência de um dragão e recebe dois chifres e uma jóia na testa, um colar elaborado junto com uma armadura azul semelhante a escamas de dragões, sobre partes do corpo e uma cauda longa.(imagem do capítulo.)

Enquanto todos contemplavam a transformação de Natsu. Não muito longe dali, estava Vali, o Hakuryuukou mais forte, ao seu lado estava Bikou, o descendente de Su Wukong, o Rei Macaco. E Arthur Pendragon, descendente do Rei Arthur.

“Ele parece digno de me enfrentar.” Vali falou ganhando a atenção de Bikou e Arthur.

[Digno, você diz? Nem mesmo se vocês três, se juntassem com aquele anjo caído desde o começo, vocês não ganhariam] Albion falou enquanto a manopla branca aparecia no braço de Vali.

“Ele não me parece tão forte quanto você diz Albion.” Vali falou ao dragão.

[Vai por mim, vocês três não venceriam ele.]

“Bom tanto faz, não posso deixar Kokabiel morrer aqui, já que Azazel me pediu para levá-lo, para ele mesmo punir Kokabiel.” Vali falou.

“Então acho melhor você se apressar.” Bikou falou enquanto olhava o massacre ocorrer no pátio da escola.

Assim, Vali virou sua atenção, que antes estava na manopla, agora para a luta que rolava nos campos da escola.

                    - Na Luta -

Natsu estava literalmente massacrando Kokabiel, o Anjo caído já estava sem algumas de suas asas, que tanto se orgulhará, estava também sem seu braço esquerdo que jazia a seus pés, em seu estômago continha um buraco de tamanho mediano, que não iria parar de sangrar tão cedo.

“Veja Kokabiel, você é tão fraco perante a mim, quanto os humanos são, perante aos seres sobrenaturais que habitam esse mundo.” Natsu falou soltando um suspiro.

Natsu já estava farto das baboseiras ditas por Kokabiel. Apesar de Natsu ter sangue das raças mais orgulhosas que já habitaram esse mundo, o mesmo não ligava para essas bobeiras, de quem eram os mais fortes. Apesar dele ser imensamente mais forte, que muitos seres sobrenaturais que habitavam o mundo.

"Vamos acabar logo com isso, cansei de ouvir suas baboseiras." Natsu disse enquanto se preparava para atacar Kokabiel, com sua espada, mas logo após, sentiu três presenças fora da barreira, mas o mesmo nem se importou e continuou a preparar seu ataque.- Adeus, Kokabiel, espero que se arrependa na próxima vida.-

Bararaq Saiqa!!" (Bararāku Saika, Lightning Sword) “

Quando Natsu proferiu tais palavras, ele desenhou, um raio no céu. Uma vez que o raio fora invocado e, armazenado na espada, ele liberou uma enorme explosão de raio, capaz de encher o céu de luz. Mas estes eram diferentes do qual usará para matar a cópia de Cerberus. Este era em uma escala muito menor.

Logo após realizar o ataque, ele sentiu as três presenças se aproximarem rapidamente e antes do ataque atingir Kokabiel, ele escutou.

Divide, Divide, Divide, Divide, Divide.

Enquanto ouvia isso, ele viu o ataque perder forças, até sumir completamente e aparecerem três pessoas em frente a Kokabiel.

Um era pessoa vestindo uma armadura branca com asas e, com alguns detalhes azuis, está era a mesma pessoas que havia parado seu ataque. Mas mesmo diminuindo o poder de seu ataque, ainda não foi o bastante para para-lo completamente, alguns dos raios acabaram por acertar sua armadura destruindo a parte superior de seu ombro, e uma parte do capacete da armadura. Dando a visão de um jovem de cabelos brancos. Este era Vali, o Hakuryuukou.

O outro era um jovem de cabelos castanhos curto. O mesmo estava vestindo uma armadura chinesa antiga, que fora usada durante o período dos três reinos. Este era outro se não Bikou, o descendente de Su Wukong, o Rei macaco.

E por fim, um jovem loiro, que usava óculos, com uma mecha de cabelo no rosto, que estava vestindo um terno de negócio. Este era Arthur Pendragon, o descendente do Famoso Rei Arthur.

"Então são apenas o Imperador dragão branco, e os descendentes do Rei Macaco e, do Rei Arthur."

"Albion disse que você é forte, mas você não parece tão forte assim. E também vim aqui apenas levar Kokabiel de volta."

"Ho, vejo que pelo menos é corajoso. No entanto, esse anjo-caido não irá sair daqui vivo. Nem mesmo se Azazel vim interferir" Natsu falou enquanto Vali e seu grupo se aproximava do local que Kokabiel estava caído.

"Será que você realmente faz jus, ao título de Hakuryuukou mais forte?" Natsu disse olhando perigosamente para Vali e seu grupo, que sentiram uma estranha sensação de perigo.

[Vali, acho melhor você recuar por hora, na forma em que ele se encontra, você não tem chances de vence-ló, você ainda não está pronto para entrar em uma luta com ele. E se entrar pode esquecer qualquer possibilidade de sair vivo dela.] Albion falou.

"Eu tenho aquilo ainda.- Vali respondeu ao dragão, ignorando a sensação de perigo que sentirá segundos atrás.

[Nem mesmo "aquilo", irá ser um aquecimento para ele.] Albion voltou a alertar Vali.

 "E aí? Vão vim os quatro de uma vez, ou, vão ficar de conversinha fiada? Ainda tenho assuntos importantes a tratar.- Natsu falou se preparando para atacar.

"Muito bem, irei lutar com você.- Vali falava tomando a frente do grupo.

[Bom, faça oque quiser.] Albion falou suspirando.

"Hmm... Então você é dito ser o Hakuryuukou mais forte? Pelo que posso sentir você não é tão forte. Posso deduzir, que com o seu poder máximo, você não daria conta direito, nem mesmo das plêiades que residem em meu castelo.- Natsu falou enquanto analisava Vali.

Vali: Humph!! Veremos isso após a luta.-

[Vali, vá com tudo desde o começo, não poupe sequer um resquício de sua magia.]Albion alertou seu hospedeiro.

Vali: Muito bem... Vou com tudo então.-

- Eu, que estou prestes a acordar, sou o Dragão Celestial que tirou os princípios da supremacia de Deus. Invejo o "Infinito" e, persigo o "Sonho". Vou me tornar o Dragão Branco da Supremacia. E vou levá-los aos limites do paraíso branco." 

~ Juggernaut Drive ~

O Juggernaut Drive parece muito semelhante à uma armadura, com uma aparência muito mais semelhante a um dragão, ele assume uma forma gigantesca. A armadura possui crescimentos semelhantes a garras nas mãos e nos pés, bem como chifres e uma boca com presas no capacete.

Natsu: Juggernaut Drive? Interessante, vamos ver oque pode fazer com isso. Irene.- o mesmo chamou a atenção da ruiva que entendeu oque ele queria.

~ Perfect Cube ~

Irene criou um grande cubo de cor roxa em volta de Natsu e Vali. Essa luta iria destruir boa parte do campus da escola sem este cubo.

Asia: Eles vão ficar bem?- perguntou olhando para Irene.

Irene: Não se preocupe, isto não irá durar muito, a não ser que Natsu-sama, queira brincar com o Hakuryuukou. Fora isso não tem problema algum.-

               - Dentro do Cubo –

Natsu encarava Vali com uma grande cara de tédio, já não bastava Kokabiel, agora tinha Vali querendo mostrar sua força.

Natsu: Espero que me entretenha bastante com essa forma.-

Vali: Humph!! Espero que possa lutar contra isso.-

Após suas palavras, Vali rapidamente avançou para cima de Natsu, lhe dando uma mordida no braço. Quando Vali o mordeu, por incrível que pareça ele conseguiu arrancar o braço esquerdo de Natsu.

Mas Natsu, aparentemente não se incomodou com a perda de seu braço. E continuou olhando para Vali, que mastigava seu braço, enquanto sangue escorria pelos dentes da armadura do dragão branco.

Natsu: interessante, parece que está técnica nomeada de; Juggernaut Drive. Retira temporariamente o selo sobre os dragões celestiais. E lhe concede um poder capaz de rivalizar, com o dos deuses. Vamos ver o quanto você aguenta nesse modo.- falou enquanto um manto de cor azul, cobria seu corpo e, uma estranha espada curta e curva, com um emblema de uma tatuagem de Dragão no punho e cinco buracos no meio da lâmina afiada, e cinco buracos de meia-lua no outro lado da lâmina.

A lâmina é dividida em duas cores diferentes, a parte afiada é prata e o oposto é um musgo verde escuro. Quando Natsu relou na mesma, a lâmina da espada tomou uma cor completamente vermelha.

Natsu então disparou rapidamente em direção a Vali, que apesar de seu tamanho, ainda tinha uma grande velocidade de reação, mas ainda era bem inferior a velocidade de Natsu.

- Kami Chigiri – (Mil cortes Divino)

Natsu concentrou seu poder mágico na lâmina da espada e enquanto pulava e imprimia chamas negras em sua espada. Finalmente jogando uma grande explosão de chamas negras/arroxeada, em Vali.

Quem via a luta de fora achou que o golpe não tinha feito efeito algum na armadura, mas ficaram assustados quando viram toda a armadura se trincar e se quebrar, dando assim visão de Vali, cheio de cortes que sangravam sem parar.

Natsu: Até que você é bem resistente.- falou com um sorriso de canto vendo Vali respirar pesadamente e sangrar.

Vali: Não brinque comigo!! Albion.- gritou enquanto Albion entendia o recado, e regenerava a armadura e Vali completamente.

Vali: Vamos continuar, mas antes...-

Divide, Divide, Divide, Divide, Divide!!!

Após usar a habilidade de dividir, de Albion, Natsu caiu sobre um joelho respirando com um pouco de dificuldade, enquanto seu braço esquerdo já tinha sido completamente regenerado.

Natsu: Tsk, havia esquecido desta habilidade... Parece que terei que levar mais a sério isso.- falou já em pé novamente.

Natsu: Venha, Hakuryuukou!!.-

Depois de proferir suas palavras, tanto Natsu, quanto Vali, partiram um para cima do outro. Entrando assim em uma intensa batalha de socos e chutes. Tais socos e chutes, eram poderosos o suficiente para fazer o lado de fora do cubo tremer completamente.

A cada soco e cada chute, podia se ver que a armadura de Vali ia se trincando e quebrando, enquanto Natsu, a cada soco sorria igual um louco. Realmente um maníaco por batalhas.

Natsu; Vamos, isso é tudo oque você tem Hakuryuukou!!?.- falava enquanto socava e chutava Vali, de um lado para outro já que o mesmo não conseguia se defender direito.

Após mais uma sequência de socos e chutes, Natsu enviou Vali ao outro lado do cubo que bateu no mesmo e caiu quase perdendo a consciência.

[Vali... Desista, você não tem chances de vencer.-] Albion falou para seu hospedeiro.

Vali: Não fale... Besteiras... Albion... Eu ainda não perdi...- falava se levantando com dificuldade. Sua armadura que antes mostrara certa imponência, agora se resumia somente em algumas partes. Como; suas asas e a parte do peitoral residia em seu corpo. Os restos da armadura estavam espalhados pelo chão.

Natsu: He!! Ainda tens vontade de lutar, mesmo sabendo que não tem chances de vencer, eu admito, você realmente é diferente dos outros descentes diretos dos Maous. Eu admiro isso.- falou se virando para Vali, que já se encontrava em pé todo ensanguentado.

Vali: Não me compare com aqueles lunáticos... Eu não me importo com oque acontece, ou, deixa de acontecer no submundo, tudo oque me importa é encontra um oponente digno de usar todo meu poder!! Então se prepare para meu último ataque!!.-

Após falar isso, a parte do peitoral que restava em Vali, se abriu dando a visão de um núcleo de cor azul, que tinha começado a brilhar.

Vali: Vamos lá!! É tudo ou nada Albion.-

[Vamos lá, companheiro!!]

Divide, Divide, Divide, Divide, Divide.

- Longinus Smasheer –

A parte da armadura que havia no peito de Vali começou a brilhar fortemente. Até lançar um grande feixe de energia, de cor azul em direção a Natsu, que simplesmente aumentou a aura azul ao redor de seu corpo e parou o ataque com uma única mão. Tanto para o espanto do time Vali, quanto para Issei.

Aquele ataque de Vali sem sombras de dúvidas poderia facilmente, ferir um deus gravemente. No entanto foi parado como se não fosse nada.

Enquanto Natsu segurava aquele ataque ele viu Vali cair quase desacordado no chão, sobrando assim apenas a manopla no braço do mesmo.

Natsu: Você é sem sombras de dúvidas muito forte, porém, ainda é ingênuo e muito arrogante. Sua arrogância trará seu fim, no entanto deixarei que vá, por ter me mostrado algo interessante hoje.- Falou enquanto fechava a mão e o grande feixe de energia desaparecia. Após falar isso ele simplesmente tocou no cubo que se fez em pedaços.

Vali: Espere... Eu ainda poss--.-

[Já chega Vali, você tem sorte que ele apenas bloqueou seu ataque. Se ele contra atacasse você com certeza teria morrido, nem mesmo eu, poderia lhe ajudar a se regenerar.] Albion avisou seu hospedeiro.

Natsu: Albion tem razão, não tem porque lutar, sabendo o resultado, estou lhe dando a chance de sair e se tornar mais forte. Não desperdice essa chance, apenas os fortes tem o direito de serem orgulhosos...- dizia caminhando em direção a Irene, Rias e seu grupo. E saia do seu Djinn Equip.

Natsu: Não pense que esqueci de você Kokabiel, os únicos que disse que poderiam ir eram; o Hakuryuukou e seu time, não você...- falou se virando e olhando Kokabiel tentando sair de fininho.

Kokabiel: Maldito seja, E.N.D!!.-

Gritou furiosamente, partindo para cima de Natsu, mesmo estando sem um braço e algumas de suas asas. Mesmo em seu estado deplorável, ele ainda agia arrogante, e isso havia irritado Natsu.

Mas antes que Kokabiel pudesse chegar em Natsu, ele havia sido empalado por três estacas negras que saíram do chão.

Natsu: Ser irritante, desapareça da minha frente.!!-

Hellblaze Evil Hound!!

Natsu criou um cachorro feito de chamas escuras, que incinerou tudo que estava em seu caminho. Não sobrou nem se quer um rastro de Kokabiel.

Irene: Natsu-sama, você está bem?- Irene perguntou ao se aproximar de Natsu e ver que o mesmo estava um pouco ofegante.

Natsu: Sim, só um pouco cansado, depois dos esforços que fiz para sair do tártaro e ter meu poder sugado pelo Hakuryuukou...- falou se virando e olhando Vali e seu time. - Espero enfrenta-lo novamente, Hakuryuukou, quando for mais forte. No futuro, você irá entender o motivo de precisar ficar mais forte, não só você, mas todos irão precisar...- disse vendo Bikou ajudar Vali a andar, e Arthur abrir um fenda com sua espada.

Vali: Tsk, na próxima vez... Irei acabar... Com você... Pode ter certeza disso.- falou adentrando a fenda criada por Arthur com ajuda de Bikou e a mesma se fechava.

Natsu ficou alguns segundos olhando a fenda desaparecer, até se virar e caminhar até parar ao lado de Irene.

Natsu: Vamos indo? Quero descansar, não durmo a alguns anos...-falou ao parar do lado da ruiva.


Notas Finais


Vlw galera!! Até o próximo capítulo, flw, kkkkkkkkk.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...