História Natsu e cana dinheiro e bebidas - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Personagens Originais
Tags Natsuxcana Naca
Visualizações 132
Palavras 1.513
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishounen, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lírica, Romance e Novela, Saga, Seinen, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Duas crianças


Fanfic / Fanfiction Natsu e cana dinheiro e bebidas - Capítulo 3 - Duas crianças

Falamos que sentimos culpados, pelos nosso pecados, isso é verdade mesmo? Ou não? Um fato importante que todos saber, é que a vida desde do inicio é repleto de escolhas, mas, porém, entretanto ou todavia não quer dizer que nos estaremos sempre preparando pelas consequências das nossas escolhas. E outro fato, em relacionamento, onde a mulher ou homem, eu vou usar a mulher. A mulher ter medo de ter um relacionamento com o homem, ou a mulher, por causa do seu passado, porém o homem ou a mulher, não precisa preocupar, com o passado do seu passando, e sim dar um futuro, para ele ou ela.
•••

Após tudo isso, Gildarts fez de tudo para pode levar o Natsu, no mesmo dia, e como ele tem "dinheiro" conseguiu levar o pequeno Dragneel, no mesmo dia, que estava com preguiça de ir com ele. 

Após as tias arrumarem as coisas do Natsu, Natsu pegar a sua mala, e põe no porta malas da ferrara e depois entra no carro na parte de trás e colocar do cinto, logo depois entra Gildarts para dirigir. 

Gildarts sempre tentava puxar um assunto mas Natsu o ignorava sempre, ele ficava olhando para, para seu pé, Gildarts achava isso estranho mais um motivo de tentar o "salvar" disso. 

Após uma hora de viagem de carro para ele chegarem aeroporto, Gildarts seguiu até seu jatinho com o carro, e colocou o carro da garagem do jatinho e depois entrou puxando Natsu, para dentro. 

Os dois estava indo para Osaka uma grande cidade do Japão. Na mente do Natsu ele se perguntava que ele podia ter uma nova vida o isso seria por um curto período de tempo, palavras que ele ouvia e que ele não entendia e não saber quando vai entender. 

Após meia-hora de viagem os dois chegar em Osaka, e a primeira coisa que Gildarts faz e pegar a ferraria dele na garagem e põe para fora depois ele pegar e jogar o Natsu dentro do carro. 

Natsu - precisava me jogar? 

Gildarts - foi mal, é que eu estou com pressa já esta ficando escuro e eu quero chegar cedo em casa, para não preocupar minha filhinha do coração. 

Natsu - idiota que é você - disse curto, sei ligando para os sentimento de Gildarts. 

Gildarts - você podia para de fala desse jeito - falou. 

Natsu - tsc - o silêncio era vasto entre os dois, o quê é vasto? Não sei mas após um tempo Gildarts e Natsy, chegar na casa de três andares, com duas garagem, um jardim, enorme e a piscina gigante - como você abusar do dinheiro. 

Gildarts- f-foi mal, bem eu dei longo vinte anos para ter tudo isso, trabalhei duro para conseguir dinheiro - ele é cortado pelo Natsu. 

Natsu - meu pai deu dez vezes mas que você, e não abusava do dinheiro nem como você - falou entrando dentro da casa dele. 

Gildarts - isso vai ser difícil mesmo - disse entrado logo em seguida.

Natsu - essa casa... É muito grande mesmo - ao entrar ele já ver a enorme televisão, cinco sofás, a cozinha a cozinha que cozinha parece um super mercado, e logo ver três banheiro, uma piscina dentro e um aquário - pessoa gostar de gastar dinheiro com essa coisa idiotas - ele olhou para o Gildarts - bem você é idiota mesmo. 

Gildarts - repito isso vai ser difícil mesmo. 

Natsu - qual é o meu quarto? 

Gildarts - pegar o que quiser, mas o meu é de duas portas, e da Cana de porta verde tem cinco no segundo e sete no terceiro - Natsu, não entedia o abuso de dinheiro do Gildarts. 

Natsu - eu vou dormir, não me perturba. 

Natsu sobe, para o segundo andar, e depois para o último andar, e pegar o quarto ao fundo. Dentro do quarto ele deixar perto do armário, e já começar dormir na sua nova cama, nova casa. 

•••

A pequena garota Cana, com seus cabelos castanho e olhos castanhos, ele gostava de brincar no seu jardim, mas ela queria algum amigo para pode brinca mas não tinha ninguém para brincar. 

Ele passava a maior parte do tempo sozinho, enquanto seu pai trabalhava nas empresas Dragneel. Um dia seu pai falou que não ia trabalha, e ela ficou alegre pois pensava que os dois ia ter um dia divertido. 

Mas ele saiu, e ela ficou esperando pelo seu pai, mas ficou com sono e foi dormir em seu quarto. Ela apenas queria brincar com alguém. 

•••

O amanhecer naquele casa, ou Mansão faz que o pequeno rosado não queira levantar de sua cama macia, mais ele lembrou que precisava se arrumar seu quarto. 

Ele levanta e vai até seu banheiro, lavar o seu rosto, e colocar uma roupa largar e logo em seguida sair do seu quarto, e desce para o segundo andar. 

Ao caminhar para as escadas do primeiro andadar, ele ver a porta verde ser aberta, é uma garota do seu tamanho sair, uma garotinha que ele viu e ela viu. A garota já começou a gritar, alta, falando que tem um estranho dentro de casa.

Natsu - o mulher cala boca, e para de gritar! - exclamou Natsu. 

Cana - nem a pau, e outra só tenho quatros anos, e dois mês. 

Natsu - semana que vem é meu aniversário, farei cinco, garotinha reta - Natsu olhou para Cana, que ficou vermelha. 

Cana - idiota, idiota lógico que eu sou reta tenho apenas quatro anos - falou a Cana. 

Natsu - estou nem aí - disse a ignorando - mas ela com sua mão, ia dar um tapa na face dele, porém Natsu segura o braço dela, com muita força - você acha que eu sou idiota? Bem sim eu sou, todavia eu não sou trouxa e nem burro - disse ele segurando com mais força ainda. 

Cana - por favor pare - pedia entretanto Natsu, não concedia ela - PAI!!! - gritou aos berros, até a porta, ou melhor as duas portas, sede aberta, de um jeito desesperado pelo Gildarts, que usava um pijama do golfinhos rosas. 

Gildarts - o-o q-que es-esta acon-acontecendo por a-aqui? - disse sei entender nada, ainda estava com os seus olhos fechado. 

Natsu - Gildarts - Natsu, foi em frente à ele e deu um soco em sua barriga - acorda velho, e que merda de pijama é essa? 

Gildarts - Natsu? - dizia enquanto recuperava seu fôlego - o que está acontecendo aqui? 

Cana - esse, esse peste aí, invadiu a nossa "casa" e segurou com muita força o meu braço. 

Gildarts - por que fez isso Natsu? 

Natsu - tsc, sei lá pergunta para essa mulher. 

Gildarts - mulher? Olha Cana... - é cortado pelo Natsu. 

Natsu - essa é a sua filha - perguntou a observando. 

Gildarts - sim, Natsu essa é a minha Caninha - disse ao abraçado - a, Cana esse é o Natsu - apresentou - eu o adotei - riu. 

Cana - o quê? - entendeu nada. 

Gildarts - bem pode dizer, que ele é o filho do meu chefe falecido, então eu preciso cuidar deles. 

Natsu - ele é apenas um idiota, que me decidiu me adotar, nada demais - disse sei ligar para nada - vocês dois são, hm... Como posso dizer? Irritantes? Isso mesmo irritantes - disse sério, e depois disse descendo as escadas. 

Gildarts - Natsu... Você cresceu antes da hora. 

Cana - pai, acho que foi uma ideia, eh... Idiota adotar esse rosado.

Gildarts - vejo pelo lado bom - disse alegre. 

Cana - qual lado bom? 

Gildarts - agora tem uma criança para você brincar - sorriu, e os olhos da Cana, brilha. 

Cana - vamos logo, convidar ele para brincar - Cana puxou, seu pai para baixo. 

E no andar de baixo, os dois via Natsu, com três pedaços de bolo de cenoura, e um corpo de café. Natsu comia tudo rápido o bolo de cenoura, e em seguida bebeu todo o café do corpo. 

Natsu - que foi? 

Cana - querido Natsu, vamos brincar de pega-pega? - perguntou caridosa. 

Natsu - não, quero brincar. 

Cana - vamos, logo - disse ao pegar a mão do Natsu, que puxa ele para fora da "casa", levando ao enorme jardim - vai ser divertido. 

Natsu - para mim não. 

Cana - que foi esta com medo, de não consegui me pegar? - Natsu não entendia nada - bem, está com você - falou saindo correndo. 

Natsu - mas o que?

Natsu, saiu atrás da Cana, e Gildarts a duas crianças brincando pelo enorme jardim, a Cana sorrindo e ser divertido, e o pequeno Dragneel tentando pegar ela, e ao mesmo tempo caído. 

Gildarts pensou que o Natsu, tinha crescido antes da hora, porém ele estava enganando, Natsu ainda é uma criança, como a sua filha, o motivo de Natsu agir como  uma criança e por que ele não quer que os outros veja eles sendo fraco, e sim forte, uma criança teimosa, ele é a sua filha, são apenas duas crianças. 

Continua



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...