História Natural - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Golden Child
Personagens Jangjun, Seungmin, Tag
Tags Baetaek, Baetag, Beom, Golden Child, Seungmin, Tag, Youngtaek
Visualizações 42
Palavras 637
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fluffy, Lírica, Shoujo (Romântico), Slash

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


é bem bobo, mas eu fui feliz escrevendo então decidi postar. Porque acho que as pessoas deviam começar a entender que ser único não é algo ruim, e por mais que pensem que é, sempre vai ser bom pra alguém que está ao seu redor e tá lá pra te chamar de amigo.
<3oa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único, como a coisa estranha que você é.


Fanfic / Fanfiction Natural - Capítulo 1 - Capítulo Único, como a coisa estranha que você é.

Você sempre foi uma coisa peculiar, Youngtaek.

A sua cabeça sempre estava divagando por algum outro lugar e eu nunca descobri onde. Quem sabe por marte, pensando sobre aquelas suas coisas estranhas e reflexões sem sentido que nunca te levam a nada. Eu mesmo já me peguei fazendo esse tipo de pergunta, mas, acredite, era uma característica bem mais adorável só pelo fato de ser a sua característica.

Sua expressão de quem não pensava em nada além de algo aleatório que pareceu interessante pro seu cérebro filosofar conseguia ser uma das coisas mais amáveis que meus poucos anos carregados nas costas me permitiram ver.

– Sabe, às vezes eu só queria ser normal...

– Aí qual seria a graça?

– Não é pra ter graça, é pras pessoas pararem de me encher.

– Elas nunca vão parar de te encher, Taek, porque têm inveja de você por ser único, já que elas são completamente iguais.

– Você faz eu me sentir umas coisas quando fala assim.

– Coisas? Que coisas?

– Não sei... Faz eu me sentir, hm, especial, enquanto todo o resto faz eu me sentir um idiota.

– Você é um idiota, mas ainda sim especial.

No meio da sua família de penteados discretos e ícones da moda dos anos dois mil, você, com suas camisetas roxas, calções listrados e pés sujos de terra por sempre andar descalço, era, como posso dizer... uma... coisa da natureza. Suas peças de roupas com muito mais tecido do que o seu corpo realmente precisava e seu costume de gesticular com as mãos freneticamente enquanto falava era uma das diversas coisas que me encantavam em você.

Uma coisa, das diversas.

Outra que a maioria das pessoas costumava criticar era seu espírito competitivo. Essa sua coisa em especial eu gostava até demais.

Gostava de quando você e Jangjun hyung travavam uma btalha de rap improvisado em que ambos mais riam do que realmente criavam alguma rima, num daqueles sábados repletos de Sol, calor, e tédio, onde tudo o que tínhamos eram almofadas e latinhas de coca cola espalhados pelo tapete felpudo da sala, esperando que a luz retornasse pra voltarmos pro console e ficarmos lá o resto do dia enquanto você ganhava de nós dois em qualquer joguinho besta.

Lembro daquela batalha de dança que rolou na escola, e eu tive que aturar as meninas correndo atrás de você durante o bimestre inteiro porque humilhou a garota loira bonitona do terceiro ano ao som de Turn Down For What. Você até que pegou bastante fama pra quem só era visto como uma coisa estranha que mantinha boas notas. Até te apelidaram de oito dimensões, e, se quer saber, as pessoas 3D passaram a ser tão sem graça depois que conheci você. Elas passaram a não valer mais a pena. Sempre se preocupando com suas maquiagens caras, roupas de marca e regimes sem sentido que viam na linha do tempo do facebook.

E, no meio dessa galera chata, repetitiva e padronizada, tinha você: Alto demais, estranho demais, fechado demais, e que eu acabei me apegando demais. Você alegrava meus dias apenas por ser quem é, a coisa estranha que você é.

Eu ainda prefiro até hoje ouvir seus monólogos de uma hora sobre como o mundo seria perfeito se o comunismo tivesse dado certo, assistir seus filmes favoritos que nunca passavam de animações, e até te ouvir explicar pela enésima vez sobre os fantasmas que viu perambulando pela sua antiga casa que qualquer outra pessoa nesse planeta falando sobre a minha banda favorita.

Porque, não importa o quão estranho você seja e o quanto seus costumes incomodam as outras pessoas, você sempre vai ser o mais natural e perfeito o possível do meu ponto de vista, porque é isso que forma você.

E quem sabe se tu não fosse uma coisa peculiar, Youngtaek, eu nem gostaria tanto de você.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...