História Naturalmente - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias The Boyz
Personagens Bae Joonyoung (Jacob), Lee Sangyeon (Sangyeon), Moon Hyungseo (Kevin)
Tags Baemoon, Canada Bros, Jacob, Kevin, Moonbae, Sangcob, The Boyz
Visualizações 29
Palavras 2.055
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ok, a partir daqui é onde as coisas vão realmente começar. :')

Capítulo 10 - Semente


Ambos os canadenses olharam-se e souberam que não haveria muito o que fazer, quando perceberam que o professor balançava a mão freneticamente os chamando e que estava prestes a repetir o que havia dito.

— Por– Kevin começara e foi arrastado para a frente por Jacob segurando o seu braço.

Se a atenção que antes estavam recebendo não era o suficiente, a de agora certamente seria.

— Como anda a tarefa de vocês? – Sr. Cha perguntava, enquanto apoiava as mãos em sua cintura. Virou-se para Kevin, ficando em sua frente. — Veja bem, Kevin. Quase sempre que falo com seu colega sobre isso, ele está sozinho. Não me diga que está deixando tudo para Bae? – finalizou afastando-se de Moon, fazendo com que todos o olhassem.

— O quê? Sr. Cha, de onde você tirou isso? – Jacob perguntou, um tanto quanto incrédulo. Não era justo o professor estar tratando Moon daquela forma, na frente de todos.

— Por favor, Bae. Deixe o garoto responder. – voltou sua atenção para o canadense mais novo. — Acha que pode se aproveitar de Jacob?

— Pare com isso. O Kevin é um ótimo aluno. – Jacob interrompera, fazendo o resto de seus colegas o olharem.

Os olhos de Sr. Cha estavam quase maiores que sua barriga com a reação de Bae.

— Jacob... – o professor começou mas foi interrompido por Kevin.

— Eu tenho algo preparado já. – o mais novo disse, olhando para seus próprios pés.

Jacob o olhou.

— Kevin? Eu pensei que você não queria me mostrar–

— Está tudo bem, Jake. Eu percebi que preciso agora. – olhou para o mais velho e sorriu.

Como se já soubesse exatamente o que fazer – e como se todos estivessem aguardando por isso – sentou-se em uma cadeira que havia por perto. Sr. Cha sentou-se em seu lugar original e Jacob afastou-se um pouco, dando o espaço necessário para Kevin. Aquela era a sala de Composição, portanto alguns instrumentos estavam por perto. Até mesmo um microfone que quando Sr. Cha não estava usando para uma de suas milhares performances exageradas, acabaria sendo útil para situações como essas. Bem, situações do estilo Kevin Moon.

Kevin levou os dois dedos a ponta do microfone que ajeitara perto de si, batendo levemente e percebendo que o mesmo não se encontrava ligado. Decidiu que continuaria mesmo assim, mas antes optando por falar algo.

— Bem... – começou, um pouco de timidez presente em seu tom. — Isso é algo que eu escrevi para alguém. Então... – sorriu fraco enquanto olhava para baixo.

O tom que Kevin usaria para cantar era doce, sua voz um pouco baixa e calma.

My heart pounds whenever I see you, every single day

Please answer me today, yes or nope

Tell me what you want

What’re you doing? Hurry, answer me now

I don’t wanna be just friends anymore

 

No, I’m sober right now

Now I’m your love

My confession is over, you’re my lover

Show me your heart

I just want you

Pela primeira vez em muito tempo, Jacob conseguia admitir que estava encantado com Kevin. A voz do mais novo parecia tão tranquila e o mais velho pegou-se pensando – ele não queria que aquela voz parasse nunca mais.

Oh you know, your name is so dazzling

Just calling your name makes my heart flutter

I won’t ever close my eyes

Whatever your lips say

Before you shine on me

 

I was never able

To confess to you

But now my days are filled with you

I just want you

Aquela letra parecia uma história familiar.

Quando Moon parou de cantar, o som de aplausos pôde ser ouvido na sala, com exceção de Jacob e o professor. Jacob estava atônito demais e bem, o professor era o professor.

— Obrigado. – Kevin disse, rindo timidamente enquanto mexia em seu gorro.

Estava andando de volta em direção ao seu lugar quando Jacob segurou sua mão, assustando o mais novo.

— J–Jacob?

— Eu preciso falar com você.

Sr. Cha rapidamente roubou a atenção do ambiente.

— Parabéns, Moon. Pelo visto você entendeu bem a mensagem. – pigarreou, mexendo disfarçadamente em sua gravata torta. — Jacob, o que você achou?

— Eu? Eu gostei.

— Não está cem por cento ainda. – Kevin cochichou para Jacob enquanto ambos voltavam para seus respectivos lugares.

— Espero que não esqueçam, daqui um tempo temos o festival de antes das férias. – o professor tossiu exagerado. — No qual, você e Bae terão que se apresentar.

Os dois se olharam boquiabertos.

— Kevin... – Jacob sorriu. — Isso é graças a você.

O mais novo sorriu igual e balançou a cabeça negativamente, em relação a afirmação do outro.

Aquela aula, assim como as seguintes, acabaram sendo tranquilas. Jacob estava feliz mas ainda não havia contado ao outro canadense que havia visto a antiga carta. Depois de ver Kevin cantar, não sabia se deveria, pois não queria acabar estragando as coisas que pareciam estar indo bem. E se trazer algo de anos atrás fosse apenas causar desconforto e incômodo? Ao mesmo tempo, sabia que se não falasse algo, continuaria sentindo-se culpado. Por que ele estava ligando tanto para isso?

Mas ele teria que falar de qualquer jeito. Era o que passava pela sua cabeça enquanto caminhava com Kevin pelos corredores.

— Sabe se aquela sua turma está contando como atividade extracurricular ainda? – Kevin começou, colocando suas mãos dentro dos bolsos da calça. — Parece que o pessoal não deu muita importância.

— Acho que não devem se interessar por esse tipo de coisa. – o mais velho respondeu, seguindo o ritmo do garoto ao seu lado. — Para falar a verdade, você é um dos poucos que se inscreveram.

— Eu pensei que você já saberia disso.

Jacob arqueou as sobrancelhas e encarou Kevin, falando em seguida.

— Saberia o quê? Que você acabaria se inscrevendo?

— Sim. – pausou, rindo da expressão de confusão do mais velho. — Você não lembra que eu gostava de desenhar? – sua boca abriu em espanto, fingindo estar ofendido. — Eu não acredito que você não lembra!

— Eu lembro... – respondeu. É claro que ele lembrava. — Não me diga... – seus passos cessaram e tocou no ombro do mais novo, seu rosto mudando conforme os pensamentos se formavam em sua mente. — Aquele folheto...

— Sim. – Kevin riu, continuando a andar, o que fez com que Jacob voltasse a fazer o mesmo. — Eu desenhei aquele piano no folheto que vocês colocaram nos murais.

O canadense mais velho agora estava perplexo. Ironicamente, parecia ser coisa do destino.

— Mas... Eu pensei que você fosse novo na universidade?

— E eu sou. Mas um pessoal da gráfica daqui viu meus desenhos, e perguntaram se eu gostaria de fazer algo no folheto de um tal de Jacob Bae. – olhou para o garoto do nome citado ao mencionar o mesmo.

Jacob sorriu, esquecendo-se totalmente por um segundo do que precisava contar ao outro. Lembrou-se em seguida e pôde sentir seu coração aumentar o ritmo. Por que isso agora?

— Kevin...

— Hm?

— Eu... – Jacob disse em tom baixo, olhando para o chão enquanto seus pés andavam no chão branco do que, de repente, parecia ser um corredor infinito.

— Você? – o mais novo indagou, seu olhar de início focando a frente, mas mudando em seguida quando percebeu a ausência de resposta do mais baixo. — Jake, aconteceu alguma coisa? Você está bem?

— Eu estou com fome. – finalizou, claramente mentindo. Recebeu um olhar confuso de Kevin. — Você quer comer algo?

Provavelmente não era a melhor maneira de mudar o assunto, mas aquela pergunta de repente parecia natural e, como se tivesse plantado uma semente em seu coração, estava crescendo uma necessidade de ficar perto do mais novo. Jacob não tinha muitos amigos e algo dentro dele queria passar mais tempo com Kevin. Poderia ser que isso fosse porque Sangyeon agora estava longe e Kevin era o mais próximo de si – mas algo dentro dele o fazia sentir que não era esse o motivo.

— Agora?

— Sim. Eu conheço um lugar por perto.

— Estamos com nossas mochilas. – Kevin riu.

— Uh... – o mais velho coçou a cabeça. — Podemos deixar aqui e voltar depois.

Kevin assentiu, ainda rindo.

— Do que você está rindo?

— Nada. – tossiu. — Só achei engraçado você me chamar para comer algo, assim, do nada. – desviou o olhar para o lado ao terminar a frase.

— Ya! Não é do nada. Eu realmente estou com fome.

— Tudo bem, então.

Eles caminharam até a porta da sala que Jacob – e antes Sangyeon – estavam responsáveis de trazer alguns dos alunos. Jacob abriu um armário que estava por perto, colocando sua mochila e fechando em seguida. Kevin acabou fazendo o mesmo com o seu próprio.

— Você não vai me fazer caminhar muito, não é? – o mais novo questionou fazendo graça, enquanto fechava a estrutura. Ele estava de frente para a mesma, não podendo ver o resto do ambiente. Levou a mão ao gorro que usava, despindo-o junto com seu casaco e socando decentemente para dentro do armário.

— Sinceramente, como você é magro assim? – Jacob riu e disse, aproximando-se do outro garoto para ter uma visão melhor de seu corpo. Kevin parecia tão franzino às vezes, principalmente agora que havia tirado o casaco e a pele de seus braços estava a mostra. Tocou rapidamente o pescoço do mais novo para provar seu ponto do que havia dito, fazendo Kevin estremecer de leve.

— Eu não sei. Genética, talvez? – Kevin respondeu, ainda de costas enquanto passava a mão no local que Jacob havia tocado. Coçou de leve, causando um certo movimento na peça restante que usava, o que fez com que deixasse parte de sua pele mais visível.

— Kevin, o que é isso? – Jacob disse, inclinando seu rosto para olhar o local mais de perto. — Parece...

Antes de Jacob terminar a frase, o mais novo virou-se rapidamente, fazendo com que os dois ficassem se encarando quase cara a cara – seria literalmente isso se a genética de Moon não o tivesse favorecido para ser alguns centímetros maior que o mais velho.

Mas Jacob sabia o que havia visto. Ele sabia o que eram hematomas e machucados.

Hematomas e machucados que apesar de preocupantes, pareciam disputar sua atenção naquele momento com o fato de ele estar novamente tão próximo de Kevin – este que, parecia preocupado. Kevin moveu-se para o lado, desviando seu olhar do amigo.

— Não é nada demais.

— Não é nada demais? Alguém bateu em você? – Jacob questionava, claramente preocupado com o que acabara de ver. Seu rosto seguia Kevin. — Você...

— Não é nada demais, Jake. Eu já disse. – Kevin engoliu sua própria saliva, ainda evitando olhar para o mais velho.

— Você não acha que deveria me contar?

— Não é algo que eu me sinta bem falando.

Jacob suspirou, movendo-se para perto do outro, que continuou a falar.

— Além do mais, eu não quero arruinar o clima de agora. – pausou. — Você faz eu me sentir bem e por algum motivo esqueço até mesmo dessas coisas quando estou com você.

Maldita semente que havia sido plantada em seu coração – os batimentos já haviam mudado de ritmo novamente. Porém sabia que isso era algo sério para Kevin e respeitaria a decisão do mais alto.

— Jake, por favor. Diga alguma coisa.

— Está tudo bem, Kev. – ficou de frente novamente para o mais novo, desta vez suas mãos tocando gentilmente os ombros do garoto a sua frente, apertando-os de leve, como se estivesse afirmando o que estava prestes a dizer. — Eu não penso menos de você por causa disso e se você não quiser falar agora, eu entendo.

Kevin assentiu, sentindo o toque de Jacob sendo afastado de seu corpo.

— Você pode manter isso em segredo?

Jacob o olhou, surpreso.

— Claro.

Assim terminaram o que precisavam fazer e seguiram para fora da universidade. Jacob estava sentindo-se ainda mais próximo do amigo por algum motivo – se é que isso era possível, uma vez que ambos já haviam até mesmo se beijado. Era como se tudo o que Kevin aparentou ser no passado, não fosse realmente ele mesmo, como se tudo tivesse sido uma espécie de máscara. Por dentro e aparentemente por fora, Kevin Moon era um garoto frágil e sensível – ao contrário da impressão que costumava causar nos outros. Compartilhar – por mais que não totalmente – uma de suas inseguranças com Jacob fez o mais velho sentir-se especial, e também, como se agora fosse um pouco responsável pelo Moon. Uma sensação de carinho, talvez. O mais novo poderia ter inventado alguma história, mas simplesmente demonstrou que não sentia-se confortável o suficiente. Isso para Jacob era o suficiente: conhecer um outro Kevin.

Um Kevin que nem todos conheciam – principalmente, o coração do mais velho.


Notas Finais


HMM~ Alguém reconheceu a música que o Kevin escreveu e cantou? :o


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...