1. Spirit Fanfics >
  2. .Nct imagines)neozone one.mini >
  3. .xiaojun).

História .Nct imagines)neozone one.mini - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


eu chorei escrevendo isso, não tenho depressão e nunca tive, mas sei o quão difícil é para quem tem ou já teve, contudo estou disponível se quiser conversar😔🙌🏻ou turnar.

Capítulo 19 - .xiaojun).


Fanfic / Fanfiction .Nct imagines)neozone one.mini - Capítulo 19 - .xiaojun).

ㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤ•᷅ࡇ•᷄
ㅤㅤ╭╶╌╶╮ ➫ naejin. kyo.め
ㅤㅤ┆ xiaojun. depression.
ㅤㅤ┆ ㌚. 🐸, sad !!! (*ᴗ͈ˬᴗ͈)
ㅤㅤ╰╌꒷꒦꒷꒦꒷꒦꒷꒦꒷꒦꒷꒦ nct. ₊

ㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤ...♡

E lá estava você chorando mais uma vez em seu quarto, o fato era que guardava tudo para si e está preste a se sufocar com tudo aquilo, se comparava com um buraco negro por guardar tamanha imensidão de palavras e sentimentos para si.
Mas não estava sozinha, sua melhor amiga nos últimos meses era a gilete, seus pulsos pigavam sangue, sujando o quarto, mas você não ligava, pois, estava morta.
[...]
Era seis horas e o alarme barulhento apitava, era hora de ir para a escola, você não queria ir, mas era obrigada pela sua mãe, já era uma desgraça na vida dela, então seria um mínimo que poderia fazer. Levantou-se se trocando e se arrumando para ir para escola, no seu último surto, cortou seu cabelo, na altura do ombro, mas agora já estava arrependida. O uniforme da escola era uma saia pregueada e uma blusa de manga longa, seria boa para escoder todos os seus cortes que demonstrava a sua dor.
Estava na escola agora para ser exato, no último horário, você nunca joga nada, apenas se senta na bancada e coloca seus fones de ouvido no máximo, as vezes escuta comentários como "por que ela é tão estranha ?", "ela não tem amigos", "ela é tão esquisita", "qual o problema dela", mas apenas ignora pois já está acostumada.
E lá estava você mais uma vez isolada, apenas escutando música para ocupar sua mente vaga, não era uma péssima aula, na verdade suas notas sempre foram ótimas, mas não fazia muita diferença para a turma, pois estava sempre calada.
[...]
Se as pessoas soubessem o peso de suas palavras, ficariam caladas, depois da aula estava jogada em sua cama, eram quase duas da tarde e não havia comido nada e muito menos tirado seu uniforme, seu peito doía como nunca, nunca teve o amor de seus pais, eles sempre estavam ocupados de mais com o trabalho, e você sempre tinha que ficar sozinha. Não tinha amigos, e nem sentia mais vontade de viver, ao falar sobre depressão a única pessoa que achou que te ajudaria ela apenas te olhou, riu de lado e disse.

─ Mas é só ir para igreja, já falou com Deus hoje ? Fale com ele e ele irá resolver todos os seus problemas.─ XXX.

Deus. Eu precioso de você aqui comigo, por favor me tire essa dor, todos os dias era a mesma coisa, parecia um cd travado que repete sempre a mesma coisa. Mas por que Deus não dava a solução ? Por que sempre dizem a mesma coisa, quanto na verdade não sabem metade da dor que eu sinto.
Eu só queria morrer, eu queria poder tirar a minha própria vida, mas sou covarde de mais pra isso, eu não posso. Mesmo minha mãe sendo ausente, mesmo talvez ela me odiando, não vou dar esse desgosto a ela, eu prefiro morrer aos poucos, por que não posso imaginar, minha mãe achando o meu corpo sem vida no chão do quarto, sangue, e uma carta em cima do criado mudo, diezendo "mãe eu encontrei a paz que queria". Eu não consigo imaginar, os mesmos colegas de classe que dizem que sou estranha e esquisita, indo romantizar o meu suicídio em setembro, eu não quero que a minha mãe viva para sempre com a culpa de ser uma péssima mãe. A realidade é que já estou morta, morta por dentro, minha alma dói por não ser amada e meu corpo implora por afeto, sou como um livro em branco, nada interessante, até qus alguém comece a escrever.
[...]
Outro dia se iniciava, na mesma hora, fez sempre a mesma rotina, indo novamente para escola. Ao chegar no quarto horário e penúltimo, o professor disse que iria formar duplas para fazer um trabalho juntos, já me desanimei de primeira, pois mesmo querendo afeto, não consigo ser verdadeira, sou muito fechada.

─ S/N e Xiaojun.─ o professor disse.

Você suspirou fundo tinha que ser um dos garotos populares, iria sofrer bullying como sempre, o mesmo se sentou ao seu lado, logo iniciando a fala.

─ Ah que bom que fiquei com uma pessoa inteligente.─ o garoto disse.

─ Ah...eu não sou tão boa assim.─ você se redimiu.

─ O que ? É claro que é. Você é a melhor S/N, e é muito fofa, esse cavelo te deixou ainda mais fofinha.─ ele disse danso um tapinha em sua cabeça.

Poucas pessoas te elogiavam, como já disse a maioria te achava estranha, você sorriu para o garoto, talvez fosse o primeiro sorriso da semana. Haviam passado a aula conversando, você era bem tímida e só respondia o básico, ja2o garoto era um tagarela, não calava a boca, o travalho estava combinado, três horas na sua casa.
Chegou em casa tirou o uniforme, colocando uma blusa branca de manga longa, para esconder os seus cortes, e um short jeans, comeu miojo e bebeu refrierente, assistindo a um anime qualquer, sua casa era grande mas como só havia você parecia estar vazia. A campanhia toca e você já sabia quem era, foi até a porta abrindo a mesma, Xiaojun entrou se sentandoa mesa ao seu lado.

─ Onde estão os seus pais ?─ o mesmo questionou.

─ Hum...meu pais são separados, só moro com minha mãe, mas ela sempre trabalha até tarde.─ você deu de ombros.

─ Ah entendi. Você não se sente sozinha ? Eu me sentiria.─ o mesmo questionou.

─ Já estou acostumada.─ deu de ombros novamente.

Estavam fazendo o trabalho, mas ficou com sede, então se levantou para ir buscar água, mas quando ia sair da mesa, mas Xiaojun segurou seu pulso afim de falar alguma coisa, seu pulso recém cortado, acbou soltando um "ai" bem doloroso, o mesmo soltou o seu pulso te olhando, a blusa braca agora se tornava vermelha, apenas no lugar do pulso, seus cortes haviam sido pressionados de certa forma.
[...]
Xiaojun está fazendo seus curativos, enquanto você só o observa, ele parece ser bem habilidoso.

─ Por que você fez isso ?─ ele questionou.

─ Por que me odeio.─ você respondeu.

─ Não deveria dizer isso, você é linda, inteligente e...─ ele ia falar.

─ Você não entende, que qualidades não definem saúde mental e muito menos emocional ?─ você explicou.

─ Me desculpa, eu nunca passei por isso, sinto muito por você, mas pra mim você é perfeita, no tempo livre sempre fico olha do pra você, mas sempre ignora todos, pensei que fosse arrogante por isso nunca te procurei.─ ele respondeu.

─ Todos os dias eu quero morrer, não sou feliz, não tenho amigos e nem uma família de verdade, não me acho legal e nem atraente como as outras garotas, me disseram para pedir ajuda a Deus, mas não adiantou.─ você se desabafou pela primeira vez.

─ Por favor não fale isso, se tivesse me contado isso antes...─ ele começou a dizer.

─ Você disse que sempre quis falar comigo, mas nunca foi, quem realmente quer consegue, quem não quer arruma uma desculpa, por favor não seje hipócrita.─ você disse.

─ Mas ainda tenho tempo, e a partir de agora irei ser seu amigo.─ o menino afirmou.

─ Agora é tarde, estou morta.─ você disse.

─ Então irei te ressuscitar S/N.─ o garoto comentou.

E foi assim que tudo começou, a vida prometeu a morte o seu amor, mas a morte era egoísta de mais para perceber seu valor. Então um dia, a vida deu a morte o sol, e no outro dia deu a morte a lua, contudo a morte recusou seus presentes, dizendo que tudo o que ela precisava era apenas de si mesmo e nada a mais, então a vida no terceiro dia deu a morte um par de olhos, dizendo a mesma que seu orgulho e egoísmo a cegava
Xiaojun deu a S/N um par de olhos para que ela pudesse ver o quão importante era ela, e em meses S/N estava sentada no chão de um parque qualquer ao lado de Xiaojun rindo e conversando sobre tudo, e vendo a noite estrelada.

─ Aish S/N não seje idiota, a lua não é feita de queijo coisa nenhuma.─ eo garoto disse rindo.

─ Mas parece um queijo.─ a garoto disse fazendo um enorme bico.

─ Eii não faça esse bico.─ o garoto disse.

─ Por que ?─ ela fez de novo.

─ Por que eu posso te roubar um beijo.─ ele deu de ombros.

Dando um selinho na garota, que corou instantaneamente, ela realmente gostava do garoto ele havia a ressuscitado por dentro e trago sua felicidade de volta, sorriu, colocando suas mãos no rosto do garoto selando seus lábios em um beijo.

  ( end ) opss. bye.

Notas Finais


eu inventei essa história da morte e da vida pra ficar mais bonitinho🤡duvido que alguém irá ler isso tudo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...