1. Spirit Fanfics >
  2. Need help with detention - Drarry >
  3. Capítulo 21 - Jealous

História Need help with detention - Drarry - Capítulo 21


Escrita por:


Notas do Autor


Heslou!
Tudo bem?
Eu apaguei o capítulo passado, sim? Mas é isso, não vai interferir na compreensão da história.
Boa leitura

Capítulo 21 - Capítulo 21 - Jealous


Draco POV

Eu ajudei Harry com o malão assim que Remus trouxe ele com a permissão de Dumbledore. Ronald e Hermione estavam em uma mesa vadia no Salão Principal.

Sentei com eles junto com Potter, sendo seguido por Gina e Luna. Pansy estava com Blaise, vindo também em nossa direção para dividirmos alguns chocolates e doces que compramos no Beco Diagonal assim que recebemos uma ordem de Dumbledore para isso.

Abracei sua cintura e beijei seu pescoço, chamando a atenção de Ginny, que piscou para Potter e mordeu o lábio inferior com os malditos perfeitos dentes, logo jogando a atenção para Luna que falava de alguma coisa do Pasquim.

Afastei meu corpo do seu e peguei um doce qualquer, virando o rosto para Pansy, que me olhou assustada pela ação repentina. Transformei uma caixinha em um papel e a tampa em uma pena, começando a escrever para ela, com cuidado para Harry não ver.

Fiz um floreio, fazendo o recado chegar no bolso da capa de Pansy, que logo pegou e mostrou para Blaise, os dois começando a ler. Apoiei os cotovelos na mesa e esperei uma reação dos dois.

Minha melhor amiga começou a rir, sendo seguida por um Blaise com um sorriso ladino e um tanto malicioso. Eu tinha deixado claro que pretendia falar com Potter sobre algo sexual já que nunca partimos para algo a mais que a cena do banheiro.

E também falei sobre a jogada da Weasley com Harry, do jogo seduzente. Olhei para o meu namorado, que me olhava com a testa franzida, como se tentasse descobrir minha cara envergonhada.

- O que foi? Percebeu que sou gostoso também de olhar?

Ele revirou os olhos e deixou seus lábios curvarem em um delineado um tanto sexy e provocador, passou a língua por eles e chegou perto da minha orelha, mordendo o lóbulo, atingindo em cheio com sua voz baixa.

- Não só de olhar.

Deixou a mão percorrer por baixo da mesa, passando a mesma pela calça, até chegar na parte da frente da peça íntima.

Voltou a atenção para Hermione, que explicava alguma coisa do livro que estava lendo, desviei os olhos parar meus dois melhores amigos, que começaram a rir.

-////

Coloquei algumas garrafas de bebidas e algumas comidas que pedi para Dobby trazer no carrinho, onde levei até Harry, que estava deitado na cama daquela Sala Precisa.

Peguei um pouco de suco e olhei para ele, que me encarava esperando algum assunto.

- Você já pensou no que fazer quando a guerra acabar, quando isso passar?

A pergunta me deixou surpreso, eu tinha esperança dela acabar rápido, de preferência em poucos dias, não como da última vez em que foi um grande poder nas mãos dele.

- Eu gostaria de ser medibruxo, não quero ir para alguma empresa, talvez eu conseguisse aumentar a renda Malfoy, mas eu acho que de resto...

- Eu não sei o que fazer, sinto que posso ir para Auror, mas eu não acho que eu faço parte disso, seria tão idiota Harry Potter como Auror.

Eu assenti rindo. Era algo que todos ali estavam jogando verde como se esperasse isso, como se estivesse deixando óbvio o destino dele, mais uma vez.

- Você ainda tem um tempo para pensar, é algo sério.

Mordi um pedaço de morango, deixando o resto cair no chocolate, logo com um floreio direcionei o mesmo a passar pelos lábios de Harry, sujando com o chocolate.

Fui engatinhando até ficar entre suas pernas e roubar a fruta, comendo ela. Mordi seus lábios, sentindo o amargo da cobertura que cobria o avermelhado.

Abaixei a mão até o colchão e beijei com profundidade, tomando a liberdade de colocar minhas mãos em sua cintura, derrubando ele com força na cama.

-////

Ronald parecia querer me matar, eu somente passei na frente dele após eu ter deixado Harry na Torre da Grifinória, provavelmente por eu ter avisado e feito uma piadinha um tanto maliciosa com o que eu tinha feito com seu melhor amigo antes.

- Qual é, Weasley, parece que só vive no armário. Será que você não transa?

Seu rosto ficou um tanto vermelho, e eu logo observei seu desviar de olhos para Zabini, e fiz um jogo com meus dedos, alternando entre os dois.

- Que clima do caralho. Blaise, leve Ronald para a cama, querido.

Deixei alguns tapinhas em seu ombro e saí junto de Harry, Pansy e Hermione. Coloquei as duas em um alerta sobre meu melhor amigo e o ruivo.

Sentei na mesa da Sonserina, com Parkinson, enquanto observava os outros dois se afastar. Ela me olhou um tanto curiosa.

- O que foi?

- Vocês fizeram alguma coisa?

- Não preciso te falar isso, Pan.

- Claro que precisa, você é meu melhor amigo.

Professor Snape entrou rapidamente no Salão, atraindo os olhares, e ele parecia aflito, logo procurando por Dumbledore, que parou de tomar seu suco para deixar sua atenção ao professor.

Um barulho na porta fez com que a mesma estourasse, voando na direção da mesa dos professores. Olhei um tanto assustado e meu instinto foi observar Potter, que estava com a varinha já armada.

Eu peguei a minha, acenando para todos os outros sonserinos fazerem. Eu não sabia o que era de se esperar, mesmo sabendo que era algo das Trevas.

Abaixei o olhar quando Dumbledore passou entre nós com Snape ao seu lado, sendo seguidos por Harry, que parecia querer uma explicação para o alvoroço aleatório.

Fui atrás deles, subindo as escadas para a Torre de Astronomia. O céu era um tanto nublado, mas algo que me chamou a atenção, foi quando Comensais da Morte apareceram ao meu lado.

Dumbledore parecia assustado, mas não dei para trás. Continuei com a varinha apontada em sua direção, Potter estava embaixo de nossos pés, e as lágrimas eram como se fosse para curar ele.

Minhas lágrimas escorriam de meu rosto, com agilidade. O homem fez um sinal para que eu abaixasse a varinha, mas com um floreio vi ele ficar desarmado rapidamente.

Minha tia tocou meus ombros, com aquela risada que era um tormento de toda minha infância, quando eu fazia algo errado e meu pai ameaçava ser algo como masmorra com Lestrange.

- Vamos, Draco.

Eu comecei a chorar e logo observei tudo em câmera lenta, meu padrinho atingir com o raio verde o diretor, com o corpo do mesmo caindo contra o ar até o chão após a morte de um Avada.

Deixei os joelhos vacilarem, mas fui puxado até o corredor, onde me deixaram para o afogamento de lágrimas. Braços me cercaram e comecei a chorar mais quando senti o perfume de Potter.

Eu não merecia Harry, nem se eu fosse a pessoa mais santa e sem pecados do mundo. Eu deixei que tudo saísse para que eu pudesse me condenar, eu nunca me perdoaria por aceitar a maldita Marca em meu braço.

Seus dedos tocavam meus fios de cabelo, puxando eles para trás, e eu liberei mais o choro quando vi Blaise me puxar para cima, pegando-me no colo.

- Leve ele para a Sala Precisa, vou ir procurar Pansy para ela separar alguma roupa pra ele.

Eu observei o garoto sair correndo com Weasley e olhei para Zabini, arqueando a sobrancelha, tentando controlar as lágrimas.

- Não me olha assim, Malfoy. Sabe que sou seu amigo, fingir que não quebra e que não desaba é um tanto infantil, então fique na sua, estou seguindo a ordem de Potter. Eu perderia Ron se eu não fizesse isso.

- Deixe eu pelo menos andar sozinho.

Ele assentiu, me colocando com cuidado no chão. Logo esperando eu limpar as lágrimas com as costas da mão e ir andando com cuidado para o corredor da Sala Precisa.

O contorno da enorme porta demorou um tempo, assumindo depois de alguns minutos. Era a mesma sala em que eu estava com Harry, deixando Zabini um tanto chocado.

A cama estava bagunçada, tinha uma gravata da Sonserina na poltrona ao lado da cama enquanto a da Grifinória estava no chão. Comecei a rir, observando a expressão chocada de Zabini mudar para maliciosa.

Fiz um floreio rápido para colocar tudo no lugar e me joguei no sofá, um tanto constrangido. A porta foi aberta pelo que pareciam brutamontes, mas era somente Pansy, Hermione, Ronald e Harry.

Weasley tomou a frente, me entregando uma sacola com doces, ele parecia envergonhado, não por mim, mas por meu melhor amigo que colocou a mão em sua cintura.

Pansy sentou ao meu lado, chamando Hermione, que sentou na mesinha, mesmo tendo mais sofás para ela sentar, mas ela preferiu ali. E logo retirou da bolsa da grifinória, algumas garrafas de bebidas alcoólicas e algumas bebidas geladas e quentes.

Harry sentou em meu colo, apoiando as costas em meu peitoral, com os braços em meu pescoço, abraçando-me.

- Está tudo bem. Eu estava lá, e irei te proteger de tudo, sei que não fez, quem fez foi Snape, então por favor, não chore.

Seus dedos passavam em meu rosto, capturando as gotas de lágrimas que insistiam em sair do meus olhos. Abracei mais seu corpo, enquanto a mão de Pansy deslizava em minha coluna.

Olhei para Ronald, que parecia querer entrar em um acordo com si, estendendo alguns doces na própria mão em minha direção. Fiz questão de pegar uma embalagem de chocolate e assentir.

- Obrigado, Weasley.

- Hm, pode me chamar de Rony ou Ron...

Harry sorriu junto com Hermione, recebendo um beijo de Blaise. Eu tinha noção que o ruivo ainda estava com vergonha das demonstrações públicas, mas ficava feliz então quando Zabini me contou entre aspas, eu apenas fiquei feliz por eles.

- Granger, posso conversar com você?

Dei alguns tapinhas no colo de meu namorado, fazendo ele levantar. Acenei para ela andar comigo até duas poltronas afastadas, no outro canto. Coloquei um feitiço silenciador para conseguir falar com a mesma em particular.

- Eu queria começar pedindo desculpas para você, por todo meu tratamento imaturo e um tanto mimado. Por meus tratamentos através de suas origens, que não tem nada de máximo contra a minha, somos iguais lutando por um Mundo Bruxo melhor, acredito.

Ela assentiu, fazendo um gesto para eu continuar, cruzando as pernas e me olhando com um sorriso calmo e confortável.

- Então eu espero que perdoe uma parte de mim, não tudo, porque eu sei que é difícil. Fui cruel demais com você, desde o seu primeiro ano. Eu peço perdão por meus erros.

Ela sorriu e eu agradeci a Merlin por conhecer os dentes perfeitos dela, logo sentindo seus braços abraçarem meu corpo contra o seu. Ela coçou a garganta e fez um gesto amigável.

- Vamos começar novamente.

Ela arrumou os cabelos para trás e molhou os lábios, tentando fica mais arrumada. Estendeu a mão e o rosto, empinando o nariz como aquela maldita garotinha do primeiro ano que ela foi.

- Eu sou Hermione Granger, mas pode me chamar pelo apelido, Mione. E você é?

Deixei o nariz empinado no ar, tentando arrumar os cabelos como antigamente, peguei em sua mão e levei os lábios para a mesma.

- Sou Malfoy. Draco Malfoy.

Ela sorriu assentindo e desfiz o feitiço, encontrando os outros com o queixo quase no chão e eu ri. Logo seguindo para Ronald Weasley.

- Eu gostaria de pedir desculpas por todas as ofensas que eu dirigi para sua família, apenas por vocês apoiarem pessoas como o Harry e Mione. Eu também peço desculpas por tudo que lhe causei, admitindo que mudei e quero uma segunda chance se possível. Um novo começo.

Blaise assentiu sorrindo e logo observei o estado de alerta do ruivo sair da expressão. Ele estendeu a mão junto com a minha, apertando as duas em um acordo de desculpas.

- Não me chame de Weasley, é terrível.

- Também não me chame de Malfoy.

Ele riu baixinho e voltei a atenção para a porta, que agora entrava duas garotas. Luna e Gina Weasley. Harry tocou minha mão.

- Eu estava tão preocupada com você.

Lovegood me abraçou e logo observei o sorriso de Weasley. Tinha algo ali. Peguei nas mãos da loira, olhando em seus olhos.

- O que aconteceu para vocês duas estarem aqui.

- O pedido foi meu, Malfoy.

A voz era de Gina, que sorriu tranquila com o olhar que eu entregava a ela. Logo estendeu a mão.

- Também aceito suas desculpas, já que me deve também.

Eu assenti e beijei sua mão, ganhando um tapa de Luna, que posicionou as mãos na cintura e fez um biquinho.

- Larga minha mulher, seu doido.

Eu ri e voltei para Harry, que olhava de um jeito estranho para a garota, sorrindo de canto, recebendo o mesmo sorriso e um piscar de olhos.

 Voltei para o sofá de braços cruzados, esperando Harry sentar no meu colo, mas ele apenas ficou sentado no chão, ao lado de Hermione, enquanto olhava a movimentação no quarto.


Notas Finais


Xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...