1. Spirit Fanfics >
  2. Need You Now >
  3. Two

História Need You Now - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Two


Fanfic / Fanfiction Need You Now - Capítulo 2 - Two


Onze meses depois....


BELLA VINCENZO (POV's)


SÃO PAULO / BRASIL

Estava parada de braços cruzados na beira do gramado, vendo os meninos em treinamento, meu coração apertado, minha cabeça em outro mundo e as lágrimas descendo pelo meu rosto.

- Nós também vamos sentir sua falta! - O meu chefe disse parando ao meu lado.

Virei a cabeça e encarei ele, que sorriu pra mim.

- Eu tô quase desistindo de ir. - Disse limpando minhas lágrimas e dando lugar ao sorriso.

Ele também sorriu.

- Você merece menina... merece tudo o que está acontecendo, foi a nossa melhor profissional do departamento essa temporada inteira e chegou a hora da sua recompensa, merece mostrar ao mundo que de pequena é só o seu tamanho. - Ele disse tocando no meu ombro.

Sorri balançando a cabeça em sinal de positivo.

- Meu medo é ninguém gostar de mim lá, os alemães são tão diferentes... diferentes em tudo por sinal. - Disse fazendo uma cara de medo.

O médico sorriu negando com a cabeça.

- Claro que eles vão gostar, mas se não gostarem também eu vou achar é bom, porque aí você volta correndo pra cá de novo. - Ele bagunçou e beijou minha testa.

Sorri e ouvi o Luxemburgo soltar o apito dele no mesmo instante, os meninos pararam e vieram caminhado pra fora do gramado, todos ofegantes e suados.

- Bella minha abelhinha... agora eu quero um abraço e um beijo. - Lucas veio de braços abertos na minha direção e fazendo biquinho pra um beijo.

Caí na risada, mas dessa vez eu abri os braços e esperei ele chegar, mesmo suado.

- Lindão. - Disse apertando ele assim que me abraçou.

Ele deu um beijo no meu rosto e me tirou do chão.

- Eu vou matar esses alemães por tirarem você da gente... já não basta o 7×1... aí eles aparecem de novo pra levar a melhor nutricionista do mundo. - Ele disse enquanto me apertava.

Balancei minhas perninhas e beijei o topo da cabeça dele.

- Eu vou sair daqui hoje tipo o Neymar quando foi embora pra Barcelona... eu vou mas eu volto! - Disse sorrindo.

Os outros meninos foram chegando pra me abraçar, alguns passaram direto, por não aceitarem eu ir embora, tipo o Raphael que está entristecido a semana inteira por eu ter dito sim a proposta do Bayern de Munique.

- Só não pode ficar fresca e metida igual ele. - Dudu disse também vindo me abraçar.

Me agarrei no pequeno e não soltei mais.

- Eu te amo tá! - Disse olhando nos olhos dele.

Ele sorriu e beijou meu rosto.

- Eu também te amo... e não esqueça de nós... aí quando chegar em Munique diz pra aquele bando de loiro que o melhor clube do Brasil é o Palmeiras tá! - Dudu brincou me fazendo rir.

- E não esquece de mencionar o melhor zagueiro do mundo. - Gustavo disse chegando e depositando um beijo na minha testa.

Sorri e soltei o Dudu.

- Meu paraguaio lindo... eu também te amo. - Disse e também abracei ele.

Entrei pra dentro abraçada com eles dois, que quando chegou no corredor, nos separamos, eles foram para o vestiário e eu pra minha sala. Quando entrei vi o Rapha parado na janela, fechei a porta e me escorei na mesma.

- Pensei que não fosse mais falar comigo. - Disse com a voz já embargada.

Ele arriscou um sorriso de canto e veio até mim.

- Aquele lugar não é pra você abelhinha... você não conhece ninguém lá e... - Interrompi ele.

- Você está igual os meus pais, mas eu não sou uma criança, eu posso muito bem me virar sozinha... esse é o meu sonho, eu preciso ir e viver, só isso. - Disse.

- E esquecer de mim? - Ele perguntou tocando meu rosto.

Sorri em meio as lágrimas.

- Eu te amo... muito, muito, muito, jamais vou esquecer de você... e foi você mesmo que resolveu terminar tudo comigo. - Disse olhando ele nos olhos.

Ele sorriu fraquinho.

- Você vai assinar um contrato de cinco anos meu bem, e dificilmente vai voltar ao Brasil... eu tenho o meu trabalho, renovei meu contrato e esse também é o meu sonho, continuar aqui... uma pena nosso destino não se encaixar um ao outro, porque eu também te amo. - Ele disse e beijou meu rosto, afagando meu cabelo.

Me joguei nos braços dele e abracei, ele me apertou.

- Minha princesa... promete que vai se cuidar bem? - Ele perguntou beijando minha cabeça.

- Vou... prometo, mas não precisa dessa despedida assim, eu não vou morrer, só vou me mudar pra outro país. - Disse limpando as lágrimas dele.

Rapha me olhou nos olhos e caiu em um choro, parecendo minha mãe e meu pai. Beijei ele e choramos juntos, em meio a um beijo gostoso e literalmente molhado.

- Eu te amo! - Sussurrei durante o beijo.

(...)

Depois de uma despedida emocionante e em meio a um oceano de lágrimas eu disse um "até logo" ao clube que me acolheu por somente uma temporada, tudo começou com um estágio de três meses, mas fui contratada quando tinha somente um mês e quando chegou em janeiro, o departamento médico do Bayern começou a entrar em contato com o departamento do Palmeiras, depois de tantas conversas surgiu essa proposta. Agora como souberam da minha existência? Isso nem eu sei, porque uma menina de apenas 21 anos se tornar o interesse de um clube da grandiosidade que é o Bayern, é surreal.

Eles podem ter os melhores profissionais do mundo para o departamento deles, e colocaram os olhos justo em mim, que estou apenas começando a minha carreira, nem especialização eu não tenho ainda, que por sinal eles fizeram questão de me oferecer isso também, contrato com o departamento deles e pós-graduação na minha área.

Meus pais e irmã surtaram junto comigo, no início eu fiquei receosa, mas essa é uma oportunidade dos sonhos de qualquer um eu diria, e também uma chance de eu ajudar meus pais e melhorar ainda mais de vida. Foi duro a hora da decisão, eles me deram uma semana, e foi a semana mais louca de toda a minha vida, eu chorei mais do que sorri, e chorei ainda mais quando tive que comunicar a todos da minha escolha.

E continuo chorando agora, enquanto término de fechar minhas malas e organizar todas as minhas coisas, embarco hoje no início da noite e chego lá amanhã de manhã. Minha apresentação foi marcada para a segunda-feira de manhã, então tenho o domigo pra tentar me habituar um pouquinho na cidade.

Terminei de me organizar e fui para o banheiro, tomei banho e meu coração não parava de pulsar forte, o frio na barriga medonho também não amenizava, eu estava quase tendo uma crise de ansiedade, não consegui nem dormir de ontem pra hoje.

Saí do banheiro enrolada em uma toalha, e outra no cabelo também. Peguei meu celular e li algumas mensagens dos meus amigos me desejando uma boa viagem, mas eu fui parar no chão ao abrir uma mensagem do Rapha, de despedida e ele pedindo desculpas por não me levar no aeroporto, ele está mais frágil do que eu esses dias, me perdi no choro ao ler tudo, uma perfeita declaração de amor e despedida, respondi com um "Eu te amo".

Depois de quase meia hora eu me levantei do chão e fui me arrumar por causa do horário do meu vôo. Coloquei uma calça jeans preta, com uma camiseta branca, tênis branco e minha jaqueta de couro por cima. Nem ousei passar maquiagem, porque eu sei que ainda vou chorar muito. Deixei meu cabelo solto pra secar naturalmente, passei somente um gloss labial, passei perfume e me olhei no espelho, estava legal minha aparência, não sou tão vaidosa, sou uma garota comum e simples que coloca um jeans, moletom, tênis e está tudo perfeito, eu amo.

Peguei minha mochila rosa e coloquei na costa, não uso bolsa, uso mochila mesmo. Olhei por todo o meu quarto e fui até a minha cama, peguei minha abelhinha de pelúcia que ganhei do meu pai aos cinco anos. Antes de sair eu senti algo tão estranho no peito e comecei a chorar, mas normal, são tantas emoções que eu estou vivendo.

Desci as escadas e papai e mamãe junto da minha irmã gêmea estavam me esperando, olhei pra Sofia e ela estava igual eu, chorando. Somos muito apegadas, afinal, a nossa ligação vem desde o útero da minha mãe, a única coisa que me diferencia dela é o jeito vaidoso que ela tem, sempre foi mais arrumadinha que eu, ela gosta de usar salto e eu tênis, ela prefere usar vestido curto e eu prefiro calça e moletom, é até engraçado.

Ela cursa direito e eu escolhi nutrição, me formei primeiro que ela por eu ser mais focada e interessada do que ela, que já trancou a faculdade umas três vezes, por gostar de curtir muita balada e viagens com as amigas. Enquanto eu sou tranquila e diria que mais inteligente que ela, não que ela não seja, mais esse modo de ela levar a vida, desvia ela um pouco do caminho. E não que eu seja a garota certinha também, porque eu gosto de sair, beber, viajar e curtir, porém meu foco maior sempre foi nos estudos, gosto de aprender e quero realizar meus sonhos ainda, os maiores.

Entramos no carro e papai foi dirigindo com a mamãe ao lado, eu se Sofia fomos no banco de trás, grudadas uma na outra com as mãos entrelaçadas, conversamos bastante e choramos quase todo o caminho do aeroporto, é sexta-feira e está tudo tão movimentando, a noite paulista é incrível.

Entramos no aeroporto e eu fui fazer check-in e despache de malas, voltei e sentei ao lado de Sofia.

- Promete que vai fazer amizade com os gatos do time e vai falar muito de mim pra eles? - Ela tentou descontrair um pouco, eu sou mais emotiva que ela.

Sorri e abracei ela de lado.

- Prometo, aí eu mando o contato do mais gato pra você e você se torna uma Maria chuteira como tanto quer. - Entrei na descontração.

- Sua vaca... o mais gato é o Lewa, aquele pedaço de mal caminho. - Ela disse babando ao lembrar do homem.

Sorri e dei um tapinha na testa dela.

- Para, porque um homem daqueles jamais vai olhar pra gente. - Disse aos risos.

Ela também sorriu.

- É lindo, viúvo e disputado... queria eu ser a sortuda daquela namorada nova dele. - Sofia disse.

Sorri.

- Eu teria que nascer umas mil vezes pra chegar aos pés daquela mulher e ele se interessar por mim.. - Disse olhando para o painel bem perto.

Meu vôo foi anunciado no mesmo momento.

- Para, você é uma princesa, linda e gostosa, vai deixar os alemães de quatro por você. - Ela disse me apertando no abraço.

Olhei para os meus pais e eles se abraçavam olhando pra mim e Sofia sentadas.

- Que horror, eu vou assustar eles igual como aconteceu com os meninos do Palmeiras... eles vão me olhar e dizer "Quem é essa criança?" - Disse lembrando do meu primeiro dia no CT do verdão, todos me tratavam feito uma criança.

Sofia sorriu e começou a beijar meu rosto.

- Uma criança que faz coisas imagináveis... eu te amo Bella. - Ela disse olhando na minha face.

Vi as lágrimas descerem dos olhos dela, aconteceu a mesma coisa comigo.

- Eu te amo de montão! - Dei um beijão na bochecha dela.

Me levantei e ficamos abraçadas uma na outra, foi tão forte. Sentimos papai e mamãe se juntando a nós em um abraço coletivo, choramos todos juntos. Eles me encheram de beijos e carinho.

Nos soltamos assim que eu ouvi a segunda chamada do meu vôo.

- Se cuida meu amor, qualquer coisa liga pra mamãe... se alimente bem, cuide da sua saúde, não se perca, não faça nada de errado e liga pra mamãe assim que chegar, chama no Skype... eu te amo muito. - Mamãe disse me abraçando e beijando minha cabeça.

Abracei ela forte também, fui me soltando aos poucos e ela deixou um beijo demorado na minha testa, sorri e chorei ao mesmo tempo, deixei um beijo demorado no rosto dela.

- Eu te amo muito, meu amorzão. - Sussurei e peguei as mãos dela, dando um beijo em cada uma.

Ela fez o mesmo comigo e se soltou, olhei para o meu pai e ele estava em lágrimas.

- Se cuida bem, liga pro papai todas as vezes que precisar, se comporte e lembre de tudo o que nós já conversamos meu amor... se não gostar de lá é só dizer que o papai vai lá correndo pra pegar a princesa dele de volta. Ok? - Ele me olhou nos olhos.

Sorri confirmando com a cabeça.

- Eu te amo muito... prometo te ligar todas as noites. - Disse abraçando ele.

Papai me abraçou forte e também beijou minha cabeça.

- Não deixa nenhum daqueles alemães se aproximar de você, ou então eu vou lá e quebro a cara dele, seja lá quem for ele. - Papai é tão ciumento, foi uma eternidade pra ele aceitar meu namoro com o Rapha também.

- Mas se o loiro Kimmich quiser se apaixonar por mim eu vou deixar, ele é lindo pai. - Brinquei com ele.

Papai sorriu e beijou minha testa.

- Se o loiro Kimmich quiser enfrentar o papai brasileiro aqui, que venha. - Ele também brincou me fazendo sorrir.

Beijei o rosto dele e peguei as mãos dele, beijando as duas também. Sofia só sabia chorar, fui até ela e peguei nas mãos dela.

- Você é o amor da minha vida, a minha metade, a minha luz, a minha alegria e a minha razão por estar fazendo tudo isso... eu só quero poder realizar os sonhos que nós sonhamos juntas... daqui a não sei quanto tempo eu prometo te levar pra Paris e Londres, depois curtir um verão incrível em Ibiza, comemorar nosso aniversário de 25 anos em Las Vegas e depois casarmos juntas e no mesmo dia na Itália, temos só que decidir  a lua de mel, porque eu também estou indecisa se vai ser nas Maldivas, polinésia francesa ou Finlândia... você é tão louca que até isso colocou na minha cabeça, mas eu só não garanto dividir o marido com você... eu caso com o loiro Kimmich e você com o Neymar sei lá. - Disse em meio as lágrimas.

Sorrimos e choramos juntas.

- Você também é louca... mas sim, nós vamos realizar tudo isso e eu te prometo fazer o meu melhor daqui pra frente, porque você também não vai poder me bancar a vida toda né... mas se for assim e tudo por sua conta eu agradeço... e de recompensa eu pago a nossa viagem pra Disney, porque nós temos que conhecer... eu juro que nós vamos pra lá ainda, nem que estejamos bem velhinhas e com netos já... quanto ao marido eu continuo sonhando com o Lewa... faça amizade com ele e já garante ele como seu cunhado. - Ela disse sorrindo e derramando as lágrimas.

Ela tocou no meu nariz e eu fiz o mesmo, somos bávaras assumidas, ela é apaixonada pelo Lewandowski, e eu louca em vida pelo loiro Kimmich, e desde quando veio essa proposta do Bayern ela anda enlouquecida junto comigo, diz que chegou o nosso momento de realizar nossos sonhos de casar com jogadores de futebol.

- Te amo princesa. - Disse e beijei a ponta do nariz dela.

Ela sorriu.

- Te amo, Bella... precisa encontrar sua fera garota, e espero que seja o loiro Kimmich... vou orar por vocês. - Ela disse aos risos e também beijou a pontinha do meu nariz.

Nós abraços fortemente e voltamos a chorar, dei um beijo na cabeça dela e disse o quanto eu o amo de novo. Sofia fez o mesmo e depois fomos nós soltando vagarosamente.

- Minha abelhinha. - Ela disse e me deu um selinho.

Fechei os olhos e sorri com as lágrimas descendo igual cachoeira.

- Minha esquilinha! - Disse e também dei um selinho nela.

Sempre nos tratamos assim, desde crianças. Abelhinha porque eu gosto de comer muito doce, muita coisa que contenha açúcar. E esquilinha porque se deixar Sofia se acaba comendo nozes, eu que elaboro cardápios pra quando ela entra em dieta, do café da manhã até o jantar ela quer comer nozes, enquanto eu me acabo nos doces.

Ouvi a última chamada do meu vôo, fomos soltando nossas mãos devagar, é uma dor enorme no peito, nós nunca nos separamos assim.

- Amo você! - Disse ao sentir somente o nosso dedinho indicador enlaçado um ao outro.

- Amo você! - Ela disse em meio as lágrimas.

Nosso dedinho foi solto e eu tive que dar as costas para a minha metade. Fui o caminho todo chorando, sem virar pra trás ou então eu iria morrer ali mesmo.

Embarquei no avião e procurei meu assento, guardei minha mochila no bagageiro e me acomodei no meu lugar, coloquei o fone no ouvido e esperei a decolagem, com minutos depois começou o trajeto até Munique. Meu coração quase sai pela boca, minhas lágrimas insistiram em cair, mas senti algo estranho e diferente, um sentimento bom, como se eu estivesse sendo abraçada e protegida por alguém.

Fechei os olhos e tentei relaxar o máximo, porém, minutos depois ouvi uma voz feminina quase que sussurando perto de mim "Eu estou com você, meu anjo" e senti um sopro no meu rosto. Abri os olhos no mesmo instante e olhei para o lado assustada, mas tinha somente um homem sentado e pareceu estar dormindo já. Olhei por todos os cantos e vi as pessoas quietas, nada de movimentação no avião.

Senti até um calafrio no corpo, mas pode ter sido a música que estava alta nos meus ouvidos, voltei a fechar os olhos e tentar dormir um pouco.

ROBERT LEWANDOWSKI (POV's)

Munique / Alemanha

"Seu anjo está chegando para lhe salvar, meu amor"

Essa palavras não saem da minha cabeça a mais de meses, e eu ouço a voz de Anna dizendo tudo isso. Logo no início eu ouvi durante um sonho que tive com ela, foi normal, mas depois de uns tempos se tornou tão frequente, o mesmo sonho e as mesmas palavras. Vejo Anna me abraçando e ela diz essa frase, depois ela me olha e sorri, aí quando eu tento dizer algo, não vejo mais nada, sempre acordo nessa hora.

Hoje foi a mesma coisa, mas dessa vez o sonho mudou, hoje ela só pegou minha mão, disse as mesmas palavras, mas ela estava em lágrimas, por fim beijou minha testa e foi soltando minhas mãos como se estivesse se despedindo, eu também chorava.

Eu acordei gritando um "NÃO ANNA".

Levantei da cama e assustei até Melissa que dormia ao meu lado. Ela se preocupou e desceu pra ir pegar um copo de água pra mim, eu fui pra varanda do quarto e abri as cortinas e portas, nem me importei com o frio, eu perdi totalmente meu sono.

- Está melhor? - Melissa chegou com um copo de água em mãos e me estendeu.

Só confirmei com a cabeça e peguei a água, bebi em seguida e evitei olhar pra ela, que só fez me abraçar de lado e escorou a cabeça no meu braço.

- Pode voltar a dormir amor... tá tudo bem. - Disse levando minha mão livre no cabelo dela e afagando.

Melissa estava caindo de sono e nem disse nada, só me deu um beijo no peito e voltou para o quarto. Me sentei em uma cadeira e fui encarar o céu, que nessa noite estava brilhando, as estrelas se destacavam entre elas mesmas, brilhando intensamente e parecia que sorriam pra mim.

Respirei fundo e fechei os olhos, a imagem de Anna jamais sumiu das minhas lembranças, vejo ela feliz e sorrindo, o que acalma o meu coração um pouco, mas ainda sinto um vazio no peito, um buraco enorme que eu acho que jamais vai poder  ser preenchido novamente, mês passado completou exatamente onze meses sem ela aqui comigo.

E mesmo com Melissa ao meu lado, me apoiado e fazendo de tudo para me fazer feliz, eu não sinto isso. Eu a amo muito também, jamais deixei de ama-lá, mas depois que Anna partiu metade de mim também foi com ela, e desde lá eu não sei o que é ser feliz 100%. Me esforço o máximo para fazer Melissa feliz e ela também faz isso, é sempre tão divertida, tão amorosa, carinhosa, engraçada, companheira e tantas outras coisas, ela é maravilhosa.

Confirmamos nosso namoros após oito meses do falecimento de Anna, Melissa ficou do meu lado em todos os momentos, ela ficou arrasada e posso dizer que sofreu junto comigo a minha perda, porque apesar de tudo ela e Anna eram amigas e Melissa sempre gostou muito dela, porém com um tempinho ela que fez eu voltar a sorrir novamente, ela é incrivelmente incrível, não consigo descrever a maravilhosa mulher que ela é em palavras.

Mas a um mês atrás ela teve a ideia de a gente noivar, no primeiro momento eu disse não é óbvio, não tem nem um ano ainda da morte da Anna. Mas pesando em tudo o que nós já tivemos e vivemos juntos, eu estou me habituando aos poucos com essa ideia, e pra complicar o pai dela também anda insistente no assunto e diz que já está na hora da filha dele casar.

Eu pensei, repensei e aceitei a algumas horas atrás, levei ela pra jantar e fiz essa surpresa, ela merece sem dúvida alguma. Mas vamos manter em segredo, não queremos que a mídia saiba ainda, foi só a condição que eu pedi pra ela, e ela aceitou, está louca de felicidade e planejou nosso jantar de noivado pra daqui algumas semanas, somente para familiares e alguns amigos, os mais próximos de nós.

(...)

Ao acordar no dia seguinte fiquei rolando na cama e pesando no meu sonho da madrugada, fui despertado por Melissa saindo do banho.

- Bom dia amor! - Ela veio toda sorridente para o meu lado.

Sorri e sentei na cama, ela também sentou e me deu um beijo.

- Eu não acho uma boa ideia ir pra Londres agora, eu estou em recuperação, fora esse vírus que anda circulando por aí... porque não ficamos aqui pra preparar tudo e só ligamos pra convidar nossas famílias e amigos? - Disse passando minhas mãos nos fios loiros dela.

Ela negou com a cabeça e me deu um selinho.

- Não, não... nós vamos pra lá sim e passamos esse fim de semana com o meu pai, ele já está nós esperando para o almoço de domigo... Vai ser em especial as mulheres da vida dele. - Ela disse passando as mãos no meu rosto.

Sorri fraquinho.

- Tem o jogo amanhã Mel... Eu queria assistir, aí depois eu posso fazer algo especial pra você. - Disse passando meu polegar na bochecha dela.

Ela revirou os olhos.

- Assisti pela TV oras, quanto ao dia internacional das mulheres, você pode fazer uma surpresa lá em Londres... e vamos logo que o nosso vôo tá marcado para as 11:00h e eu ainda tenho que passar no spa antes, fazer cabelo e unhas, eu tô horrível pra chegar em Londres assim. - Ela disse dando um tapinha no meu ombro e levantando.

Sorri sem mostrar os dentes e me joguei pra trás de novo, eu estava sem ânimo e só sabia pensar no meu sonho noturno com a Anna, acho que Melissa não lembra ou não ouviu eu gritando ao acordar, ela estava tão sonolenta.

Quando ela saiu do closet e me viu jogado na cama ainda, surtou e me empurrou pro banheiro. Tomei um banho bem demorado e relaxante, minha cabeça estava em outro mundo.

(..)

Chegamos no aeroporto por volta das 10:40h, como é jatinho não precisa fazer tantas coisas, a não ser esperar.

E enquanto esperava sentado pelo saguão do aeroporto avistei as princesas do Bayern em um dos portões de desembarque, com uma plaquinha em mãos, aproveitei que Melissa tinha ido comprar um café e fui até elas.

- O que fazem aqui esse horário? - Perguntei parando ao lado de Moana.

Ela sorriu ao me ver e me deu um abraço como cumprimento.

- Vai viajar Robert? - Ariel perguntou confusa.

Sorri confirmando com a cabeça.

- Vou passear em Londres e volto na segunda. - Respondi indo até ela e abraçando também.

- Eu deveria te matar cara, você está em recuperação e tinha que estar em casa agora se preocupando com esse joelho... sua namorada não cuida de você não? - Moana é a mais louca de todas.

- Claro que não... ela é modelo e não médica. - Ariel foi divertida e cortou ela.

Sorrimos e fui até Moana de novo, dando um beijo em seu rosto e pedindo desculpa, porque sempre sobra pra elas depois.

Elas são legais e divertidas, gosto da companhia delas, uma é estagiária de Medicina, a outra é  fisioterapeuta, e a mais princesa de todas é a Jasmine, a nossa psicóloga, eu gosto de conversar com ela, e ela é a única que sabe dos meus sonhos recorrentes com Anna.

- Oi meu amor... eu queria conversar, mas tenho que viajar agora. - Disse abraçando e dando um beijo no rosto dela.

Ela sorriu e fez o mesmo.

- Na terça-feira eu marco um horário na minha agenda se possível, porque vocês vão ter consulta somente com a nutricionista. - Jasmine disse pegando na minha mão.

- Tudo bem... mas eu tô precisando muito. - Disse.

- É as mesmas coisas de sempre? - Ela perguntou.

Confirmei e ela sorriu de canto.

- Tudo bem... na terça-feira depois que sair da sua consulta é só bater na minha sala que eu te atendo. - Ela disse e deu um beijo no meu rosto.

- Aiai cadê essa garota, todo mundo aparece menos ela. - Ariel disse olhando para a saída do portão.

- Quem é Bella? A nova princesa do castelo bávaro? - Perguntei aos risos ao ver o nome na plaquinha que ela segurava.

Elas sorriram comigo.

- É a nova nutricionista, se prepare porque disseram que ela é chata, então acabou a bagunça na hora de comer agora. - Moana disse e piscou pra mim.

Sorri balançando a cabeça.

- O Hans está roubando as princesas da Disney e trazendo pra Säbener Strasse é isso mesmo! - Disse sorrindo.

Elas também sorriram, porque se perceber todas tem nome de princesa.

- Vai ser legal mais uma princesa no Castelo o... lá vem, chegou quem faltava... uau, ela é lindinha mesmo, já senti ciúmes de vocês me abandonando por ela. - Ariel foi pra frente exibir a plaquinha dela.

Eu estava de costas e quando iria virar pra ver a nova princesa do Hans, fui pego pelo meu braço.

- Vamos amor... nosso vôo já foi liberado. - Melissa saiu me arrastando sem me dar chances de dar "tchau" para as meninas.

Até porque ela não gosta de nenhuma delas e sente ciúmes.

- Calma meu bem... você é a minha princesa favorita. - Disse puxando ela pra mim quando vi ela de cara fechada.

- Eu não gosto delas e você sabe disso, elas são muito é oferecidas... e vocês vivem dando confiança, babando por elas e rasgam elogios pra todas, eu não gosto disso. - Ela disse ainda com raiva.

Revirei os olhos levemente, as vezes eu acho esse ciúmes dela exagerado.

- Elas são só as responsáveis por nos manter bem Melissa... Elas tem tanta preocupação e dedicação com a gente, que com um tempo elas se tornaram especiais pra todos nós, eu sinto só um carinho especial por elas, é só isso... Elas me respeitam e eu também respeito todas elas. - Disse parando no meio do caminho e pegando pelo queixo ela.

Melissa ainda ficou de cara fechada por uns segundos, mas me encarou e beijou meus lábios.

- Eu te amo... é por isso. - Ela sussurrou passando as mãos no meu rosto e me olhando nos olhos.

Sorri e acariciei o rosto dela também.

- Eu também te amo, meu amor. - Sussurrei vendo ela abrir o sorriso.

BELLA VINCENZO (POV's)

Munique/ Alemanha

Ao desembarcar em solo alemão fiz tudo o que mamãe disse, coloquei máscara de proteção, higenizei minhas mãos antes e coloquei luvas, corajosa sou eu por pisar na Europa com todo essa epidemia do coronavírus.

Passei pela imigração e foi toda aquela burocracia, o que atrasou um pouco porque tinha algo de errado com o homem na minha frente, justo o que veio do Brasil até aqui ao meu lado, eu quase tenho um infarto ao saber que o homem é um maníaco e que veio foragido de São Paulo.

Por fim resolveram tudo e eu tive o meu visto de residente totalmente aprovado no país, sendo renovado daqui a um ano. Peguei meu celular e ajustei logo o horário, que marcava pouco mais de 10:50h em Munique. Fui atrás das minhas malas e arrumei em um carrinho, suspirei fundo ao passar pelo portão de desembarque e ver centenas de faces novas, parecendo até que todos me olhavam estranho, ou era coisa da minha cabeça mesma, foi aí que caiu a minha ficha "Eu estou na Alemanha"

Minha visão parou em uma plaquinha com o meu nome sendo segurando por uma garota loirinha, sorri ao ver ela igual uma doida balançando a plaquinha e acenando, ela também sorria na minha direção, eu disse que estaria vestindo uma jaqueta de couro e só tinha eu mesma usando.

Andei na direção dela sentindo meu coração pulsar forte e mil e uma perguntas surgirem na minha cabeça. "E se não gostarem de mim? E se eu me perder aqui? E se eu me enrolar na linguagem? Eu não falo alemão fluente. E se ninguém me entender? E se não tiver bolo de chocolate na Alemanha? E se não tiver comida? Na alemanha tem brigadeiro? Eu vou morrer de fome?"

Nooooossa, minha cabeça quase pira, mas lembrei que soube conversar perfeitamente em inglês ao passar pela imigração e até arrisquei um pouquinho de alemão porque meu curso durou só três meses e eu aprendi só o básico mesmo, tendo que dar continuidade aqui. Quanto a comida eu fiquei meio confusa, porque eu sou louca por comida brasileira e bolo de chocolate, e o meu estômago já estava até pedindo por um frango frito, com salada e arroz e feijão que a minha mãe faz pra mim, quer dizer, fazia antes, mas pela graça de Deus eu sei cozinhar.

Eu parei igual uma pateta na frente da garota loira, sem saber que palavras pronunciar.

- Oi! - Disse nervosa, sem esboçar sorriso.

Eram três mulheres, uma ruiva e duas loiras, elas ficaram me olhando e se olhando, erguiam as sobrancelhas e me olhavam da cabeça aos pés, eu quase saí correndo e pedindo pra voltar pro Brasil.

- Bella! - A ruiva disse sorrindo pra mim.

Soltei o ar preso nos pulmões.

- Relaxa garota... você é uma princesa mesmo... prazer, eu sou Ariel. - A loirinha da placa estendeu a mão pra mim.

Abri o sorriso e fui abraçar ela, que ficou paralisada, mas me abraçou também.

- Desculpa, mas é que no Brasil é assim, beijos e abraços. - Disse ao soltar ela.

Ela sorriu e me abraçou de novo.

- Pronto... agora sim. - Ela foi simpática e sorriu.

Nos soltamos.

- Seja bem-vinda! - Ela disse.

Sorri e assenti como agradecimento pra ela, enquanto as outras duas me olhavam.

- Oi! - Disse e acenei com a mão pra elas duas.

Elas sorriram e veio a ruiva pra perto de mim, me abraçando.

- Seja bem vida, nossa mais nova princesa. - Ela disse durante o abraço.

Sorri e nos soltamos.

- Obrigada. - Agradeci timidamente.

- Prazer, eu sou Moana! - Ela estendeu a não também.

Sorri e assenti.

- Nome de princesa também. - Disse olhando pra ela que pareceu ser bem simpática.

Elas sorriram.

- Pois é... e eu sou a Jasmine. - A outra loirinha se aproximou de mim e me deu só um abraço de lado.

Abracei ela também, mas ela me soltou tão rápido e ficou me olhando como se tivesse visto algo de errado comigo, mas sorriu serenamente ao me olhar nos olhos.

- Tá tudo bem? - Perguntei meio sem jeito e envergonhada.

Ela sorriu negando com a cabeça.

- Não, me desculpa... ao contrário, eu gostei do abraço, posso abraçar de novo? - Ela abriu os braços pra mim.

Sorri balançando a cabeça e abri os braços também.

- Quantas vezes quiser, os brasileiros são bem amorosos. - Disse ao sentir ela me abraçar.

Foi diferente o abraço dela, me senti bem, uma sensação de amor e proteção, parecendo até o abraço da minha mãe e irmã. Nos soltamos e ela passou levemente o polegar pela minha bochecha.

- Seja bem vida princesa... estava faltando mesmo alguém tão amorosa quanto você aqui, pra encher o nosso castelo de amor. - Ela disse me olhando serenamente nos olhos.

- Obrigada! - Sorri pra ela.

Ela passou a mão do meu rosto e fechou os olhos respirando fundo, quando abriu vi eles marejados.

- Está tudo bem? - Perguntei tocando no ombro dela, preocupada.

Ela fechou os olhos confirmando com a cabeça e tocando na minha mão sobre o ombro dela.

- Sim... você só me lembrou uma pessoa muito especial, mas está tudo bem... vamos? - Ela sorriu e pegou minha mão.

Confirmei com a cabeça.

- Eu levo o carrinho pra você! - Moana disse.

Sorri e agradeci ela, que pegou o carrinho com as minhas malas e começou a empurrar, enquanto Jasmine não soltou minha mão e começou a falar um pouco delas e das coisas que iriam me interessar aqui.

Fomos conversando até a saída do aeroporto, chegando no carro delas, um Jeep Compass branco. Com ajuda delas eu arrumei minhas coisas no porta malas, elas deixaram eu ir no banco do passageiro, enquanto Jasmine foi dirigindo, Moana e Ariel foram no banco traseiro.

Conversamos sobre vários assuntos, eu observava casa detalhe nas ruas que passávamos, as pessoas, os detalhes, as casas, os prédios, tudo me fascinou, só que diferente do Brasil é tudo tão frio, tão gelado, enquanto no Brasil tudo é quente, até o simples sorriso das pessoas fazem a diferença.

- Você vai gostar do Coutinho... ele é brasileiro e já vejo que vocês vão se dar super bem. - Ariel disse aparecendo a cara dela do meu lado.

Sorri.

- Todos os meninos são legais, bem brincalhões, você vai gostar deles também. - Moana também disse.

- Tem o Thiago que também é um meio brasileiro, fala português... você ele e o Coutinho vão fazer um trio perfeito. - Jasmine disse enquanto dirigia.

- Vocês tem amizade com todos eles? - Perguntei incrédula.

Jasmine me olhou sorrindo.

- Você também vai ter amizade com eles... tenho certeza que todos vão gostar de conhecer você. - Ela disse e piscou pra mim.

Até fiquei tranquila, ela me passou tranquilidade também, gostei de Jasmine. Conversamos bastante, até porque Ariel e Moana são bem falantes. Jasmine é a psicóloga, Ariel é a estagiária de Medicina e Moana é a fisioterapeuta. Percebi que a mais criança sou eu ainda, Jasmine tem 27 anos, Moana 26, Ariel 24 e eu com 21 anos apenas.

- Hum... Bella é a nossa bebê. - Moana disse aos risos e me abraçando de forma desengonçada ao aparecer no meio de mim e Jasmine.

Sorri e abracei ela.

- Só acho estranho alguém colocar confiança logo numa pessoa do meu tamanho e com a minha idade. - Disse.

Elas sorriram.

- O Doutor Hans é legal, eu que ajudei ele com os currículos, mas você foi indicação Bella. - Ariel disse isso e eu paralisei.

Indicação? De quem? Como assim?

- Nem ela está acreditando. - Jasmine disse aos risos.

- Eu me formei pouco mais de um ano, entrei no meu primeiro emprego como estagiária e consegui contrato, mas eu não conheço muitas pessoas assim do meio que possam ter me indicando, e logo para o Bayern... eu fico surpresa com isso agora. - Disse meio pensativa.

Senti as mãos de Ariel no meu ombro.

- Relaxa... na segunda você vai poder conversar com o doutor Hans e a Lauren também, ela é a nutricionista do clube, mas vai ter que se afastar daqui alguns meses por causa da gravidez dela, aí o trabalho vai todo pra você... mas fica tranquila porque ela é super de boa e vai te ajudar no que precisar. - Ariel disse tentando me fazer relaxar.

Eu fiquei tensa e um pouco nervosa.

(...)

Jasmine parou com o carro em frente a uma casa bem bonita e grande, numa rua bem tranquila e com casas bonitas a todo o redor. A casa é branca com as janelas de vidro, e de dois andares, com uma calçada em grama na frente, que foi onde ela entrou com o carro e estacionou.

Saimos do carro e eu logo senti um friozinho bom, peguei minha mochila e pus nas costas, elas me ajudaram com as malas e assim entramos na casa, linda, bem decorada e grande.

- Seja bem-vinda ao seu novo lar, princesa! - Jasmine disse toda sorridente.

Senti um feio na barriga, mas sorri timidamente e tirei minha máscara de proteção

- É tudo lindo... obrigada! - Disse olhando alguns detalhes da sala.

Sorri ao ver uma faixa no alto, me desejando boas vindas em alemão.

- Não tem problema eu me comunicar em inglês com vocês né? - Perguntei meio envergonhada.

Elas sorriram e negaram com a cabeça.

- Sem problemas depois você resolve isso e com um tempo vai estar igual eu... bem fluente no alemão. - Ariel disse abrindo os braços e vindo até mim.

- Não é alemã? - Perguntei abraçando ela.

Ela negou com a cabeça.

- Do Canadá... eu também cheguei aqui igual você... me perguntando como esses doidos me acharam. - Ela disse aos risos.

Sorri junto com ela.

- Está com fome Bella... nos fizemos comida tailandesa... espero que aprove, já que temos você como nossa nutricionista também. - Moana disse.

Sorri.

- É saudável... Mas eu confesso pra vocês que eu não sou tão louca pra essas coisas de alimentação super regrada... só quando é necessário mesmo e sou rígida com os atletas é claro... Mas comigo mesma eu vou logo dizendo que lá no Brasil toda quarta-feira é noite de massa em casa, então, aqui não será diferente. - Disse.

Elas ficaram toda animadinha.

- Glória a Deus, porque a Lauren é a louca da comida sem graça. - Jasmine disse aos risos.

- Você veio do céu garota... só pode, toda quarta-feira eu vou comer massa, finalmente, porque a Lauren enfiava a comida vegana pra gente. - Moana disse.

Sorri.

- Eu não gosto muito... meu cardápio é bem farto e variado, gosto de comidas que alimentem de verdade, com muita sustância... as vezes eu extrapolo um pouquinho, mas não sigam meus exemplos, ou vão ficar gorduchas igual a mim. - Disse fazendo uma cara engraçada.

Elas sorriram.

- Mas você é bonita... eu queria ter esse corpo assim, bem brasileiro e cheio de curvas, mas fazer o quê né... não tenho dinheiro pra colocar seios e bunda. - Ariel disse me fazendo rir.

Elas são magras e mais altas que eu, que pareço ter um metro e meio por ser baixinha e com seios, bumbum e coxas bem generosos.

- Quer conhecer seu quarto? Nós deixamos tudo arrumado pra você. - Jasmine chamou minha atenção enquanto eu olhava os detalhes da casa.

Só balancei a cabeça confirmando, elas me ajudaram com as malas e subimos as escadas. Encontrei dois corredores no andar de cima, cada um com três quartos, elas me levaram para o esquerdo e abriram uma porta, já com o meu nome na mesma, fiquei encantada, jamais imaginei uma recepção como essa.

Fiquei encantada ainda mais com o quarto, o tamanho ideal, bem decorando, uma cama de casal, um guarda-roupa, criado mudo, escrivaninha, uma poltrona confortável. Tudo perfeitamente lindo, cortinas nas janelas e o melhor, um banheiro só pra mim.

(...)

Depois de um banho delicioso e relaxante, coloquei um shortinho jeans, um moletom preto e minhas havaianas nos pés. Deixei o cabelo solto e passei um pouco da minha colônia de usar em casa.

Desci as escadas e encontrei as meninas na cozinha, com a mesa arrumada e só me esperando.

- Desculpa a demora... mas é porque eu demoro muito no banho, espero que não se importem. - Disse meio envergonhada.

Jasmine negou com a cabeça, toda sorridente.

- Imagina... pode ficar a vontade. - Ariel disse.

Sorri.

- Vamos almoçar? Espero que goste de tudo. - Jasmine disse apontando pra uma cadeira ao lado dela.

Fui até a cadeira e me sentei, nos servimos e almoçamos em meio a muita descontração, conversas e risos, disse coisas minhas pra elas, e elas também me disseram coisas da vida delas, todas namoram, menos eu, que deixei o meu amorzinho no Brasil.

Até senti falta dele e foi impossível eu não deixar cair lágrimas quando falei dele pra elas, ele foi o meu primeiro homem e é lógico que tudo se torna mais emocionante e especial. Elas ficaram bobonas me ouvindo falar dessa minha relação. Contei alguns detalhes de como foi minha primeira vez com ele, elas também contaram várias coisas e detalhes do relacionamento delas.

Cnversamos tanto sobre coisas de meninas, até me senti bem. Quando terminamos ajudei elas com a limpeza da cozinha, e quando eu estava limpando a mesa ouvi a campainha.

- Quem será? - Ariel fez cara de confusa enquanto lavava as louças.

Todas fizeram cara de que não sabiam.

- Eu atendo! - Disse ao ver que elas estavam mais ocupadas que eu.

Passei um pouco de álcool em gel nas mãos e levantei a máscara pra cobrir meu nariz e boca, já que as regras aqui são essas agora.

Fui até a porta e destranquei, abri e eu quase tenho um infarto ao ver a pessoa parada e sorridente na porta.

- Oi, tudo bom? - Ele foi tão simpático ao me olhar nos olhos.

Eu estava trêmula, minha garganta secou e eu morri por uns dez segundos.

- Oi! - Me expressei em inglês ao ressuscitar.

Ele sorriu e ficou meio sem jeito ao me olhar da cabeça aos pés, depois dos pés a cabeça.

- Desculpa... pode entrar. - Me toquei de que estava fazendo papel de idiota por mais de um minuto parada e sem saber o que fazer.

- Obrigado! - Ele disse todo tímido, que fofo. 

Meu coração acelerou quando dei passagem e vi ele entrar, deixando o cheiro dele nas minhas narinas, mesmo coberta pela máscara. Fechei a porta e vi ele adentrar os cômodos, como se já fosse de casa, e deve ser.

- Kimmich! - Ouvi Moana dizer toda sorridente, enquanto eu tentei não tropeçar nos passos indo até lá.

Parei na entrada da cozinha e vi Moana pular nos braços dele, que continuava tímido e me olhando com o canto dos olhos, o que fez esquentar minhas bochechas.

- O que faz aqui Josh? Deveria estar em concentração pro jogo de amanhã. - Ariel disse limpando as mãos com o guardanapo.

- Encher o saco de vocês, o horário da concentração é só amanhã. - Ele respondeu puxando uma cadeira e se sentando.

- É muito sem vergonha um loiro desses! - Jasmine disse indo por trás dele e abraçando o meu loiro Kimmich.

Eu parecia uma pateta, parada e tentando puxar o ar dos pulmões.

- Temos uma nova princesa no nosso Castelo, Joshua! - Moana disse me olhando aos risos.

Sorri tímida ao ver ele me encarar de novo.

- Com esse cabelão lindo eu suponho que seja a Rapunzel. - Ele disse simpático e levantou da cadeira.

Oh Deus! Um elogio do loiro Kimmich, é isso?

- Bella... eu sou a Bella! - Quase que a minha voz não sai quando vi ele se aproximando de mim.

Pronto, o ar faltou de novo.

- Bella... Bella... - Ele expressou de forma tão doce, como se tivesse gostado do meu nome.

Sorri tímida e tremi quando ele parou na minha frente, abaixando minha máscara.

- Calma... que eu sou uma fera boazinha igual do filme... já deixo você se apaixonar por mim, Bella. - Ele foi tão brincalhão que eu até soltei uma gargalhada.

Ele também sorriu ao me olhar sorrindo.

- É linda... Bella. - Ele disse tocando meu rosto carinhosamente.

Sorri ao encarar ele nos olhos, ele é lindo, e o meu coração parou de novo com o carinho dele.

- Obrigada... é um prazer em conhecê-lo! - Disse tentando disfarçar o nervosismo e respirar normalmente.

Ele sorriu e deu uma piscadela pra mim.

- Seja bem-vinda, o prazer é todo meu em conhecer você, linda. - Ele disse todo gentil.

- Ela é brasileira e gosta de abraços e beijos, loiro safado. - Ouvi Jasmine dizer.

Elas estavam se divertindo ao me verem vermelha, tímida e nervosa.

- Brasileira... sério? - Ele perguntou me olhando confuso.

Confirmei com a cabeça.

- Eu gosto dos brasileiros, as mulheres são tão gosto... são tão lindas. - Ele disse olhando no fundo dos meus olhos.

Fiquei sem jeito e abaixei a cabeça com o rosto queimando.

- Vai trabalhar com a gente também? - Ele perguntou puxando minha atenção novamente.

- Sim... sou nutricionista. - Respondi com um sorriso na lateral dos lábios.

- Uau... finalmente eu vou comer bem, uma brasileira, é muito boa... quero dizer, é muito bom isso, você trabalhando comigo... com a gente. - Ele disse um pouco nervoso também, se corrigindo nas palavras.

Arregalei os olhos e ele ainda sorriu vergonhoso, erguendo as sobrancelhas pra mim.

- Acho que eu vou dormir... tô um pouco cansada da viagem. - Disse me saindo de perto dele, antes de infartar de uma vez porque cada palavra que sai da boca dele, é com malícia.

Jasmine me olhou e sorriu balançando a cabeça ao me ver praticamente correr dalí.

- Deixa de ser safado Josh... deixou ela toda errada. - Ouvi a voz de Ariel dizendo enquanto subia as escadas.

(Risos entre eles)

- Oras... ela é linda... e muito gostosa mesmo... vou negar pra quê! - Ouvi ele dizer.

Aí meu coração acelerou de vez, não quis ouvir mais nada e fui voando para o meu quarto.

Oh senhor! O loiro Kimmich quer me comer? 


Notas Finais


Eu disse que o Lewa merece alguém melhor que a "noiva" doente dele. Mas a história só está começando e vem tanta coisa boa por aí se a minha criatividade não for bloqueada. 😏

Lewa ou Kimmich?

Quem gostou, favorita aí. ❤😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...