História Negócios e outras coisas - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), BoA, F(x), Girls' Generation, Got7, IKON, Monsta X, Neo Culture Technology (NCT), TVXQ (DBSK) (Tohoshinki), Wanna One
Personagens Amber Liu, BoA Know, Bobby, Jackson, Junhoe, Kang Daniel, Krystal Jung, Max Changmin, Personagens Originais, Sunny, Ten, U-know Yunho, V, Yuri
Tags Bts, Empresa, Família, Herdeira, Jackson, Jackson Wang, Jyp, Jyp Entertainament, Romance, Sm Entertainament, Snsd
Visualizações 14
Palavras 1.216
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Um


Meu pai era o grande Lee Soo Man, fundador da SM Entertainament, mas que agora não devia ter nem 25% daa ações da empresa. Querendo ou não, 70% dela agora era minha e eu tinha que herda-la.

Meu pai preferia que ela fosse do meu irmão gêmeo, que é dois minutos mais novo do que eu, porém depois de ver que eu sou capaz - mesmo sendo uma menina -, decidiu que assim seja: Lee Yoora, a futura dona da SM Entertainament vira a protagonista disso.

Tudo começou quando eu saí da faculdade de administração e tive que começar a arrumar um emprego. Demoraria um pouco para eu poder conseguir a empresa para mim, por causa de alguns termos e contratos, então eu teria que me virar até lá.

Com vinte e quatro anos, eu já sabia que não tinha talento nenhum além de ajudar minha melhor amiga, Yoomi, no salão de beleza dela. Eu meio que acabei sendo contratada e peguei o posto de maquiadora - as vezes eu também era babá da filha dela, mas Yoomi nunca me pagou por isso.

Em um dia qualquer, numa tarde quente e ensolarada, Yoomi me disse "por que não vai visitar a sua futura empresa? Você nunca foi lá mesmo". Sim, é real, eu nunca pisei os pés dentro daquela empresa e isso me assusta um pouco.

Peguei um ônibus, porque onde Yoomi morava demorava muito para táxis irem e a estação de metrô parecida estar do outro lado do mundo - principalmente por causa do calor infernal, que me fazia parar a cada cinco segundos antes de desmaiar de calor.

Fui para outra estação de metrô e de lá peguei um que me levava perto da empresa. Dei glórias quando desci daquele metrô fedorento e cheio de gente suada - inclusive eu, que precisava de um banho de algumas horas.

Fui até a entrada da empresa e comecei a ficar com medo de me confundirem com fã e me barrar. Tinha algumas meninas fazendo plantão na frente da empresa, provavelmente esperando seu oppa voltar para casa.

Liguei para meu pai, antes que eu fosse barrada dali com aquelas meninas.

- Eu aqui na empresa, pode avisar para teus contatos? - falei, depois de uma série de apresentações, bençãos e perguntas sobre quando eu ia me casar.

Consegui entrar na empresa sem nenhum problema e ouvi algumas das meninas reclamando. Privilégios.

Fiquei muito perdida por lá. Consegui encontrar Hyunbin, um amigo do colegio que agora era o novo CEO do DBSK. Era engraçado como ele "mandava" em pessoas mais velhas que ele.

- Eles que mandam em mim - ele disse, depois de conversarmos um pouco.

Ele era meu outro amigo de escola que estava casado. Ele e Yoomi já tinham até filhos, o que fazia meu pai ficar louco dizendo que eu ficaria para a titia e não me casaria nunca, principalmente por causa do meu gêmeo que também já é casado. Sempre me canso de dizer que tenho apenas vinte e quatro anos e que não devo me preocupar com isso ainda.

Maa sério, não dá para mudar a cabeça de gente velha.

- Onde que fica o escritório do meu pai? - perguntei para Hyunbin.

Ele me explicou detalhadamente e escutei calmamente, mas eu perdi depois de pegar o elevador. Não importava o quanto eu andasse, eu ainda estava em corredores aleatórios.

Acabei me sentando em uma cadeira. Meu pai ligou para mim, perguntando onde eu estava e falei o óbvio: que estava perdida. Ele me perguntou onde e descrevi o lugar: tinha algumas plantas em vasos, algumas cadeiras encostadas na parede, do meu lado tinha uma porta, que tinha uma placa escrita "diretor" e...

Meu pai saiu da porta, com um celular, olhando para mim e riu.

Desliguei o celular e dei uma risada nervosa. Nos sentamos em seu escritório e meu pai perguntou o motivo de eu estar ali, antes de tudo.

- Quero um emprego - falei, logo de cara. - Posso limpar algumas coisas, não sou boa cozinhando então é melhor me deixar longe de fogão. Ah, também sou boa maquiando, trabalhava no salão da Yoomi.

- Não vou deixar você virar faxineira - falou. - Se quiser ser maquiadora, então está bom.

- É sério mesmo? - perguntei.

- Sim.

É, não havia sido tão difícil como eu havia pensado.



Eu começaria no dia seguinte.

Ao invés de voltar para casa de Yoomi, que ficava no fim do mundo, decidi ir para casa do meu pai. Fazia tempo que eu não via minha mãe.

Minha mãe não ficava muito tempo em casa, ela vivia no SPA ou na casa de suas amigas tomando chá, comendo bolacha e fofocando da vida alheia. Mas, naquele dia, eu havia recebido uma mensagem do meu irmão falando que sua mulher estava grávida e que iria na casa da nossa mãe, para dar a notícia.

Não demorei para chegar lá e fui de a pé mesmo. Ainda bem que larguei algumas roupas minhas por lá, já que o calor estava realmente muito desconfortável e quente. Eu cheguei na casa da minha mãe suando e ofegante, não aguentava nem conversar com a empregada pelo interfone da casa.

Depois de algum tempinho ela me reconheceu e abriu o portão. Ainda me recebeu com um copo de água.

- Sua família lhe espera na sala de estar.

Fui direto para lá, depois de pedir mais um copo de água e uma toalinha para limpar meu suor. Encontrei minha mãe enxugando as lágrimas e meu irmão e sua esposa rindo.

- Ah, Yoora! - exclamou minha mãe, assim que me viu. Ela veio me abraçar e se afastou um pouco, então cochichou: - Você tem umas roupas aqui ainda, se quiser tomar um banho...

Meu cheiro não deveria estar muito bom.

- Parabéns! - falei pegando nas mãos da minha cunhada. Nada de abraços. - Não vejo a hora de ter um sobrinho!

- Agora só falta você se casar, né? - falou Sohyuk, meu irmão dois minutos mais novo.

- Eu falo isso sempre para ela... - comentou minha mãe. - Minhas amigas vivem falando que Sohee parece uma boneca de tão linda, como está sendo tão difícil você achar algum homem rico e carinhoso?

Ri de nervoso.

Me retirei antes que o assunto fosse oficialmente eu. Decidi tomar o banho que tanto precisava.

Peguei algumas roupas velhas que estavam largadas no meu antigo quarto. Tinha algumas que realmente fizeram falta no meu guarda-roupa e outras que eu agradecia por nunca mais ter visto. Consegui montar um visual legal com a diversidade das poucas roupas que tinham ali, que variavam de um boné da Hello Kitty e uma bolsa da Gucci.

Quando voltei, meu irmão e sua esposa já tinham ido embora e minha mãe preparava sua bolsa.

- Pode ficar por aí, querida, a casa é toda sua - falou. - Mas vou ir para a casa da minha amiga, havíamos marcado chá para essa tarde.

Ela me deu um beijo molhado na bochecha e foi embora. Decidi ir embora também.

Voltei para o meu apartamento que eu havia ganhado quando terminei a faculdade e me joguei na bagunça dele. Tinha roupas largadas por todo lugar, comida embalada que eu havia comprado e não jogado fora, sujeira acumulada e algumas coisas perdidas que nem eu sei como foi parar em lugares impossíveis.

Marquei um despertador em meu celular e capotei pelo resto do dia.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...