História Neighbors (Jooheon imagine) - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Joo Heon
Visualizações 69
Palavras 2.633
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOLTEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEI MEUS QUERIDOOOOONS.
DEMOREI MAS CHEGUEI, ME PERDOEM A DEMORA <3 EU TIVE MEUS MOTIVOS.
BOM VOU PARAR DE FALAR E DEIXAR VOCÊS LEREM.
BOA LEITURA <3

Capítulo 13 - Cap. XII


Fanfic / Fanfiction Neighbors (Jooheon imagine) - Capítulo 13 - Cap. XII

Eu deixei os dois conversarem enquanto apenas me concentrava em minha comida, ou tentava.

-E como são as garotas em Busan? – Minhyuk perguntou.

-garotas... – Jooheon fala sem querer entrar nesse assunto.

-Eu sei que são garotas, mas quero saber como elas são.

-Hm... normalmente cabelos longos, pretos, lisos, olhos puxados, seios, bunda... e o mais importante, Vagi... – me engasgo com a comida antes dele completar a palavra.

-Desculpa.

-Que tal a gente deixar essa conversa depois? – Jooheon sorriu forçado para o Minhyuk que apenas assentiu bufando.

-Você poderia ser menos tarado né?! – falo olhando para o meu amigo.

-E você poderia fazer amizade com mais garotas né?! – ele me olha e pisca.

-E-eu tenho amigas, okay... – respiro fundo e volto a comer.

 

A aula tinha acabado e eu caminhei com o Minhyuk até a saída da faculdade, conversando o que iríamos fazer a respeito do trabalho passado em aula.

-Eu acho que deveríamos nos separar nesse trabalho.

-Por que?

-Eu quero que você faça amizade com as meninas da turma. – rolo os olhos.

-Eu não fazer amizades para leva-las ao seu abate.

-Não estou falando disso agora, eu estou falando para você realmente fazer amizade. Desde que a Anna foi embora, você não faz amizades com meninas, na verdade não faz amizade nenhuma, só fez amizade comigo, porque eu me aproximei. Você precisa de amigas.

-Por que você está falando disso do nada.

-Bom... o Jooheon voltou, e eu vou passar a sair bastante com ele e com os meninos, não sei se vai ser confortável para você, e você vai ficar sem ter com quem sair, e se divertir.  O Yoonho está em Busan ocupado com o Baseball sabe lá quando ele vai vir.

-Eu me viro.

-HEY... – me viro ao ouvir alguém gritar, mas o grito foi para o Minhyuk. – Vão embora como?

-A pé, ainda moro no mesmo lugar. – Jooheon assenti e olha para mim.

-A pé também...

-Então venham comigo. – ele mostra a chave do carro. – Onde você mora Yereum?

-Aqui perto, eu vou a pé mesmo. – sorrio fraco e dou uma reverencia com a cabeça, me afastando.

Eu não ia pegar carona com o Jooheon, não mesmo. Não tenho boas lembranças com Jooheon em carro. Eles seguem o caminho ao estacionamento da faculdade e eu sigo meu caminho para o meu prédio. A casa do Minhyuk era quase ao lado do meu prédio, eles vão passar por mim, com toda certeza. Ao chegar em meu prédio, sigo para os elevadores e chamo um. Pego meu celular e olho minhas mensagens e tinha da Anna e do Changkyun. Sorrio mas antes que eu abrisse a conversa, o elevador abre revelando uma pessoa dentro, e essa pessoa era ele. Por que essas coisas só acontecem comgo?

-Shin Yereum? – rolo os olhos e entro no elevador, e vejo que o meu andar já tinha sido apertado e abaixo a cabeça sem animo.  – Você também mora aqui? – assinto ainda de costas para ele. – Hey... Você é sempre tímida assim mesmo? – olho para ele confusa. – Caso não lembre meu nome e não quer falar comigo por causa disso, Lee Jooheon.

AH... ele ainda estava na onda de “não nos conhecemos”. E eu respiro fundo.

-Sinto muito, não tinha reconhecido. – sorrio de lado e ele assenti. – Vai para o 12º também?

-Apt 1202. – rio nervosa ao ouvir seu apartamento.

-1201 – respondo sem muito animo.

-Wow, somos vizinhos. – Ele sorri.

Antes de falarmos qualquer coisa o elevador para em nosso andar e saímos do mesmo, cada um seguindo para sua porta.

-Bom, já que somos vizinhos, eu posso te dar carona para a faculdade. – nego. – eu insisto, é o mínimo que posso fazer como um bom vizinho.

-Obrigada. – abro minha porta – Boa tarde. – falo e entro em meu apartamento e tranco a porta.

POR QUE A VIDA ESTA FAZENDO ISSO COMIGO? Isso tem dedo do meu pai, com certeza. Mas decido não me preocupar com isso, alem do mais, estamos nos conhecendo novamente, vamos fingir que nada aconteceu, e que ele nunca fez parte da minha vida. Isso mesmo Yereum, segue o baile. Me assusto com meu celular tocando, era o Yoonho, e atendo na mesma hora.

-Finalmente lembrou que existo.

-Yereum-ah, me desculpa. O Treinador confiscou meu celular essa semana, para eu poder pegar o ritmo do time.

-Aceito suas desculpas. E como foram os treinos?

-Cansativos, quero voltar para Seul, e ficar abraçado com você. Estou tão sozinho aqui. – ele força a voz para ficar fofo e eu rio me jogando em meu sofá.

-Deixa de drama, você mesmo falou, o salário ai é melhor, vale o esforço. – ele ri – Mas eu queria você aqui abraçado comigo. Eu sinto tanto a sua falta.

-Eu também... Hey Yereum-ah – fico em silencio esperando ele continuar – É... Você por um acaso já se encontrou com o Jooheon?!

-Já... por que?

-Gostou do que eu te mandei? – o que ele me mandou?

-Acho que o correio atrasou, porque ainda não chegou.

-Eu mandei pelo Jooheon...

-Eu só o vi hoje, talvez ele me entregue amanhã na faculdade.

-Verdade. Bom, cobre dele, porque você vai amar.

-Estou curiosa agora.

-Tenho que ir agora, o treino vai começar, quando receber me avise. Te amo. Se cuida.

-Te amo, se cuida também.

Encerro a chamada e olho para a parede. Jooheon poderia ter levado para o jantar ontem, ou ter levado para a faculdade hoje, por que ele ainda não me deu?! Me levanto e saio do meu apartamento, fico em frente a porta dele e penso um pouco, nego e volto para o meu apartamento, deixa que ele me entrega no momento certo.

 

Acordo com minha campainha tocando, olho meu relógio e ainda eram 7 da manhã. Respiro fundo e me levanto da cama, ainda confusa por causa do sono, caminho devagar até a porta, quando a abro não havia ninguém, apenas uma caixa em cima do meu tapete, olho em volta do hall e não tinha nenhum resquício de que alguém esteve ali, fiquei um pouco com medo até me lembrar que o Yoonho tinha mandado um presente pra mim pelo Jooheon. Peguei a caixa que era listrada preta e branca com um laço vermelho.

-O que é que o Yoonho me mandou?

Fecho a porta e balanço a caixa para ver se tinha algum barulho mas não tinha nada. Me sentei no sofá e desfiz o laço e logo abro a caixa, dentro havia um porta retrato com uma foto minha e do Yoonho. Sorri e alisei a foto sentindo saudade dele. Ele lembrou que eu não tinha fotos com ele em meu apartamento. Agora parando para pensar, isso é um absurdo, eu namoro com ele tem um ano e eu não tenho uma foto impressa. Suspirei e me levantei do sofá e olho ao redor pensando onde eu poderia colocar a foto e fui direto para o meu quarto colocando a foto no criado mudo.

-perfeito.

Olhei o relógio digital ao lado do novo porta-retrato e só tinha se passado vinte minutos, respiro fundo e sigo para o banheiro, onde me despido e prendo meu cabelo em um coque, entro no chuveiro e ligo a água, coloco a mão debaixo d’água esperando a mesma esquentar. Quando sinto que já esta quente começo a molhar meu corpo, eu ainda estava com sono, porém sabia que não consigo voltar a dormir quando acordada.

Termino o banho e me enrolo em minha toalha e volto para o meu quarto, coloco uma roupa fresca, já que ainda estávamos no fim da primavera. Visto um short de moletom vermelho e uma blusa branca com a gola e a manga azul, e assim sigo para a cozinha, como era sábado estava com preguiça de preparar um café da manhã grande e apenas pego o cereal e o leite, esse seria meu café da manhã, sozinha, em uma manhã de sábado.

A manhã passou bem lentamente e já era o almoço, o que eu farei para o almoço? Devo comer fora? Comer miojo? Ir para casa dos meus pais? Apenas continuo deitada no sofá olhando para o teto sem saber o que fazer naquele sábado tedioso. Até que me assusto com meu celular tocando, era o meu irmão.

-O que? – atendo sem vontade.

-Bom dia para você também.

-Bom dia, diz logo.

-Venha pra casa, vai ter um almoço aqui. Papai mandou te ligar.

-Maravilha, não estava afim de comer miojo hoje. – ele ri do outro lado da linha.

-Venha logo. – ele me apressa e encerra a chamada.

Me levanto do sofá e vou para o meu quarto trocar de roupa, não ia precisar de outro banho já que não fiz nada a manhã inteira. Troco minha roupa para uma saia jeans de cintura alta preta e um cropped preto, por cima visto um quimono preto com a estampa de plantas verdes, o cabelo apenas desfaço o coque e deixo cair sobre meus ombros, calco uma rasteira marrom e pego minha bolsa da mesa cor. Na maquiagem apenas passo um rimel e um batom claro.  Pego meu celular e saio de casa.

 

Ao chegar a casa dos meus pais, vejo que a família do Jooheon também estava lá, passo o olho pela casa procurando ele mas não o vejo, dou de ombros e cumprimento todos presentes. Deixo minha bolsa pendurada perto a porta onde ficavam as bolsas das visitas e sigo para os fundos onde seria o almoço, que descobri ser um churrasco. Não só a família do Jooheon estava lá como todos os amigos do meu pai. Hoje era aniversario de alguém? Tentei lembrar de alguma data e nada vinha a minha mente.

-Oi pai. – deposito um beijo em sua cabeça e cumprimento o restante das visitas.

Logo vejo o Jooheon conversando com um dos filhos dos amigos do meu pai, que eu me recordo ter brincado em algum momento em minha infância, mas não mantive contato. Porem hesito em ir falar com ele, e vou para a direção oposta, indo falar com meu irmão que estava com os amigos, e entre os amigos, estava o Hyunwoo, nunca mais o vi, fiquei um tempinho conversando com eles, era tão engraçado agora, ver o Hyunwoo e não sentir mais nada e lembrar de como eu era idiota. Quando terminei de conversar com eles fui até o bar me servir uma taça de vinho.

-Como devemos nos tratar aqui? – Jooheon me assusta ao falar baixo em meu ouvido. – Não acho que seria conveniente para nossa família se a gente se fingir de desconhecido. – ele aumenta um pouco o tom.

-Apenas não converse comigo. – Ele respira fundo e pega a taça de minha mão colocando no balcão, assim segura meu pulso e me puxa para dentro da casa. – o que está fazendo?

Jooheon permanece calado e assim me puxando para o andar de cima e entrando em meu quarto, mas o paro antes ao lembrar da ultima vez em que estive no meu quarto com o tal, ele  tenta me puxar mas eu me solto dele.

-O que você quer Jooheon?

-Conversar okay...

-Eu já conversei com você, a gente conversa todos os dias na faculdade, pra que conversar aqui.

-YEREUM PARA. – ele grita e eu me assusto. Logo fecho a porta do meu quarto e me viro para ele.

-Escuta aqui Jooheon. – me aproximo dele irritada. – Quem você acha que é para ficar gritando comigo em minha casa, com pessoas lá em baixo?

- Quem eu penso que sou? – ele falou rindo já nervoso, ele nervoso não era coisa boa.

-O que você quer de mim? Eu já pedi para me tratar como se não nos conhecêssemos e você decide virar meu amigo na faculdade. Agora me arrasta pelo pulso para o meu quarto.

-Eu já disse que só quero conversar.

-Você perguntou se eu queria conversar com você? Porque eu não quero, alias não tenho nada para conversar com você.

-Então apenas me escute

-Te escutar pra que? No que vai mudar? Eu vou continuar tendo nojo de você. – cuspo as palavras me arrependendo no mesmo segundo porem sou orgulhosa demais para que eu admitisse.

-Nojo? – vejo a cara de desapontado dele. – é isso que você sente por mim? Você deveria ter nojo era do seu namorado Yereum, que mente na cara dura e você não percebe. - sinto um aperto no coração mas ignoro decidindo proteger o meu namorado.

 - Você não sabe o mínimo das coisas que o Yoonho faz comigo e para mim, ele era educado, respeitoso, carinhoso e honesto, ao contrario de você. – ele ri e passa mão no cabelo respirando fundo

-Você não me deu nem a chance de ser isso tudo, e foi logo correndo pros braços do Yoonho.

-E eu devo te agradecer muito por isso... se não fosse por você naquela festa eu nunca teria beijado o Yoonho.

-Ai é que você se engana Yereum. Você nem deixou eu me explicar. Você nem ouviu a minha parte da historia, apenas deduziu coisas e achou que estava certa.

-Então explica...

-Um ano depois você quer saber o que aconteceu? – assenti e ele riu soprado. – Tudo bem, eu explico. – cruzei meus braços e sentei na cama. – Para inicio de conversa, se eu te chamei para a festa, é por que eu queria ficar com você. – engoli a seco – Você sabe como a Seulgi era, é, sei la, ela era uma sanguessuga, eu tentava desviar dela, mas ela sempre acabava grudando em meu pescoço, até que uma hora eu ignorei e deixei ela ficar perto, porem quando eu percebi , você já estava sentada em um canto se negando a enturmar com o pessoal, se negando a ser forte, a ter controle do que era seu. – ele apontou para si mesmo.

-Meu problema todo não era com esse... – ele me interrompeu

-Sim, claro , o beijo. Ela me beijou, e logo depois eu a empurrei e quando eu fui te procurar você já estava beijando o Yoonho. – ele negou colocando as mãos na cintura. – Eu estava pronto para me entregar a você naquela noite. – sua voz rachou ao falar isso e eu senti uma pontada em meu peito. - Porem como sempre você tem que estragar o clima de algum jeito. – ele passou a mão no rosto e riu.

-Desculpa... – me levanto falando baixo. – eu deveria ter escutado sua historia.

-Oh, deveria mesmo, por que o idiota aqui tentou. Mas você sabe como eu sou, eu me desapego com facilidade.

-Você também poderia se expressar melhor Jooheon...

-Me expressar melhor? Yereum... Você era a única que ainda não percebia o quanto eu estava apaixonado. Pergunte para quem quiser, até para o seu namorado, em como meus olhos brilhavam quando eu te via, em como meu humor melhorava ao ouvir sua voz, todas as vezes que nos beijamos, cada toque... e você ainda vem me pedir para eu ter me expressado melhor?! Por favor. 

Aquilo estava me destruindo, eu era uma completa idiota. Como eu não percebi tais coisas. Jooheon respira fundo e se aproxima de mim, e me puxa me abraçando.

-Agora eu posso dizer que eu pretendia oficializar a gente no dia da viagem. Mas você deu essa oportunidade para o Yoonho. – ele falou baixo alisando meu cabelo.

Pela sua voz dava pra saber que estava prendendo um choro e então eu o abraço pela cintura acomodando minha cabeça em seu peito. Meu coração batia forte e descontrolado. Será que eu ainda sentia algo pelo Jooheon? Depois de um ano? E Ainda namorando o Yoonho. Odiava estar me sentindo confusa

 - Se você não namorasse, eu te pediria um beijo, mas eu sei respeitar uma relação.

- Ele desfaz o abraço e alisa minha bochecha, logo sorrindo. – Você finalmente virou uma mulher. Só fico desapontado por eu não ter tido a oportunidade de te fazer virar uma. 


Notas Finais


FINALMENTEEEEEEEEEEEEEEEE

SERÁ QUE ELES VÃO FINALMENTE SE RESOLVER????
Quero logo a yereum com o honey, afs, mas tenho que fazer o drama da fic. cansei, quero mais não, vou fazer o dois ficar juntos logo, é isso. Brinks soaksoaokskaoskaso

então povo, o que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...