1. Spirit Fanfics >
  2. Neighbourhood >
  3. Nothing Happened

História Neighbourhood - Capítulo 31


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulo novo pra vocês se divertirem durante a quarentena yaaaay

Capítulo 31 - Nothing Happened


Acordar na cama de Harry Potter foi bastante estranho para Draco. Não que já não estivesse acostumado a fazer isso antes, mas já fazia tanto tempo que o sorriso do moreno deixou de ser a primeira coisa que ele via ao despertar que até achou que ainda estivesse dormindo quando sentiu os braços alheios em volta do seu corpo. Como ele ainda não havia acordado, Draco apenas aproveitou por mais um tempo o calor e o conforto dos feromônios liberados espontaneamente pelo alfa.

– Bom dia – a voz grave dele o faz ter que se controlar para não estremecer. O moreno aperta ele entre seus braços e esfrega o nariz na pele sensível do seu pescoço desde o ombro até a parte atrás de sua orelha, inspirando o cheiro doce do ômega. – Eu senti falta disso – murmura sem prestar muito atenção e só percebe o que acabou de falar ao sentir o corpo do loiro se tensionar. Ele engole em seco e suspira. – Desculpe, eu sei que você…

– Tudo bem – Draco o interrompe, brincando com os dedos de Harry. – Eu também senti falta.

Ao ouvir tais palavras, o moreno sente seu peito esquentar, mas não quer alimentar esse tipo de esperança, pelo menos não ainda, então ele respira fundo e junta uma grande quantidade de força de vontade para depositar um beijo nos cabelos loiros do outro e se desvencilhar dele, levantando da cama.

– Vou fazer algo para comermos no café da manhã. Você pode ficar, aproveita que a Lily está tranquila e dorme um pouco mais – ele fala ao ver que Draco começava a levantar também. – Só vou pegar uma roupa e já desligo a luz.

Draco apenas assente e volta a se aconchegar nos cobertores, agora abraçado no travesseiro de Harry. Enquanto o loiro dormia, o Potter tomou seu banho e escovou os dentes antes de ir verificar a filha. O quarto estava escuro, iluminado apenas pela luminária giratória que projetava as constelações nas paredes e teto do quarto. Ele entrou silenciosamente e se debruçou sobre a grade do berço, observando Lily, que dormia tranquilamente abraçada em seu dragão de pelúcia e com a boquinha entreaberta. Olhando aquele pedacinho de gente tão semelhante a si próprio, Harry sentia que poderia gastar horas e horas do seu dia apenas observando-a dormir. Após certificar-se de que a filha estava bem, ele deixou o quarto e desce até a cozinha preparar o café da manhã.

Desde que era casado com Ginny ele já preparava as refeições em casa, então já estava acostumado e até mesmo se divertia com a tarefa. Cantarolando uma das músicas chiclete dos desenhos infantis, ele preparou um café da manhã reforçado para os dois, contendo ovos, torradas e linguiças. Em sua caneca, ele colocou o café recém saído da cafeteira e em outra ele colocou leite quente, adicionando um sachê de breakfast tea, da twinings. Quando estava tudo pronto, ele tornou a subir para o próprio quarto, agora carregando uma bandeja repleta de comida. Abriu cuidadosamente a porta e largou a bandeja sobre a escrivaninha, indo até a cama e chacoalhando o corpo de Draco levemente. O loiro resmungou algumas coisas desconexas e se revirou na cama, recusando-se a acordar novamente, arrancando um riso bem humorado do outro.

-Você mesmo me disse para dormir, agora vem me acordar - ele murmura, abrindo os olhos preguiçosamente após não ser deixado em paz.

-Eu disse que iria te acordar quando o café estivesse pronto, e está, agora se ajeite e aproveita que eu trouxe especialmente para você - sorri, levantando e abrindo as cortinas, deixando a luz da manhã entrar pela porta da sacada. - Agora deixe de ser um grande preguiçoso e vá se escovar antes que sua comida e seu chá esfriem.

-Tá bom, mamãe - revira os olhos e levanta, fazendo careta e recebendo um tapa na bunda de Harry, que nem percebeu o que havia feito e já estava distraído indo pegar sua comida.

Draco fechou a porta do banheiro e se escorou nela, sentindo suas bochechas esquentarem. Se fosse antigamente, ele apenas riria e, provavelmente, sentaria no colo do moreno apenas para provocar, mas depois de tudo, ele sentia-se da mesma maneira de quando ambos ainda estavam apenas se conhecendo. Os toques de Harry mexiam completamente consigo e ele simplesmente não sabia como reagir racionalmente a isso. 

-Dray? Está tudo bem? - Harry pergunta, batendo na porta.

-Ah, está sim - responde ainda um tanto nervoso. - Só estava procurando onde você guarda as escovas de dentes reserva.

-É na terceira gaveta do armário.

-Achei, obrigado - diz sem nem mesmo ter se movido para procurar a dita escova. Após tomar mais alguns segundos para se recompor e então faz sua higiene, finalmente saindo do banheiro. - O que você preparou para nós? - Ele se senta novamente na cama, tentando ao máximo que nada aconteceu. Alheio a pequena crise do outro, Potter sorri e se senta de frente para ele com as pernas cruzadas, colocando a bandeja entre os dois. - Você fez comida demais, Harry! 

-Comida demais nada, apenas o suficiente para te alimentar pelas próximas horas. Não se esqueça que você ainda tem uma filha para alimentar, tem que estar bem nutrido - Potter começa seu discurso, entregando o prato a Draco, que apenas ri.

-Você é meu namorado ou minha avó? - Pergunta na maior inocência, cutucando a comida com o garfo.

-A menos que eu seja uma reencarnação da antiga Sra. Malfoy, eu acho que não sou nenhum dos dois - responde com bom humor, tomando um longo gole do seu café.

-Argh, desculpa - Draco ri, inclinando-se até apoiar sua testa no joelho alheio. 

-Tudo bem - Harry suspira e acaricia os cabelos macios dele. - Agora coma, pois você só sai daqui quando esse prato estiver vazio.

-Isso tudo é um plano seu para me engordar é? - Brinca, começando a comer. - Porque se for, está funcionando. Olha só isso - ele levanta a camiseta e aperta a saliência quase imperceptível na barriga.

-Você só pode estar de brincadeira né - Harry o cutuca com o indicador, fazendo-o rir. - Mudando de assunto, o que você pretende fazer hoje?

-Eu preciso dar uma organizada no meu atelier. Já deve fazer mais ou menos um ano que eu não entro lá - suspira, fazendo careta.

-Suas telas devem estar com saudades de ti - Potter ri, largando o prato na vazio na bandeja e se aproximando mais dele. - Sabe, eu acho que você deveria voltar a pintar. As coisas já estão mais calmas em relação a Lily e, de qualquer maneira, se você não quiser sair de casa ainda pode pintar no atelier ou aqui - ele comenta, acariciando sua perna de maneira amorosa.

-Eu penso nisso às vezes, mas ao mesmo tempo eu sinto como se não quisesse perder um momento sequer da vida dela, entende?

-Você pode fazer os dois ao mesmo tempo. Me sinto mal em ver você abrindo mão das coisas que gosta para cuidar dela enquanto eu passo praticamente o dia todo fora.

-Relaxa, Harry. Eu não estou abrindo mão das coisas que eu gosto, porque não tem nada que eu ame mais nesse mundo do que a nossa garotinha - sorri docemente, inclinando a cabeça para o lado. - E você também não precisa se preocupar em relação a não estar aqui 100% do tempo, ainda tem seu trabalho e todas as outras responsabilidades, o importante é que quando pode você está aqui pela gente - seu sorriso se alarga ainda mais, agora franzindo o nariz.

-Eu agradeço pelas palavras doces, mas se acha que vai se livrar de comer tudinho, está enganado - sorri, dando tapinhas em sua perna e levantando. Draco revira os olhos e resmunga, voltando a comer. - Não seja tão reclamão, até Jamie de alimenta direitinho, porque você não o faz também?

-Não sei quem é pior, você ou a Pans, os dois sempre preocupados com tudo como se eu fosse uma boneca de porcelana.

-Se você se cuidasse direitinho, ninguém se preocuparia - Harry dá de ombros, fazendo pouco caso das reclamações do outro. - Vou ver se Lilly já acordou.

Com algum esforço, Draco terminou seu café da manhã. Não que fosse de fato uma quantidade enorme de comida, mas sua vida toda ele esteve tão acostumado a comer tão pouco que isso simplesmente parecia demais. Pansy podia não ser a maior entusiasta do Potter, mas esse era um ponto que os dois concordavam plenamente: Draco precisava se cuidar direito. Com a demora de Harry para voltar, Draco apenas recolheu as coisas e levou para a cozinha, colocando tudo na lavadora de louças e a ligando.

-Olha só papai, quem acabou de acordar - o alfa chega na cozinha carregando a menina, que bate palmas e ri animada, no colo. - Você acredita que ele não queria comer a comida todinha? Imagina só ele não ficar forte e não ter leite pra encher sua barriguinha?

-Não coloque nossa filha contra mim, Potter! - Draco estreita os olhos e pega a menina no colo. - Não ouça nada do que ele fala, viu? Seu pai é doido - Lilly apenas ri mais animada, alheia aos dois.

Após alimentar Lilly, Draco a deixa sob os cuidados de Harry e vai até o atelier. Assim que ele abre, é atacado por uma quantidade enorme de poeira. Ele tosse e chacoalha o braço para afastar um pouco o pó até que ele possa abrir as janelas. Após se livrar disso e iluminar todo o espaço, ele suspira olhando para a bagunça de praticamente um ano que acabou se juntando ali. A única coisa que se passava por sua cabeça naquela hora era que ele nunca mais deixaria o local sem manutenção. Começando pelas tintas espalhadas, ele pegou uma caixa de papelão e jogou todos os tubos que estavam secos e guardou os poucos que ainda prestavam. Quando finalmente terminou com as tintas, agradeceu mentalmente por estar usando uma camiseta velha, pois esta ficou completamente manchada de todas as cores. Estava arrastando a caixa para fora quando Pansy apareceu num nível muito elevado de euforia.

-Draquinho amor da minha vida todinha você não tem noção, eu recebi o melhor pedido da minha vida hoje - ela abre os braços e praticamente se atira nele.

-O que? Mione te pediu em casamento? - Ele a vê suspirar sonhadoramente e se sentar em um dos caixotes de madeira que ele chutou para fora da sala.

-Quase isso, meu amigo, quase isso. Quem vai pedir ela em casamento sou eu. Meu deus essa mulher é simplesmente perfeita, tem um total de zero defeito - Parkinson fala de maneira verborrágica, fazendo o loiro rir.

-Ta, vai direto ao ponto, agora estou curioso. O que aconteceu? - O sorriso da alfa se alargou ainda mais e Draco se perguntou se sua boca não machucaria dessa maneira. Ela abraçou a cintura dele e encostou o queixo em sua barriga, olhando-o diretamente nos olhos.

-Ela me convidou pra passar o próximo cio com ela - ela sussurra.

-Ah meu Deus, sério? - Draco dá alguns pulinhos de alegria pela amiga. - Me conta tudo, como foi isso - ele a arrasta para dentro do atelier e a coloca sentada em sua banqueta de pintura enquanto continua a arrumar o local.

-Nós estávamos naquela cafeteria perto da galeria tomando café da manhã porque ela disse que queria me ver e quando ela começou a falar estava tão corada meu deus eu achei que fosse ter um ataque naquela hora - ela atropela as palavras, fazendo o loiro rir bastante enquanto arrasta telas para lá e pra cá.

-Vocês fazem um casal perfeito, não aceito que não me chamem para padrinho de casamento.

-Eu nunca faria uma desfeita dessas com você, meu amor - eles comemoram mais um pouco até que um silêncio confortável se instala entre os dois. - Uh, Dray…

-Diga - Draco não se vira para ela, apenas continua arrumando algumas coisas então não percebe a inquietação da amiga.

-Vocês dormiram juntos? - Ela foi bastante direta, fazendo o ômega tropeçar nas próprias telas. Ele suspira então se vira para ela, coçando a nuca. - Ok, sua cara já diz tudo.

-A gente só dormiu, ok? Não rolou nada demais.

-Então por que você está com essa cara como se alguém tivesse chutado seu cachorro? - Ela cruza as pernas e arqueia as sobrancelhas.

-Argh, algumas coisas estranhas aconteceram.

Draco se senta em um outro banco e começa a contar para ela os acontecimentos da noite passada, desde Harry passando pomada em seus mamilos até acordarem abraçados e o tapa em sua bunda. Pansy ouviu atentamente o desabafo do amigo em relação ao ex-namorado e pai de sua filha. O Malfoy se sentia confuso em relação isso, ele ainda amava Harry profundamente, mas os mesmos sentimentos que ele expôs ao alfa no dia em que se reencontraram ainda rondavam sua mente.

-Seu cio é em duas semanas, certo? É o primeiro desde sua gravidez. Vai passar com ele?

-Eu não faço a mínima ideia - suspira frustrado. - Na dúvida eu ainda tenho o Peter - ambos riem até que o assunto chega na porta carregando Lilly, que estava bastante concentrada em brincar com os cabelos do pai.

-O almoço está pronto, vamos lá? Depois quando a pequena dormir eu te ajudo a terminar aqui - ele sorri, acariciando as costas da menina. - Quer comer conosco, Pans?

-Claro - ela sorri e quando ele vira as costas, dá um olhar bastante significativo para Draco, que apenas morde o lábio um tanto apreensivo.

 


Notas Finais


Be alright também tem capítulo novo, vão lá dar uma olhadinha pq a história ta ficando um amor
https://www.spiritfanfiction.com/historia/be-alright-17804970


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...