1. Spirit Fanfics >
  2. Nem em meus sonhos mais profundos (Jenlisa e Chaesoo) >
  3. S2:EP05 - Tudo por um contrato

História Nem em meus sonhos mais profundos (Jenlisa e Chaesoo) - Capítulo 15


Escrita por: itspimenta

Notas do Autor


Por que tudo o que me fazia bem já não possui o mesmo brilho de antes?
Eu continuo escrevendo, contudo temo que chegue o dia que até isso... não fará mais sentido...


⚠️ ALERTA DE SPOILER ⚠️

Não sei o quanto vocês não gostam de spoiler ou o que consideram tal, mas nessa primeira parte - nos 5 ou 6 primeiros parágrafos - eu vou "citar" uma cena do episódio 8 de Meteor Garden (eu, particularmente, não considero um spoiler). Sintam-se avisados.

Capítulo 15 - S2:EP05 - Tudo por um contrato


Fanfic / Fanfiction Nem em meus sonhos mais profundos (Jenlisa e Chaesoo) - Capítulo 15 - S2:EP05 - Tudo por um contrato

(Point of view: Park Chaeyoung)

“Por que você não é quem eu amo?”

“Olha a cara de retardada dela” Disse Jennie revirando os olhos pela... sei lá, milésima vez enquanto assistíamos Meteor Garden.

Oh My God! Ele não vai fazer isso, vai?” Chaeyoung estava segurando forte meu braço pela tensão da cena. Na realidade não era uma cena muito tensa, mas para nós sete que estávamos acompanhando desde o início da temporada e nos envolvemos com os personagens era meio difícil se segurar “Ahhhh, Meu Deus, Meu Deus, Meu Deus! Ele beijou mesmo ela!”

“Ah não, me poupe. Sério que ela tá beijando ele com os olhos abertos desse jeito? Não é nem olhos arregalados de surpresa” Agora era Lisa que manifestava sua indignação com a cena. Não conheço muitos trabalhos dessa atriz, mas a personagem dela nesse dorama não ajudou muito a simpatizarmos com ela. Minha amiga não gostou dela desde a primeira vez que a viu em cena. Mesmo com a raiva contida em sua voz ela continuava com carinhos gentis nos pelos de Leo. Leo é o mais novo membro da família, um gato da raça Scottish Fold adotado pela nossa maknae alguns meses atrás. Sua felicidade ao receber o pequeno felino em casa não tinha preço, pois, apesar de ter dois cachorros em casa Lisa sentia falta dos seus gatos que deixara na Tailândia. Sentia saudades de ter seu próprio bebê, como ela mesma disse.

“Eitaaaa, olha o corno ali atrás” Na cena Dao Ming Si flagra Shan Cai beijando seu melhor amigo, Lei. Sinceramente, ele é muito trouxa correndo atrás dessa menina. No começo eu não gostava muito das atitudes dele, parecia ser alguém muito possessivo, mas ao longo dos episódios ele vai deixando o lado romântico dele mais à mostra. Agora eu tenho mais pena dele de se esforçar tanto para conquistar alguém que não parece estar muito interessado por ele.

“Esses dois se merecem. Dois mongôs”

“Ihhh, Nayeon, vai deixar a Jennie falar isso do seu marido?”

“Gente, o Lei é muito perfeito. Ele é lindo, toca piano, toca violino, a voz dele cantando parece de um anjo...”

“Tirando a parte de saber tocar violino você acabou de descrever a Rosé” Minha namorada se pronuncia e o que diz me deixa bem envergonhada. Ela sempre falava a coisa certa na hora certa e dessa vez não foi diferente.

“Você duas são tão gays

“Parem, assim vocês deixam ela com mais vergonha” Todas começam a rir de mim e eu apesar de também estar rindo continuo com o rosto escondido no pescoço de Jisoo.

“Tá, mas assim, vocês estão esquecendo da real estrela dessa porra toda. Se formos falar de beleza e talento óbvio que em primeiro lugar só pode estar Dylan Wang. E só minha opinião importa”

“Eu concordo com a Lisa” Falou Jennie dando um high five com a tailandesa “Olha esse sorriso de lado, a coisa mais linda do mundo”

“Você não fica com ciúmes não, Lisa, da sua namorada tá falando assim de um menino”

“Primeiro, não é qualquer menino, é Dylan Wang. E segundo que eu não fico porque penso a mesma coisa”

“Eu tô com Jenlisa” Dahyun finalmente falou depois de passar quase três episódios sem pronunciar uma palavra ou esboçar reação que fosse.

“Pois quando eu tiver um filho vou colocar o nome dele de Lei. Já que é o mais próximo que vou chegar de ter alguém do Meteor Garden na minha vida”

“Aposto que Nayeon vai ensinar ele a tocar violino e piano só para se parecer com ele”

“É claro que vou” A onda de risadas voltou, mas isso foi só um pequeno gancho para começarmos a falar de algo um pouco mais sério. O futuro.

“Mas vocês pensam em ter filhos?” Pergunta Chaeyoung à todas ali presentes.

“Não tão cedo, mas num futuro um pouco distante talvez. Eu e Rosé queremos aproveitar um pouco mais a vida à quatro”

“Vida à quarto?”

“Sim, porque eu sei que esses dois encostos aí vão está com a gente para sempre”

“Bom saber que você considera eu e Jennie dois encostos”

“Mas são os meus encostos e eu amo vocês” Disse mandado dois beijos no ar para o casal com a cara emburrada.

“E vocês, Lisa? Já conversaram sobre isso?”

“Bem...” Lisa olhou para Jennie acho que pedindo ajuda com aquilo.

“A gente ainda não conversou sobre isso” Completou Jennie o pensamento da mais nova do BLACKPINK.

“Além de que começamos a namorar a pouco tempo, ainda vai ter o casamento antes e depois a gente pensa em crianças” Não sei se foi apenas impressão minha, mas parece que os olhos da Kim mais nova brilharam diferente com o que Lisa disse. Talvez elas não tenham pensado tanto no futuro e ouvir que a tailandesa cogitava em algo como casamento com ela deve tê-la deixado feliz.

“Sabe, eu colocaria o nome do nosso filho de Dylan. É um nome bonito em qualquer idioma e seu significado mais ainda. E ainda combina com nossos sobrenomes. Dylan Kim Manoban”

“Eu gostei da sonoridade”

“E se for menina?”

“Isabela” As duas falaram em sincronia e ambas se olharam com o ato não ensaiado e fofo.

“Que lindo. Já chegaram nesse nível” Disse Dahyun “Por que Isabela?”

“Sempre gostei desse nome, principalmente depois de assistir A Bela e a Fera

Jinjja!? Eu também. É uma das minhas princesas favoritas. Além de ter uma personalidade bem forte. Todas as princesas, na verdade, têm, mas a Bela tem esse lado de gostar de livros, não ter preconceitos e sempre se preocupar com os outros acima de tudo. Quando eu era pequena, na mesma época que assisti ao filme, eu conheci uma menina chamada Isabela e seu apelido era Bela. Esse nome ficou guardado na minha cabeça”

“Além do mais o nome vai fazer jus à ser filha da Jennie”

“Por que, Nayeon?”

“Se essa criança puxar a Jennie vai ser a coisa mais linda do mundo. Aposto que vai ser aquela criança que quando chegar na adolescência todo mundo vai querer pegar ela”

“Hey, I’m the most beautiful and hottest, ok!?”

“Eh, você dá para o gasto”

“Mudando de assunto... como se sente agora que tá perto de lançar seu solo, Jennie?”

“Para ser sincera eu tô muito nervosa. Não sei se os Blinks vão gostar da música”

“Claro que vão gostar. Sua música tá incrível”

“Relaxa, amor. Vamos estar sempre lá te apoiando. E Solo vai ser um sucesso. Você vai ver. Esqueça o que os outros vão falar. Liga o famoso foda-se. Bichi naneun sollo

“I’m going solo-lo-lo-lo-lo-lo” Nayeon cantarolou o refrão fazendo o pequeno movimento que com toda certeza virará a marca registra dessa música.

Já fazia alguns meses que Jennie e eu estávamos trabalhando em composições próprias. Ela é a única com quem me senti à vontade de mostrar algo escrito por mim mesma. Minhas inspirações vinham como sempre da minha própria vida, como, por exemplo, a Roseanne que deixei para trás lá na Austrália para agora ser Rosé ou a minha primeira decepção amorosa. Ainda não tive coragem de mostrar para Teddy Oppa, mas Jennie teve e ele a incentivou e ajudou a terminar a música para lança-la. Não tenho dúvidas que vários Blinks esperam por solos nossos e garanto que a música de Jennie vai esmagar as expectativas de todo mundo tanto com a melodia quanto com a letra.

Minha amiga me contou que a música era baseada em um de seus relacionamentos adolescente em que o garoto era bastante obsessivo e sempre tentava ser meio que dono dela. Aos poucos ela foi se sentindo sufocada e triste com aquilo tudo e chegou ao ponto que percebeu não fazer sentido algum continuar naquele relacionamento tomando a melhor decisão da sua vida: terminar com o cara e sair daquele relacionamento tóxico. Definitivamente essa música devia se tornar um hino feminino para as milhares de mulheres que estão, mesmo que sem perceber, presas em um relacionamento abusivo.

Quando Solo foi oficialmente confirmado para nós, Jennie sempre me dizia que eu deveria mostrar minhas letras, porque eram bem melhores que as dela e mereciam serem gravadas. Entretanto, ainda sou muito insegura para dar um passo tão grande desses. Para mim ainda preciso melhorar muito e talvez reescrever as letras até ficarem perfeitas. Sei que posso fazer melhor que isso. E talvez quando eu sentir que tenha chegado pelo menos bem perto disso eu exponha os versos que tanto me representam.

(Point of view: Lisa Manoban)

Na noite anterior fizemos uma rápida visita a Tóquio para um evento promovido por uma das marcas que nos patrocina. A festa era privada e somente pessoas que estavam de alguma forma vinculadas à marca estavam presentes para terem o prazer de verem com exclusividade o lançamento de 2019. As peças que as modelos desfilavam eram casuais, porém, extremamente elegantes, combinam muito com nosso estilo. Mesmo que nos palcos usemos roupas um pouco ousadas ou com muito brilho somos adeptas a roupas confortáveis e simples.

Mais uma vez por conta da nossa rotina agitada estávamos dentro de um avião. Agora não é nada tão extraordinário como era nas primeiras vezes. Acabou se tornando algo cotidiano. Entretanto, a primeira viagem de avião nunca esquecemos. A sensação de estar no aeroporto esperando o embarque, a velocidade que o avião atinge para decolar, da pressão no ouvido quando ele está subindo, das turbulências e pisar no seu destino são momentos emocionantes. Minha primeira viagem de avião, que também foi a primeira para fora do meu país, foi quando me mudei para a Coreia com apenas 14 anos.

Ao contrário do que muitos podem pensar Bangkok não foi a cidade onde nasci, mas me mudei para lá ainda muito nova com três anos de vida, o que justifica minha falta de lembranças daquela época. Porém, nada se compara com uma mudança no nível de ser necessário ir de avião. Naquele tempo tive um pouco de receio em ir para a Coreia, afinal era um país com uma cultura diferente e um idioma diferente. A incerteza de se tudo daria certo também me acompanhava lado a lado, mas quando olho meu presente vejo que tomei a decisão certa.

Sempre buscamos planejar nosso futuro de alguma forma ainda bem pequenos. Imaginamos em que escola estudaremos, que curso faremos na faculdade, onde e com o quê trabalharemos. Mas posso afirmar por experiência própria que não importa o quanto planejemos, as coisas nunca saem como imaginamos. No meu caso saíram melhores do que pude sonhar. Às vezes a vida tem dessas peças. Fecham uma porta e abre uma janela, é o que eles dizem. E até que é assim. Oportunidades nos são tiradas, pessoas entram e saem das nossas vidas, somos levados ao fundo do poço e no perguntamos o porquê de aquilo acontecer conosco. E talvez seja porque coisas muito melhores virão. Nunca pensaria que o amor da minha vida estaria, na verdade, em outro país e que o destino daria seu jeito de nos apresentar. Colocou Jennie na minha vida como que por um acaso, mas duvido que assim tenha sido.

Sem perceber o adiantar das horas já pousávamos em terras coreanas. Desembarcamos do avião e como de costume nossos managers nos acompanhavam ao nosso redor impedindo que qualquer um se aproximasse. Estávamos na escada rolante caminhando para a saída onde o carro já nos esperava. Jennie e Jisoo estavam na frente e eu e Chae atrás delas. Conversávamos aleatoriedades e involuntariamente avancei um pouco encostando meu queixo no ombro de minha namorada deixando meu corpo mais próximo do dela. Não era novidade para ninguém que sempre nos tratamos com muito carinho e com isso os mais diversos ships surgem nas redes. Mas algo de novo aconteceu.

“Senhorita Lisa, peço que se afaste um pouco da Senhorita Jennie. Logo ali já avistamos alguém nos gravando” Com seu comentário, nós quatro virando para a direção que ele apontava e realmente alguém nos gravava naquele momento. Na hora nem pensei muito e apenas obedeci. Ainda pelos corredores do aeroporto as mais velhas andavam de braços dados há alguns passos na nossa frente e Chae estava do mesmo jeito ao meu lado. Percebi que não fora a primeira vez que chamavam atenção minha e da Jennie por nossa proximidade e interações públicas ou gravadas, entretanto nunca reclamaram quando o mesmo acontecia entre nós com Chaesoo. Quando entramos no carro fiquei pensando sobre o ocorrido e resolvi questionar.

 “Por que Jisoo e Rosé podem ter contatos mais íntimos com a Jennie publicamente e eu tenho que me afastar?”

“Lisa tem razão. Por que sempre implicam só com ela e Jennie?” Jisoo se pronunciou me defendendo. Apesar de seguir sempre o que lhe é mandado ela não deixa de refletir sobre as exigências da nossa empresa e ela já me falara achar desnecessárias as atitudes deles para com nossa aproximação.

“Vocês discutirão melhor isso na reunião que terão hoje à noite com o Senhor Yang”

“Sobre o que exatamente ele quer falar?” Rosé questionou, mas não obtivemos respostas concretas apenas um na hora saberão. Porém, ele hesitou e olhou receoso para o outro colega que estava sentado ao seu lado. Tinha algo que eles sabiam e que por hora não deveria ser de nosso conhecimento.

Antes de irmos para a YG passamos no dormitório para deixar nossas malas e tomar um banho, porque teríamos uma sessão de fotos essa tarde para a capa da Vogue Korea para o mês de dezembro e a reunião seria somente à noite. As fotos no estúdio foram bem tranquilas apesar de um pouco demoradas. Como sempre tiramos fotos tanto em grupo quanto individual. Após uma longa sequência de cliques, chegou uma hora que a exaustão já nos dominava, mas não podíamos nos dar ao luxo de ir embora e cair na cama para dormir. Ainda tínhamos o velho Yang nos esperando.

Trocamos de roupa e fomos para o carro. No caminho paramos para comer em uma lanchonete que vendia comida no espeto e Jisoo obviamente se agarrou com os de frango. Aquilo era só para disfarçar a fome até chegarmos no dormitório. Já na sala de reunião nos sentamos e aguardamos nosso chefe chegar. Pontualmente às 19h ele adentrou a sala com aquele famoso chapéu na cabeça se acomodando em seguida na cadeira à nossa frente.

“Serei rápido para não tomar muito o tempo de vocês. Devem estar cansadas da viagem. Então, nossa equipe constatou que dentre os assuntos envolvendo o nome de vocês, tanto individualmente quanto como grupo, são as relações amorosas. E Jenlisa é o ship que mais vem crescendo desde o ano passado. Sendo assim, temos que frear isso antes que cause problemas para todos nós. Me reuni previamente com os outros membros da equipe e decidimos que forjaremos um namoro”

“Um namoro?” Meu pensamento acabou saindo alto, mas nessa hora não importava se todos escutaram. Ele queria que fingíssemos um namoro? Mas, com quem?

“Sim, e pelos nomes da Jennie e da Lisa estarem envolvida decidimos que a Jennie é quem fará isso. Falei com o CEO da SM Entertainment e ele concordou em nos ajudar. O namoro falso será entre a Jennie e o artista deles, o Kai”

“Kai? Do EXO?”

“Ele mesmo. Será um benefício de via dupla. Eles vão ter vantagens por Jennie ser integrante do BLACKPINK e isso trará mais visibilidade para o grupo do Kai e nós acabaremos com os boatos que envolvem a sexualidade de vocês”

“Mas por que só a Lisa e Jennie? Todas nós somos muito próximas e temos interações mais íntimas, não é à-toa que existem tantos ships só entre nós quatro. Então, por que tirar os boatos somente delas duas?”

“É verdade que isso realmente acontece, mas a proporção que Jenlisa chegou no fandom é muito maior. Além disso, Jennie e Lisa são nossas artistas com contratos mais lucrativos com todo tipo de marca”

“Está dizendo que isso é por dinheiro?”

“Não, estou protegendo vocês. Essas grandes marcas podem ser muito preconceituosas. Se esses rumores se intensificarem eles podem romper com os contratos para não ter seus nomes vinculados a esse tipo de polêmica. Não seria bom nem para a imagem deles, nem para a nossa”

“Você acha errado fazer parte da comunidade LGBT?”

“Não, nada disso. Não sou preconceituoso. Tenho vários amigos que são. Mas são polêmicas que vocês não devem estar envolvidas” O clássico discurso de pessoas preconceituosas tentado convencer que não são. Aquilo não estava certo, sujeitar a Jennie a ter um “namoro” com um cara para não julgarem que ela é lésbica “Não se preocupe, Jennie. Tudo será na base de um contrato e só terá validade de seis meses, depois disso vamos emitir uma nota informando que vocês romperam e tudo volta ao que era antes”

“E como isso vai funcionar?”

“Para dar o pontapé inicial, vamos mandar vocês dois para um encontro e garantir que sejam vistos juntos. Depois é só esperar a notícia sair nos sites de fofoca e anunciar oficialmente o namoro”

“Só eu que percebi o quão essa ideia é ridícula?”

“Eu sei que você não gosta de mentir para seus fãs, Lisa. Porém, precisamos cuidar das suas imagens. Por hoje é só isso. Amanhã o CEO da SM e Kai virão para assinar o contrato. Sobre os detalhes, converso com você depois, Jennie”

Deixamos a sala incrédulas com a notícia.

Isso não pode estar acontecendo.


Notas Finais


Fanfic nova no perfil

Faltam cinco minutos (Jenlisa – OneShot): http://fics.me/22422764


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...