1. Spirit Fanfics >
  2. Nem era pra ser >
  3. Primeiro capítulo

História Nem era pra ser - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oie, bem-vindos a mais uma fic minha ><

Capítulo 1 - Primeiro capítulo


Ayano on

Estava torturando uma menina qualquer e nunca liguei quanto sangue tinha que derramar para ter o meu querido Senpai, só que eu andei percebendo que não sabia se o que estava fazendo era certo. Não me sentia culpada em ver todos os rostos que um dia foram minhas vítimas sem vida, e nem me incomodava em machucar alguém para ter alguém. Minha vida sempre foi sem cor, sem graça, mas um dia, conheci um menino que mudou completamente ela. Ele se chama Taro, e é um ano mais velho, por isso chamo ele de Senpai, como outras meninas que já gostaram dele, mas felizmente não conseguiram se confessar pra ele, o que pensava que era ótimo e um dia, finalmente iria conseguir expressar tudo que sentia por aquele cara. Megami estava atrás de mim e não me deixava em paz por um segundo, o que dificultava o meu plano de sequestrar tal rival, mas finalmente consegui me livrar daquela vadia sem sujar minhas mãos.

Tinha terminado e já estava a lavar minhas mãos, pois alguns minutos iria para escola e perseguir Senpai como de costume.

Ayano off

Budo on

Estava indo para escola conversando com alguns amigos meus quando reparo naquele menina que todos falam que ela é estranha, mas não posso formar opinião nenhuma, nunca conversei com ela. Então, continuei meu caminho e me separei de meus colegas para ir no meu clube. Subi as escadas com certa lerdeza, pois estava morrendo de sono, quando me esbarro com alguém e já penso que meu dia começou bem. 

-Eita, desculpa aí

-Tudo bem

-Budo?

-Sim? 

-Ah, nada não

-Ue, até parece que nunca me viu na vida, mas também, só fica naquele livro e não presta atenção em mais nada.

-...

-Enfim, pensou no que te falei sobre se juntar ao meu clube?

-Budo, desculpe, mas eu realmente não tenho interesse em me juntar a clube nenhum

-Tudo bem, mas se mudar de ideia algum dia, tu sabe onde pode me encontrar

-Sei...

Ok... essa conversa foi bem estranha, mas prefiro pensar que logo logo vou estar ensinando novos truques para se defender aos meus alunos.

Budo off

Ayano on

Estava perseguindo meu Senpai como sempre quando percebo que ele para e cai, mas logo alguém ajuda ele a se levantar, o que me fez ficar com muito ciúmes, pois queria eu estar tocando na mão do meu adorável Senpai. Enfim, era só o Budo. Para falar a verdade, acho que esse cara tem algum problema de carência, porque sempre tá querendo que alguém se junte ao clube dele. Mas, contanto que ele não se aproxime mais do meu Senpai, por mim tudo bem. 

Comecei a andar por onde Senpai ia e tirei várias fotos dele escondida. É tão lindo ver ele naquela fonte sentado lendo o livro dele, mas se bem que se eu tivesse coragem o suficiente, poderíamos estar conversando ou até mesmo fazendo outras coisas bem mais interessantes do que ler um livro sem graça. Só de pensar no Senpai tocando meu corpo, eu fico tão excitada e só quero que ele me toque, e me foda sem haver amanhã. Bom, vou continuar tendo essas fantasias sexuais com ele no meu quarto sem precisar me preocupar.

Ayano off

O sinal bate e os alunos vão para suas devidas salas, Ayano, Budo e Taro não fazem diferente. Ao chegarem em suas classes, Budo chama Taro de novo e começa a conversar sobre várias coisas, até que ele chega num assunto que Taro ficou surpreso

-Ei, Taro, você sabe aquela menina do segundo ano?

-Tem várias meninas que estão no segundo, Budo

-Ava

-Continue

- Ela se chama Ayano Aishi

-Ayano Aishi?

-Sim!

- Não me recordo de ninguém com esse nome

- Além de ser distraido, tem alzheimer

- Por que diz isso?

- Eu falo daquela menina que todo mundo acha estranho, só porque ela fica na dela. Ela sempre vem para a escola de rabo de cavalo, sabe?

- Ah sim, agora lembrei dela. Sim, conheço ela, e me recordo que no primeiro dia de aula eu acabei me esbarrando com ela, eu sem querer derrubei ela.

- Ou tu derruba as pessoas ou tu é derrubado

- Você é engraçado, em?

- Desculpa, não resisti

- Percebi

- Pra falar a verdade, eu te perguntei dela por um motivo específico

- E qual seria?

- Eu queria conhecer ela, e já que tu também a conhece, mas nunca interagiu com ela e nem com ninguém, achei que podíamos ir lá falar com ela no almoço. O que acha?

- Bem... por mim tudo bem

Na mesma hora, a professora dos dois chega

- Ótimo, obrigado Taro

- Disponha

Quando Taro respondeu ele, a professora no mesmo tempo, xingou os dois. Assim, a hora voou e já era hora do almoço. Os dois foram então ao encontro com a Aishi.

- Budo, tens certeza que ela vai querer falar conosco?

- Me diz o motivo dela não querer?

- Não sei, talvez porque somos estranhos para ela?

- Na verdade não, só não somos tão próximos assim

- É... tanto faz

Os dois meninos chegaram na sala 2-1 e viram a menina lanchando sozinha, o que seria um tanto quanto estranho, já que ela deveria estar atrás de seu Senpai, não?

Budo, para quebrar o silêncio, acena para a garota sem emoção nos olhos, ela vê, mas apenas ignora, o que faz com que Budo segura a manga de Taro e vá até ela

- Boa tarde, Ayano-chan

Rapidamente ela percebe que seu coração começa a bater a mil e olha para cima e vê seu amado, mas tenta disfarçar com muita dificuldade, pois não queria parecer estranha na frente de seu futuro namorado.

- O-oi

- Ah, que fofa. Ela é tímida, Taro

- Então é por isso que aquelas pessoas falavam isso de ti

- É muita crueldade

- Sim...

- Enfim, provavelmente tu já nos conhece e nós viemos aqui por causa que queremos sua amizade

- Minha amizade?

Diz ela sem demonstrar emoção alguma

- Sim!!

- Nós estávamos pensando se isso seria um problema para ti

- D-de maneira a-alguma, S-senpai

- Perfeito

Diz o líder do clube de artes marciais com um sorriso de orelha a orelha. Mas, novamente o silêncio tomou conta do lugar e Budo novamente quebrou o silêncio 

- Aya, posso te chamar assim?

- Pode

- Aya, tu gostaria de vir comigo e com ele na minha casa? Podemos ver alguns filmes ou animes se tu quiser

- Tu vai obrigar ela a ver anime de luta?

- Lógico que não, mas se ela quiser eu quero

- Ai ai

- P-por mim tudo bem

Se Budo não tivesse pegado Ayano em seus braços, poderíamos dizer que ele estaria dando pulinhos de alegria, que não duraram muito, pois Aishi não confiava nele. Mas isso não impediu ele que fizesse isso com Senpai, o que causou um ataque de raiva em Ayano, mas ela não queria isso, não na frente do Senpai, então, inventou alguma desculpa e foi socar a parede do banheiro. Infelizmente ela tinha companhia

- Olha só quem temos aqui, meninas

Ayano virou e viu Musume e seu grupinho, junto delas um menino que não parecia ser da escola, mas apenas ignorou os sete, que resultou numa irritação em Musume

- Ei, sua vaca, quando eu falo contigo, tu presta atenção!

- Musume, ela deve se achar só porque tem o menino lá do clube de artes marciais

- Se realmente é isso, você é uma ridícula em pensar que ele vai te defender todo tempo

- Amiga? Ridícula é elogio pra ela

As amigas insuportáveis começaram a dar uma risada mais insuportável ainda, porém, Ayano continuava ignorando elas e pensando em como poderia descontar sua raiva e vazar daquele lugar

- Mas sua mãe não te deu educações, querida?

Ayano permanecia em silêncio apenas olhando para a cara daquelas gurias pelo espelho

- Olha aqui, sua vagabunda, eu me cansei de ser boazinha contigo. Se tu acha que tu é a fodona dessa escola, tu está muito enganada. Tu só passa de uma vadiazinha que ninguém quis comer e agora procura qualquer um pra dar

Ayano não diz nada, pois aquelas palavras não afetavam ela nenhum pouco, mas Musume sim. Era como se tudo que ela disse tenha sido para ela mesma. Já sem paciência, Musume pediu ao menino do seu lado e cochichou algo em seu ouvido, o que fez com que o mesmo sorrisse. Ayano pensava em por que diabos ela tinha que estar no mesmo banheiro que elas, e de como aquele moleque entrou sem ninguém ver ele, entretanto, seus pensamentos foram interrompidos pelo guri que agora tinha um olhar faminto. Ayano sabia o que ele queria, mas não iria dar-lhe, já ele deve ter percebido e foi pra cima dela e as meninas que estavam rindo, logo estavam saindo para não ser testemunhas de um estupro. Com raiva, ele rasga toda roupa dela, deixando-a só de calcinha e sutiã, e mesmo assim, ela não sentia nada, mas sabia que aquilo era errado, até porque começou a impedir ele de tocar nela, só que foi em vão. Ele era o triplo mais forte que ela e em poucos segundos, pode ver a imagem dos seus seios e logo foi pra cima deles e Ayano continuava se debatendo, mas sem sucesso. Enquanto ela gemia sem querer, ele continuava a mexer em seus peitos, que logo foi para sua calcinha. Ayano percebe que isto já estava indo longe demais, então ela tenta pegar alguma coisa para acertar na cabeça dele, até que acha um parafuso solto da pia do banheiro, e sem dó acerta do meio de sua testa. Nunca que ela iria deixar tirarem sua virgindade sem que fosse o Senpai. Como seu uniforme estava totalmente rasgado, pegou as roupas dele e saiu correndo para que ninguém veja ela sem uniforme. O dia termina sem que Ayano conseguisse ir nas outras aulas dela, pois não saberia onde tirar um uniforme novo, e sua roupa de ginástica e o seu maiô estavam para lavar. Só lamentava que não conseguiu stalkear Taro, e até esqueceu que iria na casa de Masuta, pois tinha que recuperar o tempo que perdeu com aquele defunto que agora começava a de decompor lentamente.






Notas Finais


Demorei 2 horas pra escrever sa bagaça ;') espero que gostem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...