1. Spirit Fanfics >
  2. Nem todas as mulheres usam salto >
  3. Procurada

História Nem todas as mulheres usam salto - Capítulo 12


Escrita por: e Moon_fair_07


Notas do Autor


Voltamos! Sentiram saudades? Óbvio que sim!
Gente, estamos sentindo a fanfic com pouco feedback, então nos ajude e divulgue!
Iremos postar todas as sextas, beijos!
Boa leitura!

Capítulo 12 - Procurada


Konan viu a notícia que seus amigos haviam sido presos, agora ela teria de se esconder por um tempo até  conseguir formular um plano para resgatá-los.


O primeiro passo que ela fez foi se esconder, pegou tudo o que podia de sua casa, todo o dinheiro, documentos falsos e a agenda de contatos onde anotava coisas importantes. Ela não agia ativamente nos negócios, mas sabia muito bem como as coisas aconteciam e até  mesmo dava sugestões e ideias. 


Assim que conseguiu sair de seu apartamento naquela noite, ela passou em um konbini e comprou tintura para seus cabelos. Conseguiu se hospedar em um hotel com seus documentos falsos, assim que se acomodou no quarto ela entrou para o banheiro e tingiu as madeixas antes roxas. Agora morena e sem os piercings, ela só precisava esconder ao máximo as tatuagens.


Mal dormiu, sabia que a polícia estaria atrás  de si, o melhor a fazer era pedir apoio a algum amigo de antigamente, alguém que a ajudaria sem perguntar muito e o melhor, não estivesse envolvido no mundo do crime, ou seja, um religioso que a conhecia há décadas, cujo o nome não era famoso por Konoha.


— O que faz aqui? -  perguntou vendo uma morena, que supostamente não a conhecia - Eu lhe conheço?


— Sou eu, Hidan. - ele a analisou - A Konan... - agora sim ele tinha reconhecido - Será  que você poderia me ajudar?


 — Claro, qualquer coisa por você minha amiga... O que é?


— Eu posso ficar aqui alguns dias? Estou realmente precisando... - justificou por alto.


— Sim. Aconteceu algo? - perguntou dando espaço para ela entrar.


— Só preciso dar um tempo. - disse apenas - Posso entrar?  - perguntou mudando de assunto.


 — A casa é sua. - disse educado, deixando-a entrar. - Você conhece minha casa então... não tenho que apresentar nada.


 Agora que já estava praticamente fora de suspeitas, Konan pensaria em algo para ajudar seus companheiros. Ela sabe que não tem muito tempo para bolar um plano muito elaborado, mas teria que ser algo eficiente


 *[...]*


Na delegacia, todos estavam inventando formas para encontrá-la, porém alguns estavam um pouco incomodados por não terem almoçado. 


— Eu tô com fome. - reclamou o loiro entrando na delegacia.


 Alguns dias haviam se passado e Konan já tinha todo um plano elaborado, uma equipe de alguns homens leais a si, havia conseguido carros velozes e armamento pesado. Verba que ela havia investido (mesmo a contra gosto dos seus amigos), era esse dinheiro que os salvaria. 


Já na delegacia, nenhuma pista dela foi encontrada, a mulher simplesmente desapareceu. Era exatamente sobre isso que Sakura conversava com Sasuke. 


— Amanhã será o dia do julgamento de Nagato e Yahiko, você acha que a Konan vai aparecer? - ele apenas a olhou com desdém - Qual é, Sasuke?! Vai que ela aparece no maior estilo Toreto pra salvar eles igual ao filme... - ela realmente acreditava nisso.


 — Sua criatividade me impressionou agora. - ele riu leve. - Quer escrever um livro? Aposto que minha mãe te dá verba, ela também é escritora, vai amar.


— Sasuke, eu estou falando sério. - suspirou irritada - Se você estivesse preso independente do crime eu faria qualquer coisa pra tirar você. - ele a olhou surpreso, o que aquilo significa?


 — Eu também faria, você foi minha primeira dupla, mas não iria te tirar ao estilo do filme.


— Então fala pra mim, o que você faria? Leve em consideração toda a situação... - disse desafiando-o.


 — Meu pai é juiz, iria usar isso se fosse eu, achar brechas na lei... - ele disse indiferente. - Mas se fosse ela, não sei.


— Bom, se eu fosse ela eu pensaria no momento mais propício de sucesso para agir. - se ajeitou melhor na cadeira - Primeiro eu procuraria alguém para me ajudar, um bom e discreto carro para fugir, e o mais importante, agiria sem levantar suspeitas. - Sasuke balançou a mão indicando que ela continuasse - Se não fosse no trajeto entre a prisão e o tribunal, seria no momento em que chegassem lá.


 — É... - deu de ombros, deu uma rápida olhada em seu celular. - Fala isso pro Itachi, dobrar a patrulha no transporte deles.


— Se nem você que trabalha diretamente comigo, está me dando moral, imagina o seu irmão - ela falou realmente chateada - Eu vou me lembrar disso, U-CHI-HA. - Sakura saiu a passos duros, claramente com raiva de Sasuke.


 Poucos segundos depois Tenten entrou pela porta se jogando na cadeira de tão cansada, estava fazendo patrulha a dias, igual a muitos ali que estavam na base do café.


Ela tentava recuperar o fôlego, que parecia sair dos pulmões ao invés de entrar.


— Não adianta ficar com essa cara... - Gaara falou, ele era o seu companheiro nesses dias.


 — Eu estou cansada... Desculpa, ruivinho. - ela lamentou. - Sem o Neji eu não funciono tão bem.


— Obrigado, pela parte que me toca. - se fez de ofendido - Eu sei bem como é isso, mas é por uma causa maior. - olhou Sasuke no canto da sala - Sakura tá na sala do seu irmão, fazendo a sua caveira pra ele. - contou.


 — Já nem ligo mais - falou indiferente. - Só quero oito horas de sono, acompanhado de um café da manhã. Mais nada!


— Ossos do ofício, meus queridos. - Gaara falou tirando o coldre e se sentando no sofá do outro lado da sala.


 — "Ossos do ofício" bem que meu pai falou, que eu deveria ser professora de educação física. - Tenten fez uma careta. 


— Eu devia ter virado juiz. - Sasuke disse e se sentou ao lado do ruivo.


— Minha madrasta tinha falado para eu virar maquiadora. - apontou para si e riu. - Olha bem para mim, prefiro morrer.




Na sala de Itachi



— Olha Sakura, eu acho a sua ideia um pouco exagerada, mas eu vou melhorar a segurança...


— Você e seu irmão são iguais. Tsc - ela saiu bufando, não acreditava que aquilo era possível, ninguém deu a devida importância ao que ela disse. 


— Por mais improvável, o que ela falou pode acontecer. - Kakashi disse.


— Eu sei, ok? Só que, e se não acontecer? - indagou. 


— E se acontecer? - Kakashi retrucou.


— Itachi... - Tenten falou batendo na porta e já entrando. - Acabei de encerrar duas patrulhas seguidas, parei um pouco para sentar no sofá antes de vir, estava exausta. - disse entregando o relatório. - Por que a Sakura estava tão emburrada?


— Vocês mulheres são indecifráveis, pergunte a ela. - pegou os relatórios da mão da morena. 


— Converse com sua amiga, ela não está em um bom dia. - Kakashi, como sempre mediando bons relacionamentos.


 — Já sei o que é, muito obrigado por se preocupar, Kakashi. - ela sorriu leve, mantendo um sorriso para Kakashi. - sinceramente, amo sua educação, Itachi. - falou sarcástica, saindo da sala, logo chegou na Sakura abraçando a mesma por trás. — O que está acontecendo?


— Aqueles Uchiha's... - falou com raiva - Eu falei a minha teoria para os dois e nenhum deles me deu atenção suficiente. Amiga faz todo sentido, só que eles acham que eu estou errada. - desabafou - Eu odeio isso. ODEIO!


— Minha querida. diz se virando para frente dela. - Meu paizinho que me perdoe, mas sinceramente, não aguenta ouvir a verdade... Falo por experiência própria, homens são todos um bando de idiotas, que nem sabem o que passa na vida.


— Tenten, amanhã você vai comigo e a gente vai acabar com os planos daquela maluca. - mudou de uma hora para outra o semblante - Você confia em mim e na minha intuição? - agarrou a amiga pelos ombros a assustando com aquele olhar incrivelmente determinado.


 — Eu sempre acho lógica na paranóia... Mas nós duas sozinhas não dá, vamos chamar as meninas. - disse sorrindo largo. - Porém eu vou para casa, venceu a minha hora... Eu tenho que atormentar o Neji.


— O Itachi disse que vai mandar mais pessoas, mas eu quero ir junto. - respondeu para a amiga entender - Mas vai lá...


 — Neji me deu um vácuo amiga... Vou ligar para ele até atender. - sorriu perversa. - Mas sabe que estou aqui, só me chamar que eu ajudo.




Sasuke tinha pensado um pouco, tocou no ombro da Haruno para chamar sua atenção.




— O que você quer? - ela ainda estava chateada com ele.


— Desculpa. - disse olhando pro teto branco, ele estava arrependido do que fez. - Eu devo confiar mais em você, me desculpa.


— Vou pensar no seu caso. E além disso, vou contar pra sua mãe! - dona Mikoto saberia como punir o seu filho.


 — Mamãe viajou com meu pai. Estou sozinho em casa. - ele sorriu vitorioso. - Nem vem com essa, porque você ama trabalhar comigo, já basta ter o Kurama me punindo.


— Você me magoou, sabia? - olhou pra ele ressentida, mesmo sabendo que não conseguiria manter essa pose por muito tempo.


 — Mas eu voltei atrás. Como sou um bom garoto, eu tenho humildade, pedi desculpas e vou oferecer um filme para nós dois, o que acha?


— Com pizza e sorvete? - indagou sem ceder completamente.


 — Olha... Não sou fã de sorvete, mas eu compro para você.


— Amanhã, às 20 horas na minha casa, não se atrase, Uchiha. - saiu sem esperar uma resposta do moreno.


Notas Finais


Comentários?
Beijocas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...