História Nem todo ômega é frágil (Hiatus) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Tags Abo, Yaoi
Visualizações 54
Palavras 1.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


oiiiiii^^
demorei um pouquinho não é??
isto aconteceu porque....EU PERDI 5 FUCKING VEZES O PRIMEIRO CAP!
nem preciso falar que fiquei pistola com isto.
espero que gostem ^^

Capítulo 2 - Ichi


                                                                 ~��~

 

A hora do intervalo,do lanchinho, rango, recreio ,defina como quiser, tinha chegado rapidamente por conta do horário de verão. A maior parte da aula, o Yoshida tinha levado várias broncas da professora de matemática, por olhar na direção aonde Henrique estava localizado. De alguma forma, aquele ômega petulante, ignorante,mal humorado....Lindo...Com um cheiro ótimo...Balançou a cabeça tentando se livrar destes pensamentos, afinal 2 betas rotuladas como amantes de mangás, animes, fanfics ,etc do gênero yaoi,notaram os olhares, Aoki Juria e Inoe Ana Kuara (N/A; UMA PEQUENA HOMENAGEM NE BENINAS??? DHDHSHSHCBSJ) eram as notáveis fujoshis da sala. As duas davam olhares maliciosos e risinhos estranhos á cada olhada.

 Enfim, Felipe tinha coisas para fazer do que ao invés de ficar procupado de virar mais um dos famosos ships ou pensar nele. Afinal o que sentia era atração ou raiva? Parecia ser um pouco dos dois... mas isto por um acaso é algo que seja mais importante do que dar uns pegas  em uma das ômegas mais ´famosinhas do colégio? Achava que não...mas até ver o Sakurai conversando com um alfa desconhecido, começou á grunir...mas espera, aquele alfa já não era atado? Sim, felizmente. Apenas suspirou aliviado, porém a sensação de alivio iria dar espaço para a excitação causada pelo cheiro de Henrique quando passou perto, ele apenas segurou o pulso do garoto e o virou para si.

 - Parece que você ama se encontrar comigo, não acha? Diga logo o que quer, não encha minha paciência!

- Eu sei que não somos próximos nem nada mas toma meu casaco, seu cheiro indica que o seu cio ´tá próximo.  – O lúpus entregou o casaco ao Sakurai que apenas deu um sorriso doce, talvez ele fosse até uma boa pessoa. O Yoshida pareceu que iria derrerter á qualquer momento, desde de quando um sorriso o deixava assim? - E toma meu número, talvez você queira passar comigo?? – falou a ultima parte sussurrando no ouvido do ômega, deu uma lambida no pescoço sentindo o sabor doce, todos os outros cheiros perto do de Henrique eram enjoativos, seu lobo só queria aquele cheiro. Antes que Felipe continuasse, o Sakurai o empurrou se afastando de si.

- Estava bonzinho demais para ser verdade! TINHA QUE TER ALGO RELACIONADO OU MEU CORPO!!  Você só ‘tá interessado em mim, por causa do meu corpo, ‘né? -  interrogou irritado , Felipe não respondeu nada, apenas coçou os cabelos em um gesto envergonhado. Ele estava em um misto de sentimentos, entre a surpresa e a vergonha. Supresa, por ele perceber suas intenções de imediato e Vergonha, por ter agido assim com quase todos e também por estar levando lição de moral dum ômega.  – Vocês alfas, são todos iguais, todos sedentos por desejo carnal, sem se preocupar pelo os sentimentos de ômegas e betas. Bom...Não adianta eu tentar te mudar, aliás isso é algo que está em nosso maldito DNA...E por favor pare de me encarar na sala, isto é inconveniente.

   Apenas seguiu seu rumo, deixando um Yoshida Felipe envergonhado e calado.

 

                                                                    ~��~

A aula já tinha acabado e o Sakurai teria que trabalhar na livraria de seus pais.  Seria estranho contar que o primeiro presente que ele pediu foi um livro de Machado de Assis. Um pouco diferente para a idade, a idade em que as crianças estavam mais preocupadas em brincar com os amiguinhos, bom os melhores amigos de Henrique desde de pequeno foram os livros.

Sempre fora uma criança calada, esperta e antissocial, o que lhe causou um certo bullying por ser ‘’nerd’’. Sempre tinha aguentado tudo calado, mas no dia em que seu ponto de ebulição chegou, falou tudo o que pensava para seus queridos – notem o sarcasmo – colegas. A partir deste dia passou a se defender e defender quem é igual á ele.

E seu grande ranço por alfas? Ah eu explico, a maioria das humilhações foram causadas por eles,  se isto já era ruim em um dia, imagine essa mesma situação se repetindo como se fosse um ciclo continuo?  A maioria dos ômegas iria apelar de primeira para alguém lhe proteger, porém ele não queria envolver mais ninguém...Este problema era seu. Só iria considerar a possibilidade de pedir ajuda se não conseguisse resolver sozinho.  E...nem preciso continuar pois vocês já sabem.

Então voltando, estava organizando com atenção e puro capricho as prateleiras, este capricho incluía ordem alfabética, tamanho, categoria, escritor, entre outras...Estava tão concentrado que não notou a presença de um certo alguém na loja.

Quando se tocou que o pequeno sino tinha ressonado, apenas esticou o pescoço , ao ver que era o lúpus, apenas revirou os olhos, seria ele um tipo de ‘stalker?

- Ah...você.  - falou com certo desprezo.

- Eu não tenho culpa se o destino gosta de cruzar nossos caminhos. – Deu um sorrso de canto.

- Veio me cantar ou para comprar um livro? Porque se for cantar me, saiba que não estou disponível.

Riu envergonhado...Parecia novamente que ele era um livro para Henrique o ler tão facilmente.

- É... Apenas vim aqui na procura de um livro novo. Os que tenho, já li todos.

- Quer minha recomendação? É isto?

- Sim, por favor.

O ômega saiu na procura de um livro, deixando um Felipe á suspirar, como ele ficava tão lindo de óculos com aquelas cara de sarcasmo...E como o Yoshida virava um bobo apaixonado na presença dele? Aquilo era um mistério bem difícil...dependendo da perspectiva.

- Toma.

-  Alice no país das maravilhas? Sério? Tenho cara de criança por acaso?

O Sakurai apenas revirou os olhos.

- O livro tem um texto que é dividido em duas partes, uma para crianças e a outra para adultos.

- Ata,mas é confuso

-Nunca ouviu falar em livros de gênero Nonsence?

O alfa apenas negou com a cabeça.

O ômega suspirou cansado, era como se estivesse explicando o obvio para uma criança curiosa.

- É um gênero em que tudo é estranho, bizarro, sem sentido ou coerência. Esta obra, - Apontou para o livro. – É a mais famosa do gênero Nonsence. Garanto que irá bugar um pouco, mas se prestar atenção nas piadas irá conseguir ter uma interpretação livre.

- Só irei ler esta caralha porque estou sem nada para fazer.

Henrique finalizou o pagamento e falou um ‘’Volte nunca mais.’’ Com estranha doçura.

 

 

 

                                                                       ~��~

Uma semana já tinha se passado, o ômega estava em casa quando começou a sentir fortes dores em seu baixo ventre, seu cio tinha chegado. Começou á procurar igual um condenado o medicamento que aliviava as dores porém ele tinha acabado.

A cada minuto que se passava, começava á ser dominado por seus instintos, parecia clamar por um alfa.

No momento em que  foi completamente dominado, fez o que estava na lista de ultimas hipóteses – ligar para Felipe. Discava os números quase que freneticamente e ligou, não demou muito ao ser atendido.

- F-felipe m-me ajuda.

continua...


Notas Finais


espero que tenham gostado e desculpa por qualquer erro, não foi betado sssksjkkbkbcd rindo de nervoso djhdhbiafba
sayonara minna-san^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...