História Nem tudo é o que Parece !ABO! - Capítulo 64


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Got7, SHINee
Personagens BamBam, Byun Baek-hyun (Baekhyun), Do Kyung-soo (D.O), Huang Zitao (Tao), Jackson, JB, Jinki Lee (Onew), Jinyoung, Jonghyun Kim, KiBum "Key" Kim, Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Jun-myeon (Suho), Kim Min-seok (Xiumin), Lu Han (Luhan), Mark, Minho Choi, Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol), Taemin Lee, Wu Yifan (Kris Wu), Youngjae, Yugyeom, Zhang Yixing (Lay)
Tags 2jae, 2min, Abo, Chanbaek, Eunhae, Hunhan, Jongkey, Kaisoo, Kristao, Krysber, Longfic, Markson, Onho, Onhotae, Ontae, Sulay, Universidade, Xiuchen, Xiuhan, Yugbam, Zhouhe
Visualizações 133
Palavras 4.085
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heeeey xD

Espero que curtam o capítulo s2

Fic nova nas notas finais o/


------ Boa Leitura! ------


Capítulo betado pela V s2

Capítulo 64 - E as novidades?!


Fanfic / Fanfiction Nem tudo é o que Parece !ABO! - Capítulo 64 - E as novidades?!

 

— Isso não vai machucar nosso filhote? — perguntou Chanyeol preocupado, estava entre as pernas de Baekhyun totalmente exposto.

— Não, pode vir que vai ser só gostoso… — falou Baek manhoso.

— Sei não, Bae. — ponderou o alfa, apesar de estar cheio de tesão ainda tinha certo receio quanto a fazer sexo com o namorado grávido.

— Já pesquisei e perguntei ao médico, podemos transar normalmente, não é como se sua rola fosse chegar ao meu útero. — retrucou o ômega impaciente, sua entrada estava mais que lubrificada.

— Isso parece meio errado… — falou o alfa. — Não quero dar mau exemplo pra nossa cria.

— PUTA QUE PARIU CHANYEOL!! — berrou o menor assustando o alfa. — Vai me foder ou vou ter que usar os dedos?

— Mas gente… — comentou o alfa atordoado. — Os hormônios tem te afetado mesmo…

— É, é! — falou impaciente se esfregando no membro alheio. — E se essa delícia não me rasgar agora eu juro que... ahhhhh — o ômega gemeu audivelmente com a estocada inesperada.

— Jura quê? — perguntou o alfa tirando o membro de Bae lentamente e o estocando de novo.

— Na-não sei… — o ruivo respondeu revirando os olhos e Chanyeol sorriu o beijando.

O Park andava evitando transar com o ruivo por medo de alguma coisa dar errado, mas se Baekhyun garantia que estava tudo bem, quem seria ele para negar?

Afinal, Byun continuava lindo aos olhos do maior, talvez até mais atraente que o normal, com a barriga pouco saliente, sua pele mais leitosa que de costume e o cheiro ainda mais atrativo, além é claro, do apetite sexual do ômega estar implacável. 

O casal transou três vezes seguidas e o ômega queria mais, fazendo Chanyeol realmente agradecer pelo estado do ruivo, jamais se cansaria de ouvir os gemidos manhosos, dos olhos penetrantes e dos sorrisos safados do menor que se revelam sedentos apenas quando estavam sozinhos. 

O alfa caiu exausto ao lado do ômega depois de mais um orgasmo e com os olhos pesados fitou Baekhyun.

— Eu te amo… — falou baixinho tirando o cabelo dos olhos do Byun que estava tão mole quanto o Park.

— Eu, nós te amamos… — sorriu fraco e depois disso se entregaram ao sono.


 

[...]

 

 

Kris sentiu um vento forte invadir o quarto onde estava e saiu correndo a tempo de segurar a janela que quase se espatifou. Respirou aliviado ao evitar o acidente, travou a alavanca e ia voltar para a cama quando sentiu o celular vibrar: uma emergência no Pronto Socorro.

O Wu recolocou o jaleco e estapeando a cara, saiu correndo para auxiliar no que quer que fosse, sentia o corpo clamar por descanso, mas havia uma vítima de acidente de carro para socorrer.

— Não há médicos à postos, você vai precisar prestar os primeiros socorros até que o Dr. Lee chegue! — falou uma enfermeira e o alfa assentiu.

Yifan prestou o primeiro atendimento, imobilizou o que era necessário, pediu alguns exames e tratou do beta que ainda estava inconsciente. 

— Vá descansar, Yifan eu assumo daqui — disse o Dr. Lee que tinha acabado de chegar.

Normalmente Kris insistiria em manter-se ali atendendo, mas sabia de suas condições, aquela pequena corrida e força que fez ao pegar o beta no colo para agilizar o atendimento, lhe custaram bastante.

Ele havia aberto o ponto que tomara na perna e com toda certeza do universo tomaria um puta esporro de Zitao.

— Eu não digo nada! — falou o Huang assim que bateu o olho no namorado.

— E-eu posso explicar. — se justificou o maior que não esperava uma visita surpresa do mais novo.

— Não pode, hyung, sabemos que não pode. Absolutamente NADA do que disser será justificável. — rebateu o mais novo e ajeitou a mochila nas costas. — Apenas vamos cuidar dessa ferida e fingir que nada aconteceu, huh?

Yifan queria arrancar a cara decepcionada do mais novo a qualquer custo, mas nada podia fazer, ele já tinha sido teimoso ao querer voltar com o internato antes de sua recuperação total dizendo que tomaria cuidado e havia fracassado com a promessa que fez ao namorado e a Taemin que se preocupava muito com o maior.

O alfa olhou triste para Taozi que seguia dois passos a sua frente e nem percebeu o bico que fazia ao caminhar mancando ligeiramente enquanto sustentava uma carinha de criança culpada.

— Fan... — Zitao olhou para trás e viu a cena sorrindo derrotado. — Se apoia em mim, meu amor.

— Não vai me bater? — brincou arrancando um sorriso bobo do outro que iluminou seu dia.

— Não, eu sei que estava salvando vidas, só não gosto que cuide dos outros e esqueça de você mesmo... — suspirou o menor tomando a cintura do mais velho que abraçou seus ombros.

— Desculpa... — Yifan falou sincero e Zitao não resistiu em lhe dar um selinho discreto.

— Mirian, poderia me ajudar com esse alfa metido a herói aqui? — pediu a uma enfermeira que já conhecia o casal.

— Claro, por aqui. — sorriu a moça, ela era uma das muitas pessoas militantes pelo amor do casal ali no hospital.

Os três seguiram pelo corredor sem nem perceberem algumas pessoas acompanhando a cena de longe.

— Aquele é o seu filho, certo? — uma ômega de postura firme se dirigiu ao senhor Wu.

— É ele mesmo, senhora Jeon. — respondeu o alfa sentindo-se nervoso.

Por conta da repercussão da campanha, o senhor Wu evitava a todo custo cruzar o caminho com o filho e vice versa, para que não falassem muito, mas lá estava ele, entre a cruz e a espada, encarando o grupo de acionistas que talvez fossem investir no hospital e gerar capital suficiente para construção novos setores e desenvolvimentos de pesquisas.

Todavia, os acordos eram feitos tradicionalmente com uniões entre famílias e Yifan provara a todo mundo que isso não estava em seus planos, pois além de compromissado com alguém que não tinha qualquer influência financeira, Zitao era um alfa assim como Kris e os dois não poderiam ter filhos, pelo menos não biológico.

— Pelo o que sei, ele é o seu único herdeiro, certo? — perguntou a mulher.

— Ah sim, é meu único filho.

— Muito bem, será que podemos fazer a reunião de agora com ele? — questionou a ômega e o senhor Wu quase não conseguiu esconder a surpresa, Kris poderia estragar tudo, ninguém em juízo perfeito aceitaria sociedade com uma aberração como o seu filho.

— Claro, sem problemas, eu mandarei ele se preparar para conhece-la. — respondeu gentil enquanto o desespero tomava conta.

O senhor Wu não podia perder o investimento daqueles acionistas que, apesar de estarem em oito pessoas, representavam empresas diferentes, mas acatavam as ordens da senhora Jeon como escravos. Com um cumprimento respeitoso, senhor Wu se afastou do grupo e seguiu para a enfermaria onde estava o filho.

— Yifan, quero que se prepare para sua primeira reunião oficial de negócios! — falou o alfa interrompendo a conversa entre o filho, Zitao e Mirian que ficaram completamente deslocados naquele clima que instantaneamente se fez pesado.

— Pelo o que me lembro eu não tenho mais direito a nada aqui. — Yifan falou tranquilo.

— Você não é mais um criança, Yifan, quanto tempo mais vai agir como uma? — o alfa mais velho ameaçou e quando o Kris tomou ar para responder percebeu o olhar de Zitao. “Apenas vá.” Falou mudo para o namorado.

— Ok, vou só me trocar e subo. — falou Kris observando a calça manchada de sangue do ponto que havia estourado, inclusive esta foi a prova do crime que o entregou para Zitao na hora que tentou simular que não havia nada de errado quando o mais novo o surpreendeu.

Senhor Wu saiu sem nada dizer e pouco tempo depois já estava em seu lugar na mesa de reuniões do hospital, junto com os demais acionistas quando a porta se abriu revelando Kris devidamente trajado e um ômega desconhecido.

— Muito bem, acho que podemos começar. — falou a senhora Jeon e todos assentiram. — Antes de mais nada quero dizer que fiquei muito interessada em investir no grupo Wu assim como os outros aqui presentes, única e exclusivamente por conta do senhor Wu Yifan. — falou a ômega e tanto Kris quanto o seu pai se surpreenderam.

— Desculpe, não quero ser grosso, mas estou curioso sobre o porquê. — Yifan falou e a ômega sorriu.

— Bem, pode parecer um motivo pessoal, mas é muito mais que isso. — falou a senhora Jeon. — Quando vi a campanha que participou na TV fiquei extremamente emocionada, pela coragem de se expor daquela maneira e de encorajar mais pessoas a não terem medo de serem quem são.

— Fico honrado por ouvir isso. — falou Yifan e viu o pai torcer o rosto, mas rapidamente disfarçar.

— Mas meu interesse direto em você veio após a matéria que revelou a agressão que sofreu por namorar um alfa e do rapaz não ser um herdeiro como você. — Jeon continuou sua explicação. — Por esta razão, não imaginei, assim como meus sócios diretos, lugar melhor para investir que não fosse este hospital, que um dia será ministrado por você! Nós... — a ômega apontou cada um dos que a acompanhavam. — somos todos “desenquadrados” perante a sociedade, porque amamos quem amamos e eu espero que a nossa parceria seja a continuação das muitas manifestações que ainda ocorrerão, para mostrar que pessoas como eu, não precisam esconder o casamento por amar outro ômega, apenas por presidir uma grande empresa. — concluiu a mulher e Yifan deixou o queixo cair ao ver o ômega que entrou na sala junto com ele se levantar e ficar ao lado da senhora Jeon.

— Eu fico extremamente honrado em escutar tais palavras, senhora Jeon, não decepcionarei seu investimento. — o alfa se levantou para fazer uma profunda reverencia.

— Tenho certeza que não e ao senhor Wu, fico extremamente encantada em ver que não deserdou seu filho, que não o abandonou publicamente, é um ato muito significativo, tenho certeza de que isso incentivará ainda mais investidores a confiarem no seu caráter! — A ômega abriu um sorriso que desmontou sua presença tão imponente.

— O-obrigado... — falou o senhor Wu meio congelado, nada daquilo era verdade e ele podia sentir o olhar de Kris sobre ele, então encarou o filho.

— Estamos nos adaptando ainda, mas acredito que toda grande mudança gere desentendimentos até que tudo fique bem. — Yifan falou e sorriu para os acionistas terminando aquela primeira etapa das negociações com sucesso.

— Y-yifan... — senhor Wu falou baixo quando só restavam os dois na sala. — Te devo um pedido de perdão, mas sinceramente não acredito que isso restaure nossa relação, não depois de, por pura ganancia, abandonar você, meu único filho.

— Pai... nem eu mesmo me entendo por completo, não tem porque eu querer exigir isso dos senhores. — confessou o mais novo. — Eu não me sinto atraído por alfas, só pelo Zitao, ao lado dele não me sinto atraído nem por ômegas ou por betas se quer saber. — sorriu bobo. — Eu sei que em algum lugar aí dentro, eu ainda sou seu filho amado, vou esperar seu tempo para que me aceite, mas só peço que continue bancando minhas despesas, não dá pra pagar meus estudos cursando o último ano. — riu sem graça e o mais velho acompanhou.

— Eu fui um monstro e você foi tão grande, tão digno. Eu não tenho porque me envergonhar de você, mas obviamente preciso trabalhar para aceitar essa situação, preconceitos não se desfazem da noite para o dia, ainda mais para mim que estou velho. — sorriu fraco olhando para o mais novo, sentia tanta falta dele. — Volte para casa meu filho, eu não mereço o seu perdão, mas farei o máximo para consertar as coisas entre nós. — senhor Wu falou puxando o filho para um abraço.

 

 

[...]

 

 

Os preparativos para o casamento estavam a mil por hora, já era a semana do casamento e Mark estava mais pilhado do que pensou que um dia poderia ficar. O ômega estava recebendo ajuda de todos os lados, mas mesmo assim no final das contas, tudo tinha que passar por sua aprovação e de Jackson que estava tão cansado quanto o noivo.

— Vamos lá meninos, agora são só as sobremesas. — encorajou Minseok olhando a cara dos mais velhos.

— Estou cheio, Xiumin, nós confiamos em você. — choramingou Jackson e o ômega loiro riu.

— Nem pensar, podem experimentando tudo! — disse autoritário.

Demoraram bem uma hora para degustar tudo com calma, enquanto isso Kibum e Bambam apareceram no restaurante dos pais de Jongdae onde acontecia a prova do cardápio.

— Já terminaram? Vamos provar as roupas! — falou Bambam animado.

— Mas a gente já provou antes de ontem! — reclamou Mark e Key revirou os olhos.

— Exato, fizemos os ajustes, vocês precisam provar para ver se está realmente tudo ok e depois disso vamos para o salão fazer o ensaio geral.

— Meu Deus do céu! — bufou Jackson, mas sorriu. — Será que estaremos vivos até sábado?

— Ahh mas vão estar sim! — assegurou Bambam e todos riram.

Parecia uma maratona intensiva, nem quando todos se desdobraram para a gincana do ano passado, houve tanto estardalhaço quanto o que acontecia para a preparação do casamento Markson.

O salão estava cheio de gente, padrinhos, pais, noivos, todos animados para o ensaio, havia uma mini recepção que os pais dos noivos fizeram questão de providenciar para o ensaio, então lá estava Baekhyun se servindo da generosa mesa com quitutes.

— Sai pra lá, Bae, deixa esse salgadinho de queijo pra mim também. — ralhou Taemin rindo.

— Estou comendo por dois aqui, meu jovem, a preferência é minha.

— Sabem, eu não teria tanta certeza assim de que você é o único aqui, Hyunie. — Jonghyun piscou para os dois ômegas e Baekhyun berrou.

— Não brinca com isso, Jong! — se alarmou o ruivo e Taemin ficou com cara de ué.

— Shhh, quer que o Bumie brote aqui? — falou o lúpus tampando a boca do Byun.

— Do que estão falando? — perguntou Taemin irritado.

— Nada em especial, Tae, vamos comer? — desconversou Jonghyun e olhou para Baekhyun que seguiu com o teatro deixando Taemin completamente desconfiado.

Quando os três fizeram seus pratos generosos foram em direção à mesa que seria deles no dia da cerimônia, era uma enorme mesa redonda onde comportaria um terço dos padrinhos e lá estavam Kibum, Bambam, Luhan, Sehun, Jinki, Amber, Henry e Minho conversando.

— Cadê o resto do povo? — perguntou Jonghyun entregando um prato a Kibum que lhe agradeceu.

— Eles acabaram de chegar. — respondeu Luhan apontando para porta.

Lá estavam, Minseok, Jongdae, Kyungsoo, Jongin, Zitao, Suho, Kris, Lay e Zhoumi passando pela porta

 — Mimi, Juma!!! — Mark atravessou o salão indo até os recém chegados e abraçou com carinhos os dois mais velhos. — Achei que não conseguiriam vir ao ensaio.

— Estarei com a agenda vazia até seu casamento, Mark. — comentou Suho. — Bambam já me deixou a par do tanto de coisas que preciso fazer, estarei tão atarefado quanto os noivos. — riu-se o ômega que agora estava com o cabelo loiro.

— Eu também ficarei por aqui. — sorriu Zhoumi.

— Que bom te ver também, Mark. — alfinetou Kyungsoo e o rosado riu.

— Desculpem meninos, que bom que vieram, vamos começar o ensaio? — falou o Tuan enquanto cumprimentava todos e finalmente foram para fora do salão.

A propriedade escolhida por Bambam era uma majestosa mansão, localizada em um condomínio fechado, o lugar era imenso e requintado numa arquitetura moderna que moldava a grande casa com paredes de concreto armado e muito vidro. Mas a cerimônia seria celebrada na área externa, aproveitando o verão que se fazia presente e dentro da sala da mansão - que mais parecia um gigantesco salão - ficariam as mesas para a festa. Essa nova ordem exigiu um remanejamento de tudo que Bambam e Key haviam organizado, porque inicialmente a cerimônia seria no salão, contudo, a boa previsão do tempo não permitia argumentos que sustentassem a chance de desperdiçar a linda vista que o vasto jardim do lugar oferecia.

O casamento seria a tarde e a piscina estaria livre quando a festa começasse, dessa forma todos receberam um aviso em seu convite de que poderiam levar roupas de banho, caso quisessem.

— MEU DEUS O QUE É ISSO?? - berrou uma ômega parente de Mark e muitos no salão gritaram também com o susto.

— Calma gente, esse é o nosso bebê, Garfield. — disse Mark sorrindo ao ver o felino que Jackson adotara no passado como seu animal. — Taemin, acha que consegue entrar com ele?

— Nhaaaa ele é tão lindinho. — o ômega platinado já se aproximava do leopardo quando Minho e Jinki o acompanharam. — Estava louco pra conhece-lo, seus papais falam muito de você, Garfield.

— É seguro? — perguntou Onew.

— É sim, ele é adestrado e manso. — assegurou Jackson vendo seu mascote se assanhar com Taemin que tinha medo nulo da enorme fera.

— Você vai guia-lo, Tae. — falou Bambam conferindo as anotações numa pasta. — E vai "cuidar" dele durante a cerimônia, mas não se preocupe, o senhor Lyon estará por perto sempre, ele é o cuidador do Garfield. — informou o ômega apontando para um alfa perto deles que acenou discreto.

— Sem problemas! — respondeu Taemin contente.

O ensaio seguiu sem grandes problemas e logo todos estavam desfrutando da generosa recepção que os Wang e Tuan organizaram.

— Acho que estamos cheios de novidades, não? — maliciou Bambam quando juntaram as mesas, Yugyeom ao seu lado sorriu, o alfa chegara mais tarde devido ao estágio.

— Sei nem por onde começar… — falou Baekhyun e todos o olharam. — Eu e o Chanie vamos nos casar!

Pronto, a mesa foi só o caos de exclamações e comemorações.

Nem Chanyeol, nem Baekhyun sabiam bem como as coisas funcionariam e, antes disso ainda precisavam visitar os pais do ômega. Aproveitando essa visita, Kyungsoo iria junto com Kai para oficializar seu relacionado perante os pais e matar de vez o senhor Byun que até então não sabia nem do relacionamento dos filhos, mas agora aguentaria a notícia de um namoro, um noivado e um novo integrante para a família. 

— Bem, é óbvio que já sentiram, mas só pra ressaltar, eu fui marcado. — falou Taemin animado e todos quiseram saber como o ômega havia aguentado dois alfas lhe marcando. — Eu não faço ideia. A gente acredita que tenha dado certo porque eles me marcaram ao mesmo tempo e por ter acontecido isso, meu cio foi interrompido. — completou o platinado enquanto mostrava para os amigos curiosos a suas marcas que ainda cicatrizavam.

O cio ser interrompido com a marca era algo mais que normal, pois o cio só existia por dois motivos, procriação e conexão de lobos pela marca. Essa ideia toda fez Jonghyun rir soprado e chamar a atenção de Kibum que com muito mantra e pedidos do lúpus estava se controlando naquela situação para não voar no pescoço dos primos.

— Que foi, Jongie? — sussurrou no ouvido do maknae que se arrepiou.

— Ah, é que no caso do Tae, foram dois coelhos numa cajadada só, né? — comentou o lúpus distraído e arregalou os olhos em seguida sem coragem de encarar o, agora, noivo.

— KIM JONGHYUN, ME EXPLICA ISSO DIREITO!!! — ameaçou Kibum e todos tiveram sua atenção tomada para o casal.

— Eu queria dizer, gente, que eu e o Bumie estamos noivos! — falou o alfa mais que de pressa.

— O QUÊ?! — metade se pronunciou.

— Não sabia nem que namoravam! — exclamou Luhan sem entender nada.

— E não namoravam. — comentou Minseok. — Só se pegavam, eu acho, ou tô errado?

— Não, não está! — falou Kibum impaciente. — A gente passou o cio do Jongie juntos, depois disso não fez mais sentido não estarmos juntos, somos almas gêmeas e as coisas caminharam naturalmente, mas a gente realmente não tinha um título, só que isso não pode ficar assim já que o Jongie é o herdeiro do conglomerado Kim. — Kibum tomou um ar, pois falava rápido. — Ele vai estar com mil pessoas em cima querendo saber tudo sobre a vida dele, ainda mais depois do casamento Markson, que vai contar com muita gente importante.

— Pera, tô confuso. — falou Jongdae. — O Jong não foi anunciado, porque vai ter atenção nele?

— Porque ele já tem sido visto com o senhor Gongyoo por aí, tanto ele quanto a Amber, vocês acham mesmo que os repórteres não sabem de nada?! — questionou Kibum retoricamente. 

— Era para o meu avô anunciar sobre mim essa semana, mas pedi que esperasse, de qualquer forma, como eu escolhi assumir o meu posto como herdeiro não posso simplesmente namorar sem responsabilidades. Não é como se eu quisesse outra pessoa pra minha vida e tals, mas preferi oficializar um noivado com o Bumie pulando a fase de namoro para que ao saberem de mim, também vejam que já tenho alguém. 

— Awwwwwnt!!! — Zitao, Baek, Tae e Henry exclamaram juntos.

— Não é tão mil maravilhas assim, meu avô já nos disse que o Bumie será tão vigiado quanto eu e vai ser uma baita pressão em cima dele. — comentou Jonghyun ligeiramente chateado e Key pegou sua mão.

— Como se eu não fosse suportar, né?! Eu sou o todo-poderoso Key, meu amor! — falou o ômega colorido e geral percebeu a linda aliança na mão do casal. — Mas isso não vem ao caso, Kim Jonghyun!

— Céus… — resmungou o lúpus. — Eu não sei de nada.

— SABE SIM!!! 

— Sabe o que? — perguntou Minho rindo do show do ômega e Kibum lhe lançou um olhar mortal.

— Ele sabe que vocês serão pais! — acusou Kibum.

— O QUÊ?! — falou geral juntos. 

— Porra Bumie, tinha que falar do nada? — choramingou o lúpus e recebeu um tapa ardido. — Credo, não tá mais aqui quem falou.

— Quem não vai estar mais aqui são esses alfas safados!!! — sibilou Kibum perigosamente. — Eu não quero nem saber, depois do casamento vocês vão imediatamente encarar o tio Shindong! Ele vai ter um AVC!

— Taemin, Tae… tá me ouvindo? — perguntou Jinki ao lado do namorado que não tinha reação alguma. — Meu anjo, fala comigo!

A mesa ficou tensa em meio àquela onda de informações e a falta de reação de Taemin fez Kibum se preocupar querendo ir até o amigo, mas foi impedido por Jonghyun que o segurou firme perto de si, quase recorrendo a usar sua voz de comando para controlar o colorido.

— E-eu Na-não sei o que fazer. — falou finalmente o ômega platinado e começou a chorar desesperado. — C-como isso foi a-acontecer?!

Todos ficaram quietos enquanto acompanhavam a cena, mas Jinki respirou fundo e olhou para Minho que estava tão perdido quanto o ômega.

Por mais que os primos não compartilhassem marca alguma, Taemin parecia servir de ponte conectando os sentimentos dos primos que dentro de si podiam distinguir duas ligações.

— Se acalmem, ok? — Jinki chamou a atenção dos namorados. — Vamos nos sair bem, eu estou terminando a faculdade e já tenho propostas de emprego, semestre que vem o Minho já poderá assumir oficialmente seu cargo como técnico auxiliar no clube de futsal de Seul onde ele é estagiário, o Tae poderá continuar a faculdade, mesmo que talvez tenha que sair do teatro por conta da gestação, sei que se recuperará rapidamente e entrará de novo, porque você, meu bem. — Onew passou a mão delicadamente no rosto do platinado que soluçava baixinho prestando atenção no namorado. — É forte e guerreiro, você ainda tem muito o que conquistar e nós vamos estar com você o tempo inteiro! 

— É, Taeminie, não vai te faltar nada, nem pra você nem pro nosso ou nossa pequena. — falou Minho tão emocionado quanto o ômega e Jinki.

— E-eu amo vocês… — Taemin disse e voltou a chorar, só que dessa vez de alívio e sorriu para os namorados.

— Nós estamos aqui também, Tae. — falou Baek choroso. — Vamos cuidar dos nossos bebês juntos!

— E nós vamos estragar o bebê de vocês juntos! — exclamou Jonghyun erguendo os braços e sentiu um aperto no coração olhando imediatamente para Kibum que se levantou e foi até Taemin.

— O que foi omma? — perguntou o ômega platinado confuso.

— Me perdoa, Tae, eu quase estraguei a noite por causa do meu ciúmes e proteção exagerados, é que, eu tenho tanto medo, sabe? Eu sempre cuidei de você, aí esses dois surgiram e de repente você não precisa mais de mim, me desculpa… 

— Hey, quem disse que não eu preciso? — Taemin falou rindo. — Você me conhece melhor que eu mesmo, quem você acha que vai precisar me ajudar com tudo quando os meninos não estiverem por perto? 

— E-eu…. de qualquer forma me desculpem, por quase matar o clima de festa, o casamento é sábado e eu devia ter deixado as coisas quietas. — falou o colorido sentindo Jonghyun lhe abraçar pela cintura.

— Mas acabou dando com a língua nos dentes. — brincou o lúpus. — Vamos voltar para o nosso lugar e continuar com as novidades, huh? — falou o maknae levando Key até sua cadeira.

— Isso quer dizer que não quer mais nos matar? — perguntou Jinki sorrindo.

— Jamais! — Key respondeu sério e os primos engoliram a seco.

— Certas coisas nunca mudam, não é mesmo? — riu Kyungsoo.



 

[...]


Notas Finais


E aê o que acharam?!?

Minha nova fic [ JongTae] :https://www.spiritfanfiction.com/historia/um-quarto-de-voce-17232559

Pra quem não entendeu nada do Garfield:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/nem-tudo-e-como-o-planejado-abo-15430454




s2

Até breve.

Bjos de Luz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...