1. Spirit Fanfics >
  2. Nem tudo que reluz é ouro >
  3. Proposta

História Nem tudo que reluz é ouro - Capítulo 373


Escrita por:


Capítulo 373 - Proposta



Agatha


Me encontro agora em uma montanha de papéis , são requisições , relatórios para aprovar e alguns meus para preencher . Quem pensa que comandar é só dar ordens e participar de vez em quando está muito enganado , isso inclui meu eu do passado .

Posso afirmar seguramente que luto mais contra a burocracia ou "burrocracia" em alguns casos . Porque dificultar tanto certas coisas ? O caso da Verônica é um exemplo disso . Nós tínhamos quase certeza , Lilian também mas ninguém podia provar o envolvimento dela no problema e isso nos atrapalhava. Investigamos mesmo sem permissão até onde pudemos e não deu em nada . O mais irônico ou estupido de tudo é a forma como alguns nobres tratavam o problema , isso , ignorem os avisos da vidente, chamem ela discretamente de doida pra no final assistir tudo que ela avisou se realizando. Eu , definitivamente, não tenho paciência pra lidar com eles . Por isso a quando a quando as negociações são trabalho da Leah  muitas vezes , minha fiel braço direito , ou passo diretamente pra Mal , ela e o Ben agora cuidam de boa parte dos assuntos do reino.

Esfrego as têmporas buscando paciência assim que puxo da pilha outro papel desagradável , temos mais um engraçadinho aprontando no time .

Outra parte do comando é ter que lidar com casos assim , quando a terceira advertência é dada e mesmo assim o sujeito não se toca sobra pra mim a conversinha carinhosa . Haja paciência , às vezes adultos podem ser piores que crianças .

Ouço passos , já sei até quem é o sujeito.

- E aí Agatha ? - ele me cumprimentou com tanta casualiadade que me incomodou . Ele é meu amigo ? Sim mas lá fora - acho que eu tenho que carimbar isso aqui - eu preferi pensar que interpretou mal a situação , melhor assim , tenho mais tolerância a burrice que desobediência .

- Tell , senta - apontei pra cadeira a minha frente - preciso conversar contigo antes .

- Tá - sentou todo torto , aí que raiva.

- Eu recebi esses relatos da Leah - mal comecei e já fica cara feia , tá com fome por acaso ? Como minha língua coçou pra falar - você chegou atrasado nos treinos de manhã  três vezes na mesma semana , já houveram outros avisos verbais , o que está acontecendo ? - tentei sem o mais educada possível , ouvir o lado dele e depois falar .

- É difícil acordar cedo e agora com a faculdade estou indo dormir mais tarde - ele falou o discurso pronto de todo dia , eu sei que é puxado mas não dá pra perder a hora tantas vezes sem esperar nada .

- Imagino que está puxado, vou conversar com os superiores a respeito mas eu preciso que você fique nesse horário por enquanto.

- Eu estou tentando mas não dá , estou morto - Rebateu ele - será que você não me consegue a liberação dos treinos de manhã ? - a Pergunta dele não foi tão surreal assim mas eu já tive outros pedidos e recusei , ele é meu amigo , tem um motivo mas não posso passar por cima dos meus superiores pra lhe dar uma ajuda .

- Eu vou ver o que posso fazer mas amanhã preciso que esteja aqui no horário , pra falar por você e ter voz.

- Não podem simplesmente me dar uma tolerância maior ? - ele continuou argumentando - até parece que uma hora ia fazer tanta diferença .

- Tell nós cuidamos da segurança , cinco minutos podem fazer muita diferença  - fiz o possível pra explicar meu ponto de vista já recebendo um bico de resposta . 

- O que que custa quebrar o meu galho? - ele me perguntou indignado ,eu o fuzilei com o olhar, acho que ando calma demais .

- Custa que temos regras e elas são pra todo mundo - argumentei já perdendo a paciência .

- Não é todo mundo que aprende na velocidade da luz não - foi sarcástico  - gente normal estuda.

- Se eu fosse você melhorava o tom que usa comigo ou essa conversa vai acabar mal - ameacei já anexando uma anotando na ficha dele .

- Achei que fossemos amigos - ele falou com raiva nos olhos.

- Somos amigos lá fora, aqui é comandante para você cadete - nesse momento fui ríspida sim , a situação pedia por isso - não misture as coisas - o encarei com seriedade - esteja aqui na hora ou vai perder o dia , simples assim .

- Entendido e obrigado - fez a saudação - Algo mais comandante  ? - Ele Perguntou seco porém sem sair do padrão .

- Dispensado - me igualei no tom e o vi partir .

Quando a porta fechou tive um respiro breve , os papéis não se preencherìam sozinhos . Para minha alegria e contentamento houveram outros casos para lidar , dali em diante eu fui breve sem dar muita margem pra argumentações .

No fim do expediente , do meu porque os outros já tinham ido embora ou partido em patrulha , deixei aquele escritório exausta mentalmente , quem observa do lado de fora provavelmente desconhece o quão cansativos podem ser esses papéis ou o quão pesado é meu distintivo.

Ver Oliver me esperando melhorou um pouco meu dia , me perguntei se tínhamos combinado alguma coisa porque eu francamente não lembro .

- Como foi o trabalho ? - Ele perguntou como faz sempre .

- Razoável - Respondo um pouco sem ânimo mas sem querer reclamar - e o seu ?

- Terminei de preparar a apresentação - ele relatou - estamos adiantados essa semana.

- Que bom - tentei passar emoção mas vou um desastre , saiu a beira do sarcasmo .

Nós sentamos a mesa de uma cafeteria que me parece famíliar mas eu não pude reconhecer totalmente .

A conversa tomou um rumo casual , eu fui aos poucos conseguindo interagir melhor , digerindo o estresse .

No meio de tudo viu uma expressão mais tensa da parte dele . Eu temi que a minha falta de expressão fosse causar uma briga e sabia muito bem que não poderia lidar com algo assim .

- Eu sei que talvez o mundo adulto não seja aquela maravilha que nós imaginamos um dia - ele segurou minha mão entrelaçando seus dedos nos meus - ainda que não vivamos em um sonho - Oliver fechou a outra mão a pressionando um pouco sobre a mesa - você realizaria o meu ? - Quando ela se abriu  havia uma caixinha azul claro , eu arregalei os olhos e fiquei sem ar , sem palavras isso , era real , será que eu dormi na sala de comando ? Porque de tudo que eu esperava um pedido de casamento não fazia parte das expectativas daquela noite - senhorita Westengard , casa comigo ?

- Mas , mas é claro que sim ! - disse com lágrimas nos olhos , ao descer da cadeira e contornar a mesa ele fez o mesmo e nós nos beijamos apaixonadamente ali , no meio do restaurante. Os problemas e tudo ao redor sumiram repentinamente.

Ouvi Aplausos , comemoração de estranhos e até fui felicitada por alguns. Meu ruivinho colocou o anel em meu dedo , eu o dele .

De repente me surge um rosto conhecido, era Penélope com um avental com um rosto tão choroso quando o meu.

- Meus parabéns aos noivos - ela me abraçou apertado e depois apertou a mão do Oliver .

Eu não conseguia parar de chorar de felicidade, ele sorria bobo e acariciava minha mão com o polegar .


Noah 


Hoje foi um dia definitivamente peculiar e pode se dizer nostálgico . A quanto tempo não sinto um frio na barriga diretamente ligado ao meu relacionamento ? Acho que desde que  decidimos tentar em um lugar diferente.

Nós já estávamos decididos a nos casar faz tempo mas eu queria fazer direitinho , um pedido formal com anéis e surpresas, ainda não sejamos exatamente tradicionais nesse ponto mas quero muito criar uma bela lembrança para nós dois. Claro, a nosso modo . 

Passei a tarde refletindo a respeito , como ser original e misterioso ? 

Depois de muitos planos não realizados eu vi a solução caída no chão , como não pensei nisso? 

Havia uma de nossas bússolas espatifadas no cantinho da sala com um monte de peças pra fora . A montei rapidamente pela prática inserindo os anéis onde couberam, fechei e deixei em cima da mesa . Conhecendo minha cientista mega cuidadosa vai dar certo .

Foi uma tentativa certeira, ela viu , ligou pelo hábito e percebeu algo diferente .

Kayla abriu a bússola para ver o que havia de errado , com uma chave de fenda entre os dedos , aguardei no canto da sala quase a ponto de uma crise de ansiedade .

- Acho que isso vai resolver mais de uma questão - falei logo que ouvi um tilintar da tampa abrindo, segundos antes do sorriso dela - eu sei que já te pedi antes mas - andei até ela querendo pular a cena igual a gente faz com npc pelo menos uma vez , todo mundo faz , por nervosismo nesse caso - Kayla , casa comigo ? - Disse ao pegar a bússola sutilmente da mão dela e retirar os anéis dali ao mesmo tempo que ajoelhei no chão .

- Isso foi tão , tão incrível Noah! - ela parecia uma criança vendo o circo pela primeira vez - eu caso sim - disse chorando e logo depois pulou mim.

O sim , ele sempre esteve lá , mas ter ansiedade é perguntar a si mesmo de vez em quando " o que pode dar errado?" E uma vozinha surgir dentro da sua cabeça respondendo " que bom que perguntou " e dali todo tipo de ideias aparecem , das racionais às ilógicas  tipo ter medo de ser atacado por uma vaca na cidade. 

A confirmação dela  nossa troca singela de anéis seguida de beijos ternos e abraços foi o calmante , levou embora tudo de inquietante nos meus pensamentos .




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...