1. Spirit Fanfics >
  2. Neon Bar >
  3. Capítulo Único

História Neon Bar - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Arte de @EndergirlD {Twitter}

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Neon Bar - Capítulo 1 - Capítulo Único

~°•♧ Autora ♧•°~


 A música ouve-se fora do estabelecimento em que se origina, tão alta, sente em sua pele as vibrações da própria um trap americano pesado, para os estadunidenses esses traps são o mesmo que o funk brasileiro, uma grande quantia de pessoas em um só lugar algumas bebendo outras dançando sensualmente, e as sem noção que quase estão iniciando uma transa no meio da multidão, sinceramente odiava lugares assim sem ter um parceiro por perto, como se fosse vela de desconhecidos. Texas o chamou para se divertir depois de um dia cansativo de uma reunião de 5 horas, mas para o descendente asiático não tem nada de divertindo em um Neon Bar em Austin.

São Paulo tinha outros planos em mente, ficar em casa assistindo Netflix era um deles, e o “era” é uma ótima palavra para usar em certo momento, mas de tanta insistência do amigo aceitou se assegurando de que não iria transar com ninguém, seja lá quem fosse. Texas atualmente está flertando com um garoto que, por conta das luzes coloridas especialmente o roxo, não soube identificar o seu rosto, chuta ser Califórnia ou Moscou.

São Paulo por outro lado está em seu canto bebendo um copo recém cheio de vodka com gelo e o mesmo recipiente com o álcool se encontra escorrendo por sua temperatura, enquanto bebe fica sentado frente ao balcão de drinks observando o “filme” do texano. Exausto, isso é o que sente enquanto tenta forçadamente continuar nesse lugar com o aroma de algum tipo de droga, maconha provavelmente.

Enfim levantando-se para ir embora, encontra o que será seu mantimento no local. Um garoto de 19 anos aparente dançando sem se importar com os olhares dos outros, em seu ciclo de movimentos sua cintura se desloca do lado pro outro sua calça jeans preta colada é alvo de olhares que se direcionavam a sua lua perfeitamente redonda, em sua mão esquerda segura um copo contendo uma bebida marrom não sabe dizer qual que é.

Quem é esse garoto você deve se perguntar... Paraná, o paulista se surpreende em ver o mesmo em um lugar como aquele, pois o paranaense sempre dizia que odiava lugares assim, mas também o de olhos verdes sempre é uma quebra de expectativas, o brasileiro olha para o centro das atenções da festa, recebendo dos outros tanto quanto elogios e tanto quanto críticas de invejosos, se orgulhava de ser o primeiro estado a conhecer, o que na época era a inocente Província do Paraná, e crescer junto do garoto, logicamente também está mais que certo que tem um certo desejo pelo corpo do jovem de cabelos castanhos claros, sabe-se que o paranaense não é nem um santinho, já ate tiveram noites eloquente antes inclusive foi ele mesmo que tirou sua virgindade. São Paulo não se segura mais um segundo e vai em direção ao jovem. Dá leves puxadas na blusa de Paraná fazendo se virar e ter toda a atenção voltada para si.

- Topa beber comigo? – Perguntou com o tom de voz elevado olhando diretamente nos olhos verdes.

- Pode ser. – Respondeu, e foi direto para o mesmo lugar em que esteve antes, só que agora está acompanhado e sendo puxado pela gravata para o mesmo local, com possíveis futuras e prováveis intenções.

Em um gole o paranaense bebe toda sua bebida, sendo atendido pelo Garçom pedindo para encher seu copo com whisky e mais um gelo, pois já esta derretido os antigos. Logo após receber seu pedido o esverdeado se aproxima mais do paulista e realizar um certo ato que já desmascara o seu plano, parece que não é o único com segundas intenções. Um tempo já passado o clima entre ambos permanece fervente, conseguiram sair da conversa inicial sobre o que se trada a reunião de mais cedo e agora estão em assuntos que remetem a sexo, por um leve descuido do moreno de cabelos negros como carvão o garoto a sua frente descobriu a sua promessa e intenção também.

- Hum, nem parece que foi você que conseguiu me contradizer sobre minha promessa de “não vou sentir vontade de transar com ninguém”. – No mesmo instante que disse tal frase quis voltar no tempo para concertar o que disse. Mas olhando para Paraná vê um sorriso malicioso em seu rosto.

- Você descumprindo uma promessa, e eu sou o causador disso, estou me sentindo especial. – Brincou com suas palavras.

- Mas se você quiser sexo não vejo problema em fazer. – Provocou pegando novamente na ponta de sua gravata e inclinou-se para perto de sua região auditiva.

- Eu também tinha prometido que não faria sexo hoje, mas duas pessoas me fizeram mudar de ideia. – “Duas pessoas”? Quem seria o outro arrombado que fez o garoto athleticano mudar de ideia, bom não importa desde que seja ele na cama se esquentando com o quase ruivo.

São Paulo agarrou o braço de Paraná e o puxou para uma cabine no bar, iria pagar para o dono depois mesmo então vamos aproveitar a noite.

Jogou o paranaense brutalmente na cama, trancou a porta logo vai ao móvel em que o outro foi jogado se encaixando entre suas pernas e a assim a brincadeira da noite começa. Inicialmente com um beijo bruto de luxúria percebe-se que ambos estão necessitados de sexo a tempos principalmente o sulista que inicia provocando o ativo dando uma forte pegada em seu membro já endurecido, fazendo o paulista grunir de prazer, se separam do beijo por culpa da maldita falta de ar voltando para o beijo após se recuperarem da falta de ar.

- Você ‘tá bem apressadinho né. – Pergunta em uma das rápidas pausas para respirar.

- Eu ‘tô carente de sexo. – Responde enquanto passa sua mão por de baixo da camisa do burguês.

- Então vim em uma hora boa. – Pergunta na clara intenção de provocar.

Paraná não responde apenas empurra o asiático trocando as posições sentando-se em cima de São Paulo, o descendente japonês tem certeza de que essa será uma noite muito quente, sem descanso e muito violenta. 




Notas Finais


Perdão pelos erros de Português
~°•♤Espero q tenham gostado ♧•°~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...