1. Spirit Fanfics >
  2. Nephilin >
  3. Tentando Socializar, E Não Está Tão Difícil Assim

História Nephilin - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Olá olá!! Finalmente consegui terminar de escrever o que eu queria pra esse capitulo, ufa! 😩😤
Bom, eu não tenho muito o que dizer sobre ele, apenas que eu me diverti nele mais do que eu esperava 🤔
Enfim! Vocês ficaram uma semana toda sem capítulo novo! 😱😱 Me desculpem por isso 🥺🥺🥺
Mas aqui está a continuação! Espero que gostem ❤️✨✨
Vão ler!
Xô!

Capítulo 7 - Tentando Socializar, E Não Está Tão Difícil Assim


Derek ergueu o olhar do chão ao ouvir o som do motor do jeep, e viu o carro azul entrar no estacionamento do Arcade. Com seu coração batendo mais rápido, ele tentou arrumar sua postura, olhando rapidamente para suas roupas, tentando achar qualquer sujeira que tenha misteriosamente surgido enquanto ele estava parado contra seu carro esperando os dois adolescente chegarem. Não achando nada, ele voltou a observar Stiles e Erica sairem do jeep. Os dois amigos discutindo em voz baixa sobre alguma coisa que Derek não podia distinguir, enquanto Erica tentava arrumar a gola da camisa azul e cinza xadrez que Stiles usava por cima de uma camiseta com o logo do Batman, porém o garoto estapeou as mãos da loira pra longe dele, fazendo uma careta, mas Erica não parecia nem um pouco incomodada com aquilo.


"Hey," chamou Stiles ao chegarem perto de Derek, passando uma mão pelo cabelo antes de colocar as mãos nos bolsos de seu jeans escuro. O olhar dele parecia indeciso, mas Derek tentou ignorar isso para abrir um sorriso pequeno na direção dele.


"Hey…" 


Os dois garotos ficaram em silêncio, com Stiles ainda meio perdido, e Derek o olhando nos olhos por alguns segundos antes de desviar o olhar para seus próprios pés meio sem jeito.


Erica que observava os dois garotos, esperou por mais algum tempo pra ver se acontecia alguma coisa, mas depois que ela percebeu que nenhum dos dois falaria nada, ela rolou os olhos, e então chegou mais perto de Stiles, dando uma cotovelada no mesmo e o mandando um olhar significativo quando este reclamou de dor e a olhou irritado.


"Heeey! Então, nós vamos ficar os três parados aqui fora como idiotas, ou o que?" Questionou Erica, já segurando os dois garotos pelo braço e os arrastando para fora do estacionamento para entrar no estabelecimento. Stiles reclamando de um lado, e Derek com os olhos arregalados do outro.


O lugar não estava exatamente lotado, já que além de ser começo de semana, ainda era o meio da tarde, então eles passaram reto da área de alimentação, e seguiram mais para os fundos onde os fliperamas e outros jogos ficavam.


Derek suspirou aliviado quando Erica finalmente o soltou para arrastar Stiles até o caixa onde eles comprariam as fichas.

O beta estava nervoso e estranhamente animado com aquilo. Ele sinceramente pensou que, depois de Stiles ter recusado seu convite para a festa de Lydia, nunca mais ele teria coragem ou uma chance de perguntar a Stiles se ele gostaria de sair junto dele para algum lugar. Quero dizer, não que Stiles esteja saindo com ele, até porque Erica também estava alí, e eles não estavam em um encontro, eles só estavam ali como possíveis amigos, o que para Derek que sempre achou que Stiles o odiava, já era algo incrível. 

Stiles não estava parecendo realmente muito animado com aquilo tudo, mas Derek iria pegar aquela chance e tentaria mudar a opinião de Stiles sobre si.

Ele se apressou até o caixa ao ver Stiles começar a tirar a carteira do bolso, e tirou sua própria, pegando algumas notas e as colocando na bancada, recebendo um olhar questionador de Stiles e um sorriso enorme de Erica. Derek sentiu seu rosto esquentar com a atenção, e desviou o olhar enquanto guardava de volta sua carteira.


"Eu pago, já que eu estou invadindo os planos de vocês dois e… é..." Se explicou Derek ao dar de ombros meio sem jeito, perdendo a cara imprecionada de Stiles e o aumentar do sorriso de Erica, a mesma pegando as fichas que a moça no caixa colocou em cima da bancada.


"Tão cavalheiro…" Trilhou Erica mexendo as sobrancelhas de forma sugestiva enquanto guardava as fichas nos bolsos de sua jaqueta e dava cotoveladas em Stiles ao mesmo tempo. Stiles reclamou de dor de novo, fazendo uma careta na direção da loira, antes de voltar sua atenção para Derek.


"Obrigado por isso... você claramente é mais educado do que uma certa garota loira que eu conhe-! ! Erica! Para com isso!" Reclamou Stiles ao receber mais cotoveladas de Erica, agora mais violenta.


"Olhe lá como você fala de mim, Stilinski! Eu sou perfeitamente educada!" Contestou a loira, jogando o cabelo por cima do ombro e acertando o rosto de Stiles com os fios no processo, antes de começar a andar até o fliperama mais próximo, os outros dois adolescentes a seguindo.


"Você nunca pagou pelas fichas! E ainda gasta as minhas quando perde todas as suas!" Apontou Stiles, surpreendendo Derek ao segurá-lo pelo braço de forma firme, tirar Erica da frente da máquina ao empurrá-la com o quadril, e colocar Derek no lugar dela. O beta o olhou de olhos arregalados, ignorando Erica que reclamava enquanto se recostava a máquina. "Como você comprou as fichas, nada mais justo que você começar!" Apontou Stiles, soltando Derek para lutar com Erica para conseguir pegar uma ficha do bolso dela e colocar na máquina.


Derek finalmente focou no fliperama, e viu que era Metal Slug o jogo. Fazia muitos anos que ele não jogava aquilo, mas ele queria ir bem no jogo, até porque Stiles estava logo ali, assistindo tudo o que ele fazia...


O beta sentiu sua vergonha voltar com a força de um trem em cima dele, e um fio de dúvida começou a se enrolar em seu estômago.

Stiles estaria olhando tudo o que ele fazia! E se ele fizesse algo estranho? Não que Derek ache que ele faz coisas estranhas, ele não faz, mas… e se ele fizer? Ou então… e se ele tropeçar enquanto anda? Ou andar de uma forma estranha? Ou perder na primeira fase do jogo? Ou não conseguir jogar porque ele sabe que Stiles está logo ali olhando tudo!?

Okay, calma… Derek precisava relaxar. Então ele respirou fundo uma vez, de forma discreta, enquanto Stiles e Erica discutiam sobre o recorde da máquina e a música de abertura do jogo tocava.


"Eu- eu não sou muito bom nesse jogo… quero dizer, eu não jogo ele faz algum tempo…" explicou Derek meio envergonhado, olhando para os dois amigos pelo canto dos olhos, e tentando relembrar como os botões funcionavam enquanto ele escolhia um jogador.


Erica abriu mais um sorriso enorme antes de se afastar de Stiles para se jogar às costas de Derek.


"Não precisa se preocupar com isso, Derek! Ninguém é muito bom nesse jogo. A não ser pelo Stiles, porque ele é um nerd."


"Hey!" Reclamou Stiles com uma expressão ofendida. "Você também é nerd! E Metal Slug é o melhor jogo que já inventaram na história dos video-games!" Ele cruzou os braços e ergueu o nariz de um jeito metido. "Eu não posso fazer nada se você não consegue passar mais de três fases seguidas." Erica bufou de uma forma quase zombeteira antes de voltar sua atenção a Derek.


"Você ouviu isso? Pode uma pessoa estar mais errada?"


"Bom … Metal Slug não é exatamente ruim…" comentou Derek sentindo seu rosto esquentar de novo, e Stiles soltou uma exclamação vitoriosa ao apontar de forma brusca, um dedo na direção de Derek.


"! Eu disse! Eu sabia que você não poderia ser uma pessoa tão ruim assim, Derek! Eu sabia! E agora," Stiles falou chegando mais perto e empurrando um pouco Erica para que ele pudesse ficar mais perto de Derek, e o beta arregalou os olhos mais uma vez quando Stiles passou um braço por cima de seus ombros. "Você e eu somos melhores amigos! Porque Erica obviamente não sabe apreciar um bom jogo de verdade."


"Você só diz isso porque não consegue me vencer no Street Fighter." Apontou Erica aparecendo do outro lado de Derek, e o beta estava tentando a todo custo ignorar a aproximação de Stiles que ainda não havia tirado o braço de cima de seus ombros e agora se apoiava mais em Derek para poder discutir com Erica mais de perto.


Derek tentou muito se concentrar no jogo e ignorar a presença, o calor, o cheiro, a voz e a sensação misturada que Stiles causava em seu corpo, mas estava difícil. Principalmente porque Erica não ajudava. Ao invés dela se afastar para que Stiles também se afastasse, ela resolveu que faria um dos ombros de Derek de mesa, para que ela conseguisse conversar mais de perto com Stiles por trás da cabeça de Derek, o que apenas fez com que Stiles não saísse de sua posição, o que por sua vez, fez com que Derek perdesse totalmente seu foco para seu nervosismo e ansiedade, e perdesse a rodada ainda na primeira fase.

Erica impediu Stiles de jogar o resto das chances de Derek, apontando que se Stiles começasse, eles ficariam o resto da tarde toda ali, mas ela cedeu a ideia de Stiles ajudar Derek a passar as fases ao dar conselhos sobre quais armas usar e quando as trocar. 


De alguma forma milagrosa, o nervosismo de Derek foi passando. Ele não sabia dizer se era o jogo o que o estava distraindo, ou se ele simplesmente estava se acostumando com a aproximação de Stiles a suas costas, mas ele estava definitivamente menos ansioso, e dez vezes mais animado, até porque Stiles estava o ajudando a passar fases no fliperama!

Stiles era tão animado e empolgado, ele parecia ter se esquecido de sua desconfiança sobre Derek, e trocado isso por empolgação. Ele pulava junto quando o personagem pulava, ele apontava de forma animada pra tela da máquina e chegava mais perto das costas de Derek quando percebia que a fase estava terminando, parecendo segurar a respiração até que Derek concluísse a parte final. 


Derek ainda estava um pouco nervoso porque ele estava com medo de fazer alguma coisa ou dizer alguma coisa que faria Stiles se lembrar de que ele não gosta de Derek, mas, bom, no momento, talvez o melhor a se fazer seja aproveitar o agora.


Quando as vidas de Derek no jogo terminaram, eles passaram para a próxima máquina, e Derek se animou ao ver que era Mortal Kombat. Ele tentou não inflar muito com a expressão impressionada de Stiles quando ele venceu todas as rodadas tanto contra Erica, como contra Stiles. Ele até conseguiu sorrir mais aberto quando Stiles pediu uma revanche.


A próxima máquina era The king of Fighters, o 95. Derek preferiria o 97 porque era o que tinha os lutadores com os quais ele estava mais acostumado a jogar, mas ele também não jogava aquele jogo a um tempo, e jogar no fliperama não era igual jogar no palystation 2 que Laura tinha a alguns anos atrás, então ele não se saiu tão bem quanto no jogo anterior, mas ele não se sentiu decepcionado realmente em perder para Stiles. 


Erica aparentemente era a especialista em Street Fighter, e venceu rapidamente Derek que nunca se lembra realmente das sequências para os golpes especiais, e Stiles ao que tudo indicava não ligava muito para o jogo apesar dele gostar da animação de 1995, o que apenas fez Derek se animar mais, pois os dois aparentemente dividiam um crush no Vega. 


Eles ainda passaram pelas outras máquinas, a que eles tinham de acertar a maior quantidade de cestas, o de corrida (tanto o de moto, quanto o de carro. O de moto foi meio estranho porque a moto era pequena, mas o de carro, se Erica não tivesse entrado na frente da tela quando percebeu que Stiles perderia para Derek, o beta teria vencido dos dois.), o de dança (que Derek se recusou a jogar por aproximadamente cinco minutos, até que Stiles se virou para ele com a melhor expressão de cachorro sem dono que Derek já viu na vida), as outras máquinas com jogos de luta (Stiles definitivamente roubou de alguma forma misteriosa no Samurai Shodown, mas não tinha problema, até porque Derek havia ganhado no X-Man), e o de tática (que era o que você precisava usar uma arma como controle, e que a Erica era mestre, ela não perdia nenhum alvo e dificilmente era ferida).


No fim, ainda sobrou uma ficha que eles não sabiam realmente onde gastar, mas aí Derek viu a máquina de pelúcia quase escondida num canto, e uma coragem repentina tomou posse de seu corpo.


"Eu posso?" Questionou Derek ao estender uma mão na direção de Stiles, este analisava a ficha enquanto Erica apontava os prós de gastar a ficha no jogo de tática onde os três sabiam que só ela era realmente boa. 


Stiles ergueu a cabeça, uma expressão curiosa no rosto quando ele mudou seu olhar da mão de Derek para o rosto do mesmo. E então ele e Erica trocaram um olhar, antes dele dar de ombros, e colocar a ficha na mão de Derek.


"Você comprou as fichas," começou a explicar Stiles antes de colocar as mãos nos bolsos e rir um sorriso despreocupado. "Nada mais justo que você escolher como gastar a última."


Derek sorriu de volta, olhando rapidamente para o rosto questionador de Erica, e então dando meia volta para andar até a máquina de pegar pelúcia, os outros dois adolescente o seguindo de perto.


Assim que Stiles e Erica perceberam o destino de Derek, os dois começaram a reclamar, e Derek apertou o passo, ainda mais decidido.


"Derek, você não pode gastar sua última ficha nessa máquina! Todo mundo sabe que esses negócios só existem pra te fazer perder dinheiro!" Racionalizou Stiles de uma forma quase irritada se não fosse o tom de curiosidade nos olhos dele.


"Stiles tem razão, não importa se você tem ótimos reflexos, esse negócio não é de Deus." Apontou Erica, estreitando os olhos de forma desconfiada para Derek enquanto se recostava a máquina e olhava o beta colocar a ficha.


Derek não respondeu nada, se concentrando no que ele queria fazer, e Stiles parou ao seu outro lado, resmungando e olhando as pelúcias dentro do vidro.

Derek observou os olhos castanhos de Stiles passarem por todos os animais, até parar em um deles, e um sorriso divertido abrir em seu rosto. Ele apontou na direção da pelúcia com um dedo.


"Olha! É você, Derek! Com jaqueta de couro e tudo!"


Levou alguma segundos para Erica começar a rir, e então Derek franziu o cenho e tirou sua atenção do rosto de Stiles para as pelúcias na máquina, e depois de seguir a direção do dedo de Stiles, viu um lobo preto de pelúcia que ao invés de estar de quatro, estava reto como uma pessoa, mas ele era obviamente um lobo, com quatro patas, uma calda grossa felpuda e orelhas pontudas e peludas, um focinho comprido com uma expressão séria no rosto apesar dos olhos grandes e brilhantes, e uma jaqueta de couro igualmente preta. Até os olhos do lobo eram verdes, e Derek sentiu seu rosto esquentar ao notar isso. 

Mas tudo isso apenas o fez ter mais certeza do que ele queria fazer. Então ele apertou o botão para começar a contagem do tempo e segurou o volante para poder mexer o braço mecânico dentro da máquina.


O lobo de pelúcia estava por cima dos outros brinquedos, mas ele estava muito perto do buraco por onde você deve derrubar a pelúcia, então Derek precisava tentar não ir muito para frente ou muito para trás. Ele focou seu olhar no brinquedo e mexeu de forma cuidadosa o braço mecânico, o posicionando exatamente em cima do lobo antes de ver o braço mecânico começar a descer devagar. 

Os três adolescentes pareceram segurar a respiração enquanto o pegador de ferro chegava mais perto. E então a mão mecânica parou em cima do lobo, amassando ele junto das outras pelúcias antes de começar a fechar as garras e subir lentamente mais uma vez.


Derek soltou a respiração numa risada, relaxando os ombros enquanto Stiles e Erica comemoravam ao verem o lobo preso no agarre do braço mecânico. Erica pulava animada olhando o lobo de pelúcia chegar mais perto do buraco de saída, e Stiles dava um soco no ar de forma empolgada, sorrindo como se ele próprio tivesse conseguido pegar o lobo de pelúcia.


Derk se abaixou para pegar o lobo quando este apareceu na saída da máquina, e se levantou com um sorriso vitorioso, ignorando as mãos estendidas de Erica em sua direção, para oferecer a pelúcia para Stiles.

Stiles pareceu surpreso, e até mesmo a risada de Erica parou por um momento. 

Derek sabia que ele estava corando, e seu coração não poderia estar batendo mais forte, mas ele estava animado, e seu sorriso se recusava a diminuir. Ele olhou Stiles nos olhos, e mexeu um pouco a pelúcia para chamar atenção para o brinquedo em suas mãos.


"Pra você, por ter me convidado…" 


Stiles ainda o olhou surpreso por mais um tempo antes de mudar o olhar para o lobo de pelúcia nas mãos de Derek, e seu sorriso voltou a aparecer antes dele pegar a pelúcia de forma cuidadosa para a olhar mais de perto.


"Obrigado…" agradeceu Stiles, alisando a jaqueta do lobo de pelúcia e acariciando de forma delicada uma das orelhas pontudas.


Então talvez Derek tenha ficado um pouquinho nervoso no começo do passeio deles, e perdido algumas chances de puxar uma conversa com Stiles, como os olhos ameaçadores de Erica gritavam para ele fazer, mas ele não acha que foi de todo perdido a tarde deles. Ele conseguiu passar tempo com Stiles como um felizmente futuro amigo, coisa que ele nunca pensou que aconteceria depois do desastre que foi o encontro deles quando ainda crianças, Derek também descobriu mais coisas sobre Stiles, como por exemplo, a forma com que ele se foca tanto no jogo quando está tentando ajudar alguém que parece que ele está sentindo a dificuldade do outro, e como ele parecer não conseguir realmente ficar muito tempo parado, sempre mexendo as mãos e trocando o peso de uma perna para a outra, ou então a forma com que os olhos dele brilham quando desafiado a alguma coisa, e Derek também não pode esquecer da forma com que o outro adolescente aparentemente não consegue ficar quieto, sempre comentando ou resmungando alguma coisa; Derek sempre achou que Erica era a falante e que Stiles era o mais quieto, mas aparentemente, Stiles só precisava se sentir mais confortável para começar a falar mais, e ele e Erica simplesmente não se calavam. E Derek pensou que isso o deixaria irritado ou algo do tipo, mas no fim ele só achava tudo aquilo cativante. Ver Stiles discutindo e brigando com Erica era como assistir a si mesmo e Laura num dia normal, só que mais amigável e com menos garras. Eles se tratavam como irmãos, e Derek gostava de saber que Stiles tinha alguém assim na vida dele.

Os três decidiram comer alguma coisa na área de alimentação antes de ir embora, e então eles seguiram até lá, com Stiles na frente, sorrindo para o lobo de pelúcia em suas mãos e pensando em voz alta qual nome ele deveria colocar no lobo, enquanto Derek e Erica seguiam mais atrás.


Erica chegou mais perto de Derek de forma discreta antes de o empurrar de forma amigável com um ombro. Derek mudou seu olhar focado no rosto de Stiles, para baixo, encontrando o sorriso satisfeito de Erica, e as sobrancelhas insinuantes dela.


Ela mexeu os lábios, formando palavras sem falar realmente nada, e Derek leu ela dizer "mandou bem, nerd", e Derek sorriu, pensando que sim, no fim, tudo deu certo.




###





Chris estava quase arrancando os próprios cabelos tentando entender o que raios estava acontecendo naquela cidade.


Ele achava que ele estaria fugindo de seus problemas quando resolveu se mudar para Beacon Hills com sua filha logo após se despedir de seu pai, este que estava em seus últimos dias de vida no hospital, e não queria seus filhos por perto o vendo morrer cada vez mais a cada dia que se passava. Mas parece que o problema seguiu ele pra lá.

Primeiro, uma semana depois de sua mudança, o médico de seu pai o liga avisando que Gerard havia morrido, e o corpo seria cremado como foi decidido entre eles enquanto seu pai ainda estava vivo e lúcido. E então sua irmã surgindo do nada na cidade e pedindo para ficar por um tempo na casa dele, e então um belo dia quando ele e sua irmã vão participar de uma reunião com a Alfa Hale, Chris descobre que sua irmã, aparentemente estava possuída. O que, bizarro. Mas enfim, aconteceu. E como se isso já não fosse o suficiente, um dos adolescentes na cidade aparentemente consegue exorcizar demônios e emitir luz como se ele fosse um enorme farol com duas pernas encaminhando demônios de volta para o inferno ou sei lá para que lugar essas coisas iam. E aí quando Chris resolve pesquisar para tentar entender o que está acontecendo, ele descobre que alguém mexeu em seu Bestiário e de alguma forma milagrosa apagou algumas das páginas e arrancou outras. As páginas arrancadas, no fim Chris às encontrou dentro da gaveta no quarto que sua irmã estava ficando, e ele descobriu que as páginas explicavam como exatamente você deve fazer um ritual para chamar um demônio, e como escrever um contrato para criar o pacto. Chris obviamente ficou horrorizado ao ver que o demônio em específico que Kate havia invocado, era um demônio comedor de almas humanas, o que, pra ser bem sincero, explicava as mortes que aconteceram por um tempo na cidade depois que sua irmã chegou. Mas enfim, aparentemente, Kate não estava mais possuída, e o demônio estava literalmente nos quintos dos infernos. Infelizmente, ou não, Chris ainda não tinha certeza, sua irmã não saiu ilesa de seu exorcismo. A luz que saiu do corpo de Stiles queimou a retina dela, e Kate também havia se trancado dentro de sua própria mente, tendo acessos de raiva aleatoriamente, e resmungando sobre “decepção” e “família”. 


A psicóloga no caso de Kate, dizia que ela sofreu um choque muito grande com o acidente que ela sofreu (Chris teve de inventar uma história sobre uma lâmpada explodindo muito perto dos olhos dela, o que obviamente os médicos não acreditaram muito até porque não havia resquício nenhum de vidro nos olhos de Kate, mas ninguém tinha uma ideia melhor do que poderia ter acontecido), e isso a fez regredir para dentro dela mesma. O que obrigou Chris a enviar Kate para uma casa de tratamento fora da cidade, onde Kate teria o cuidado que ela precisava e pessoas atendendo ela 24 horas por dia. Não que Chris tenha ficado muito triste quando percebeu que teria de manter Kate longe… Então

Depois de perceber que não descobriria muita coisa com o Bestiário, Chris foi tentar investigar mais sobre Stiles, o tal exorcista luminoso, e descobriu que a desgraça era o filho único do xerife, o que dificultava as coisas, porém esclarecia outras. No fim ele tentou seguir o garoto pra ver se pegava ele aprontando algo estranho, mas descobriu que isso também seria difícil quando viu mais de uma vez durante as semanas que ele tentou o seguir, Derek, um dos filhos da Alfa Hale, e Erica uma das betas, andando sempre junto do adolescente para cima e para baixo pelas ruas de Beacon Hills, o que significava que se Chris chegasse muito perto, ou os seguisse demais, eles acabariam descobrindo.

E como coisa ruim nunca vem desacompanhada, Chris começou a perceber como sua filha, Allison, estava agindo estranho, parecendo mais nervosa e desconfiada que o normal. Ele até tentou conversar com ela para tentar entender o que estava acontecendo, e descobriu que Allison não estava se dando muito bem com o namoradinho dela; aparentemente ela havia começado a perceber que ele não era tão leal quanto ela imaginava. Chris obviamente viu vermelho, já planejando a morte do menino ao pensar que ele havia traído Allison, mas de acordo com Allison, não era isso, Scott era perfeitamente fiel na relação deles, era outro motivo que a estava fazendo mudar ideia sobre o tal garoto, mas ela parecia não querer entrar em detalhes. E então, aproveitando a deixa, Chris resolveu perguntar para Allison sobre Stiles, já que eles estudavam na mesma escola e estavam no mesmo ano, mas Allison só pareceu ficar meio tensa com o assunto e disse que não tinha muito o que falar sobre Stiles, já que eles não eram amigos apesar de dividirem algumas aulas. Ele ainda perguntou para Allison se ela não tinha nenhum outro problema acontecendo, porque ela estava muito tensa, mas Allison apenas disse que estava tudo bem, que a tensão dela era por causa das provas que seus professores aparentemente estão planejando aplicar antes do feriado . 


Percebendo que sua filha não o diria qual era o problema realmente e vendo que ela também não tinha nenhuma informação pertinente sobre Stiles que não fosse sobre a amizade eterna dele com Erica e agora com Derek, Chris deixou sua filha no quarto dela estudando, e desceu de volta para a sala, que ele teria passado reto para chegar na cozinha, mas foi obrigado a parar no meio do caminho quando o telefone começou a tocar, o que por si só já deveria ser um presságio, até porque ninguém mais usa telefone fixo nos dias de hoje, mas fazer o que? O telefone estava tocando, Chris já estava ali mesmo, então por que não atender?



“Casa dos Argent.” Disse Chris num tom neutro, logo sentindo seu sangue gelar ao ouvir a voz do outro lado da linha.

“Oh, Chris, meu filho, como é bom ouvir sua voz!” Respondeu Gerard, seu pai. O mesmo que, de acordo com o médico que o ligou uma semana depois de sua mudança para Beacon Hills, deveria estar morto, e certamente não o ligando no telefone de sua casa.

Pai!?” Exclamou incrédulo o caçador, ouvindo a risada rouca de seu pai do outro lado.

“Ora, claro! O que aconteceu Chris? Pensou que eu estivesse morto?”

“Bom… sim.” Respondeu Chris segurando sua histeria por estar conversando com seu pai que deveria estar morto mas aparentemente não estava. “ Até porque eu te vi no hospital... você até mesmo se despediu de mim e da Allison.”

“Ah sim, me desculpe por isso… Eu realmente pensei que estivesse em minhas últimas horas... mas você sabe como eu nunca perdi minha fé! Então eu rezei, e pedi para que Deus fizesse o que ele achava que seria o melhor para mim. E veja só o que aconteceu comigo, um verdadeiro milagre!” Exclamou Gerard animado, e Chris franziu o cenho, achando tudo aquilo cada vez mais estranho.

É o que parece…” 

“Ora, não soe tão desconfiado! Eu não sei quanto mais tempo eu tenho nessa minha repentina melhora, então eu decidi passar um tempo com vocês! Se você não se importar em receber seu velho pai, é claro…”

“... Claro. Nós iremos te receber de braços abertos, o senhor sabe disso.” Disse Chris, concordando com seu pai de forma distraída, tentando ainda entender o que estava acontecendo. Quero dizer, se seu pai havia mesmo tido essa repentina melhora como ele disse que teve, porque o médico da clínica disse que ele havia morrido?

“Oh, claro, claro… Eu espero que os Hales não se incomodem com minha presença…”

“Nós temos um acordo: nós ficamos fora dos assuntos deles, e eles não se incomodam em deixar uma família de caçadores no território deles.”

“Ah sim, bom, muito bom, estou orgulhoso por você filho. Eu vejo que você soube realmente como cuidar e manter sua família segura… Ah, mas vamos deixar essa conversa de lado! Vamos, me diga, como estão Allison e Kate? Eu fiquei sabendo que sua irmã foi passar um tempo junto de vocês. Ah, mal posso esperar para chegar, e encontrar todos vocês! Nossa família toda reunida… tenho certeza que de será maravilhoso!” E como exatamente você ficou sabendo disso? Quis perguntar Chris, mas decidiu não dizer nada.

“Pai, Kate… Aconteceu um acidente, e Kate não está mais na cidade. Ele teve de ser internada em uma casa de repouso a algumas horas daqui.

“Oh, não me diga… minha menininha... o que aconteceu dessa vez? Não vá me dizer que os Hales tem algo haver com isso!? Eu pensei que vocês tivessem um acordo!”

“Não, pai! Os Hale não tem nada haver com a história… Kate foi a culpada. Aparentemente ela estava mexendo com coisas fora no nosso mundo...” O que, parando para pensar agora, parecia ser algo que estava acontecendo novamente, o que com seu pai voltando milagrosamente dos mortos.

“O que você quer dizer com isso? Ora, Chris, não me venha com charadas, você sabe como eu odeio quando não chegam logo ao ponto da conversa!” Reprimiu Gerard, e Chris franziu mais o cenho, desconfiado, antes de voltar a falar.

“Ela havia feito um pacto com um demônio…” Informou Chris, esperando pela reação de seu pai que ficou em silêncio por alguns segundos antes de começar a rir.

“Chris! Por favor, não faça esse tipo de brincadeira com sua irmã, eu sei que vocês nunca se deram muito bem, mas dizer que sua irmã estava fazendo pactos com demônios, e que ela estava possuída, já é demais!” Repreendeu Gerard ainda rindo um pouco, e Chris sentiu algo ruim crescer em seu estômago.

“Eu estou falando sério, pai... Kate realmente estava mexendo com demônios… eu achei nas coisas dela os papéis ensinando como invocar um demônio, e eu a vi possuída, eu estava presente quando ela foi exorcizada.”

“Oh? Ora vejam, você nunca para de aprender, não é mesmo? Bom, eu acho que nós poderemos conversar mais sobre isso quando eu chegar aí semana que vem!”

“Claro…”

“Bom, melhor eu desligar agora e deixar você fazer suas coisas, não é mesmo? Eu te verei na próxima semana, filho. Tenha um bom final de semana!”

“O senhor também, pai...”



A ligação desconectou, e Chris voltou o telefone no gancho.


Ele estava com um péssimo pressentimento sobre aquilo tudo. Primeiro: como seu pai havia sobrevivido aos últimos dias de uma doença terminal? Segundo: por que o médico da clínica disse que ele havia morrido? E terceiro e mais preocupante: Chris nunca disse que Kate havia sido possuída, ele apenas disse que Kate havia feito um pacto com um demônio, então como seu pai sabia que ela havia sido possuída?



Chris suspirou cansado antes de dar meia volta e ir até seu armário de bebidas, abrindo o mesmo e pegando um copo de lá antes de tirar uma garrafa de whisky da prateleira e servir uma dose. Ele fechou a garrafa e a voltou no armário, para só então erguer seu copo.


É como dizem por aí, pensou Chris, desgraça pouca é bobagem. Terminou seu pensamento o caçador, e então virou seu copo, bebendo a dose toda num gole só.


Notas Finais


E então povos? O que vocês estão achando? Eu adorei escrever a parte do Derek pegando a pelúcia, eu consegui me deixar ansiosa com minha própria cena 🤦🏾‍♀️🤦🏾‍♀️
Enfim, eu realmente espero que vocês tenham gostado do meu "capítulo extra" 🥺💕
E pensar que esse capítulo não era pra existir... Que estranho né? 🤔🤔
Bom, eu vou ver vocês semana que vem de novo, ok?
Tenham uma ótima semana!
Xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...