História Nerd e cornuda - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 4
Palavras 880
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção Adolescente, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


N da pra concentrar em escrever qnd cmc a tocar uma musica q se chama "be lazy"😂 sinceramente n da😂😂😂

Capítulo 28 - Miriam


Fanfic / Fanfiction Nerd e cornuda - Capítulo 28 - Miriam

Joana on:

Daniela: Acho que já morremos hoje então...

Eu: Estupidas

Leonor: Ok. Brincadeiras à parte. 

Érica: Sim sim. Isso vai mesmo acontecer

Leonor: Cala te sua porc. Deixa me raciocinar 

Eu: É por isso que eu estou a sentir k cheiro a queimar?

Leonor: Vaca

Todas se riram. Nenhuma de nós realmente conseguia ser séria, muito menos quando estamos juntos. Mas a pior de todas é a Leonor obviamente. Mas isso não importa agora

Leonor: Pelo que disseste quetes descobrir quem é essa pessoa se estiveres ao lado da vítima certo?

Eu: Certo

Leonor: Tas a perder tempo visto que a Miriam está nos colhões do caralho e tu não estás com ela

Eu: Pois é! Porra Tinha me esquecido disso. Como é possivel? 

Daniela: Acalma te

Eu: Alguma ideia de onde ela possa estar?

Érica: Não 

Daniela: Não sei

Leonor: Perguntas me a mim?

Eu: Sei lá. Podiam saber

Érica: Acho que a vi a ir pro lado do portão à pouco. Acho

Eu: Ok obrigada.

Saí dali disparada sem dar tempo da vagabunda responder. Fui a correr até o portão mas esbarrei em alguém 

XXX: Ai! Vê por onde andas sua minorca cega!

Eu: Desculpa. A quem é que estás a chamar de minorca oh puta!?

XXX: A ti sua bipolar de merda!

Quando finalmente consegui ver o seu rosto percebi que era ninguém mebos que a Rita Batalha. Excelente. Pareceu que só agora ela se tinha apercebido que havia esbarrado contra mim. A cara dela ficou ligeiramente vermelha do nada e ela pareceu atrapalhar se, para não falar do nervosismo que eu facilmente pude reparar.

Batalha: D-Desculpa. Eu não te vi... desculpa. Olha eu já vou indo. Mais uma vez desculpa a confusão e tudo mais

Sussurei bem baixo para mim um "que estranho" e dei de ombros pra seguir de novo o meu caminho. Cheguei ao portão e não a encontrei lá. Decidi procurar pela escola toda mas infelizmente tocou e du não tive tempo de procurar la por muito tempo. Consequência? Não a encontrei, nem perto disso estive 

Cheguei à sala e lembrei me que era aula de português. Ok podia ser pior. Pelo menos não é matemática com aquela professora que tal como a Leonor diz "é uma amostra de gnomo de jardim travesti que vive consecutivamente na tpm". Claro que eu não a chamo assim porque como é bastante obvio eu não tenho moral nenhuma em chamar alguem de gnomo de jardim.

Tentei concentrar me na aula mas não conseguia. Não parava de pensar ni que aconteceria à Miriam, na pessoa que estava a fazer aquilo e no porquê de isso acontecer comigo

-------Quebra de tempo--------

O dia estava a acabar. Era a ultima aula da tarde e em todas as oportunidades que tive não consegui encontrar a Miriam. Tinha medo só de pensar que talvez o assassino misterioso já a tivesse apanhado. Tentava ao máximo não pensar nisso mas era dificil. 

Imersa nos meus pensamentos não me tinha apercebido do tempo a passar e quando dei por mim estava toda a gente a arrumar as coisas e a sair à pressa da sala.

Tinha avisado o Samuel que hoje não iamos os dois juntos. Ele pareceu ficar um pouco triste mas acho que compreendeu que eu não queria falar sobre isso e não questionou.

Quando estava a ir prá paragem do autocarro. Ah tantas memorias terriveis tanto na paragem como no autocarro. Mas não vamos pensar sobre isso agora e sim sobre a pessoa que eu vi alguns metros à frente a andar sozinha para a sua paragem. Miriam. Sim ela.

Caguei no autocarro e corri até ela.

Eu: Miriam! Espera por favor!

Gritei e ela virou se para me ver

Miriam: Joana! Passa se alguma coisa amiga?

Eu: Mais ou menos. Procurei te todo o dia  não te encontrei

Miriam: Alguma razão em especial? Ultimamente não nos andamos a ver nem falar muito...

Ok obrigada Miriam. Deste me uma desculpa pra usar.

Eu: Exatamente. Era por isso que eu queria falar contigo. Que achas de passar mos o resto dia juntas?

Miriam: Sabias que podias ter mandado mensagem a perguntar certo? É que é muito em cima da hora agora...

Eu: Eu sei mas não consegui. Sabes o meu padrasto irritou se e atirou o meu telemóvel e destruiu o.

Não era mentira. Isso tinha contecido, porém fora à uma semana e ele já me tinha comprado um telemóvel novo porém ela não sabia e não precisava de saber.

Miriam: Okay por mim tudo bem deixa me só ligar à minha mãe 

Eu: Ok. Pergunta lhe se podes dormir em minha casa hoje

Miriam: Em tua casa?

Eu: Sim. Algum problema?

Miriam: Não. A tuq atirude está um pouco estranha Joana. Tens a certeza que não se passa nada?

Eu: Claro. Não tens motivos pra descinfiar de nada

Por aquela altura eu já estava nervosa e  suar frio. Mas felizmente ela simplesmente resmungou um ok e começou a ligar à mãe. Eu sabia que não iria conseguir estar 24 horas por dia de volta dela mas ia tentar estar com ela o máximo de tempo possivel

Quando a mãe dela atendeu eu reparei numa sombra que me lembrava alguém que eu não conseguia dizer quem era. Parecia um homem alto com ombros largos e desleixado mas infelizmente não conseguia ver bem e acho que ele reparou que eu já o tinha topado.

Seria ele o homem das mensagens? Parte de mim queria que fosse. A outra parte queria correr dali e esconder se debaixo da cama


Notas Finais


Acho q ficou curto mas n sei
Q se lixe😂😂


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...