História Nerd Herd-Larry (ATUALIZAÇÃO LENTA) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, Camila Cabello, Ed Sheeran, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Chuck, Harry Styles, Larry, Larrystylinson, Liam Payne, Louis Tomlinson, Ned, Niall Horan, Zayn Malik, Ziam
Visualizações 44
Palavras 6.455
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ficção, Lemon, LGBT, Policial, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Harry versus the tango


Fanfic / Fanfiction Nerd Herd-Larry (ATUALIZAÇÃO LENTA) - Capítulo 5 - Harry versus the tango

Um mês depois

— Por favor senhor, não atire em mim não, abaixa essa arma, devagar -. Harry pediu ofegante levantando as mãos na altura da cabeça, suspirando aliviado quando a arma foi abaixada.

— Ela não atira, esse é o problema! Essa droga está emperrada! -. O garoto de apenas dez anos reclamou entregando a arma de brinquedo para Harry.

—  Quando se trata do senhor Styles meu amigo, emperrada é só uma palavra -. Tirou uma caneta do bolso de seu uniforme, apertando um pequeno parafuso que estava solto.

— Prontinho, armada e carregada! -. Entregou o brinquedo para o garoto. — Agora... Atira nesses idiotas! -. O garoto riu apontando a arma para a televisão e começou a atirar matando os vários zumbis que apareciam em sua frente enquanto Harry o assistia com empolgação.

— Harry! O Corden quer falar com você agora mesmo! -. Tyler gritou próximo ao ouvido de Harry que deu um pequeno pulo.

— Agora não Tyler, não está vendo que estou com um cliente?! -. O careca revirou os olhos para Styles e saiu pisando duro para longe. — Desculpe senhor, não é sempre assim que agimos na Buy More -. Disse se inclinando um pouco para ficar na altura do garoto.

— Agora Styles! -. James gritou em sua sala e Harry quase correu até a mesma.

— Mandou me chamar? -. Perguntou um pouco nervoso já que quase nunca era chamado até a sala do gerente.

— Sim... O que você pretende conquistar na vida? -. Encarou o cacheado.

— O senhor quer dizer a longo prazo como casamento, filhos, paz interior ou coisas mais do dia a dia, como comer uma pizza ou receber entradas para o show da Katy Perry?

— Digo no Buy More, Harry! Onde pretende chegar daqui a cinco ou dez anos!

— Honestamente? -. Styles perguntou encarando o mais velho que concordou em um simples aceno com a cabeça. — Eu não faço a menor ideia!

— Você sabe que temos uma vaga para gerente adjunto, certo? -. Levantou se aproximando de Harry, esse que apenas assentiu. — Eu preciso saber se você quer essa promoção, por que caso não queira vou dar para o Tyler, é isso o que quer? -. Harry engoliu seco e balançou a cabeça negativamente.

— Me responda com palavras, Harry! E me olhe nos olhos, gosto de contato visual.

— Eu realmente gostaria muito dessa promoção, senhor -. Styles tentava se afastar de Corden o mais discretamente possível, enquanto encarava os olhos do gerente.

— Você sabe que não posso simplesmente lhe dar a promoção, correto? -. Styles novamente balançou a cabeça. — Palavras Harry!

— Correto!

— Você terá que merecer! Separei alguns computadores velhos, você e sua equipe terão dois dias a partir de hoje para os concertar, caso não terminem a tempo o cargo será do Tyler!

— Se me permite uma pergunta, o que o Tyler vai fazer, exatamente?

— Vá arrumar os computadores, Harry! -. Gritou e Harry correu para fora da sala de James, correndo até Camila, Ed e Niall que estavam em suas respectivas mesas.

Os três apenas seguiram o mais alto sem dizer uma palavra, até que chegaram em uma sala média, onde continha uma cadeira e mesa com algumas ferramentas. A sala estava com vários computadores um pouco antigos espalhados.

— Caras, é o seguinte, James quer que a gente concerte todos esses computadores em dois dias, começando a partir de hoje, se não ele vai dar o cargo de gerente adjunto para o Tyler -. Avisou suspirando cansado.

— Caras? -. Niall perguntou apontando para Camila.

— Desculpe Cams -. Sorriu envergonhado.

— Não, tudo bem. Caras tá legal pra mim -. Respondeu observando a sala.

— Precisamos arrumar um nome neutro para nós -. Ed comentou distraído.

— Que tal... Os idiotas da galera nerd? -. Cabello sugeriu.

— Não! Acho que devíamos nos chamar... -. O irlandês fez uma pausa dramática e todos o encararam. — Os Nailler's! Nossa que nome ótimo! Meu Deus eu sou um gênio! -. Dizia convencido e sorria orgulhoso de si mesmo, sendo apenas ignorado pelos colegas que encararam o ruivo.

— Hmm... Os estabanados do Harry? -. Sorriu por dois segundos e logo ficou sem expressão alguma, como se estivesse em uma espécie de transe. — Desde quando você tem olhos verdes, Harry? -. Perguntou confuso.

— Olha, já fazem vinte e seis anos!

— Como nunca reparei nos seus olhos antes? -. O ruivo dizia se aproximando do cacheado.

— Cuidado, Ed, ele tem namorado e alguém aqui também está com ciúmes -. Camila comentou rindo enquanto observava a expressão séria no rosto de Niall, que apenas revirou os olhos ao ver que Harry ria discretamente.

— Hey, Hazz? -. Zayn chamou somente com a cabeça na porta, atraindo a atenção de Styles. — Eu soube que Corden pediu para arrumarem isso e quero dizer que podem contar com todo meu apoio e ajuda, mas terá que ser bem distante dessa sala, você sabe como eu odeio computadores velhos -. O moreno olhava ao redor como se estivesse fugindo de algo.

— Obrigado Zayn, estou orgulhoso de você meu irmão -. Harry disse mandando um beijo para o amigo que retribuiu.

— Ah, e... Seu garoto está aqui -. Sorriu malicioso e Harry engoliu seco, saindo da sala para voltando para seu lugar de trabalho.

Styles respirava fundo a cada passo que dava em direção a Louis que vestia uma calça jeans um pouco apertada e um moletom maior que seu corpo, enquanto segurava uma mochila. Harry estava começando a gostar de Tomlinson, mais do que o recomendado, ele sabia que se envolver seria um completo erro. "É somente um disfarce, Harry". Era o que seu cérebro dizia sempre que Louis lhe dava um selinho e segurava sua mão em público, mas para Styles estava se tornando difícil ver aquele relacionamento somente como um disfarce ou algo do tipo.

— Oi, Louis -. Sorriu.

— Oi Harry -. Sorriu animado. — Me beija -. Pediu simplesmente e Styles quase se engasgou com o nada.

— O que?! Você quer que eu te beije?! -. Perguntou claramente alarmado.

— Sim, as pessoas estão olhando -. Apontou de maneira discreta para alguns colegas de Harry que os observavam, entre eles Camila, Niall, Liam e Zayn.

— Ah, ok... Então, eu v-vou te beijar... -. Disse ao que se aproximava de Louis. — Lá vai em! -. Falou antes de beijar a bochecha do mais baixo.

— Só isso?  -. Tomlinson perguntou e se Harry não soubesse que era tudo atuação diria até que o agente havia ficado um pouco decepcionado por receber somente um beijo no rosto.

— É que, os clientes podem achar ruim -. Disse pausadamente e Louis assentiu.

— Oh, claro... Então talvez a gente só precise de um lugar privado -. Sorriu sugestivo e Harry prendeu a respiração sem nem ao menos notar tal ato, encarando o mais velho de forma confusa.

— Relaxa, só preciso falar com você! -. Louis disse vendo o nervosismo de Styles e segurou na mão do mesmo, entrelaçando seus dedos enquanto o levava para a sala onde de vídeo, já que só era utilizada para reuniões com os funcionários, coisa que só ocorria nas segundas.

Tomlinson sinalizou de forma discreta para que Liam os acompanhassem e quando Payne começou a caminhar em direção ao "casal" foi barrado por Zayn.

— Ah não! Você não vai atrapalhar meu casal, Liam! -. Disse um pouco irritado.

— Zayn, meu anjo... Sai da minha frente ou eu passo por cima de você -. Sorriu para ele pela primeira vez, e Zayn mesmo a contra gosto deixou o mais velho passar.

— É impressão minha ou ele sorriu? -. Malik perguntou confuso, já que fazia mais de um mês que trabalhava com Payne e até agora nunca tinha o visto dar um mínimo sorriso.

— Desculpa, só consegui focar no "meu anjo" -. Niall respondeu.

— Aposto que ele quer comer seu cu -. Camila disse sorrindo maliciosa para o amigo.

— Karla cala a boca! -. Zayn a repreendeu enquanto observava Liam caminhar para a sala.

— Espero não estar atrapalhando o romance -. Payne disse ao adentrar a sala de vídeo, vendo Harry sentado em uma pequena poltrona e Louis vasculhando algo em sua mochila.

— Relaxa Liam, nunca faríamos nada sem você aqui -. Tomlinson o respondeu de forma sugestiva e Harry arqueou as sobrancelhas encarando o "namorado".

— Isso soou muito inapropriado, senhor Tomlinson, quero o fim desse namoro -. Disse dramaticamente e Payne revirou os olhos.

— Você não teria coragem, não vive sem mim -. Comentou convencido, tirando algumas fotos de sua mochila, as colocando sobre a mesa.

— Por que esses homens estão dormindo no chão? -. O cacheado perguntou pegando uma das fotografias.

— Eles estão mortos! -. Liam disse indo para o lado de Louis, e Harry fez um careta observando os corpos estirados ao chão e só então reparou nas poças de sangue.

— Por que estão me mostrando isso, mesmo? Querem que eu vomite é só dizer.

— Durante essa semana tivemos quatro assassinatos, todos mortos em galpões -. Louis apontou para as fotos. — Nós não achamos nenhuma digital, ou qualquer coisa que nos levasse a algum suspeito, mas alguns deles vendiam armas do governo ilegalmente, esperávamos que pudesse nos dizer alguma coisa.

— Ah sim, entendi, vocês querem que eu encare esses corpos por mais assustador e pertubador que seja até ter algum lampejo -. Comentou e quando estava prestes a pegar uma das fotografias a porta foi aberta e Ed parou de abrupto encarando os três sem entender o que estava havendo.

— Me desculpem, é que é hora do meu intervalo e sempre venho aqui para ler um pouco -. Disse sério e então Harry encarou o jornal que Sheeran carregava em baixo do braço,  vendo que havia uma pintura, imediatamente os flashes começaram. — Eu vou deixar vocês sozinhos -. Ed falou saindo da sala.

— Harry? Está tudo bem? Viu alguma coisa? -. Louis perguntou ao ver a expressão do mais novo.

— Eu não sei... É confuso, mas eu vi lírios em um quadro, armas, leilão de artes amanhã a noite e o nome La Ciudad significa algo para vocês?

— Por que? -. Liam perguntou um pouco tenso.

— Porque eu acho que ele vai estar no leilão -. Ele encarou os dois agentes por poucos segundos, vendo as expressões preocupadas. — Então tá, eu tenho HD's para concertar, boa sorte com esse lance de espiões -. Disse saíndo da sala, deixando os dois sozinhos ali.

O cacheado estava caminhando calmamente em direção a sala, esperando que seus colegas já estivessem pelo menos na sala, mas ao invés disso os encontrou escondidos, e Harry os encarou incrédulo ao ver o que estavam fazendo.

— Me digam que não estão comendo o meu sanduíche! -. Os três se viraram para Styles de imediato.

— Nós não estamos comendo seu sanduíche! -. Niall se defendeu.

— Mentiroso! -. Harry quase gritou com o loiro que se escondeu atrás de Camila.

— Você está bravo com a gente? -. Ed perguntou de forma calma, levando uma xícara de café até a boca.

— Estaria se não tivesse outro -. Sorriu indo até a pequena geladeira a fim de pegar seu lanche, vendo que o mesmo já não estava mais lá. — Tá legal! Quem roubou meu almoço?!

— Ninguém roubou Hazz, eu guardei por que sabia que esses idiotas iam comer seu lanche -. Zayn apareceu dando um susto em Harry. — De nada -. Sorriu após entregar o almoço do amigo.

— Obrigado Zayn, você é um amigo incrível, não rouba minha comida! -. Disse dando uma mordida em seu sanduíche enquanto encarava os demais colegas.

O dia que se seguiu foi cansativo e estressante, eles tinham que fazer o possível para concertar os computadores e ainda atender clientes, então se dividiram, Niall e Ed ficaram com os clientes enquanto Camila e Harry faziam o possível para concertar os aparelhos, bom, Harry fazia o possível visto que Camila fazia uma sempre uma pausa para atender ligações onde ele dizia ser sua mãe, mas Styles sabia que deveria ser alguma namorada nova.

No total, Harry ficou cerca de cinco horas enfornado dentro daquela sala que parecia diminuir a cada segundo que ficara ali. Então assim que deu seu horário o cacheado saiu praticamente correndo da loja para sua casa, e, assim que chegou na mesma, foi imediatamente recebido por uma Gemma totalmente animada.

— Zayn me contou sobre a promoção, parabéns! -. Saudou o irmão e antes que pudesse o abraçar, Harry segurou seus braços delicadamente.

— Vai com calma aí Gemma, eu ainda não recebi a promoção, e nem é grande coisa, eu vou continuar com o mesmo trabalho, só vou ter um aumento de dois dólares por hora!

— Nossa que pessimista, você nem precisa mais de mim pra te colocar pra baixo! -. Zayn comentou enquanto comia uma enorme fatia de bolo.

— Bom, eu ainda acho isso ótimo! Isso é uma oportunidade de crescer! -. Gemma dizia ainda empolgada.

— Eu sei que falei que queria o cargo, mas acho que isso não é pra mim, sabe? Tyler provavelmente se sairia muito melhor do que eu -. Suspirou cansado.

— Ou talvez você saiba que o Buy More não é seu lugar e que você mereça um trabalho muito melhor! -. Gemma quase gritou no ouvido do irmão.

— Gemma, cai na real! Que tipo de emprego você acha que o nosso Harry arrumaria? Ele não sabe fazer nada além de consertar computadores! -. Zayn se intrometeu na conversa.

— Ele foi para Stanford, Zayn! -. A mais velha rebateu.

— E foi expulso sem cerimônia no último ano! Você já se esqueceu? O que temos que pensar é onde o queremos daqui cinco anos? Dez anos?

— Nós? -. Gemma perguntou arqueando as sobrancelhas e Harry somente os observava sem dizer uma única palavra.

— É... Eu e você -. Malik apontou para si mesmo e para Gemma em seguida.

— O que o Harry precisa é de muita adrenalina, eu sugiro saltar de um avião! -. Ashton disse assustando os três. — E aí, o que acha cunhadinho?

— Essa ideia é péssima, Ash! -. Gemma repreendeu o namorado.

— Eu acho que vou dormir, boa noite time Styles! -. Harry disse sem esperar por uma resposta, indo direto para seu quarto e quase gritou após adentrar o mesmo e ver Payne parado do lado de fora da janela.

— Parabéns Styles, você terá sua primeira missão de campo amanhã! -. Disse simplesmente e foi embora, deixando Harry assustado e ansioso para trás.

— Qual o traje de hoje? Será que posso ir de tênis ou o evento pede algo mais sofisticado? -. Styles perguntava para Liam enquanto o seguia pela loja.

— Alugamos um smoking.

— Ah, e... Como é que vocês sabiam meu número? -. Perguntou confuso.

— NSA, temos o registro de seu terno da formatura -. Liam disse se virando para o mais novo que o olhava apreensivo. — Brincadeira, olhei o terno no seu armário.

— Olha só essa é minha primeira missão como um espião infiltrado, então se você não for sarcástico eu agradeço muito! E como é que vou reconhecer La Ciudad? Tem alguma foto?

— Se tivesse alguma foto não o colocaríamos em campo, Lá Ciudad nunca foi visto antes -. Respondeu vendo Harry ficar tenso quase que de imediato.

— Ah... Se algo der errado vocês vão me proteger, não vão? -. O cacheado a essa altura já estava começando a ficar nervoso.

— Nada vai dar errado! Bom a menos que saiba dançar tango.

— Tango? Por que eu teria que saber dançar tango? -. Harry pensou por um segundo e começou a rir. — Já entendi, é uma brincadeira, não é?

— Eu não brinco com meu trabalho -. Encarou os olhos do mais novo e saiu para atender um cliente.

Harry bufou, ele estava sentindo uma mistura de medo, ansiedade, nervosismo e um pouco de empolgação com essa missão.

— Harry, o Louis está aqui! -. Zayn o avisou surgindo do nada.

— Desculpe mas agora tenho HD's para consertar, não posso falar com ele agora! -. Disse indo em direção ao seus colegas de trabalho.

— Pode ir, a gente termina! -. Camila disse conforme o amigo se aproximava.

— Você tem certeza?

— Claro, faltam poucos e você deveria ter ido almoçar a quatro horas atrás! E como seu espediente acaba em uma hora e meia você pode ir direto para sua casa -. Niall respondeu.

— Mas-.

— Só vai logo Styles! -. Ed disse quase gritando com o cacheado que apenas assentiu agradecendo os amigos, caminhando em seguida até seu "namorado" que o recebeu com um selinho, arrancando suspiros de Zayn que estava feliz por seu melhor amigo ter encontrado alguém depois de cinco anos sofrendo por alguém que, para ele não valia a pena.

— Olá cara de sapo -. Louis o saudou sorrindo inocente e Harry revirou os olhos tentando conter o pequeno sorriso.

— Sabia que te deixar sozinho com o Zayn daria nisso!

— Não fale assim, ele é um cara muito legal, sei porque Payne está interessado nele -. Louis disse distraidamente enquanto caminhavam para fora do estacionamento de mãos dadas.

— Como assim? O Payne? Interessado no Zayn? Meu Zayn? -. Harry perguntou um pouco chocado com a notícia e Tomlinson fez uma pequena careta ao ouvi-lo chamar o moreno de "seu" e talvez tenha até ficado um pouco enciumado, mas Louis nunca admitiria isso.

— Bom, ele não olha com tanto ódio para seu amigo como para nós dois, e eu já o peguei encarando seu amigo por tempo demais -. Louis respondeu dando ênfase a palavra "amigo".

— Bom, isso explicaria o rastreador que ele colocou no Zayn -. Styles comentou e o mais velho apenas concordou. Mesmo ainda estando bravo com Liam por ter colocado um rastreador nele também, mas entendia, nenhum dos dois se conheciam e Tomlinson era parceiro de Bryce, a desconfiança era válida.

— Harry, a ideia do disfarce é que ele seja o mais simples possível, sem revelar coisas pessoais de verdade, alguma ideia para o nome? -. Louis mudou o assunto sentando-se em uma das mesas da lanchonete em que "trabalhava".

— Que tal... Edward Carmichael?  É direto e simples.

— E bem fácil de lembrar, de onde tirou esse no-.

— Graduado com mérito em Stanford, dirige uma companhia de informática bem sucedida, é semi aposentado e pensa em velejar na Copa das Américas -. Styles cortou o "namorado" com uma expressão um pouco triste.

— Já fez isso antes? -. Louis perguntou surpreso por, aparentemente Harry ter pensado em tudo.

— Não... Digamos que o senhor Carmichael e eu temos um parentesco.

— Como assim?

— Na verdade quando entrei para Stanford era assim que costumava imaginar meu futuro... Menos a parte de velejar, não sei de onde tirei isso, mas ele está onde a maioria da minha turma está -. Comentou encarando o agente.

— E o que aconteceu? -. Louis perguntou parecendo realmente interessado na história.

— Bom eu fui expulso no último ano quando meu antigo colega de quarto, Bryce Larkin, achou provas roubadas em baixo da minha cama e me dedurou para a administração.

— E você roubou elas?

— Eu achei que estivesse claro que sou uma pessoa descente! -. Disse descontraído, mas tinha ficado um pouco chateado por Louis pensar que ele teria sido capaz de roubar algo.

— Você tem razão! -. O mais velho falou um pouco envergonhado por ter realmente chegado a pensar que o cacheado seria capaz de tal ato, sendo que em todo o tempo que se conheceram Harry havia sido gentil e bondoso com ele, mesmo depois de toda essa loucura acontecer. — Vamos, você precisa descansar um pouco antes de irmos -. Disse levantando-se com um sorriso gentil em lábios.

Era noite e Harry estava apenas esperando Louis o buscar para que pudessem ir ao leilão,  ele estava ansioso com o que aconteceria, só não sabia o porquê do tango, mas por via das dúvidas ele pediu para que Gemma o ensinasse, e como a irmã não sabia o papel de professor ficou com seu cunhado. Quem assistisse os dois diria que era uma cena um tanto hilária, Ashton fazia de tudo para que Styles aprendesse o mais rápido possível a dançar, o que resultou em algumas quedas e crises de riso por Harry ser um pouco desengonçado.

— Harry! -. Gemma gritou assustando o irmão que a encarou esperando que dissesse algo a mais. — Louis está te esperando fazem cinco minutos já! Estava pensando em que?

— Desculpe, estou um pouco distraído  -. Sorriu envergonhado. — Onde ele está? -. Perguntou ansioso fazendo a irmã rir.

— Está na sala, e cá entre nós ele está lindo!

— Ele é lindo -. Murmurou baixinho enquanto descia até a sala onde Louis o esperava sentado.

Styles quase babou quando o mais velho se colocou em pé e ele pôde dar uma bela olhada em Tomlinson que trajava um terno preto, as calças eram um pouco justas e marcavam as coxas grossas de Louis, o paletó feito sob medida deixava a cintura fina do homem um pouco marcada e por fim o cabelo em um perfeito topete.

— Oi Hazza -. Louis o cumprimentou e Harry sentiu seu coração acelerar um pouco, era a primeira vez que Tomlinson o chamava por um apelido, e, para Styles aquilo poderia significar que estavam criando algum tipo de intimidade, mesmo que mínima.

— Oi -. Sorriu mostrando suas covinhas, abraçando o "namorado" que umedeceu o lábio inferior selando seus lábios com o do mais alto, e diferente das outras vezes esse foi um pouco mais demorado, fazendo ambos  secretamente desejarem por algo mais profundo do que um simples selar de lábios.

Os dois se despediram de Gemma e seguiram para o carro do agente, onde Liam já os esperava. Eles repassaram todo o plano com Styles e no geral era bem simples, ele tinha que identificar La Ciudad e deixar todo o resto com os dois, e, se alguém perguntasse algo era só colocar seu disfarce em ação.

Claro que o cacheado estava nervoso, Tomlinson e Payne também estavam, aquela seria a primeira missão em campo de Harry e nenhum dos três sabiam o que esperar. Os agentes até tentaram fazer seus superiores mudarem de ideia dizendo que era arriscado demais fazê-lo participar dessa missão, e que o trabalho deles era proteger Styles e não o levar direito até os "caras maus" como Harry dizia.

— Chegamos -. Louis disse após estacionar o carro.

— Lembra o que é para fazer? -. Payne perguntou para Harry que assentiu freneticamente.

— Sim, eu vou entrar lá e tentar identificar o bandido, depois eu deixo tudo com vocês!

— Ele aprendeu direitinho, quais as chances disso dar errado? -. Louis questionou.

— Nada vai dar errado, eu até aprendi a dançar tango como o Payne disse! -. O cacheado respondeu e Liam  mordeu os lábios contendo o riso.

— O que? Por que ele teria que aprender a dançar tango? É algum tipo de código? -. Louis questionou Liam confuso, mas assim que viu a expressão do mais velhos entendeu o que havia acontecido e começou a rir sendo acompanhado por Payne. — Harry, ele estava brincando com você!

Louis e Harry desceram do veículo adentrando o enorme salão onde o leilão ocorreria, depois de claro, Harry xingar Payne e reclamar como uma criança por Louis não tê-lo defendido e sim rido da situação.

Faziam pouco mais de meia hora que estavam ali e Harry ainda não havia tido nenhum lampejo, o cacheado estava entediado, aquele não era seu tipo de festa e para melhorar toda a situação um homem esbarrou em si fazendo com que Styles derramasse champagne em seu terno.

Harry se dirigiu até o banheiro masculino a fim de tentar limpar ou ao menos amenizar o estrago em sua roupa, foi quando um homem se colocou ao seu lado no lavatório e Styles o olhou de relance, o que foi suficiente para que tivesse um de seus lampejos. Na mente do cacheado se passavam coisas como "contrabandista de armas", "assassino profissional" e por fim "La Ciudad", e isso fez com que Harry começasse a suar frio.

— Está tudo bem? -. O homem perguntou e a voz grave só fez com que Styles ficasse mais nervoso

Harry secou suas mãos o mais rápido que pôde enquanto assentia com a cabeça de maneira frenética, saindo de lá o mais rápido que conseguiu a fim de achar Louis que estava conversando com um rapaz alto, e por um segundo Harry ficou um pouco incomodado com a forma que Tomlinson sorria para o desconhecido. Ele apenas respirou fundo antes de ir até o "namorado" é o segurar pela cintura, sorrindo para o homem forma mais falsa que conseguia.

— Meu amor, precisamos conversar -. Harry falou ainda sorrindo e dando ênfase a palavra "amor".

Louis o olhou sem entender mas concordou se imediato assim que viu a expressão aflita no rosto do mais alto, e ambos foram para um lugar afastado das outras pessoas.

— Eu achei ele, La Ciudad está aqui! Eu o vi quando estava no banheiro -. Styles cochichou visivelmente em pânico.

— Tudo bem, calma... Me mostre quem ele é e depois vá para o bar, você ficará seguro lá, pode fazer isso? -. Perguntou calmo, mesmo estando quase tão nervoso quanto Harry, já que nenhum agente que viu o rosto de La Ciudad viveu para contar a história.

Harry apontou para o homem de maneira discreta e se dirigiu até o bar como Louis havia o instruído. Ele estava nervoso, principalmente porque Tomlinson acabara de ir direto até o inimigo, ele tinha medo que algo desse errado e Louis acabasse se machucando feio.

— O que vai querer, senhor? -. Uma voz familiar soou assim que Harry se sentou em uma das banquetas pretas que haviam perto do balcão.

— Payne?! -. Perguntou confuso, já que para ele, Liam fingiria ser um comprador assim como Louis e ele, e não um barman. Mas então entendeu o que Louis quis dizer com "vá para o bar, você ficará seguro lá"

— Meu nome é Victor -. Falou olhando para o cacheado. — Vai querer algo? Um refrigerante talvez? Não tem cara de quem bebê -. Sorriu debochado e Harry revirou os olhos.

— Me da qualquer coisa com muito álcool, por favor... Victor -. Liam apenas assentiu ao pedido de Styles, voltando com três doses de vodka, a intenção de Payne não era deixá-lo bêbado, mas sabia que Harry precisava de um certo "alívio" devido a todos os acontecimentos recentes e toda a pressão que de certa forma estava sofrendo.

— Harry? -. Um homem sorridente chamou por Styles, e o mesmo arregalou os olhos ao ver Daved, seu antigo colega de faculdade.

— Oi Daved... -. Perguntou claramente desconfortável.

— Como você está? Não nos falamos a anos... Veio com alguém? -. Perguntou sorrindo sugestivo.

— Estou bem, e não estou sozinho... Vim com meu namorado -. Apontou para Louis, mas se arrependeu quase que de imediato ao ver Tomlinson muito próximo de La Ciudad, sorrindo abertamente enquanto o homem acariciava seu braço enquanto praticamente comia Louis com os olhos, e, para ser sincero ele queria vomitar ao ver aquela cena.

— Aquele é seu namorado? -. Daved perguntou um pouco chocado ao ver como Louis estava se comportando com outro homem.

— É... Temos uma relação, digamos... Aberta -. Sorriu sem graça e foi como se um pouco de esperança surgisse no rapaz ali sentado.

— Nesse caso está aqui meu cartão, você pode me ligar... Sabe, quando quiser conversar -. Entregou o pedaço de papel e Harry ofegou ao olhar bem para o cartão.

— Contrabandista de animais silvestres -. Murmurou e Daved arregalou os olhos o encarando assustado.

— O que diabos você faz? Por acaso trabalha para o FBI? -. Disse em pânico pegando o cartão das mãos de Styles e saiu correndo do local.

— Parabéns boca grande! -. Liam que até então só observava os dois disse, e Harry sorriu culpado, ele as vezes não conseguia segurar e as informações simplesmente saiam de sua boca.

Styles estava prestes a se desculpar quando Payne engoliu seco ao ver Louis prestes a deixar o salão com aquele homem, ele normalmente não se importaria pois tinha certeza de que o agente sabia se cuidar, mas estavam ali atrás do maior contrabandista que a CIA já perseguiu e o fato de ninguém ter sobrevivido o deixava um pouco preocupado. Liam ofegou ao ver que o homem estava armado e que a mesma estava praticamente grudada nas costelas de Tomlinson.

— Fica! -. Disse para Harry, pegando sua arma e pulando por sobre o balcão enquanto seguia o grupo que estava com Tomlinson.

— Fica? O que eu sou agora? Um cachorro? -. Perguntou indignado e no segundo seguinte resolveu andar pelo salão.

Styles andava observando as pessoas e as pinturas que ali estavam expostas para serem leiloadas em alguns minutos, até que parou em frente a pintura que estava estampada no jornal, estranhando o fato de terem trocado a moldura da tela.

— É uma bela pintura, não acha? -. Uma mulher alta, com cabelos longos e negros perguntou.

— Sim, mas estou mais interessado na moldura... -. Comentou distraído e a mulher lhe encarou parecendo interessada no que Styles tinha a dizer.

— Como assim?

— É que no jornal essa tela estava com um moldura diferente, não entendo por que mudariam a moldura? -. Perguntou confuso e então se deu conta de que estava falando com uma total desconhecida em um lugar onde poderia haver mais do que um "cara mau".

— Bom, eu já vou indo -. Sorriu nervoso tentando se afastar da moça que segurou em seu pulso, sorrindo em seguida ao que "La Cumparsita" começou a tocar.

— O que acha de uma dança? -. Sorriu sugestiva já arrastando Harry para o centro do salão.

A mulher levou sua mão esquerda para o ombro de Harry que fez o mesmo, e só então, vendo a posição em que estavam Styles se deu conta do que estava acontecendo, e, se Ashton estivesse ali com toda certeza Harry o teria xingado.

— É... Você se importa de conduzir? É que me ensinaram a parte feminina da dança -. Sorriu totalmente envergonhado e a mulher riu levando sua mão até a cintura de Harry e então os dois começaram a dançar.

Harry era guiado pela moça e para ser sincero ele estava gostando daquilo, nunca em seus vinte e seis anos imaginou estar dançando tango em um leilão de artes, enquanto estava em uma missão do governo disfarçado, era totalmente insano.

— Quem é você e o que quer? -. A mulher sussurrou no ouvido de Harry enquanto continuavam a dançar, e o mesmo a encarou sem entender nada.

— Eu sou Edward e sinceramente tudo o que eu quero é uma boa fatia de pizza -. Disse o que lhe veio a cabeça, sentido a mulher o rodar e grudar seus corpos.

Foi quando Styles notou uma pequena cicatriz no queixo da mulher e aquilo foi como um gatilho para que os lampejos começassem. Harry sentiu seu coração bater forte e o desespero começar a lhe invadir, ele estava errado, totalmente errado, o homem que estava com Louis não era La Ciudad, e sim a mulher com quem dançava.

— Você sabe do que estou falando, pra quem você trabalha? -. Harry não conseguia dizer uma única palavra e isso fez com que a mulher sorrisse. — Ok, então prefere do jeito difícil.

Harry com toda a certeza não queria nada do jeito difícil, essa era definitivamente a última coisa que queria, mas não conseguia falar nada mesmo que tentasse, estava apavorado demais e quando deu por si já estava sendo arrastado por ela e ao reparar melhor haviam mais dois homens com La Ciudad.

— Seu nome? -. La Ciudad perguntou a Harry que agora estava amarrado em uma cadeira, totalmente vulnerável e assustado, principalmente porque a mesma segurava uma faca em mãos. Os dois estavam sozinhos em um dos quartos do hotel,

— Edward Carmichael -. Respondeu a fim de manter o disfarce e La Ciudad arremessou a faca, acertando a cadeira, perigosamente perto do pênis de Harry. — Harry Styles, vinte e seis anos, trabalho consertando computadores -. Disse apavorado.

— Acha mesmo que vou acreditar que conserta computadores? -. Se aproximou do cacheado que ficava cada vez mais apavorado, tudo o que queria era que Louis passasse por aquela porta e o salvasse daquela mulher louca.

— Por favor, eu juro que estou dizendo a verdade! -. Harry implorava para que La Ciudad acreditasse nele.

— Adeus Harry -. A mulher sacou sua arma e a mirou na cabeça de Styles.

— Não, não, não, não por favor! É uma armação! -. Ele gritou e La Ciudad abaixou a arma.

— O que é uma armação? -. Perguntou desconfiada.

— A pintura! Eu acho que a pintura é falsa! No jornal ela estava com uma moldura e depois eles a trocaram, por que a trocaram? Eu tenho certeza que é falsa!

A mulher o encarou por alguns segundos pensando na possibilidade, mas logo a descartou, La Ciudad apontou a arma novamente para Harry que fechou os olhos. Logo o som de um disparo foi ouvido e Styles sentiu um líquido espirrar em seu rosto, o fazendo abrir os olhos lentamente vendo sangue escorrer de seu queixo e o corpo da mulher caído ao chão, logo atrás estava Louis com uma arma em mãos.

Tomlinson correu até Harry que no momento estava sem reação alguma e o soltou daquelas cordas, olhando atentamente para o mais novo a fim de procurar algum ferimento, suspirando aliviado ao que não encontrou nenhum.

— Lou...

Ele chamou pelo agente com a voz embargada e os olhos marejados, começando a chorar em seguida. Louis abraçou forte o "namorado" fazendo ambos caírem de joelhos ao chão, enquanto Harry chorava alto. Ninguém poderia o julgar por estar daquela forma, diferente de Louis e Liam ele nunca havia passado por nada do tipo e uma situação daquelas poderia ser muito traumatizante.

— Está tudo bem Harry, você está bem agora, está seguro -. Tomlinson sussurrava no ouvido do mais novo que murmurava vários "obrigado" enquanto se agarrava a ele como se a qualquer momento Louis fosse sumir.

— Me desculpa te colocar nisso, juro que tentei de tudo para que você ficasse seguro sem ter que se envolver em missões -. Louis estava se sentindo culpado por tudo o que havia acontecido com Harry, era trabalho dele o proteger, mas infelizmente não poderia ir contra as ordens de seus superiores.

— A culpa não foi sua -. Disse e então arregalou os olhos encarando Louis. — Meu Deus o que aconteceu com você? Eu te vi sair com aquele cara, ele te machucou? Você está bem? -.  Perguntou aflito e Louis só pôde sorrir ao ver a preocupação de Harry, ele era a primeira pessoas que mostrava preocupação.

— Estou bem, acontece que aquele cara também estava trabalhando disfarçado, em busca de La Ciudad, eles estão do nosso lado Harry, esse leilão todo foi uma armadilha para tentar o atrair, ou melhor a atrair para cá.

Harry assentiu lentamente e começou a encarar fixamente o copo da mulher que quase o matou. Louis percebendo isso, levou ambas as mãos para o rosto do de olhos verdes, atraindo a atenção do mesmo para si.

— Vamos sair daqui -. Sussurrou levantando-se e ajudando Harry a fazer o mesmo em seguida, e quando estavam prestes a sair Liam entrou com alguns hematomas no rosto apenas suspirando aliviado ao encontra-los. Louis sorriu para o colega que pela primeira vez retribuiu e os dois saíram dali já que Payne disse que ficaria ali esperando o resto da equipe.

Eram quase três e vinte da manhã e Louis se encontrava na cozinha de seu apartamento preparando duas xícaras de chá, uma sendo para ele próprio e a outra para Harry que no momento estava tomando banho. Ele ainda estava se sentindo culpado por tudo o que aconteceu, ele desde o começo disse que colocar Harry em uma missão de campo era arriscado, já que ele nunca havia recebido nenhum tipo de treinamento e Tomlinson não queria correr o risco de algo horrível acontecer com o mais novo.

O barulho do chuveiro cessou e Tomlinson esperou cerca de cinco minutos antes de ir até o quarto de hóspedes onde Harry ficaria. Ele bateu na porta ouvindo a voz de Styles pedindo para que entrasse e assim ele o fez, com as duas xícaras em mãos. Harry já estava vestido e usava uma das roupas de Louis, uma calça de moletom que ficava um pouco curta e uma camisa preta de mangas longas, ela era um pouco transparente fazendo com que algumas tatuagens do mais novo ficassem expostas.

— Fiz chá pra gente... Espero que não tente colocar fogo nele também! -. Harry pegou a xícara e revirou os olhos contendo o sorriso.

— Já faz mais de um mês Louis, não vai esquecer disso?

— Eu sou bem rancoroso na verdade -. Sorriu bebericando um pouco de seu chá. — E aquele era um ótimo suflê de chocolate, seu destruidor de sobremesas!

Harry apenas riu tomando um pouco do chá de camomila, e os dois começaram a conversar, falando sobre suas vidas, Louis sempre encorajando o mais novo a aceitar a promoção na loja e que ele seria um ótimo gerente adjunto. Styles contou um pouco sobre sua infância, como sua mãe havia os abandonado, ele tinha apenas cinco anos e pouco depois quando ele havia acabado de completar nove anos seu pai acabou fazendo a mesma coisa, e os pais de Zayn os acolheram e cuidaram dele como se fossem seus próprios filhos.

Tomlinson contou um pouco sobre sua vida também, claro, aquilo que poderia revelar para o "namorado", Harry ficou surpreso ao descobrir que Louis na verdade era de Doncaster e que viveu lá até seus quinze anos. Louis levantou após acabarem de tomar o chá, alegando que já estava muito tarde e que Harry precisava descansar daquela noite.

— Louis? -. Harry o chamou um pouco incerto e Louis que estava quase saindo parou encarando Harry de longe esperando que continuasse.

— Eu sei que isso pode soar idiota, principalmente porque eu sou um marmanjo de vinte e seis anos mas...

— Mas? -. Louis perguntou o vendo exitar.

— Será que você poderia dormir aqui? -. Louis pareceu prender o ar ao ouvir tais palavras e Harry se amaldiçoou por ter feito aquela pergunta, mesmo estando totalmente vulnerável naquele momento e desejando muito não ficar sozinho depois do que aconteceu. — Quer saber, esquece... Foi uma pergunta idiota, boa noite Louis.

Harry se deitou e cobriu todo seu corpo com aqueles cobertores quentinhos e em seguida sentiu o colchão afundar ao seu lado.

— Chega pra lá Hazza! -. Louis disse se ajeitando ao que Harry dava espaço para que ele deitasse.

— Boa noite Harry -. Louis sussurrou após estar completamente confortável.

— Boa noite Louis

Respondeu sentindo o corpo quente de Tomlinson ao seu lado o deixando calmo, não demorando muito para adormecer, diferente de Louis que passou um bom tempo olhando para Harry que dormia tranquilo ao seu lado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...