História Nerve - The game - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Alícia Gusman, Paulo Guerra
Tags Carrossel, Paulicia
Visualizações 261
Palavras 2.690
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu recomendo que assistam ao filme "NERVE", tem na Netflix, e eu não sei se tem no YouTube. Eu super amei esse filme e me deu inspiração pra essa fanfic.
⚠ Queria deixar claro que só peguei a ideia do jogo calmo, pq a parte final do filme, da prisão e de homicídio, não vai ter. Bjs.

Capítulo 1 - Jogador Ou Observador?


Fanfic / Fanfiction Nerve - The game - Capítulo 1 - Jogador Ou Observador?

Alicia e Mario correm pelo pátio dá escola extremamente preocupados.

ALICIA: Anda logo Mario! - ela grita enquanto corre.

MÁRIO: Eu tenho problemas respiratórios, Alicia. - ele diz enquanto faz a "bombinha" (remédio que ameniza uma crise asmática).

ALICIA: Cadê ela?! - pergunta preocupada.

TODOS: XIIIIU!

MARGARIDA: Ela precisa se concentrar. - diz enquanto segura o celular, filmando.

Alicia e Mario se misturam entre a multidão de gente em volta do prédio do ensino médio dá escola. Os dois olham para o telhado dá escola, onde Valéria Está em pé, se filmando com o celular.

VALÉRIA: Tudo bem. - ela respira fundo - Lá vai observadores.

Valéria deixa o celular no chão, de a forma que seja possível filma-la de corpo inteiro. Ela dá uma rápida olhada para baixo, onde seus amigos estão a observando, junto a milhares de alunos dá escola.

ALICIA: VALÉRIA! - ela grita lá debaixo - POR FAVOR, DESCE DAI!

VALÉRIA: VAI SER RÁPIDO, ALLY! - ela grita de volta - EU PROMETO.

ALICIA: Ai meu Deus. - ela abraça Mario, afundando o rosto no peito dele, sem coragem de olhar para Valéria lá em cima.

Valéria se enche de coragem, e por fim, dá uma cambalhota no telhado dá escola. O telhado solta um estalo de algo se quebrando, o que faz o coração dela acelerar, e rapidamente, ela começa a descer a escada que apoiou sobre o prédio. Alguns meninos a ajudam a descer.

[ DESAFIO CUMPRIDO ]

ALICIA: Sua maluca, eu quero matar você! - puxa Valéria para um abraço - Mas antes eu quero saber que você tá bem.

VALÉRIA: Fica calma, amiga. - ela sorri - EU GANHEI 1.000 REAIS! CHUPA SOCIEDADE!

MARGARIDA: Você foi incrível Val! - ela diz animada.

MARCELINA: Foi muito dahora! 

ALICIA: Como podem achar isso legal?! - ela pergunta inconformada - ela podia ter se machucado feio!

MARGARIDA: Mas não machucou, é tão óbvio. - ela dá de ombros.

VALÉRIA: O importante é que eu cumpri o desafio, ganhei money, e meus observadores subiram para 5 MIL!

MARCELINA: Você deve ser a pessoa com mais seguidores aqui na escola, Valéria. - ela sorri.

VALÉRIA: Na verdade não. - ela fecha a cara - seu irmão é o mais observado dá escola.

MARCELINA: own, é mesmo, até esqueci que o Paulo joga Nerve. 

MARIO: Como esquecer, se semana passada ele destruiu o canal do ar condicionado. - revira os olhos.

Todos começam a ir embora, afinal, já era hora dá saída.

ALICIA: Me promete que vai parar de jogar. - ela súplica.

VALÉRIA: Eu não posso Ally, eu tô chegando entre os top 10, não posso desistir agora. 

MARIO: A Alicia tá certa, Valéria, esses seus desafios tão ficando perigosos demais.

VALÉRIA: Ah Mario, quando que você não defende a Alicia? - ela pergunta ironica, o deixando constrangido - Só ela é tonta de não perceber.

ALICIA: eu tô aqui, tá legal?!

DIRETORA: VALÉRIA FERREIRA! QUE HISTÓRIA É ESSA DE SUBIR NO TELHADO DA ESCOLA? - Ela grita se aproximando.

VALERIA: xi.... melhor vocês darem o fora, antes que sobre pra vocês. - ela beija a bochecha de alicia - te vejo na casa dá Maria Joaquina hoje de noite.

ALICIA: Mas... - Valéria manda um beijo no ar e vai para a diretoria - ... Eu não vou.

MARIO: Acho que você vai sim rsrs.

ALICIA: Vamos embora. - ela puxa ele pela mão.

Mario e Alicia moravam no mesmo bairro, perto dá escola, por isso sempre voltavam para casa a pé, juntos.

MARIO: Você tem que começar a sair Mais, nem parece que tem 17 anos.

ALICIA: Sou responsável. 

MARIO: eu também sou ue, mas não deixo de sair por isso.

ALICIA: Eu preciso estudar pra prova de geografia.

MARIO: Que é daqui duas semanas? - ele arqueia a sombrancelha.

ALICIA: Se eu quiser tirar uma nota boa, eu já estou atrasada pra começar a estudar!

MARIO: Você precisa viver mais Ally, ir a festas, ter mais amigos... Arrumar um namorado.

ALICIA: Namorado? Rsrsrsrsrsrs. - ela ri ironicamente - Eu nem deixei de assistir bom dia e CIA ainda, e você quer que eu namore com alguém? Rsrs.

ALICIA: Já pensou em ser comediante?

MARIO: Tô te mandando a real. - ele dá de ombros - você tá solteira por opção.

ALICIA: Dos meninos, só se for. Eles nem sabem que eu existo.

MARIO: Eu sei que você existe.

ALICIA: Você não conta, você é meu amigo. - ele revira os olhos - tá falando isso só pra me animar.

MARIO: claro...

ALICIA: E Também, minha paixonite dá infância nem deu em nada. 

MARIO: Paulo guerra? Rsrsrs.

ALICIA: Não pronuncie o nome dele. - ela revira os olhos.

MARIO: Qual é Ally, já faz anos que ele te deu aquele fora, supera e parte pra outra.

ALICIA: Falar é fácil. Você também tinha uma paixão de infância que nunca me contou. Quem era afinal?

MARIO: ah..  você não conhece.

ALICIA: difícil, eu conheço todo mundo. - ela sorri se gabando - todo mundo é que não me conhece.

MARIO: bom... - eles param na frente do portão dela - está entregue.

ALICIA: Até amanhã. - ela beija a bochecha dele.

MÁRIO: Até de noite. - ele corrige - te busco as 20h.

ALICIA: Tá bom... - ela bufa e entra em casa.

Mario segue caminho, até ouvir um barulho alto de algo caindo no chão. Ele olha para trás, e vê Marcelina caída no chão, com uma bicicleta por cima.

MARCELINA: aii.. - cara de dor.

MARIO: Você se machucou? - ele pergunta indo ajudar ela.

MARCELINA: Meu joelho tá ardendo. - ela se levanta com dificuldade.

MARIO: Posso ver? - ela assente com a cabeça.

Mario se ajoelha para ver o corte no joelho dela. Ela reclama de dor ao sentir o toque dele no machucado, mas logo passou.

MARIO: Precisa lavar com agua, e fazer um curativo.

MARCELINA: Eu vou cuidar disso, obrigada. - ela sorri sem jeito.

MARIO: magina. - ele abana um "tchau" para ela e segue caminho. Marcelina fica o observando ir embora por um tempo, até entrar em casa.

MARCELINA: Paulo? - ela pergunta pois não o vê no sofá, lugar de costume dele.

PAULO: Que é? - ele surge na sala.

MARCELINA: Eu machuquei o joelho, me ajuda a subir a escada.

PAULO: eu não, não sou seu mordomo. - Ele diz sem se importar.

MARCELINA: Por favor, eu não consigo andar.

PAULO: Tá beem... - ele bufa e se abaixa um pouco - sobe ai.

MARCELINA: Vai me dar carona? Você não faz isso desde que éramos pequenos.

PAULO: sobe antes que eu me arrependa.

Ela sobe nas costas dele, que logo sobe as escadas, até o andar dos quartos.

PAULO: Meu Deus Marcelina, você tá pesada hein. - ele massageia as próprias costas.

MARCELINA: Ei! - ela adentra o próprio quarto.

PAULO: Se precisar de algo, NAO ME CHAME. - Ele entra no quarto e bate a porta.

Paulo se joga na cama e pega o celular. Ele abre o aplicativo do Nerve, esperando encontrar algum desafio. Do outro lado dá rua, Alicia o via pela janela do quarto dela, já que eram vizinhos. 

Alicia gostava de Paulo quando era pequena, e sempre disse a si mesma, que esse sentimento havia se acabado com o tempo. Ou talvez não.

Alicia é tirada de seus pensamentos pelo som dá chamada do celular.

ALICIA: Alô?

VALÉRIA: Fiquei suspensa até terça feira que vem! - ela diz animada.

ALICIA: ai Valéria, só você.

VALÉRIA: Mas valeu muito a pena, eu tô muito perto do top 10 do Nerve.

ALICIA: Como você pode achar graça nesse jogo? É perigoso.

VALÉRIA: ah Alicia, adrenalina não faz mal pra ninguém.

ALICIA: e se você tivesse caído do telhado?

VALERIA: Para de ser pessimista. - revira os olhos - eu não cai.

ALICIA: Eu me preocupo com você, sua maluca.

VALERIA: Também te amo, mas meu top 10 é o meu top 10. 

ALICIA: me ligou só pra contar dá sua suspensão?!

VALERIA: Sim, e pra confirmar a hora que eu te busco pra festa.

ALICIA: O Mario vai passar aqui as 20h, vem pra cá e vai com a gente.

VALERIA: nem, não sou vela.

ALICIA: Eu e o Mario somos só amigos, para de zoeira e vem pra cá.

VALERIA: Ao seu ver né amiga, mas okay, você me convenceu. Chego aí as 19h no máximo. Bjinhu.

ALICIA: Vê se não se mata, bjo.

Alicia desliga o telefone e vão até o computador. Mesmo que ela tivesse a fixa ideia de que Nerve era perigoso, ela ainda tinha curiosidade de saber do que se tratava.

Ela acessa o site do jogo, e logo é aberta uma janela com as opções Jogador ou Observador.

ALICIA: o que é isso meu Deus... - ela pergunta a si mesma.

- AIIII! 

Alicia se assusta ao ouvir um grito de dor vindo de perto dá janela. Ela imediatamente corre até lá, e se depara com Paulo jogado no chão, com um arranhão no braço. Alicia desce as escadas e vai até ele na frente de sua casa.

ALICIA: Você tá bem?

PAULO: Te conheço? - ele se levanta com dificuldade - Ata, lembrei, você é a amiga dá Valéria.

ALICIA: Bom saber que você "me conhece" - ela ironiza.

PAULO: Conheço a Valéria no Nerve, ela tá tentando chegar no meu posto dos top 10.

ALICIA: Não vá me dizer que caiu dessa árvore por causa de um desafio? - ela pergunta já temendo a resposta.

PAULO: Desafio > Se jogue de uma árvore. - ele checa o celular - E eu faturei, haha.

ALICIA: não acredito que fez isso por causa de um jogo idiota. - revira os olhos.

PAULO: Você devia sair dá zona de conforto e se arriscar um pouquinho. 

ALICIA: Como pode saber que eu não me arrisco?! Você nem me conhece.

PAULO: se arrisque = jogue Nerve.

ALICIA: Nem morta!

PAULO: então boa sorte sendo a sombra dá Valéria. - ele dá um tapinha nas costas dela - legal te conhecer..  é... Seja lá qual for seu nome.

Ele volta para dentro de casa, deixando Alicia furiosa. No fundo, ela se sentia como sombra de Valéria, mas ela jamais assumiria isso, para não magoar sua melhor amiga. 

-

Já na hora de ir, Mario encontrou as duas na casa de Alicia. Alicia não se sentia bem indo em festas, mais por ser ignorada do que por qualquer outro motivo. Mas ela não teria escolha já que seus amigos lhe "arrastaram" para lá, praticamente. 

A casa de Maria Joaquina estava toda decorada com balões e luzes, além dá música alta que poderia ser ouvida até do outro quarteirão. Praticamente, todos já haviam chegado, afinal, Valéria, Alicia e Mario eram conhecidos principalmente por serem atrasados.

MARIA JOAQUINA: Valéria! Que bom que veio! - ela a abraça - você também Mario.

ALICIA: Cof... - ela força uma tosse, chamando a atenção de Majo.

MARIA JOAQUINA: uou, você também Alicia. - ela dá um sorriso forçado. - aproveitem a festa.

VALÉRIA: Cadê aquela sua TV grande? Você disse que ia passar Nerve ao vivo!

MARIA JOAQUINA: Tá lá na sala! Eu mostro pra você. - ela diz antes das duas saírem correndo .

MARIO: e aí, o que quer fazer?

ALICIA: Ir embora? - ela pergunta como se fosse óbvio 

MARIO: Aproveita um pouco a festa, você mal chegou.

ALICIA: claro, até porque é super divertido ver todo mundo se matar com Nerve. - ela diz irônica.

MÁRIO: Nerve nem é tão mal assim, você devia entrar como observadora.

ALICIA: tenho mais o que fazer. 

MARIO: bebida, então? - ele pergunta enquanto os dois se aproximam do pequeno bar improvisado no jardim dá mansão.

ALICIA: pra alguma coisa, a noite tem que valer. - ela pega o copo dá mão dele e o vira de uma vez só.

MARIO: Olha, quem diria... Alicia Gusman virando um copo numa festa dá Maria Joaquina... Rsrsrs.

ALICIA: não zoa. - ela diz irritada.

MARGARIDA: e ai casal. - ela se aproxima do bar.

ALICIA: Não somos um casal.

MARGARIDA: é sério? - ela pergunta surpresa.

ALICIA: Tão sério quanto o aquecimento global. - ela vira outro copo.

MARGARIDA: Poxa... Eu jurava que vocês namoravam, ou ficavam pelo menos.

MARIO: ainda... Não. - ele cochicha no ouvido de margarida - depois do quinto copo, quem sabe. - ele dá de ombros.

MARCELINA: Gente, a Valéria foi desafiada!

ALICIA: Novidade...

MARIO: O que ela tem que fazer dessa vez?

MARCELINA: Ela vai descer a escada dá mansão de bicicleta. - ela diz animada. - vamos lá pra sala ver no telão.

MARGARIDA: AAA QUE DAHORA. 

Marcelina, Alicia, Mario e margarida se juntam ao resto na sala, onde uma grande televisão transmite Nerve ao vivo. Na tv, é possível ver Valéria se preparando para descer a escada na bicicleta. O celular dá mesma está preso em seu short, o que permite que ela se grave. 

[...]

Após um belo tombo, todos comemoram por Valéria ter vencido o desafio de novo. Valéria e Maria Joaquina caminham pelo jardim junto com alguns amigos de Majo. Valéria havia esquecido de encerrar sua live do jogo, então, ela ainda era filmada ao vivo naquele momento.

MARIA JOAQUINA: Você com certeza vai superar o Paulo guerra!

VALÉRIA: espero mesmo, não fiz todos esses desafios doidos até agora, pra ficar fora dos top 10. - Majo ri.

MARIA JOAQUINA: Cadê seus amigos? - ela pergunta enquanto olha para os lados - juro que vi eles chegarem.

VALERIA: devem estar lá dentro.

[ MANSÃO - SALA ]

(Todos assistem a live de Valéria, sem que ela perceba que ainda está ao vivo. )

ALICIA: não achei ela. - ela percebe a multidão de frente para a tv - UE, o desafio já não acabou?

MARGARIDA: e acabou, mas a Val esqueceu de desligar a live, e a galera tá vendo a conversa dela com a Majo. - ela dá de ombros.

MARIA JOAQUINA: Sinceramente... Eu fiquei até feliz do Mario ter vindo, mas aquela sua amiga, argh... Ela é tão sem graça.

VALÉRIA: Quem? Alicia?

MARIA JOAQUINA: A do óculos, essa aí mesma. - senta na fonte - Não entendo como você pode ser amiga dela, você é tão alto astral.

VALÉRIA: A gente se conhece desde a infância, nosso amizade durou.

MARIA JOAQUINA: Deve ser horrível viver sem identidade Rsrsrs, ser conhecida só por ser sua amiga.

Todos na sala olham para Alicia, que se encolhe ao ouvir a conversa pela TV.

VALÉRIA: Ah, eu não tenho culpa né.

MARIA JOAQUINA: Eu no lugar dela, morreria de vergonha de ser a piada do rolê rsrs.

VALÉRIA: ai gente, eu não posso defender ela de tudo e todos. Mas é sempre assim, toda estrela tem sua sombra.

MARIA JOAQUINA: E que sombra hein, parece aqueles bonequinhos marionetes que você planeja até as falas Rsrsrs.

MARIO: Alicia... Tá tudo bem? - ele pergunte se aproximando dela.

ALICIA: Tá sim - ela limpa as lágrimas do rosto - Eu só quero sair daqui.

Alicia se retira dá mansão o mais rápido que consegue. Mario tenta acompanha-la, mas ela o rejeita. Por mais que Maria Joaquina sempre falasse esse tipo de coisa apenas para se sobressair, Alicia sabia que era verdade. Era como ela mesma se sentia em relação a sua amizade com Valéria. 

PAULO: Festinha babou, foi? - ele pergunta parando na frente dela, no meio dá rua em que os dois moram.

ALICIA: eu não tô legal pra brincadeirinha, Paulo. - ele percebe que ela estava chorando.

PAULO: aconteceu alguma coisa? 

ALICIA: Nada que valha a pena você saber. - ela limpa o rosto - e você? Por que está aqui na rua sozinho?

PAULO: meu novo desafio, preciso me fingir de morto pro primeiro carro que passar.

ALICIA: Boa sorte então, nessa rua quase não passa carro. - ela diz antes de entrar em casa.

Por mais que tudo aquilo tivesse a abalado emocionalmente, Alicia sabia que havia um jeito de provar a todos, especialmente a Maria Joaquina e Valéria, que ela podia ser muito mais do que uma sombra de Valéria. E a melhor forma de fazer isso, é vencendo elas em seu próprio jogo.

WWW.NERVE.COM

BEM - VINDO AO NERVE:

( X ) JOGADOR        (  ) OBSERVADOR

Suas pernas tremiam após clicar na opção "jogador". Mas Alicia tinha convicção de que isso a traria uma sensação de vingança. Após preencher tudo no cadastro...

@AliciaGuman - Você está no jogo.

-

Paulo continuava parado na rua, esperando por algum carro, para completar seu desafio. Ele ri ao ver Alicia saindo de casa.

PAULO: Sentiu tanta saudade de mim que veio me ver? Rsrs.

ALICIA: na verdade... Vim cumprir meu desafio. - ela mostra a tela do celular aberta no Nerve.

PAULO: Você? No Nerve? - ele pergunta surpreso.

ALICIA: você tinha razão, guerra, preciso sair dá minha zona de conforto.

PAULO: E qual seu desafio? 

ALICIA: Tocar a campainha de uma casa e sair correndo.

PAULO: Seus observadores tem o que? 5 anos? 

ALICIA: Olha lá seu carro vindo. - ela aponta para uma luz de farol se aproximando - boa sorte.




Notas Finais


.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...