1. Spirit Fanfics >
  2. Netflix >
  3. Capítulo 15

História Netflix - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Oiee! Espero que gostem do capítulo de hoje, pois eu gostei de escrever!

Boa leitura! 💖

Capítulo 16 - Capítulo 15


Após deixar Taehyung em sua casa, Jeongguk dirigiu o mais rápido possível para a sua. Ele apenas queria chegar lá, sem nem pensar em nada.

O azulado sentia que poderia desabar a qualquer momento, e assim, Junghyun ficaria sabendo de todos os seus segredos. Não, aquilo não podia acontecer! 

Ele precisava esconder. Esconder tudo! Seu irmão jamais poderia saber dos seus conflitos internos.

Mas não era como se o rapaz pudesse controlar seu ser em momentos de crises. A mente de Jeon estava latejada e, seu coração, descompassado.

Jeongguk não iria conseguir segurar até chegar em casa. Ele não tinha escolha: precisava contar tudo.

Mas e se Junghyun lhe julgasse? Não, ele jamais poderia ficar pensando nas consequências de suas ações. Aliás, a culpa é totalmente sua por ter esses conflitos internos.

Quando o carro foi estacionado em frente à sua residência, o Jeon achou que fosse desmaiar. Sua garganta já estava com um bolo formado e suas têmporas suadas.

O rapaz apenas saiu do carro e correu até a porta do local, não hesitando em bater o mais forte possível. Seu corpo já estava trêmulo e, seus olhos, marejados.

Jeongguk precisa de ajuda…

— A-Abre a porta, hyung… — sussurrou quase inaudível, sabendo que seu irmão não iria ouvir. — Por favor…

Junghyun havia combinado com Jimin para este passar a noite em sua casa. O Jeon mais velho não foi incapaz de notar a mudança repentina de comportamento do seu maninho. A empresa estava pegando muito pesado, e sua aparência já estava muito desgastada. Talvez, a presença do Park ali possa o animar um pouco.

Jimin estava sentado sobre a cama do Junghyun, enquanto assistia a uma série com ele pelo celular.

— Eu amo essa série… — Junghyun pensou alto.

— Eu tam…

O louro não conseguiu concluir a sua frase ao escutar o bater da porta vindo, provavelmente, da sala.

— Olha, o Jeongguk chegou! — sorriu. — E parece desesperado para entrar…

— Era só o que me faltava — o Jeon bufou. — Ele tem a chave daqui…

— E se ele estiver esquecido?

— Vish… eu não tinha pensado nisso.

Assim, ambos caminharam até a sala, enquanto Jeongguk ainda batia na porta desesperadamente.

— A gente já tá abrindo, animal! — Junghyun gritou, enquanto Jimin soltava uma risadinha fraca.

Jeongguk, do lado de fora, soube apenas arregalar os olhos. "A gente"? Tinha mais alguém com o seu irmão? 

Quando uma risadinha familiar soou por seus ouvidos, o rapaz não teve dúvidas de que era Jimin quem estava lá.

Não, não, não, não!

Junghyun, então, finalmente abriu a porta, e se deparou com a figura cansada do seu irmão. Os olhos do azulado estavam cheios de lágrimas e o seu corpo inteiramente trêmulo.

Oh, céus! O que havia acontecido?

Jimin também não conseguiu disfarçar sua preocupação ao ver o seu braço direito daquele jeito.

Jeongguk, por sua vez, apenas soube abraçar o seu próprio corpo e entrar em casa, ainda fitando o chão. Os soluços rompiam a sua garganta por completo.

— J-Jeongguk, o que houve? — Junghyun perguntou, segurando os ombros do mais novo.

— Está tudo bem? — o louro também se aproximou do azulado, que permanecia de cabeça baixa.

Jeongguk, enquanto fitava o piso de sua casa, sentia todo o seu interior explodir. Ele estava ciente de que não iria conseguir segurar.

— Ggukie, foi algo que eu fiz? — Junghyun perguntou. — Se foi, me perdoa-

Jeon, ao ouvir o que seu irmão havia dito, não conseguiu se segurar: desabou no chão do recinto, soltando arfares baixinhos e soluços altos. O azulado sentia que iria morrer.

Junghyun se sentou também e abraçou o corpo frágil do seu irmão com toda a sua força, deixando-o chorar em seu ombro. Ele sabia que se adaptar estava sendo difícil para o rapaz, mas não imaginava vê-lo assim. 

Jimin também se sentou, enquanto acariciava os cabelos azulados do amigo, vendo o outro acariciar as costas dele.

— Está tudo bem, Ggukie… — Junghyun sussurrou, sentindo o seu coração se apertar ao ouvir o choro alto do seu irmãozinho. — Estamos aqui agora…

— D-D-Desculpa! — Jeon se agarrou ainda mais ao corpo do mais velho. — P-Por fa-favor…

— Shiu… — beijou a testa do rapaz. — Não precisa se desculpar…

— E-Eu n-não que-quero esconder m-mais!

— Do que está falando, anjinho? — Jimin se viu livre para perguntar, limpando algumas lágrimas que também escorriam do seu próprio rosto.

Era tão difícil e doloroso ver o seu amigo naquele estado.

— E-Eu n-não quero m-mais es-esconder! 

— Olha, vamos nos acalmar um pouco e depois você conta tudo o que está te afligindo, tá? — Junghyun perguntou com todo o cuidado do mundo.

— E-Eu demorei pra acordar hoje porque tive uma crise de ansiedade e passei a noite acordado! — o azulado revelou, se desvencilhando do ombro de Junghyun e passando a encará-lo.

O amorenado se viu boquiaberto com tal revelação. Jeongguk estava tendo uma crise?! Por que não percebeu? Por que não acordou para o ajudar?

— Eu não te acordei porque não queria te deixar preocupado! — Jeongguk respondeu, como se tivesse acabado de ler a mente do mais velho.

— Oh, Ggukie… — Junghyun puxou a cabeça do mais novo e a acolheu em seu ombro novamente. — Eu poderia ter ajudado você…

— Eu fiquei com me-medo de você me julgar! 

— Não, anjinho, por que eu iria te julgar? — Jeongguk se viu sem resposta, soluçando alto. — Eu amo você!

O coração do Jeon se aqueceu quando as três palavrinhas escaparam dos lábios de Junghyun. Ele não imaginava ouvir isso, mal imaginava que o rapaz não o julgaria.

— E-Eu também amo você, Junghyun! M-Muito! — Jeongguk confessou, apertando ainda mais o corpo do mais velho.

— Eu vou cuidar de você agora, meu amor… — Junghyun beijou as madeixas do azulado, que apenas sorriu fraco contra as suas vestes.

Jimin apenas sabia chorar diante dos dois irmãos. Ele estava chocado com tudo naquela noite. Já tinha noção de que Jeongguk não estava nada bem, mas precisava saber tudo aquilo que lhe afligia.

— O que está te deixando aflito, anjinho? — o louro perguntou, e o Jeon deixou apenas um longo suspiro lhe escapar.

— Vamos esperar que ele se acalme antes… — Junghyun avisou, e o Park apenas assentiu.

Após longos minutos, o azulado, por fim, se viu um pouco mais calmo. Ele não sabia como reagir diante de tudo o que tinha feito seu irmão e seu amigo presenciarem, mas estava pronto para contar tudinho.

— E-Eu… vou contar tudo! — o rapaz proferiu com a voz fraca, enquanto seu irmão apenas acariciava o seu rosto.

---

Sábado e domingo haviam se passado voando e, quando o Sol raiou, Taehyung sorriu. Havia, finalmente, chegado o dia do seu aniversário! Kim nunca imaginou que alcançaria os seus vinte e quatro anos.

Quando se espreguiçou e sentou-se sobre a cama, a primeira coisa que viu foi um café da manhã depositado sobre uma mesinha em seu acolchoado. Oh, céus! Hoseok havia preparado cereais, chocolate quente, um bolo de fubá e alguns biscoitos para si.

 — E-Eu não acredito que o Hobi-hyung fez tudo isso pra mim! 

O rapaz louro se assustou ainda mais ao ver a figura deste abrir a porta do seu quarto, um sorriso enorme preenchendo o seu rosto.

— Parabéns pra você! Nesta data querida! Muitas felicidades! Muitos anos de vida! — o Jung cantarolou, batendo palmas, enquanto caminhava até a cama do Kim.

— Obrigado, hyung…

— Shiu! — interrompeu o aniversariante, vendo-o franzir o cenho. — Com quem será…

— Ah, não…

— Com quem será que o Taehyung vai casar? Vai depender, vai depender, vai depender se o Jeongguk vai querer! — Hoseok riu ainda mais ao ver o Kim revirar os olhos. — Ele aceitou! Ele aceitou! Tiveram dois filhinhos e depois se separou!

— Hoseok…

— Passou um mês, passou um mês! Tiveram dois filhinhos e casaram outra vez! 

— Acabou? — Taehyung indagou, após coçar os olhos. 

— Sim! — Hoseok riu. — Gostou?

— Maravilhoso, maravilhoso… — o Kim debochou. — Mas obrigado pelo café na cama…

— Não precisa agradecer, anjinho! 

E assim, os dois se abraçaram fortemente.

— Você… vai ter que ir para a empresa hoje? — o ruivo perguntou, após se desvencilhar do contato.

 — Infelizmente, sim — Taehyung rolou os olhos. — Não é porque é meu aniversário que devo faltar.

— Em plena véspera de ano novo?! — o mais velho arregalou os olhos.

— Sim… eles não perdoam. Essa será a última gravação do ano.

— É uma pena você ter gravação, pois eu achei que iria visitar os seus pais…

— Eu não vou… — Taehyung suspirou. — Mas é bom que eu ganho tempo para contar pra eles sobre o seriado ser gay.

— Olha… não vou mentir — o ruivo começou. — Eu queria que você contasse isso logo.

— Hyung…

— Mas, se você ainda não está pronto, tudo bem. O tempo certo vai chegar, anjinho.

— O que eu faria sem você?

— Estarei aqui sempre...

Os dois trocaram longos olhares e sorriram. Hoseok, então, se levantou da cama do amigo e caminhou até a porta do seu quarto.

— Já vai? — Kim se indignou.

— Tenho que me arrumar para o trabalho — explicou, relutante. — Mas podemos comemorar quando você voltar da gravadora, hm?

— Claro…

E, assim, o ruivo fechou a porta, deixando-o sozinho em seu quarto.

Taehyung, então, apalpou o seu celular e sorriu ao ver várias mensagens comemorativas para si. A primeira que abriu, é claro, foi de sua mãe.

[Omma <3]

Feliz aniversário, meu amor!!

Estou com tanta saudade de você! 

Obrigado, omma :)

Não precisa agradecer.

Estou doida pra te ver novamente.

E pra ver a garota que está encenando contigo.

Te amo! <33

O rapaz, no mesmo instante, apagou a tela do seu celular. Não, não, não! A culpa não era de sua mãe! Ele é quem deveria ter contado para ela que não estava contracenando com uma garota. De qualquer forma, por hora, o Kim não estava mais afim de ver mais nenhuma mensagem.

Queria apenas comer o café da manhã feito pelo Jung e rumar para a gravadora.

---

Taehyung só faltava explodir de vergonha. Havia acabado de passar pelos portões da empresa e não encontrara ninguém, menos os funcionários de limpeza, pelos corredores.

Ótimo! Perfeito! Ele havia se atrasado mais uma vez!

O rapaz suspirou: este aniversário não seria um dos melhores que já teve…

Quando passou pela cidade cenográfica, encontrou todos reunidos ali, enquanto gravavam uma cena interna na escola.

— Você está tão atrasado, Taehyung… — Doowon reclamou.

— D-Desculpa…

— Tá, mas esperamos que isso não se repita — Bang interferiu, seu semblante sério.

— Peguem leve, gente…

O loiro se assustou ao ouvir a voz de Yoongi, este que estava encostado em uma das paredes do estúdio.

Doowon, Bang e os outros produtores e roteiristas passaram a fitar o rapaz branquinho.

— Hoje é o aniversário dele… — explicou.

— Sério, Taehyung? — Bang indagou, e este apenas assentiu. — Bom, feliz aniversário…

— O-Obrigado, senhor…

Taehyung caminhou até Yoongi e sorriu fraco. Se não fosse por ele, a sua bronca ainda estaria de pé.

— Obrigado, hyung — sussurrou, e o Min apenas piscou para si. — Mas… como sabe que hoje é meu aniversário?

— O Hoseok me disse. Ah, e feliz aniversário!

— Obrigado.

O Kim tinha se esquecido de que Yoongi e Hoseok estavam cada vez mais próximos um do outro. Ele ficava feliz por ver seu amigo se relacionar com outras pessoas além do seu emprego.

De qualquer forma, Taehyung, ao varrer o olhar pelo local, encontrou a figura de Jeongguk, que não tardou em caminhar até sua direção. Seus cabelos azulados caiam por seus olhos e seus lábios se encontravam úmidos e rosadinhos.

O Jeon estava lindo, como de costume. Kim sentia que poderia desmaiar de afeição a qualquer momento.

— Feliz aniversário, hyung… — sussurrou em um dos ouvidos do rapaz.

O corpo de Kim, que já estava em uma situação crítica quando este viu Jeongguk, se arrepiou ainda mais com a sua voz grave e calma tão pertinho assim.

— O-Obrigado, Ggukie! — sorriu, passando a brincar com os seus dedos. — Eu achei que você estivesse esquecido…

— Como eu seria capaz de esquecer? Você é muito especial para mim.

Taehyung sorriu ainda mais após a confissão de Jeongguk. Era tão bom saber que um dos indivíduos que mais admirava lhe curtia também.

— V-Você ta-também é…

Jeongguk riu ao ver o quão nervoso o seu amigo se encontrava. Ele era capaz até de gaguejar nas palavras! 

— Não precisa ficar nervoso, Tae! — Jeon se aproximou, mais uma vez, do ouvido do loiro. — Eu tenho uma surpresinha para você...

— Sério? — o rapaz arregalou os olhos, vendo o Jeon assentir com a cabeça. 

O que será que aquele azulado de corpo bonito estava aprontando?

— E o que é?

— Se é surpresa, eu não posso falar! — Jeongguk soltou uma risada. — Mas você ficará muito feliz quando saber, disso eu posso ter certeza…

O Kim apenas sorriu com a afirmação do amigo, mesmo que a sua ansiedade prevalecesse. 

Ele não iria descansar até saber o que o amorenado estava planejando para si…

Por causa disso, o rapaz mal viu o tempo passar e, quando percebeu, o dia e as gravações já haviam chegado ao fim.

Estava na hora de ir para a casa.

---

Taehyung havia, como sempre, ido para o seu apartamento de carro com o Jeon, que dizia não gostar de ir sozinho, por um motivo inexplicável ao seu ver. O caminho percorreu silencioso, e o Kim apenas pensava em qual surpresa seria essa.

Bom, ao se despedirem, a primeira coisa que o loiro fez foi bater na porta da casa de Hoseok, que não tardou em o receber com um sorriso no rosto.

— Oi, aniversariante! — o cumprimentou. — Como foi o seu dia?

— Foi normal, hyung. A única coisa que me deixou intrigado foi o que Jeongguk me falou.

— E o que ele te falou?

— Ele falou que eu teria uma surpresa hoje, já que é meu aniversário. Só que, até agora, eu não sei o que é — explicou, enquanto adentrava a casa do ruivo.

— Bom… eu não sei que surpresa é essa do Jeongguk, mas posso afirmar que eu também tenho uma!

— T-Tem?

— Feche os olhos!

Taehyung, mesmo confuso, obedeceu, deixando com que Jung lhe guiasse para algum lugar.

— SURPRESA! — o grito do rapaz chamou a sua atenção, e Taehyung abriu os olhos.

A mesa da cozinha do ruivo estava forrada com um pano azul e coberta de quitutes, docinhos e um lindo bolo de cenoura com calda de chocolate. Sem contar nos balões coloridos espalhados por lá e uma garrafa de 'Sprite e 'Coca-cola.

— Você fez tudo isso… pra mim? — Taehyung murmurou, o seu queixo caído.

— Eu não iria deixar o seu aniversário passar em branco, né, Taehyung?

O Kim soube apenas abraçar o ruivo com toda a sua força, deixando um forte sorriso rasgar o seu rosto.

— Eu te amo, eu te amo, eu te amo, eu te amo, eu te amo, eu te amo, eu te amo, eu te amo, eu te amo! —Taehyung disse, enquanto beijava os fios da nuca do amigo.

— Eu também te amo, Tae, mas agora vamos nos empanturrar de comida!

Dessa forma, ambos se desvencilharam do contato e começaram a saborear os docinhos da simples festinha. Taehyung, no entanto, ouviu o repentino som de notificação vindo do seu celular.

Ele não sabia o porquê, mas sentia que precisava ver o que era. O seu coração gritava por isso.

 Ao ligar o aparelho, a primeira coisa que viu foi um número desconhecido por si em seus contatos. Ao abrir a conversa, se viu em choque com o que estava escrito.

[2768-2628]

Oii

Aqui é o irmão do Jeongguk.

E eu gostaria de te mandar um link a pedido dele.

Taehyung apenas abriu o link e foi direcionado paro o 'YouTube. O rapaz se assustou ao ver o rosto do Jeon em um color coded com a letra da música "Fools".

Espera… o quê?!

Jeongguk estava cantando a música tema da série, que, por acaso, também se chama Fools, no dia do aniversário de Taehyung.

O loiro ainda se encontrava totalmente boquiaberto, enquanto escutava a voz do azulado cantarolar a letra de tal música.

"Apenas tolos se apaixonam por você, apenas tolos

Apenas tolos fazem o que eu faço, apenas tolos se apaixonam

Apenas tolos se apaixonam por você, apenas tolos

Apenas tolos fazem o que eu faço, apenas tolos se apaixonam."

Tudo bem. Jeongguk havia acabado de postar a música "Fools" no dia do aniversário do Kim. A pergunta principal era…

Por quê?

Por que estava postando aquilo? Era algum tipo de presente?

— Hoseok, me ajuda! — Taehyung se manifestou, sua respiração já descompassada.

Será que era o que ele estava pensando? Será que Jeongguk também sentia atração por si?

— O que houve, anjo? — o ruivo indagou, após beber mais uma dose de sua 'Sprite.

— O Jeongguk acabou de lançar a música "Fools"! No meu aniversário! Você… acha que ele gosta de mim?

— Mas é lógico que ele gosta de você! — Hoseok sorriu, os seus olhos brilhando

— T-Tem certeza?

— Sim! O Jeongguk está caidinho por você, Taehyung! Vocês já deveriam estar juntos faz tempo!

— Eu não sei, hyung. Sinto algo estranho no peito…

Hoseok, então, levantou de sua cadeira e caminhou até a do amigo, ajoelhando-se em sua frente.

— Você só está nervoso, anjo, mas pode ter certeza de que tudo irá correr bem. Aproveite o momento e se aproxime ainda mais do Jeongguk, tudo bem?

Taehyung sorriu, antes de assentir. Hoseok estava certo quando disse que ele precisava aproveitar o momento. 

Jeongguk acabara de enviar um lindo cover do incrível Troye Sivan no dia do aniversário do Kim. Além disso, a sua voz afinada e grave transpassava toda a sua paixão. 

Apesar de confuso, Taehyung não poderia perder a maravilhosa oportunidade. 

A oportunidade de ter Jeongguk para si...


Notas Finais


HM... Será que Jeongguk está gostando do Tae também?

Espero que tenham gostado do capítulo de hoje, anjinhos! 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...