História Never Be The Same - Camren - Capítulo 93


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Personagens Originais
Tags Camren, Comedia, Drama, Luta, Romance, Surf
Visualizações 1.122
Palavras 1.372
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom dia.
NOTAS FINAIS.

Capítulo 93 - Por isso que nos damos tão bem


P.O.V  Lauren

A festa de Drake foi muito boa, comi bastante principalmente o bolo, Angelina se sujou toda ao comer aquele delicioso bolo. Quando deu seis horas da tarde, resolvemos ir embora e a festa já estava terminando também. Depois que nos despedimos de Sam, Robert e do Drake, fomos para casa. Angelina já dormia em meus braços quando a tirei do carro assim que chegamos, Camila apenas avisou que iria fazer alguma coisa na lavanderia e eu fui levar a pequena para o quarto. Minha filha ronronava baixinha, sua cabeça está apoiada em meu peito e os seus braços levemente caídos sobre mim, ela está começando a ficar pesada.

Deito-a com muito cuidado no berço, pego a sua chupeta rosa cheio de desenho e coloco em sua boca, Angelina sugou inconsciente ainda com os olhos fechados e se aninhou no berço, beijo demoradamente a sua testinha, ligo a baba eletrônica e carrego comigo depois que saio do seu quarto. Desço as escadas sem fazer um pingo de barulho, não quero acorda-la. Vou para a lavanderia que é encostada na lateral da casa de praia, puxo a porta de vidro de correr e a fecho assim que entro.

- Oi amor, o que está fazendo uma hora dessas? – Perguntei colocando a baba eletrônica em cima de um bancada cheio de produtos de limpeza.

- Colocando algumas roupas sujas na maquina – Camila disse sem olhar par mim, ela está concentrada no que está fazendo.

- Nossa pequena está dormindo como um anjo.

- Imagino que sim – Camila fechou a tampa da maquina de lavar e se virou para mim- Ela deu trabalho para dormir?

- Não, ela nem acordou – Sorrio abertamente.

- Isso é bom, pelo jeito ela vai dormir por horas – Camila mexeu na maquina para liga-la e apertou outros botões.

- Pois é e sabe o que isso significa? – Me aproximo dela com cautela.

- O que? – Camila se virou novamente para mim.

- Temos bastante tempo para aproveitar – Faço a minha melhor cara de safada.

- Você é uma tarada, só pensa em sexo – Camila riu ao notar minha expressão.

- Eu não tenho culpa se a minha mulher é uma latina gostosa da porra – Me abano.

- Eu estou ocupada aqui – Apontou para a maquina.

- Mas isso não vai atrapalhar em nada – Digo e sussurro – Que tal estrearmos a lavanderia?

- VOCÊ QUER TRANSAR AQUI? – Camila arregalou os olhos.

- Amor, é sempre bom ter experiências novas.

- O que eu não faço por você?

Sorri com aquilo, sabia que a Camila não iria me negar fogo, ataco os seus lábios em um beijo apressado e lascivo, seus braços trataram de entrelaçar em meu pescoço e colou o seu corpo ao meu. Mordo o seu lábio levemente e o puxo até solta-lo dos meus dentes, minha esposa arfou contra a minha boca e arranhou a minha nuca, senti queimar a minha pele mas aquilo é uma delicia, Camila me apertou firme contra ela, sinto o meu lábio sendo chupado demoradamente, amo quando ela faz isso. Agarro as suas coxas puxando-a para cima e fazendo suas pernas se entrelaçar em meu quadril, nossas línguas entraram em um contato frenético, se roçavam, brigavam uma pela outra, se tocavam de forma provocativa arrancando suspiros de ambas. Coloco a minha esposa sentada em cima da maquina de lavar que se mexia levemente por estar ligada.

- Você é linda demais – Sussurro, seguro firme em sua bunda dando algumas apertadas em momentos aleatórios.

- Você é uma puta de uma provocadora – Camila puxou o meu cabelo deixando o meu pescoço totalmente exposto.

- Ah! – Gemi manhosamente ao sentir a sua boca faminta na minha pele, recebi mordidas, chupões e beijos molhados me deixando arrepiada.

- Safada – Camila puxou com mais força o meu cabelo.

- Selvagem – Avanço sobre a sua boca e mordo com um pouco de força o seu lábio.

- Sabe amor, estou tão molhada por você – Camila abriu as pernas e passou as mãos por suas coxas a mostra já que ela está usando um short fino.

- Posso resolver isso.

Seguro no cós de seu short e puxo para baixo vindo junto da calcinha, realmente a intimidade dela está bem molhada e brilhante pelo lubrificante natural. Abaixo o meu tronco ficando de frente para aquela maravilha, puxo-a um pouco para a beirada da maquina ficando ainda mais exposta para mim. Dou uma longa lambida, escuto a sua arfada, abro bem as suas dobras e ataco o seu clitóris rosado. Camila gemeu puxando o meu cabelo, prendo o seu nervo entre os meus dentes e brinco com a língua na ponta, mexo freneticamente escutando os seus gemidos cada vez mais altos. Minha esposa se contorcia em cima da maquina e puxava forte os meus cabelos, as vezes arranhava a minha nuca, chupo em uma perfeita sucção o seu clitóris, parecia uma criança mamando.

- Oh amooor... – Camila gemeu tão gostoso – Assim vai...isso.

- Sua puta – Xinguei com a boca colada em seu sexo – Vadia.

- Xinga que eu gamo.

Sorri contra a sua intimidade molhada e volto a chupa-la com intensidade, Camila passou a rebolar em minha boca aumentando mais o contato, esfrego a minha língua em seu clitóris duas vezes em seguida e depois dou uma lambida até chegar em sua entrada, penetro a minha língua ali em sequencia, faço um vai e vem antes de retirar a língua e voltar a penetra-la novamente com uma certa pressão. Tiro a minha boca e substituo por meus dedos, enfio com tudo em sua entrada escutando o seu alto gemido chamando pelo meu nome, Camila puxou o meu cabelo até que a minha boca tivesse colada na sua, o meu fim foi quando ela gemeu contra meus lábios, sabe aqueles gemidos um atrás do outro? Era assim que saia da boca da minha esposa enquanto eu estocava forte dentro dela.

- Oh! Oh! – Camila gemeu contra os meus lábios, aquela boca macia roçava na minha conforme se movimentava – Ah Laureen!

- Céus – Olho para baixo vendo o seu orgasmo melando o meu dedo, levo até a minha boca e chupo – Que delicia.

- Isso foi bom, amor – Camila pulou saindo de cima da maquina – Agora a vadia aqui, vai dar um trato da minha mulher.

- Vem furacão latino.

Camila riu sensualmente antes de me atacar com um beijo avassalador, tive que me segurar em sua cintura para não cair com aqueles lábios deliciosos devorando o meu, minha esposa me empurrou até que as minhas costas batessem contra a parede. Ela afastou a sua boca da minha e ficou de joelhos no chão, sem enrolações, ela puxou o meu short junto da calcinha para baixo assim como eu tinha feito com ela. Camila colocou a minha perna em seu ombro e abocanhou o meu sexo, senti o meu nervo pulsando dentro de sua boca, eu precisava de um alivio rápido. A latina me chupava lentamente, afastava a boca para afastar as dobras e deixar o meu clitóris a mostra, eu via a saliva escorrendo pelo meu sexo e a sua boca brilhando pelo meu lubrificante natural.

Camila voltou a colar sua boca no meu nervo, sugando com tudo para dentro de sua boca, sua língua brincava com ele e o provocava, minhas pernas tremiam de tanto prazer que estou recebendo. Minha esposa voltou a afastar a boca, vi aquela linha de saliva e porra, aquilo é a cena mais sexy que já vi em minha vida. A maldita latina me olhou tão safada que quase gozei, mordo o meu lábio e empurro a sua cabeça de encontro ao meu sexo, Camila voltou a me chupar, parecia estar dando um perfeito beijo de língua na minha intimidade. Mas quando os seus olhos se ergueram para me fitar, ela parecia uma puta de uma vadia sexy e foi ai que gozei em sua boca, molhando aqueles lábios todinho.

- Amor – Puxo-a para cima – Você parece uma atriz pornô, meu Deus.

- Não exagera.

- Não estou exagerando, estou sendo realista – Beijo a sua boca.

- Está me chamando de tarada por sexo?

- Aham, você é pior que eu – Solto um beijo no ar.

- Idiota, por isso que nos damos tão bem.


Notas Finais


Gente, tenho algo sério a dizer. Essa semana essa fic será terminada, provavelmente vou finaliza-la na sexta.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...